Categories
Aviação China Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Paquistão negocia a compra de de 62 novos caças JF-17 Block 3

Um elemento de caças JF17 Block 2 da PAF

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

 

De acordo com o relatório de inteligência da Força Aérea Indiana (IAF) acessado pelo periódico indiano Zee News, a Força Aérea do Paquistão estuda a aquisição de novos 62 caças JF17 Block 3.

O JF-17 do Paquistão é um avião multimissão desenvolvido em conjunto pelo Complexo Aeronáutico do Paquistão e pela Chengdu Aircraft Corporation da China- CAC. O governo paquistanês está empenhado em introduzir a versão mais avançada da série JF-17 – o novo JF-17 Block-3 aumenta o seu poder de dissuasão frente a Força Aérea indiana sua rival regional.

https://www.youtube.com/watch?v=F54RElu5–o

De acordo com o relatório, o Paquistão já solicitou  à CAC a entrega de 13 JF-17 (Block 2) os quais serão entregues à Força Aérea do Paquistão (PAF) até julho de 2019. Outra encomenda prevê a entrega de duas aeronaves biplace  do modelo mais avançado até 2020. A Força Aérea do Paquistão planeja iniciar a operação de pelo menos 22 jatos JF-17 (Bloco 2) antes de 2020.

De acordo com relatórios de inteligência, o Paquistão e a China também estão desenvolvendo conjuntamente jatos JF-17 (Block-3), uma aeronave de combate de quarta geração. A Força Aérea do Paquistão espera que as novas variantes do JF-17 (Block-3) sejam entregues a partir de 2020. Esta versão mais poderosa do que a série JF-17 atual poderá equipar a PAF com cerca 28 novos modelos (Bloco 3) até 2022.

Arte conceitual da aeronave JF-17 Block 3 meramente ilustrativa

De acordo com o relatório de inteligência, dois jatos JF-17 (Block-3) seriam entregues pela Chengdu Aircraft Corporation,  e os 26 remanescentes serão fabricados no Paquistão.

O JF-17 (Block-3) tem um recurso de aviônicos, como monitor de capacete e sistema de visão (HMD), um novo display multifuncional de painel único, um radar ativo de varredura eletrônica (AESA) emparelhado com um sistema de busca e rastreamento de infravermelho. O JF-17 (Block-3) terá cockpit com um stick de controle de vôo na lateral e uma opção de cockpit de dois lugares com velocidade máxima de Mach 2.

Atualmente a Força Aérea da Índia (IAF) possui cerca de 1700 aeronaves, enquanto o Paquistão tem 890 e a China tem 3 mil. Em tal situação, a Índia pode ter que enfrentar enormes desafios com o Paquistão e a China alinhados em caso de um conflito.

Fonte: Zeenews.india.com

Categories
Aviação Defesa Negócios e serviços Rússia Traduções-Plano Brasil

Rússia lança produção de bombardeiros estratégicos Tu-160 atualizados

O Tu-160 é o maior avião de asa de geometria variável e um dos aviões de combate mais poderosos do mundo.

 

©  Marina Lystseva / TASS
Tradução e adaptação-E.M.Pinto

KAZAN, 20 de dezembro / TASS /. O Gorbunov Aircraft Enterprise, sediado em Kazan, na região do Volga, deu início a linha de produção em massa do bombardeiro estratégico Tupolev Tu-160 atualizado, reabrindo a linha de produção desta aeronave, afirmou nesta quinta-feira o vice-ministro da Defesa da Rússia, Alexei Krivoruchko.

“A produção dos primeiros aviões desse tipo já começou…  A produção em série começará a qualquer momento. Vamos esperar até o voo de estreia, o cumprimento do trabalho de design experimental e depois disso uma decisão será tomada com relação às entregas em série”, disse o vice-ministro da Defesa

O Tu-160 é o maior avião equipado com asas de geometria variável e um dos aviões de combate mais poderosos do mundo. Em 2015, foi anunciada a decisão de reiniciar a produção do bombardeiro estratégico no Kazan Aircraft Enterprise.

Em 16 de novembro de 2017, o novo avião foi entregue da oficina de montagem final para a estação de testes de voo. Graças à sua atualização, a eficiência do bombardeiro Tu-160 deverá aumentar em 60% comparativamente à sua versão anterior. 

Fonte: TASS

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

A Índia não se retirou do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de caça de 5 G

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A Índia não está se retirando do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de quinta geração, foio que informou neste domingo Yuri Slyusar, presidente da UAC, Rússia.

“Nós continuamos a discutir com a Índia o desenvolvimento conjunto de um caça de quinta geração. O tópico não está fechado. Foi dito que a Índia está se retirando deste projeto. Não, isto é fake news eles não estão”, disse ele em entrevista ao Deitsvuyushchiye Litsa. 

“Espero que nossas conversas sejam finalmente coroadas pelo estágio de projeto e vamos desenvolver nossa aeronave conjunta de quinta geração”, acrescentou.

O jornal Economic Times da Índia disse anteriormente que a Índia planeja se retirar do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de quinta geração, enquanto a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) da Índia afirmava que havia todas as possibilidades de desenvolver tecnologias correspondentes de forma independente.

Um acordo sobre tal projeto foi alcançado em 2007. O jato de caça de quinta geração está sendo desenvolvido com base no caça russo Su-57, levando em conta os requisitos técnicos do lado indiano. Está previsto que o cliente de lançamento será a Força Aérea da Índia. Mais tarde, esses jatos serão vendidos a terceiros países.

 

Fonte: Russia Aviation

Categories
Aviação Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

ROSTEC INICIA A MODERNIZAÇÃO DO PORTA-AVIÕES INDIANO VIKRAMADITYA

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Seguindo o programa de cooperação técnico-militar com a Índia, a holding Technodinamika (parte da Rostec State Corporation) começou a executar a supervisão da instalação dos sistemas hidráulicos no porta-aviões INS Vikramaditya da Marinha Indiana. Este projeto é mais um passo para o desenvolvimento da cooperação técnico-militar entre a Índia e a Rússia.

Dentro do projeto, estão previstos a supervisão da instalação, comissionamento e testes de mar do porta-aviões Vikramaditya.

https://www.youtube.com/watch?v=vr5tYlEVH5c

“A supervisão da instalação dos sistemas hidráulicos no Vikramaditya é um passo importante na atualização do que é atualmente o mais poderoso porta-aviões da Marinha Indiana”, disse o diretor de tecnologia da Technodinamika, Igor Nasenkov. “O projeto do Vikramaditya é extremamente promissor, levando em conta o programa de desenvolvimento de longo prazo da frota de aviões indianos, segundo o qual, até 2027, ele adquirirá mais dois navios.”

Os sistemas hidráulicos GS-1MF e GS-3 são utilizados para o reabastecimento, limpeza e pressurização de sistemas hidráulicos de aeronaves e helicópteros que fazem parte da ala aérea do porta-aviões.

O porta-aviões Vikramaditya resulta de uma profunda modernização do porta-aviões Admiral Gorshkov e foi projetado para substituir o INS Viraat, que chegou ao fim de sua vida útil.

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

A Rússia está desenvolvendo um protótipo de um avião de decolagem vertical completamente novo

Imagem meramente ilustrativa

E.M.Pinto

Foi o que declarou, Yuri Borisov, segundo ele, uma nova aeronave de pouso e decolagem vertical, VSTOL, completamente nova está em desenvolvimento  a pedido do presidente russo, Vladimir Putin.

Borisov declarou que o trabalho foi incluído no programa de armamentos e que seus recursos estão garantidos. Segundo ele, este novo programa está sendo conduzido sob a orientação do comandante supremo da nação.

Borizov declarou que o programa está em fase de definição de conceitos e que a próxima fase será a de concepção dos protótipos. Ele ressaltou no entanto que este programa está sendo conduzido do zero e prevê uma aeronave completamente nova e que não se baseia em nenhum modelo de aeronave existente.

Em sua declaração ele não deixou dúvidas de que esta aeronave é desejável no futuro para todos os navios que transportam aviões e uma nova frota de aviões será necessária muito em breve. Para tal várias tecnologias estão sendo usadas para prover a capacidade de pouso e decolagem mais curtas ou simplesmente uma decolagem vertical.

Borisov afirmou ainda que o conceito deste trabalho foi realizado no Ministério da Defesa que trabalha desde de 2017 no modelo. O cronograma é definido pelo ciclo tecnológico da criação e segundo ele levará de 7 a 10 anos, para só então ser avaliado se entrará em produção.

Recentemente, surgiram rumores do interesse da china no desenvolvimento de um vetor com estas capacidades, a mídia local chinesa chegou a batizar o programa de J-18, em entrevista recente o comandante da Marinha do PLA Vice almirante Shen Jinlong declarou que a Marinha Chinesa estuda esta possibilidade, mas que por hora, as obrigações estão voltadas para os caças navais que devem substituir no futuro o J-15.

Entretanto em maio deste ano o  China Daily, citando especialistas e membros do comando naval chinês , afirmou  que estão sendo feitos progressos na pesquisa de componentes para decolagem curta e jatos de pouso e decolagem verticais.

Por seu lado, no final do ano passado, Borisov, que ocupava o cargo de vice-ministro da Defesa na época, disse que o Ministério da Defesa da Rússia estava discutindo com os construtores de aeronaves o desenvolvimento de uma nova aeronave de decolagem vertical para os futuros porta aviões e navios de assalto. Foi declarado na época que o jato de combate viria como um acompanhamento da aeronave de decolagem vertical  daYakovlev.

O Yakovlev Design Bureau vinha desenvolvendo o caça supersônico de decolagem e pouso vertical Yak-141 uma aeronave multipropósito cuja origem remonta de meados da década de 1970. A aeronave seria introduzida na Marinha da União soviética em meados de 1987.

O Yak-141 seria operado a partir dos cruzadores de convés contínuos da então classe Baku que posteriormente fora renomeado para o Almirante Gorshkov, Tbilisi, renomeado para o Almirante Kuznetsov e do conceito que não chegou a ser construído o Ulyanovsk.

 

O Yak-141 foi a primeira aeronave de pouso e decolagem vertical a romper a barreira do som e fez um pouso no convés de um porta-aviões apenas em 1991. O projeto foi finalmente encerrado em 2003 em função de cortes orçamentários.

Categories
Army-2018 Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação

Army-2018: Apresentada a versão modernizada " Mi-28NE" para exportação

Sugestão- Rustam- Moscou
Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A SC “Russian Helicopters”, apresentou em Kubinka, uma versão modificada do helicóptero de combate Mi-28NE destinada a  exportação.

As características mais características do novo helicóptero modernizado são a introdução dos mísseis anticarro de longo alcance 9M123M “Chrysanthemum-VM” com um sistema de orientação de dois canais (o helicóptero manteve a capacidade de usar ATMM 9M120-1 “Ataka-VM “), e também um dispositivo de filtro de poeira multi-ciclone fundamentalmente novo.

O helicóptero também é equipado com novos motores turbo de alta potência VK-2500-01, novas pás de rotor e tanques de combustível à prova de explosão. O equipamento permite a operação conjunta com drones e um novo aparato de armas inteligentes e bombas foram introduzidas no armamento do helicóptero.

O chefe do JSC “Helicópteros da Rússia”, Andrei Boginsky, em entrevista à agência de notícias Interfax, disse o uso desses mísseis aumentará o alcance da destruição do alvo para 10 km. Além disso, o helicóptero também será equipado com um míssil guiado modernizado “Attack”. O Mi-28NE atualizado será capaz de usar bombas de aviação de calibre até 500 kg cuja eficácia de seu uso foi confirmada nos conflitos locais da última década.

Boginsky afirmou que foram efetuados trabalhos  no sistema de transporte Mi-28NE e que o novo design das pás aumenta significativamente o desempenho de voo em condições de alta altitude e clima quente, amplia as capacidades do helicóptero na realização de acrobacias complexas e aumenta a velocidade de cruzeiro.

A fim de manter a controlabilidade da aeronave, foi instalado um sistema estabilizador de área maior, bem como, motores de alta potência. E finalmente, uma das inovações mais interessantes é a possibilidade de interação com veículos aéreos não tripulados. Agora eles podem ser controlados remotamente diretamente da cabine da aeronave Mi-28NE.

Categories
Aviação Brasil Defesa Geopolítica Sistemas de Armas Tecnologia

Secretário de Defesa dos EUA, o “Cachorro Louco”, está no Brasil

James Mattis vai discutir cooperação militar e compra de aviões da Embraer

O Secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, conhecido como “Cachorro Louco” desembarca nesta segunda-feira no Brasil para discutir um plano de cooperação de segurança e acordos comerciais e estratégicos na região. Em reunião marcada com o ministro Segurança Pública, Raul Jungmann, da Defesa, Joaquim Silva e Luna e com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, Mattis tem como principal objetivo trocar conhecimento militar e técnico, como forma de manter os acordos militares já existentes entre os países.

O movimento parece fazer parte de um plano de ações no setor de segurança do governo dos Estados Unidos. Na semana passada, por exemplo, o vice-presidente Mike Pence anunciou a criação de uma Força Espacial até 2020, que vai contar com militares treinados para atuar em missões fora do planeta Terra. Em seu Twitter, o presidente americano Donald Trump já tinha afirmado que a Força Espacial seria uma maneira de garantir a segurança do país.

Além da cooperação militar, Mattis representará o país na discussão sobre acordos comerciais. Atualmente, o governo americano negocia a compra de 150 aeronaves Supertucano da Embraer, numa compra que pode chegar a 400 milhões de dólares. O Brasil é um dos finalistas no processo de compra. Em 2013, os Estados Unidos já haviam comprado 20 aviões brasileiros para serem usados no Afeganistão.

Mattis vai ao Rio de Janeiro na quarta-feira. Também visitará a Argentina, o Chile e a Colômbia. Esta é a primeira vez que o líder do Pentágono – sede do Departamento de Defesa americano – visita a região, que tem se tornado importante aliada dos Estados Unidos, que consequentemente vê a posse de novos presidentes mais conservadores (Mauricio Macri na Argentina, Sebástian Pinera no Chile e Iván Duque na Colômbia) como uma boa oportunidade de aumentar os acordos de cooperação. A Colômbia se tornou um “sócio global” da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em maio deste ano.

Tanto na Colômbia quanto no Brasil um dos temas em discussão deve ser a Venezuela e a tresloucada gestão de seu presidente, Nicolás Maduro. Maduro acusou a Colômbia de tentar matá-lo. A ver se o Cachorro Louco traz um pouco de temperança para os debates na região.

Fonte: Exame

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Departamento de Estado dos EUA autorizou a venda de quatro helicópteros Black Hawk UH-60M para a Letônia

Por: Aaron Mehta

Tradução e adaptação-E,M,Pinto

O Departamento de Estado dos EUA autorizou a venda de quatro helicópteros Black Hawk UH-60M para a Letônia, a medida é considerada um movimento para reforçar a capacidade da OTAN de movimentar forças ao redor do flanco leste da aliança. A venda tem um preço estimado de US $ 200 milhões, que abrange os quatro helicópteros, 10 motores e equipamentos associados.

Como em todos os anúncios da Agência de Cooperação de Segurança e Defesa (DSCA), a venda deve passar pelo Senado, quando as negociações podem começar; quantidades totais e totais de dólares geralmente mudam do anúncio original da DSCA e da venda final.

“Esta proposta de venda apoiará a política externa e a segurança nacional dos Estados Unidos, ajudando a melhorar a segurança de um aliado da OTAN… Esses helicópteros UH-60 permitirão a interoperabilidade com as forças dos EUA e da OTAN em resposta rápida a uma variedade de missões e posicionamento rápido de tropas com o mínimo de recursos de helicópteros”. declarou a DSCA en um comunicado.

A venda desses helicópteros UH-60M para a Letônia aumentará significativamente a sua capacidade de fornecer transporte de tropas, segurança de fronteira, anti-terrorismo, evacuação médica, busca e resgate, reabastecimento / apoio externo e suporte de combate em qualquer tempo.

O principal contratado do helicóptero é a Sikorsky em Stratford, Connecticut; os motores serão produzidos pela General Electric Aviation Company em Lynn, Massachusetts. Não há compensações industriais associadas ao negócio em potencial.

Fonte: defensenews.com

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Rússia abrirá novamente a linha de produção do gigante An-124

Tradução e adptação- E.M.Pinto

MOSCOU, 30 de julho / TASS /. A Rússia pode retomar a produção de aviões de carga super-pesados ​​Antonov An-124. Eles receberão Glass Cockpit e serão impulsionados por motores PD-35, disse na segunda-feira o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov.

“A retomada da produção dos aviões An-124 estará ligada às possibilidades dos motores PD-35 fabricados na United Engine-Building Corporation. Mas não haverá nada de novo. Vamos simplesmente “digitalizar” o An-124 e acrescentar novos motores “, disse Borisov.

O An-124 poderá ser operado até 2050, se a cabine da aeronave for modernizada, o equipamento de rádio-eletrônico a bordo for substituído e o problema com o motor D-18 for resolvido, disse o vice-primeiro-ministro.

O An-124 foi produzido 80% na Rússia, enquanto seus motores foram fabricados na Ucrânia. Em vista disso, foi necessário resolver o problema da substituição de importações dos motores do avião, disse o vice-primeiro-ministro.

O An-124 Ruslan é um avião de transporte turbojato de longo alcance, desenvolvido na era soviética e depois na ucrânia oq ual possui uma capacidade máxima de cargas de 120 toneladas. Desenvolve uma velocidade máxima de 865 km / h e tem um alcance de voo de 4.800 km a plena carga. De acordo com fontes abertas, sa Forças Aeroespacial Russas atualmente operam nove aeronaves An-124 e mais 10 aeronaves Ruslan são usadas na companhia aérea russa Volga-Dnepr.
Ainda hoje a TASS noticiou que o trabalho no desenvolvimento de um avião super-pesado para substituir o avião de carga Antonov An-124 Ruslan foi incluído no programa de armamentos do estado até 2027, disse na segunda-feira o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov.
“O trabalho de P & D no avião está nos planos no final do programa de armamentos do estado”, disse Borisov, respondendo à pergunta correspondente.

Em setembro de 2015, a Antonov State Company da Ucrânia retirou-se da joint venture russa-ucraniana United Aircraft Corporation – Antonov, que criou sérias dificuldades para a companhia aérea Volga-Dnepr com a extensão da vida útil do avião de carga e sua manutenção.

Como foi relatado anteriormente, a empresa Aviastar-SP, sediada em Ulyanovsk, lançou um trabalho preliminar relacionado ao reinício da produção de aviões An-124 Ruslan na Rússia.

Fonte: Tass

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

UEC inicia a produção de motores TV7-117ST

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

No dia 6 de julho a United Engine Corporation (UEC) informou que o trabalho para produzir unidades e componentes do mais recente motor turbohélice russo TV7-117ST foi lançado  na empresa ODK-UMPO, em Ufa.

A  modificação civil TV7-117ST-01 será o motor para o avião regional passageiros Il-114-300, que retornará a produção seriada na Rússia. O novo motor é mais poderoso do que a modificação anterior TV7-117SM que a variante militar TV7-117ST que é projetada para o  avião leve Il-112V .

A capacidade do motor projetado pela Klimov no regime de decolagem máximo é de 3000 HP, no aumento do regime de emergência – 3600 HP. o motor opera em conjunto com um compressor de ar AV112 (projetado pela Aerosila Company) que confere maior potência. Os novos motores são 100% produzidos na Rússia.

Os testes do motor TV7-117ST no banco de testes da ODK-Klimov atualizado começaram em setembro de 2016. A UEC iniciou os testes de voo do motor no laboratório voador Il-76LL em setembro de 2017.

Fonte: AirRecognition

 

Leia também:

http://www.planobrazil.com/editorial-panorama-da-aviacao-de-transporte-militar-russa-parte-2/

 

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

O primeiro Il-78M-90A foi pintado e entregue para testes


Tradução e adaptação- E.M.Pinto
“O primeiro reabastecedor russo Il-78M-90A começará os testes de vôo que terão  início em agosto, e conclusão ainda no final deste ano. No momento, sua pintura foi concluída e foi realizada na JSC Spektr-Avia.Construído pelo fabricantes de aeronaves Ulyanovsk JSC” Aviastar-SP “(parte da Divisão de PJSC aeronaves de transporte” KLA “)o mais recente reabastecedor russo Il-78M-90A passou com sucesso em todos os testes em solo, pintado e transferido para a estação de teste de vôo, o programa planeja concluir os testes de projeto “, disse Pavel Cherenkov, primeiro vice-diretor geral do PJSC IL.
Diretor Geral da JSC “Aviastar-SP ” Basil Dontsov Disse que o objetivo fundamental da Empresa para os próximos dois a três anos, é expandir a produção em série de Il-76MD-90A ele ainda informou que a criação da documentação do projeto e a produção da aeronave foi realizada com base  em Modernas Tecnologias Digitais. alegando ter a certeza de que esta aeronave terá um futuro promissor.
O diretor de produção, Sergey Kartashov, especificou que esta é a primeira aeronave na qual um novo sistema de revestimento foi aplicado. O revestimento foi feito com base no novo material denominado VG-27. Este material difere do primer usual, pois não usa cromo hexavalente (a substância tóxica da pintura). A própria tinta AK-1206 foi usada na Rússia por 15 a 20 anos. No total, o IL-78M-90A levou cerca de 600 litros de tinta. O próprio processo de pintura da aeronave foi concluído em 12 dias úteis.

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Índia está pronta para retornar ao programa PAK FA / FGFA

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A Índia não considera a criação conjunta de um caça de quinta geração, com base na proposta russa de um SU-57  de “prateleira”. foi o que noticiou a imprensa Indiana citando fontes da Defesa. Ao falar das divergências entre a Índia e a Rússia,  sobre a distribuição dos custos do projetos,  a mídia indiana afirma que o lado indiano não está satisfeito com a tecnologia de construção da aeronave e com o número de aeronaves que devem ser construídas sob o projeto, o FGFA para a Força Aérea Indiana. 

De acordo com o lado indiano, o custo que Nova Deli precsa pagar é muito elevado, mas a Índia está pronta para apoiar o projeto, caso haja  uma redistribuição de custos entre as partes. 

Embora, até à data, não haja progresso nesta matéria, o lado indiano afirma que: 

“A porta neste projeto ainda não está fechada”

http://www.planobrazil.com/india-abandona-o-programa-fgfa-pakfa/

Lembre-se que no final de abril deste ano, a Índia declarou oficialmente a retirada do projeto, explicando que o programa é muito caro e custa cerca de US $ 30 bilhões. Além disso, o lado indiano alega que a Rússia não possui a tecnologia  para criar um caça de quinta geração.

 

Fonte: Weaponnews e Top war