Categories
Armored Personnel Carriers

MERCADO DE BLINDADOS: Austrália vende blindados Bushmaste 4×4 para a República de Fíji

O Ministério da Defesa da Austrália autorizou a venda de um lote de 10 unidadas de veículos blindados 4×4  Thales Bushmaster  PMV (Protected Mobility Vehicle ) para a  República de Fíji. Os veículos serão implantados na missão das Força das Nações Unidas de Observação da Separação (Undof, na sigla em inglês) nas Colinas de Golã, região síria sob ocupação israelense.

Os veículos serão vendidos dos estoques Australianos e passarão por uma reforma. Fiji desborará sete veivulos para a missão da ONU e três serão mantidos em seu território para fins de treinamento dos futuros contingentes. A entrega das primeiras unidades deve ocorrer no segundo semestre de 2017. O Thales Bushmaster  PMV possui alta mobilidade e proteção sendo  especialmente projetados e equipados para resistir a explosão de artefatos explosivos improvisados e minas além de possuir blindagem contra projeteis balísticos.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=FB1BJhPCQ9M[/embedyt]

Categories
Uncategorized

Vídeo : Veículo FAMAE M-548 porta combustivel

Os veículos M-548A1, foram reformadas pelo Centro de Manutenção Industrial da empresa FAMAE (Fábricas y Maestranzas del Ejército), em Talagante – Região Metropolitana de Santiago –, em parceria com a empresa privada Jurmar. O Exercito Chileno adquiriu  oito viaturas porta-combustível sobre esteiras tipo M-548A1. Os veículos transportam, cada um, 4.000 litros de diesel, e vão apoiar os deslocamentos das colunas blindadas da força terrestre, especialmente em terrenos não preparados.

 A modernização dos veículos teve inicio em  2013, os modelos A1 porta-combustível ganharam, além do tanque de 4.000 litros, duas válvulas para o abastecimento de outros veículos que transferem 150 litros de diesel por minuto, e um sistema tipo camlock, que permite encher o tanque do M-548 desde uma fonte externa. Os M-548A1 possuem em seus tanques um revestimento interno que impede a oxidação das paredes do blindado e a consequente contaminação do diesel transportado. Além disso, eles dispõem de indicador digital do nível do combustível no tanque, régua verificadora do nível para confirmações suplementares e uma motobomba de quatro tempos, movida a gasolina, com autonomia de 2h20.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=aZg8llD5jMI[/embedyt]

Categories
Uncategorized

Plano Brasil/Análise: Comércio de armas atinge maior nível desde a Guerra Fria

Demanda no Oriente Médio e na Ásia provoca aumento de exportações e importações, aponta levantamento do instituto Sipri. EUA e Rússia forneceram mais da metade dos armamentos comprados no mundo nos últimos cinco anos.

Nos últimos cinco anos, o comércio mundial de armas atingiu seu nível mais alto desde a Guerra Fria, aponta um estudo divulgado nesta segunda-feira (20/02).

No período entre 2012 e 2016, o volume de comércio mundial de armas aumentou 8,4% em comparação com os anos entre 2007 e 2011, segundo levantamento do Instituto de Estudos da Paz em Estocolmo (Sipri).

Os Estados Unidos continuam sendo os maiores exportadores mundiais de armas, fornecendo 33% das armas comercializadas no exterior, seguidos pela Rússia, com 23%. Juntamente com a China (6,2%), a França (6%) e a Alemanha (5,6%), eles são responsáveis por quase 75% das exportações mundiais de armas pesadas.

O estudo mostra os Estados Unidos e a França como os principais fornecedores de armas para o Oriente Médio, enquanto Rússia e China são os maiores fornecedores da Ásia.

O principal importador foi a Índia, que tem pouca ou nenhuma produção nacional de armas e adquiriu a maior parte de suas armas da Rússia, representando 13% do total.

Em seguida vem a Arábia Saudita, que, com 8,2%, quase triplicou sua quota em relação ao período entre 2007 e 2011, segundo o estudo. Os sauditas compraram metade de suas armas dos EUA e o restante do Reino Unido e da Espanha. China, Emirados Árabes Unidos e Argélia são outros grandes importadores.

As regiões da Ásia e da Oceania foram responsáveis por 43% de todas as importações no período. O estudo aponta que Vietnã, Indonésia e Filipinas aumentaram suas importações de navios, submarinos e aviões de combate.

O Oriente Médio quase dobrou suas importações em comparação com o período entre 2007 e 2011, com uma participação de 29%.

As importações globais europeias caíram como resultado de cortes na área de defesa, totalizando 11%. As importações também estiveram, em grande parte, em declínio na América Latina, com apenas o México tendo aumentado sua demanda.

O estudo não abrange armas de pequeno porte e é baseado em uma variedade de fontes públicas, incluindo jornais e relatórios de governo e indústria.

Fonte: DW

Edição Plano Brasil

Categories
Aviação Conflitos Defesa Defesa Anti Aérea Destaques Equipamentos Fotos do Dia Mísseis Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas Tecnologia Vympel

Myanmar recebe os três primeiros treinadores Yak-130

A única foto divulgada do treinador Yakovlev Yak-130 com as cores da Força Aérea da Myanmar. (Foto: Mena Defense.net)

Com informações do Defence Blog e Sputnik

A Força Aérea de Myanmar, país localizado no sudeste asiático, recebeu os primeiros treinadores a jato Yakovlev Yak-130 “Mitten” (no código da OTAN) em dezembro de 2016, com as primeiras fotos sendo divulgadas com as cores e insígnias nacionais.

O Ministerio da Defesa do país havia assinado um acordo de aquisição em Junho de 2015, após três anos de conversações, após o país asiático demonstrar interesse no modelo russo. Em novembro de 2016, o primeiro exemplar birmanês realiza seu voo inaugural na fábrica da Irkut em Irkutsk, no leste da Sibéria. O número total de jatos encomendados por Myanmar não foi divulgado até o presente momento.

o voo inaugural do Yak-130 birmaneses em novembro de 2016. (Foto:  A.Korshunov – Defence Blog)

Com a encomenda birmanesa, sobe para quatro o número de clientes do Yak-130, somando as forças aéreas da Argélia (com 16 exemplares), Bangladesh (16) e Bielo-Rússia (8), além de obviamente as Forças Aeroespaciais da Federação Russa com 89 exemplares operacionais até o presente de um total de 200 aeronaves encomendadas. Segundo informações fornecidas por Viktor Kladov, chefe do Departamento de Cooperação Internacional da Corporação Tecnológica Russa – Rostec, até o final de 2017, será estabelecido um centro de simulação digital em Myanmar, para melhor treinamento e capacitação de seus pilotos.

Um dos exemplares do Yak-130 exportados para Bangladesh (Foto: Flickr)

O Yak-130 é resultado de um requerimento das autoridades russas, no início dos anos 1990, para um novo treinador a jato para substituir sua antiga frota de aeronaves tchecoslovacas Aero L-29 “Delfin” e L-39 “Albatros” herdada dos tempos soviéticos, sendo capaz de simular sistemas de aeronaves de quarta e até quinta geração como o MiG-29, Su-35 e o futuro PAK FA. Após uma associação entre a Yakovlev e a Aermacchi italiana (logo depois dissolvida) o modelo fez seu primeiro voo em 1996 e teve sua introdução nas forças russas somente em 2010.

O “Mitten” possui sistemas avançados como visores e mira na altura do capacete, telas multifuncionais no cockpit, receptor GPS/GLONASS, além de outros sistemas de navegação e integração de armamentos, que o permite carregar uma considerável carga bélica de 3.300 kg incluindo mísseis ar-ar e ar-terra, bombas de queda livre, bombas guiadas e casulos de foguetes. O que confere ao modelo russo, uma notável capacidade de ataque ligeiro, o que é incomum na maioria dos principais treinadores da atualidade.

Com a aquisição do Yak-130, a Força Aérea de Myanmar ganha capacitação de seus pilotos para os jatos de quarta geração MiG-29A russos, e JF-17 sino-paquistaneses, no qual encomendou 31 e 16 exemplares respectivamente para compor seus principais esquadrões de caça e defesa aérea. Atualmente a frota de treinadores do país asiático compreendem quatro SOKO G-4 “Super Galeb” iugoslavos e alguns JL-8 “Hongdu” chineses de um total de 50 encomendados.

pilotos birmaneses frente a um MiG-29A adquirido da Rússia em 2011-2012.

Edição e Análise: Tito Lívio Barcellos Pereira.

Categories
IDEX-2017

IDEX 2017: CMI/Renault Trucks Defense apresentam o novo veículo Sherpa Scout SW Fire

A francesa Renault Trucks Defense e belga  CMI Defense se uniram para desenvolver uma nova versão da consagrada linha de veículos blindados leves 4×4 Sherpa. O Sherpa Scout SW Fire foi Apresentado durante a IDEX 2017 e oferece um grande poder de fogo em uma plataforma altamente móvel.

A empresa belga desenvolveu o sistema remotamente controlado  Cockerill CPWS (Cockerill Protected Weapon Station), armado com uma gama de canhões automáticos de calibre médio de 25 e 30 mm (ATK m242 25mm, m230LF 30 mm, Nexter m811, Oerlikon KBA,…etc). A torre e equipada com um sistema giro estabilizada que oferece operação Diurna e Noturna, possui alta precisão no tiro em movimento graças aos sensores Ópticos e Laser de precisão para detectar, reconhecer e identificar alvos. O sistema de observação proporciona ao usuário uma visão panorâmica de 360 ​​°, Independente da posição da torre.

Sobre a Torre

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=SrD2bjJw_4U[/embedyt]

Alem do canhão a CPWS pode opera metralhadoras 12,7 mm e 7,62 mm como armamento secundário e pode receber lançadores de granadas. A recarga do sistema e feito do interior do veículo mantendo sempre sua tripulação protegida.

A Sherpa foi escolhida pela sua comprovada proteção balística, antiminas e contra IED’s (Dispositivos Explosivos Improvisados), além do amplo espaço interno para a tripulação e de seu grande compartimento de carga.

Sobre o Veículo

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=a85AHAQ-3t8[/embedyt]

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Geopolítica IDEX-2017 Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia

IDEX: 2017: Emirados Árabes Unidos e Rússia desenvolverão juntas um caça leve

Em declaração a imprensa, Sergei Chemezov, diretor executivo da Rostec, afirmou que os trabalhos de desenvolvimento de uma nova aeronave de caça leve a ser desenvolvida entre os Emirados Árabes Unidos e a Rússia, serão iniciados já no próximo ano de 2018.

Numa curta declaração sem mais explicações, Chemezov  afirmou que a aeronave  deverá ser uma variação do avião de combate MiG-29 (MIG 35?) e que há possibilidade da instalação de uma linha de montagem nos Emirados Árabes num período de longo prazo.

Categories
IDEX-2017

IDEX 2017: China promove seu carro de combate VT4 no Oriente Médio

Defence Blog – Plano Brasil

A empresa chinesa de defesa NORINCO apresentou durante a IDEX 2017 o seu carro de combate VT-4 (MBT 3000) em sua variante de exportação. A Norinco iniciou a oferta ao mercado de exportação do seu mais novo carro de combate. O Oriente Médio e o primeiro local onde os chineses estão oferecendo seu veiculo onde após a IDEX 2017 o mesmo percorrerá o Oriente Médio fazendo um tour de demonstração.

O VT4 e uma versão de exportação de uma nova geração de carros de combates chineses desenvolvidos e fabricados pela Norinco. O VT-4 possui mobilidade excelente e forte poder de fogo, bem como uma rede de intercâmbio de dados de última geração.
O VT-4 é equipado com um motor diesel controlado eletronicamente de 1.200 cavalos de potência, o que oferece ao veículo uma velocidade de cruzeiro de 68 km/h. Sua principal arma é um canhão de alma lisa de 125 mm que pode disparar várias munições, incluindo um penetrador de energia cinética e  ogiva anti-tanque de alto explosivo. Além disso, ele também pode disparar mísseis anti-tanque, com um alcance máximo de 5,km.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=U0c32qaTUmE[/embedyt]

Categories
Armored Personnel Carriers

MERCADO DE BLINDADOS: Paquistão encomenda veículos MaxxPro dos EUA

O Paquistão recebeu autorização do Departamento de Defesa Americano para a aquisição de um lote de 40 veículos do tipo MRAP (Mine-Resistant Ambush Protected ) modelo Navistar International MaxxPro  Dash DXM . O programa será financiado por intermédio do programa Foreing Military Sales (FMS) (vendas militares para o exterior), e está estimado em 35 milhões de dólares. Anteriormente o Paquistão havia procurado os EUA para a aquisição de veículos tipo MRAP  do Exército dos Estados Unidos como “Artigos de Defesa Excedentes” (Excess Defence Articles, EDA). Porem, o pedido não foi atendido devido à transferência feita pelos EUA de  762 MaxxPro MRAPs para o Egito. O Paquistão tem usado veículos tipo MRAP em operações contra insurgência sobretudo no Território Federal das Áreas Tribais.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=jtmGPdmCYY8[/embedyt]

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação China Negócios e serviços Sistemas de Armas

Força Aérea do Paquistão recebe mais 16 caças JF17 Thunder

Neste último dia 16 de fevereiro, a Força Aérea do Paquistão recebeu mais 16 caças JF-17 Thunder alocados no Esquadrão N ° 14 da Força Aérea durante uma cerimônia realizada no Complexo Aeronáutico do Paquistão.

O ministro da Defesa, Khawaja Asif acompanhado do Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Marechal Sohail Aman, participou da cerimônia como o convidado especial
Khawaja Asif agradeceu à China por seu apoio na co-produção da aeronaves JF-17 Thunder. Ele disse que esta aeronave não era apenas um exemplo de dedicação do pessoal, mas diz muito sobre a amizade entre as duas nações.

Em seu discurso, o Chefe do Comando Aéreo da Força Aérea, Marechal Sohail Aman, disse que os caças JF-17 possui a capacidade comparável a qualquer aeronave avançada de quarta geração em todo o mundo. A cerimônia de entregar das dezesseis aeronaves foi realizada na base aérea de Kamra.

Atualmente o Paquistão possui cerca de  70 aeronaves do modelo JF-17 Thunder em sua frota e com a chegada destas novas aeronaves este número sobre para 86.

O JF-17 Thunder é um caça multi-função monomotor que foi desenvolvido conjuntamente entre a China e o Paquistão. O seu desenvolvimento teve início em 1999 e o primeiro voo foi realizado em 2003. As primeiras aeronaves chegaram a PAF em 2007, seguidos por seus modelos mais atualizados em 2013.

O caça é considerado pelos militares paquistaneses como o principal elemento de dissuasão aérea da PAF que igualmente opera aeronaves de procedência ocidental como o F 16 Blok 52 e caças da família Mirage III e V.

Após o evento o comandante da Força Aérea Paquistanesa afirmou a imprensa que um novo pedido para 50 novos JF-17 será protocolado ainda no primeiro semestre de 2017. A PAF está planeja incorporar cerca de  150 aviões de combate JF-17 nos próximos anos, os quais são divididos em três blocos de produção: Block-I, Block II e Block-III.