Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Defesa Anti Aérea Mísseis Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas

Turquia perto de finalizar o contrato para aquisição de sistemas S-400 Russos

Segundo a agência de notícias Russa, TASS, Líderes  e representantes de defesa Russa e Turca estão  reunidos nesta semana na Turquia para finalizar um acordo de aquisição de  sistemas de defesa  russo S-400 Triumph. A Agência ressalta que as negociações entre os dois países foram iniciadas 2016 e que segundo os comentários do ministro turco Mevlut Cavusoglu aos meios de comunicação locais, as partes estão perto de chegar a um acordo.

O diário Sabah  reportou que o Ministério da defesa da Turquia afirma que objetivo da compra é satisfazer as necessidades de defesa de mísseis do país enquanto sua indústria trabalha para desenvolver e produzir uma solução doméstica e que certamente a Turquia precisa de um sistema de defesa antimísseis e iniciou um programa com o objetivo de desenvolver nosso sistema produzido no país. Cavusoglu lembrou que um sistema complexo como este leva tempo para ser desenvolvido e que a solução paliativa passou por negociar estas armas com vários países, mas que a Rússia é o candidato mais adequado para atender as necessidades do país neste momento.

De fato o governo da Turquia manifestou interesse pelos S-400 desde 2013, quando inicialmente se aproximou da China para o sistema de mísseis chinês similar aos S-300. Os oficiais foram forçados a cancelar o negócio em novembro de 2015 em resposta à desaprovação da OTAN.

O sistema de mísseis S-400 é uma solução antiaérea desenvolvida pelo escritório de projetos russo, Almaz Central Design Bureaue que foi concebido para substituir as antigas plataformas S-300.   A arma é capaz de lançar vários tipos d emísseis dedicados as mais variadas funções que incluem mísseis de longo alcance, de médio alcance e de curto alcance.

O S-400 estreou no conflito Sírio levanto inúmeros rumores de observadores militares quanto ao eminente risco de incidente entre a Turquia e Rússia especialmente porque o sistema foi implantado justamente após o abate de um caça SU-24 Russo por caças turcos, num episódio que de fato provou ser mais capaz de aproximar que distanciar os países que já mantiveram conflitos acirrados no passado.

Na altura, a Turquia protestou alegando que os sistemas russos ultrajavam a soberania turca por seus radares e sistemas de mísseis serem capazes de penetrar no seu espaço aéreo desde Latakia até proximamente Ankara.

Em seu pronunciamento Cavusoglu afirmou acreditar que seus parceiros da OTAN entenderão que a decisão da Turquia até  porque há muitos membros da aliança que igualmente adquirem sistemas de procedêencia russa e Chinesa.

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil China Equipamentos Navios Negócios e serviços Sistemas de Armas Sistemas Navais

IDEX-2017: China Shipbuilding Trading Corporation revela um novo conceito de fragata trimarã

Durante a IDEX-2017  que se realiza em Abu Dhabi, a China Shipbuilding Trading Corporation (CSSC) revelou um novo conceito de fragata casco trimarã e afirmou que um modelo está em construção para a Marinha do Exército Popular de Libertação da China (PLAN).

As especificações fornecidas pela CSSC para o de navio de combate de litoral, é que seu deslocamento é de   2450 toneladas, tem um comprimento de 142 m, boca de 32,6 m, uma velocidade de cruzeiro de 25 nós podendo atingir  35 nós em regimes especiais e ainda, possui  autonomia de 30 dias. O navio foi desenvolvido para operar uma tripulação de cerca de 100 pessoas.

Funcionários do CSSC disseram que o navio usa motores diesel que alimentam um “sistema de propulsão elétrica” que, por sua vez, aciona três waterjets e que o navio não tem um sistema de propulsão secundário à hélice.

Embora seja mais leve do que a fragata chinesa Tipo 054A, o trimarã carrega um armamento similar, um canhão de   76 mm, tubos de lançamento vertical para 16 ou 32 mísseis, oito lançadores de mísseis anti-navio, dois sistemas de armas para defesa de ponto e ainda possui espaço de hangar para dois helicópteros do modelo Z9EC .

A CSSC também revelou um conceito para um derivado do navio que ainda não tem clientes mas que é igualmente trimarã só que  mais encurtado e de 700 toneladas o qual teria a função de  embarcação de ataque rápida.  O navio teria como armamento o mesmo canhão  76 mm e quatro lançadores de mísseis anti-navio.

 

Categories
Aviação Defesa Rússia Sistemas de Armas Vídeo

Vídeo promocional apresenta potência de combate do Su-35S

Imagens divulgadas pela pasta da Defesa russa mostram fases de voo do mais recente caça supermanobrável de geração 4++.

(Vídeo: YouTube/Ministério de Defesa da Rússia)

O canal do Ministério da Defesa da Rússia no YouTube publicou um vídeo detalhando as capacidades do novo caça doméstico Su-35S.

O vídeo demonstra um voo completo – desde a decolagem até manobras acrobáticas que só aeronaves com vetorização por impulso podem executar.

O caça russo não só possui boa capacidade de manobra e de combate, como vem equipado com um sistema de detecção do inimigo com alcance de 400 km. Seus sistemas de combate podem rastrear 30 alvos simultaneamente e disparar contra oito.

O Su-35S é capaz de transportar até oito toneladas métricas de mísseis ar-ar e ar-superfície, além de efetuar disparos a uma distância fora da zona de cobertura dos sistemas de defesa aérea de potenciais adversários.

As Forças Aeroespaciais russas contam atualmente com 52 aviões desse modelo.

O primeiro lote com quatro caças Su-35 foi entregue à China no final do ano passado. Nos próximos anos, mais 12 aeronaves do tipo entrarão em serviço na Indonésia.

Fonte: Gazeta Russa

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia

Força Aérea segue firme no programa Tejas apesar da negativa Marinha Indiana

Apesar da negativa da Marinha indiana na aceitação do caça naval HAL- Tejas MK1, a Força Aérea Indiana segue firme e silenciosamente apostando numa versão melhorada do modelo.

Apostando suas fichas num modelo redesenhado chamado de Tejas MK-2 a Força Aérea busca uma nova data em 2021 para que o programa atinja sua maturidade. O caça HAL  MK1 Tejas tem apresentado inúmeros problemas e se mostrou insatisfatório na visão da Marinha Indiana o que o depreciou frente à potenciais clientes.

 

Atualmente a Força aérea possui encomendas firmes de 83 caças leves HAL Tejas MK1 e para que o programa MK2 seja viável é de senso comum que o programa consiga galgar ao menos outros 80 aviões na próxima década, algo com que os indianos terão que se preocupar frente as grandes ordens de encomendas de caças mais avançados dos quais a Força Aérea e a Marinha indiana necessitarão.

Dentre as modificações levantadas para o programa Tejas MK2 estão, a redução da massa total da aeronave, aumento de potência dos motores, Melhoramentos aerodinâmicos e aumento/inserção de um canard acoplado ao bordo de ataque da aeronave similar ao visto no programa PAKFA.

Aumento das capacidades de combustível e performance de manobra com redução do raio de curvatura a baixa velocidade. Também é esperada melhoria na suíte eletrônica e aviônicos, bem como capacidade de operação sem apoio.

O programa prevê a instalação de sonda retrátil de reabastecimento e gerador de oxigênio para os tripulantes. Provavelmente a aeronave será aumentada em comprimento para acomodar mais sensores e um segundo tripulante operador de sistemas e armas numa versão Biplace. Tudo isso se concretizado transformará o Tejas numa aeronave mais capaz e um concorrente amais próximo dos caças leves sueco, Americano e Sino-Paquistanês.

De acordo com relatos da mídia indiana, a delegação do Bahrain, que visitou o Aero Índia 2017 realizou um debate preliminar com sobre a eventual aquisição de LCA Tejas para a Bahrain Royal Air Force. O interesse seria numa variante de treinamento com capacidade de combate.

E.M.Pinto- contato@planobrazil.com

Categories
Defesa Destaques Equipamentos Infantry Fighting Vehicles Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia

Timoney fornecerá sistemas modulares de direção para os veículos blindados Lazar-3

O veículo blindado Lazar-3 Foto: marontech.co.uk

Fonte: Defence Blog

A Yugoimport-SDPR, empresa sérvia de comércio de armamentos, está construindo uma nova remessa dos veículos blindados para transporte de tropas “Lazar-3”, que serão equipados com os sistemas modulares de direção irlandeses Timoney T900. Esses novos módulos serão entregues em meados de 2017 e futuramente, equiparão os veículos já em atividade.

O Lazar-3 foi designado para operar em situações onde requer alta mobilidade como em operações urbanas, conflitos de “média intensidade”, operações de pacificação e antiterrorismo.

“A cadeia produtiva do T900 demonstra nosso modelo de transferência de tecnologia. Tendo designado, testado e aprovado o T900, nós estamos trabalhando em conjunto com nosso principal parceiro de produção, a Texelis da França, para fornecer as unidades para a Yugoimport.” Disse Shane O’Neil, chefe executivo da Timoney.

“Neste método de operação nos colocaram em uma posição privilegiada, onde celebramos esse ano, 50 anos de apoio a fabricantes de veículos blindados ao redor do mundo.” Completou O’Neil.

O T900 foi designado para veículos requerendo um carga de 9 mil kg em cada eixo e inclui o sistema de suspensão dupla em fúrcula providenciando maior mobilidade ao veículo. O T900 é modular, podendo ser equipado em uma variedade de veículos, independente de sua cadeia de fornecedores, e os sistemas de direção sendo parte de soluções equipadas sob o chassi desenvolvidos pela companhia.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=R-rghy4HRpM[/embedyt]

Categories
Defesa Destaques Equipamentos EVENTOS Fotos do Dia IDEX-2017 Negócios e serviços Segurança Pública Sistemas de Armas Tecnologia

IDEX 2017: Sérvia revela o novo veículo blindado multifuncional 4×4 – “Milosh”

O veículo blindado multifuncional Milosh BOV M16 . Foto: Petar Vojinovic

Fonte: Defence Blog

A Yugoimport-SDPR, empresa responsável pelo comércio de armamentos da Sérvia, mostrou seu veículo blindado 4×4 multifuncional na feira IDEX 2017.

O “Milosh” BOV M16 é um novo veículo blindado tático desenhado e fabricado pela Yugoimport-SDPR, em sua fábrica de “Sistemas Complexos de Batalha”, em Velika Plana, no leste da Sérvia.

O veículo BOV M16 congrega um chassi em formato em “V”, integrando placas no piso e bancos absorventes de impacto, providenciando proteção contra minas terrestres e dispositivos explosivos improvisados.

O veículo base possui 5,42 m de comprimento, 2,48 de largura e 2,3 m de altura. Seu peso varia entre 12 e 14 mil kg.

O “Milosh” possui velocidade máxima de 110 km/h e um alcance de cruzeiro de 600 km. O veículo é equipado com motor Cummins ISB 300, capaz de desenvolver 300 cavalos de potência.

O armamento do Milosh consiste numa estação de armas remotamente controlada, localizada no teto do veículo integrando uma metralhadora de 12.7 mm. Para aumentar a capacidade de autodefesa, seis granadas de fumaça de 82 mm são montadas na parte traseira do compartimento de tropas.

O BOV M16 4×4 é a plataforma ideal para missões de “reconhecimento”, “comando e controle”, e “policiamento local”. Seu design ergonômico facilita seu desempenho nessas tarefas.

Foto: Petar Vojinovic
Categories
Uncategorized

Ministério da Defesa nega pedido para prorrogar permanência das Forças Armadas no RJ

Pezão fez a solicitação nesta terça-feira (21), mas não foi atendido. Objetivo era ter reforço na segurança até depois do carnaval.

 

O Ministério da Defesa negou nesta terça-feira (21) o pedido do Governo do Estado de permanência das Forças Armadas nas ruas do Rio de Janeiro até o fim do carnaval. A informação foi veiculada com exclusividade pelo RJTV.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tinha feito a solicitação ao Governo Federal para manter o reforço da segurança, mas não foi atendido.

“O policiamento está em total capacidade, não há descontrole, não desordem e, portanto, não há necessidade da permanência das tropas”, disse o ministro Raul Jungmann, em entrevista exclusiva ao RJTV. O ministro afirmou ainda que o período durante o qual os militares ficaram no Rio gerou despesas de R$ 26 milhões, de alimentação, gasolina, entre outros.

Um ofício do Ministério Público Militar sobre o tema, e encaminhado ao presidente Michel Temer, afirma que o emprego das Forças Armadas em operações de garantia da Lei e da Ordem, “quiçá banal, sem o atendimento do seu pressuposto mais básico, além de criar precedentes perigosos no sentido do desvirtuamento de suas missões constitucionais e da “policialização” das Forças Armadas, carrega componente prático bastante grave”.

Em seu Twitter, a PM comentou a saída das Forças Armadas. “A saída das Forças Armadas era uma possibilidade. A PMERJ segue com o planejamento e seu compromisso com a população”, diz o texto.

Tiroteios nesta terça e no segundo dia da operação

Nesta terça-feira, militares do Exército trocaram tiros na Avenida Brasil com suspeitos que saíam do Conjunto de Favelas do Chapadão, na Zona Norte do Rio.

Não foi o único episódio de confronto envolvendo as tropas. Já no segundo dia de atuação das Forças Armadas reforçando a segurança do Rio de Janeiro, os militares tiveram que atuar em dois episódios de assalto na Zona Portuária do Rio. No primeiro, um homem suspeito de roubar uma moto acabou baleado e morto. No segundo, militares apontaram armas e o suspeito fugiu.

As ações criminosas aconteceram em um intervalo de três horas na manhã do dia 15 de fevereiro. Enquanto a perícia da morte de um assaltante era realizada, outros criminosos aproveitaram o trânsito parado para tentar roubar motoristas e até pedestres, a cerca de 100 metros do cerco realizado por mais de 30 fuzileiros navais.

Imagens feitas pelo G1 mostram o instante que o tumulto ocorreu. Pouco depois, um homem que passava no local foi revistado por militares. A Polícia Militar chegou a enviar uma viatura para fazer buscas do suspeito na região. De acordo com um agente, o local representa riscos diários para pedestres e motoristas. “É sempre assim”, afirmou.

Locais de atuação dos militares

Os fuzileiros navais, que foram destinados a fazer o patrulhamento da orla carioca durante o reforço das Forças Armadas na segurança do Rio de Janeiro, ocuparam seus pontos estratégicos. Em Copacabana, Zona Sul do Rio, os militares atuavam em duplas no calçadão da praia.

Ao todo, nove mil homens do Exército e da Marinha já estavam nas ruas para ajudar na segurança do Rio, Niterói e São Gonçalo. A vinda das Forças Armadas ao estado foi um pedido do governador Luiz Fernando Pezão ao presidente Michel Temer.

O exército ficou responsável por atuar na TransOlímpica do Recreio até Deodoro, na Avenida Brasil, Niterói e São Gonçalo. Já os fuzileiros navais vão patrulhar o Caju, Cais do Porto, aeroporto Santos Dumont, Marina da Glória, Aterro do Flamengo, Copacabana, Lagoa, Leblon e Ipanema.

Em todos esses locais, as Forças Armadas vão substituir os PMs e vão ter poder de polícia, inclusive, revistando passageiros nos ônibus na operação nas praias no verão. Não terá patrulhamento das Forças Armadas em comunidades nem na Baixada Fluminense.

Fonte: G1

Categories
Uncategorized

Sobe para 108 o número de F-35A que precisa passar por modificação

O número de Lockheed Martin F-35A entregues para a United States Air Force (USAF, Força Aérea norte-americana) e que precisará passar por modificações acaba de chegar a 108.

Do total, 26 precisam passara apenas por um upgrade de software; 19 precisam receber também novos cartões processadores de sinais; outros 18 aviões devem receber novos sistemas de mira montada no capacete, além da atualização de software e dos cartões processadores de sinais.

Já outros 45 exemplares precisam ao todo de 26 trocas de componentes de hardware, que levarão 30 dias por aeronave para instalar e testar.

Além disso, em estudos recentes realizados apontaram a necessidade de modificações em 270 itens que se mostraram deficientes na variante 3F, versão esta prevista para ser entregue nos aviões de produção do lote de 2018. Entretanto, é possível que esses exemplares, em torno de 23, cheguem na linha de voo sem a capacidade total prevista no modelo 3F. A variante possuirá maior capacidade de emprego de armamentos e sistema de mira superior.

Entretanto, apesar desses contratempos, a USAF espera equipar os primeiros aviões com o míssil AIM-9X Sidewinder até o final de outro deste ano.

Fonte: C&R Editorial

Categories
Uncategorized

IDEX 2017: Rússia apresenta seu blindado 4×4 SPM-3 VPK-3924 “Medved” (Urso)

Defence Blog – Plano Brasil

A empresa russa VKP LLC apresentou durante a feira IDEX2017 dois veículos blindados sobre rodas 4×4. No stand da VKP estavam um SBM VPK-233136 “Tigr” e um  SPM3  VPK3924 Medved . O Tigr já havia sido apresentado na em eventos anteriores o Medved teve sua estreia em feiras internacionais na IDEX 2017.

O SPM-3 Medved 4×4 é veículo do tipo MRAP (Mine-Resistant Ambush Protected ) para uso policial (atualmente utilizado pelas forças de segurança internas e também forças armadas da ssia ). O veículo foi revelado na feira interpolitex 2001 realizada em Moscou. O veículo possui casco em V e boa proteção balistica. O veiculo possui um peso bruto na ordem de 12 toneladas e uma capacidade de carga de 1,200 quilos podendo transportar 10 militares (incluindo os 2 tripulantes).

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=jWY7xVCqc-w[/embedyt]