Defesa & Geopolítica

Estudo liga defeitos em bebês a ataques americanos no Iraque, informa “Guardian”

Posted by

http://www.claytonseveriano.com.br/imagens/fosforo-branco.jpgDE SÃO PAULO

O aumento dramático de defeitos em recém-nascidos na cidade de Fallujah pode estar relacionado a armamentos usados em ataques americanos no Iraque há seis anos, segundo pesquisa divulgada pelo jornal britânico “Guardian”.

O estudo será publicado na próxima semana no International Journal of Environmental Research and Public Health.

Cidade sunita localizada a cerca de 50 quilômetros a oeste de Bagdá, Fallujah foi palco de uma das ofensivas mais sangrentas da guerra do Iraque. Na ocasião, o uso de fósforo branco nas munições do Exército americano foi amplamente condenado.

Médicos e pais iraquianos acreditam que as armas usadas pelo Exército americano durante as lutas contra os insurgentes em 2004 são a causa do problema, e já haviam denunciado o aumento de defeitos em crianças.

As taxas de má formação estão quase 11 vezes maiores do que o normal, segundo os autores da pesquisa, e atingiram níveis sem precedentes na primeira metade deste ano, período que ainda não tinha sido analisado em pesquisas anteriores, informa o “Guardian”.

Estudos anteriores já revelaram uma queda de 15% no nascimento de meninos desde a invasão do Iraque, liderada pelos EUA, em 2003.

O pesquisador Mozhgan Savabieasfahani explicou ao jornal que há suspeita de que a população esteja exposta a um agente no ambiente, embora ainda não saibam que agente é esse. Suspeitam se tratar de metais.

“Metais ajudam a regular a estabilidade do genoma”, explicou ele, citado pelo “Guardian”.

FÓSFORO BRANCO

Os militares americanos usaram fósforo branco na batalha de Fallujah, no Iraque, em novembro de 2004.

Embora o uso do fósforo branco seja permitido durante batalhas em áreas não habitadas para criar nuvens de fumaça ou marcar alvos, seu uso é proibido em áreas povoadas ou em ataques diretos a pessoas por causar graves danos à saúde.

Muitas organizações consideram o uso do fósforo branco completamente vetado pela Convenção de Armas Químicas, que proíbe o uso de substâncias químicas tóxicas que possam causar morte ou incapacitação de pessoas e animais. As organizações criticam seu uso como crime de guerra.

Com agências de notícias


Nota do Editor.

A Palavra é “crime contra a humanidade” e existe nas Nações Unidas um tribunal para estes tipos de casos, mas claro, ele só  se aplica para alguns e não a todos como tudo na ONU.
Em defesa da liberdade e democracia vale tudo ate incinerar transformar em mutantes todos os descendentes do povo oprimido e que necessita ser libertado.

Há ai, além da hipocrisia dos seus defensores ( e o EUA não está sozinho nesta) a sempre justificada afirmação do mal necessário…

Hitler, Mao, Stalin, Sadan e outros  não fariam melhor, burro deles, quem mandou não criar leis para protegê-los, controlar os tribunais e fazer exatamente aquilo que condenam e ainda sairem ilesos amparados pelos “direitos” internacionais.

E.M.Pinto

Fonte:   Folha

21 Comments

shared on wplocker.com