Defesa & Geopolítica

Rússia não aceita desdobramento de defesa antimíssil americana na Europa

Posted by

Oleg Nekhai

No sul da Romênia, começou o desdobramento do complexo de defesa antimíssil (DAM) europeu, desenvolvido pelos EUA e a OTAN. Na antiga base aérea em Deveselu, será implantado para 2015 um complexo multiuso de mísseis norte-americano Aegis, equipado com foguetes de intercessão Standard 3. O complexo pode intercetar foguetes balísticos de médio e pequeno alcance.

A Rússia, em princípio, não aceita o desdobramento de elementos de DAM americana na Europa, em particular na Romênia e na Polônia. Estes planos ameaçam as forças nucleares estratégicas do país, tanto as Tropas de Misseis Estratégicas (RVSN), como as tropas nucleares navais, ressalta Mikhail Khodarenok, membro do Conselho Social junto da Comissão Militar Industrial do Governo da Federação Russa:

“A instalação de sistemas antimíssilna proximidade imediata de regiões posicionas das RVSN e zonas de serviço combativo dos nossos submarinos estratégicos pode enfraquecer consideravelmente o golpe de resposta contra o eventual inimigo. Portanto, a posição da Rússia é inalterável nesse sentido: estes planos podem prejudicar-nos substancialmente”.

A posição de peritos russos nesta questão muito importante para a segurança nacional é unânime: a instalação de elementos de DAM na Europa pode frustrar o potencial nuclear estratégico da Rússia. Por isso a posição russa continuará a ser inalterável, diz o diretor do Centro de Conjuntura Estratégica, Ivan Konovalov:

“No último ano, a situação tornou-se um pouco menos crítica, porque a retórica belicosa nos anos anteriores atingiu o cúmulo. A parte russa foi disposta a empreender medidas extremas, mas, com a ajuda das conversações, foi alcançado um certo consenso. Mas, infelizmente, as partes não chegaram a um acordo concreto. Por isso a Rússia continua a defender suas posições”.

Os americanos se recusam garantir juridicamente que o sistema de DAM americano não seja orientado contra a Rússia, limitando-se apenas a asseverações verbais. O problema não consiste em que o desdobramento do sistema global se tornou para os EUA uma ideia fixa, aponta Ivan Konovalov:

“Trata-se de vontade dos Estados Unidos de criar uma cortina de ferro em torno do país contra eventuais ataques de mísseis do exterior. Por isso eles estão dispostos a empreender quaisquer medidas para alcançá-lo. Quanto a garantias da não-orientação do sistema de DAM contra a Rússia (uma forte potência nuclear), os americanos, sem dúvida, não querem concedê-las, porque tal destruirá sua conceção de construir um escudo antimíssil nomeadamente em torno dos Estados Unidos. Quando os americanos falam da proteção da Europa, este já um segundo elemento de sua conceção. A principal tarefa dos Estados Unidos e do Pentágono é desdobrar um sistema de DAM em torno deles”.

As possíveis medidas concretas por parte da Rússia em resposta à instalação de elementos de DAM já foram anunciadas reiteradas vezes, destaca o perito. São o desdobramento de complexos de mísseis Iskander na região de Kaliningrado e certas ações das RVSN, desde que sejam dadas, naturalmente, as respectivas disposições da direção do país.

Ao mesmo tempo, o reinício da confrontação política entre a Rússia e os Estados Unidos não é vantajosa para nenhuma das partes. Atualmente, pelo contrário, ambos os países devem atuar em conjunto, resolvendo, por exemplo, os problemas da luta contra o terrorismo internacional.

 

Fonte: Voz da Rússia

10 Comments

shared on wplocker.com