Categories
Geopolítica

Russia concorda em reduzir arsenal Nuclear

O chefe do Estado-Maior da Rússia, general Nikolai Markov, afirmou que o presidente Dmitri Medvedev concordaria com uma “redução significativa” do arsenal nuclear, caso os Estados Unidos se associem à iniciativa. “Podemos reduzir tanto as ogivas quanto os vetores (mísseis). Nosso comandante em chefe manifestou essa posição durante visita a Helsinque (Finlândia) nesta semana”, afirmou Markov. O general sugeriu que as duas potências poderiam ir além do previsto no Tratado de Redução dos Arsenais Nucleares Estratégicos (Sort, em inglês), que foi assinado em Moscou, em 2002, e prevê um teto de 1.700 a 2 mil ogivas para cada um dos dois países.

Fonte: Notícias Militares

Categories
Uncategorized

Longa Marcha IV e o futuro do programa espacial Chinês

A próxima fase do ambicioso programa tripulado espacial chinês irá ser construída em torno do novo foguetão Longa Marcha 5.

O foguete  será o primeiro  “amigo do ambiente” construído na China, devido ao seu uso de hidrogénio líquido e oxigénio líquido, já que atualmente os astronautas chineses partem para o Espaço sobre os Longa Marcha 2F, com os seus propelentes hipergólicos, altamente tóxicos.

O primeiro voo do Longa Marcha 5 deverá ter lugar em 2015, altura em que a China poderá concorrer diretamente com o Ariane 5 e a sua capacidade de colocar em órbitas baixas cargas úteis de até 20 toneladas.

Entre estas, estão os módulos da futura estação espacial que a China quer construir e colocar em órbita durante a próxima década.

A próxima missão para as naves Shenzhou não será tripulada, afirmou ainda o responsável máximo pelo programa numa declaração emitida no 25o “National Space Symposium” em Colorado Springs (EUA).

A missão será lançada na primeira metade de 2011 e terá como objetivo levar a Shenzhou-8 a atracar com o veículo espacial Tiangong-1, que terá sido lançado em finais de 2010. Como nem um nem o outro serão tripulados (por razões de “segurança para os astronautas”, afirmou o responsável) então não será esta a primeira estação espacial chinesa. Mas nos anos seguintes, receberá as missões Shenzhou 9 e 10, que já deverão ser tripuladas, permitindo assim à China cumprir mais um passo do seu cuidadoso, mas muito determinado e objetivo programa espacial.

fonte: Quintus

Categories
Tecnologia

USAF procura terinador Avançado/Caça Leve

Depois dos rumores de que a US Navy estareia interessada em adiquirir aeronaves de ataque leve, EMBRAER AT-29 Super Tucano. Foi a Vez da USAF anuciar  a sua intensão em adiquirir uma aeronave leve de ataque para apoio aéreo  e otimizada para a guerra irregular .

Segundo as especificações esta aeronave se situaria exatamente na categoria da aeronave Brasileira, uma aeronave com capacidade dúbia de treinador Avançado e caça leve de ataque para missões de contra insurgência.

O curioso neste fato  é a ironia, na altura em que a FAB/ EMBRAER apresentaram ao mundo as suas intenções de desnvolver o AT-29, ambas foram muito criticadas interna e externamente .

Muitos alegavam que o seu conceito era ultrapassado e que uma aeronave a jato seria mais útil que um turbo-hélices leve recheado de equipamentos eletrônicos, alguns críticos inclusive desqualificaram o projeto chegando a afirmar que a EMBRAER esta reinventando o P-51 Mustang.

O curioso é que agora a USAF irá copiar o conceito desnvolvido pela FAB e EMBRAER por completo, fundindo em uma só plataforma, um avião treinador avançado ne um caça leve de ataque, que  nas palavras de Schwartz:

“A USAF procura uma plataforma multi-função, uma aeronave treinador básico / caça leve de ataque…”

No Vietnã, a USAF operava o Douglas A-1 Skyraider, aeronave turbohélice de ataque o qual foi empregado nas missões contra  forças irregulares do Viet Cong, porém, desde então, aquela força abandonou este conceito, delegando esta missão aos seus jatos de apoio aéreo aproximado, que atualmente são lotados aos A-10 Wartog e F-16 Falcon,  sem nunca no entanto operacioná-lo como treinador.

Embora o At-29 preencha a contento as aspirações da USAF tais como possuir 3x mais capacidade de carga do que o seu rival o Hawker Beechcraft (HBC) T-6A II texan,  este  segundo é apontado como um oponente de peso ao At-29 .

Algumas fontes supõe inclusive o desenvolvimento de uma versão armada, do Texan II aeronave que já é operada pela USAF como treinador básico.

As recentes operações no Afeganistão e no Iraque onde foram empregados os pequenos turbohélices VANT-C Predator e seus mísseis Hell fire colaboraram para demonstrar o conceito de emprego de aeronaves menores e mais leves, no combate em confrontos assimétricos, possuindo estas aeronaves inúmeras vantagens além dos custos operacionais em relação aos A-10 e F-16.

Segundo o General Norton Schwartz, coordenador do projeto na USAF, o projeto pode iniciar-se em junho próximo, como pode ser constatado,  tanto a FAB como a EMBRAER estavam certas e após uma década os eu conceito passa a ser adotado pela mais poderosa Força Aérea do Mundo.

Fonte: Plano Brasil

Categories
Uncategorized

Boeing confirma primeiro voo de teste da aeronave P-8 Poseidon

Boeing confirma primeiro voo de teste da aeronave P-8 Poseidon.O P-8A é derivado do 737-800 modificado e utiliza as asas do 737-900, é equipado com pontos duros para transporte de mísseis e de uma baia interna para diversas armas. A aeronave também é recheada de uma variedade de sensores eletrônicos e opto-eletrônicos em estado de arte.
A USN pretende adquirir cerca de 108 aeronaves para substituir a sua frota de cerca de 220 P-3  Órion, no entanto a Us Navy pretende ainda operar outras aeronaves não tipuladas para vigilância naval completando assima frota de aerinaves.  O primeiro esquadrão de P-8A está prevista para estar operacional já em 2013.
Em 4 de Janeiro, a Boeing também assinou um contrato de US$ 2,1 bilhões com a Índia, o qual se tornou o rimeiro cliente internacional do P-8I adquirindo oito aeronaves de patrulha marítima.

Fonte: Aviation news releases

Categories
Uncategorized

US Navy comiciona o seu 53º DDG da Classe Arleigh Burke

Em cerimônia realizada em 25.04.09 na Naval Weapons Station Charleston-SC, foi comissionado o 53º navio da classe Arleigh Burke, o USS Truxtun (DDG-103).

Fonte: Poder Naval

Categories
Uncategorized

Paquistão lança nova ofensiva contra o Talebã

O Exército do Paquistão iniciou neste domingo uma nova ofensiva contra militantes do Talebã no noroeste do país. Um porta-voz do Exército disse que vários militantes foram mortos em conflitos no distrito de Lower Dir. A operação também causou a morte de um comandante do Exército e de um soldado. Helicópteros do Exército monitoram locais onde se suspeita que os militantes possam estar operando e diversos tanques foram enviados para os pontos de checagem nas estradas da região. Segundo o Exército, a operação visa impedir o avanço do Talebã no noroeste do país. A área fica a oeste do Vale do Swat, onde um acordo firmado há algumas semanas concedia ao grupo fundamentalista o direito de instaurar a sharia – lei islâmica – em determinados distritos. Em troca, o Talebã se comprometia a por um fim a confrontos com forças do governo. Pressão Na última quinta-feira, o governo dos Estados Unidos criticou o modo como o Paquistão estava combatendo o Talebã. O secretário de Defesa, Robert Gates, disse que é importante que parte da liderança paquistanesa compreenda a “ameaça existencial” representada pela milícia. Também na quinta-feira, a secretária de Estado, Hillary Clinton, disse a uma comissão parlamentar que acreditava ” existir uma percepção crescente de que a insurgência está chegando cada vez mais perto das cidades grandes e representa uma grande ameaça”. “Eles têm que agir”, disse Clinton, ressaltando que não há mais espaço para o governo paquistanês fazer apenas promessas. Retirada Na sexta-feira, os militantes anunciaram a retirada do distrito de Buner, a cem quilômetros da capital, Islamabad. O Talebã já vinha controlando a região de Swat, na Província da Fronteira Noroeste (NWFP, na sigla em inglês), na fronteira com o Afeganistão, e vinha fortalecendo suas operações em Buner. Uma delegação do Talebã e o clérigo que negociou o acordo de paz, Sufi Muhammad, supervisionaram a retirada dos militantes.

Fonte: BBC Brasil