Defesa & Geopolítica

Especialistas russos farão manutenção dos Mi-35M brasileiros

Posted by

Helicópteros russos Mi-35M brasileiros serão reparados por especialistas russos, informou à agência Ria Novosti a Corporação de construção de motores russa nesta terça-feira (23).

“No território do Brasil, realizaremos a revisão dos motores VK-2500, com que são equipados os helicópteros Mi-35M. Como acordado entre as partes, somos encarregados pelo fornecimento de documentação e equipamentos para possíveis reparações”, disse a assessoria de imprensa da corporação.

Além disso, está prevista a instrução pela equipe russa de especialistas brasileiros, que realizarão a manutenção das maquinas russas. As partes continuam negociando a criação no Brasil de um centro de serviços de manutenção, onde será realizada não somente a manutenção de motores de aeronaves militares, mas também de veículos comerciais.

 

Helicópteros Mi-35M são produzidos na Rússia desde 2005. O helicóptero foi projetado para destruição de equipamento inimigo, para desembarque de pessoal, apoio de fogo de tropas terrestres, evacuação de baixas e transporte. No Brasil, operam 12 Mi-35M, fornecidos pela Rússia entre 2010 e 2014.

Edição/Imagem: Plano Brasil

Fonte: Sputnik News

62 Comments

  1. Arc says:

    Esse vetor é usado constantemente nas fronteiras, alem de exercícios militares, essa manutenção é mais do que necessária para assegurar a operacionalidade dos tais.
    Infelizmente devido a guerra política sofrida por este país sangrou planos militares de aumentar o número de helicópteros deste tipo, e devido a agenda destes novos governantes que tomaram brandamente o poder ser de alinhamento a um certo país, duvido muito que tenhamos aquisições deste gênero, relembrando a frase célebre de um dos seus representantes maior ” não vou comprar aviões pros militares brincarem de guerra.”

    • A Máquina Troll says:

      o mesmo que é apologista de DROGAS..estes são os nossos conservadores/direta…pfff…

  2. Alessandro says:

    gosto de alguns materiais bélicos russos, mas o pós-venda deles, é, sempre foi, e continua, HORRÍVEL !!!

    talvez seja por isso q nossas forças tem tanta restrição em comprar materiais bélicos deles.

    americanos e europeus são os melhores nesse quesito, FATO !!

    • silvio says:

      cita algum episodio dentro das forças brasileiras,que usam qualquer tipo de equipamento russo,e que ficaram na mão por causa do pos venda…

      • Alessandro says:

        silvio

        no Brasil não posso falar, pq é a primeira vez, e não me referia a nós no caso da minha crítica sobre o pós venda. Mas há muitos casos de outros países q são, ou já foram parceiros da Rússia, e reclamam dos russos na parte de manutenção, há várias matérias na internet q se vc pesquisar com calma falando sobre isso.

        mas torço para q eles mudem isso, aliás até acho q melhoraram um POUCO, mas ainda na minha opinião estão atrás dos americanos e europeus nesse quesito.

        sempre é bom ter variedades de fornecedores, respeito a Rússia, e gosto de alguns materiais bélicos deles, a minha crítica foi na forma CONSTRUTIVA, mas infelizmente, as vezes alguns comentaristas não enxergam dessa maneira e não aceita ver uma crítica a outro país, e já vem com 4 pedras na mão, (não to dizendo q é o seu caso)

        é triste isso, pq lascam o pau no Brasil aonde NASCEU, CRESCEU E VIVE, mas dá mais valor numa Rússia, EUA, China, Europa, Japão e etc, do q no seu país, espero q tenha compreendido a minha crítica.

      • tiosam says:

        Se o Exercito, Aeronáutica e Marinha comprarem cada um 50 exemplares do Ka52 ou do Mi28N, a Russia abre oficinas de manutenção no Brasil, e as peças de reposição chegarão bem rápido.
        Mas, com 12 MI35, querer uma assistência VIP é brincadeira.

    • A Máquina Troll says:

      mas é isso que eu não entendo…são estas coisas que eu ainda não consigo entender…se é porcaria e o pós venda é péssimo então porque compram e continuam comprando desta gente?!…porque ainda teimam sempre em ficar gastando milhões de dólares com estas tranqueiras feitas na Rússia se são tão imprestáveis e de qualidade ruim como tanto apregoam?!.…mas como são troxas né..rs…

      • JPC says:

        No caso quem comprou o helicóptero foi o governo do PT amigo de Putin.
        Entende?

    • César A. F. says:

      O pós venda russo é tão horrível, mas tão horrível, que estes helicópteros exibiram no esquadrão, recentemente, 100% de disponibilidade.
      Usualmente o esquadrão Poti exibe 80% de disponibilidade…
      Isso, pela pós venda ser ruim, imagine se fosse ótima.

      É cada uma…

      • JPC says:

        Há um tempo atrás saiu uma matéria aqui mesmo no PB dizendo que a disponibilidade não era maior por causa do suporte russo.

        Ele tem direito de desconfiar porque foi a própria FAB que apontou o problema junto de um representante russo que confirmou. Segundo eles a legislação russa impedia que os componentes chegassem mais rápido.

        Se alguém se der o trabalho de procurar vai encontra a matéria aqui no PB.

    • Arc says:

      Alessandro, discordo, até hoje, fora a Índia, que não é exemplo de imparcialidade e honestidade em seus comentários e posturas, nenhum país de fato reclamou do pós venda russo, muito pelo contrário, todos os que compraram são clientes fidedignos do mercado bélico russo, e vale ressaltar que essa justificativa de “compram deles pois os EUA não vende” é mentira, pois existem diversos países pelo mundo todo com abertura para comprar no mercado americano mas mesmo assim prefere comprar no mercado russo determinados equipamentos.
      Quanto as restrições brasileiras no mercado russo se deve somente a questão norte americana, existem bloqueios ideológicos em relação ao material oriental, e isso atrapalha em determinadas escolhas, que ao meu ver poderiam ser mais técnicas do que puramente política (como ocorreu no caso dos caças Sukhoi, onde ficou claro que a pressão dos EUA pesou no que cerne ao “não” aos russos).

      • Alessandro says:

        Arc

        eu apenas me baseio em várias matérias q já vi na internet em relação ao pós venda russo, não sou o dono da vdd, foi uma opinião.

        como disse lá para o Silvio, eu gosto de alguns materiais bélico russo, entendo seu argumento, e concordo em parte com ele sobre o bloqueio ideológico e político q os EUA faz sobre o Brasil e outros países.

        mas no meu ver, não acho q deve ser mentira, como tenta fazer aparecer uma galerinha mais radical de esquerda, aonde há fumaça há fogo. O problema, de alguns comentaristas (não se sinta ofendido) é q não tolera algumas vezes uma critica, mesmo q seja construtiva, até pq em nenhum momento denegri os russos, só afirmei baseado no leio, q americanos e europeus são melhores nos pós-venda. (minha opinião, e de várias pessoas q conheço)

        acontece, q o pessoal mais radical, já vê isso como uma espécie de insulto a “mãe Rússia”, é isso q fico triste as vezes, dão mais valor num país q nunca sequer pisaram o pé, e talvez nunca pisarão, e já vem com 4 pedras na mão.

      • Athos says:

        Talvez o problema seja sua fonte?

    • Rustam says:

      Alessandro,

      question? you ever seen a helicopter? and you know how to maintain it? you know how much time is necessary for the repair and maintenance of the helicopter AH-64E
      __

      pergunta? Você já viu um helicóptero? e você sabe como mantê-la? Você sabe quanto tempo é necessário para a reparação e manutenção do helicóptero AH-64E

      • Alessandro says:

        Rustam

        não conheço o tempo e quanto é necessário para reparação de um helicóptero seja qual for !!

        mas oq isso tem haver com minha opinião, baseada no q leio em fontes q repassam as noticias do que acontece mundo afora ?

        será q tá todo mundo errado, e só os russos certos ? Será q os russos não podem melhorar o seu pós venda e mudar essa visão q o mundo tem ?

        são apenas questões, não se sinta ofendido, use isso como uma crítica construtiva, não to aki pra denegrir seu país, eu respeito a Rússia, mas não sou idolatra como acontece com alguns aki e em vários blogs brasileiros.

        sou brasileiro meu camarada, tenho minhas convicções, e personalidade o suficiente pra não ficar puxando o saco nem de Rússia, nem de EUA, China, japão etc.

        como disse anteriormente, respeito a Rússia assim com os EUA, se eu tiver q elogiar, eu vou elogiar, mas se tiver q criticar, vou criticar tbm, goste ou não gostem os idolatras aki no blog.

        meu país se chama BRASIL !! espero q tenha entendido.

      • Rustam says:

        We do not need politics in this technical aspect, many here like to talk about politics never seeing the helicopter

        any helicopter must be served, after a certain time, namely, the number of hours of flight the helicopter should pass overhaul checking all systems, due to the fact that the Brazilian Air Force has no money, and they did not build a technical center with the license bureau Miles and Rostvertol, the repair will be done Russian spetsialisty- is bad? that the helicopters are combat-ready?

        I’m not really sure of the authenticity of the news
        ___

        Nós não precisamos de política neste aspecto técnico, muitos aqui gostam de falar sobre política nunca mais ver o helicóptero

        qualquer helicóptero deve ser servido, após um certo tempo, ou seja, o número de horas de voo do helicóptero deve passar revisão verificação de todos os sistemas, devido ao fato de que a Força Aérea Brasileira não tem dinheiro, e eles não construir um centro técnico com o bureau de licença Miles e Rostvertol, o reparo será feito spetsialisty- russa é ruim? que os helicópteros estão prontos para o combate?

        Eu não estou realmente certeza da autenticidade da notícia

      • Alessandro says:

        Rustam

        entendo seu ponto de vista, torço para que a Rússia encontre a melhor maneira para fazer essa manutenção para o Brasil, da mesma forma q os EUA fazem tbm.

        não tenho problema alguma com material bélico de país X ou Y, desde q esteja no estado da arte, e a manutenção venha sendo feita corretamente de acordo com os contratos, pra mim tá tudo certo, reafirmo, minha opinião é baseada no que leio, e torço para que a Rússia melhore cada vez mais seu pós venda.

        não posso afirmar se as noticias são mentirosas ou equivocadas, só sei que há as noticias, resta aos russos averiguar isso, e se for mentira que de alguma maneira puna que está criando esses factoides.

        sobre o tema política, infelizmente há RADICAIS ideológicos aki no Brasil que não aceita as vezes ser CONTRARIADOS, eae passa a ver como uma espécie de insulto uma simples opinião, e sai disparando sem argumentações lógicas, q a pessoa que comentou é escravo do país X, entreguista, e várias baboseiras ideológicas, mas eu fico até com pena desse tipo de pessoa, pq na verdade é ela que é exatamente isso que acusa.

        finalizando, acho o MI-35 um bom helicóptero, e que a Rússia honre o seu contrato conosco.

      • Rustam says:

        to receive the technical center with the license for works as in Mexico (I will remind Naval Forces of Mexico is one of the largest exploiters of MI-17 in Latin America, the same cent will be constructed in Peru and Venezuela

        – the finasirovaniye of the Air Force of Brazil is necessary

        – training of specialists for such procedures + the license of bureau of Miles and Rostvertol

        – purchase of bigger number of helicopters why to build cent if you have only 12 units? I think the Air Force of BRAZIL consider so though the main problem is a lack of financing
        ______________

        para receber o centro técnico com a licença de trabalhos como no México (lembrarei as Forças Navais do México são um dos maiores exploradores de MI-17 na América Latina, o mesmo cêntimo vai se construir no Peru e a Venezuela

        – o finasirovaniye da Força aérea do Brasil é necessário

        – treinamento de especialistas de tais procedimentos + a licença de escritório de Miles e Rostvertol

        – a compra do número maior de helicópteros porque construir o cêntimo se tem só 12 unidades? Penso que a Força aérea do BRASIL considera portanto embora o problema principal seja uma falta do financiamento

  3. Rafa_positron says:

    A lenda TRILOGIOPATA do pós venda (que já é usada há mais de 1 década) está caindo por terra

    Assim como outras patacuadas

    – É caro pra mante
    – Ter não significa operar
    – Os sistemas deles não conversam com os nossos
    – Na Russia tudo é enferrujado
    – As na Russia fábricas não tem condições minimas

    Daqui a pouco vão ter q pedir a HOLLYWOOD pra inventar novas besteiras, pq essas ai já não enganam mais

    • S-88 says:

      Engraçado mas:

      – Os indianos que foram participar da Red Flag 08, ao justificar o longo tempo entre as decolagens, afirmaram que tinham muito medo de FOD pois caso a turbina fosse danificada, os russos demoravam muito para substituí-la. Isso está em uma famosa palestra de um Coronel da USAF;

      – Os Su-30 do paraíso socialista do Séc XXI A.K.A Venezuela não voam. E quando voam caem;

      – O saudoso Ex-Vice Presidente José de Alencar, que era industrial, ao visitar uma fábrica russa declarou que não fabricaria ali “nem um parafuso”.

      • Rafa_positron says:

        Rapaz

        Conta a estória direito…

        O Alencar foi visitar uma tecelagem

        Ele não foi visitar a Sukhoy, a Saturn, a Roscosmos ou a Yakovlev

        Não faz o menor sentido dizer que a industria russa não consegue fabricar um parafuso se os caras conseguem fazer satélites, ICBMs, submarinos nucleares, caças, mbts e etc

        Conta a estória direito

      • S-88 says:

        Ele não foi visitar uma tecelagem e sim uma fábrica de aviões estatal pois na época além de vice-presidente ele também era ministro da defesa.

        Outro aspecto interessante ( e caótico) da Rússia é que uma empresa projeta e outra constrói as aeronaves. Assim não existe fábrica da Sukhoi, da Mig ou da Tupolev, que na verdade são escritórios de projeto.

      • Rustam says:

        S-88,

        João

        again you tell stories about your clown Vice-President who was in Russia in 2004? not tired yet?
        __

        novamente você contar histórias sobre o seu Vice-Presidente, que estava na Rússia em 2004? não cansado ainda?

      • Rafa_positron says:

        “pois na época”

        pois é
        isso já faz mais de 10 anos

        quer dizer que de lá pra cá nada mudou né

        Ave Maria

        TRILOGIOPATA vive de passado

      • S-88 says:

        De lá para cá algo mudou? Não! O sistema de produção russo continua o mesmo (uma projeta e outra constrói) e o pós venda russo continua ruim como bem atestam matérias recentes aqui postada por outros foristas.

      • Rustam says:

        Of course from it menitsya)))) your clown told in Moscow svovsy another – all right I will badly not speak about the dead man

        And now look at the new plants of dry-instant-kamov-Rostvertol – well you and I saw them

        you the main thing don’t worry a top generals successors of military dictatorship so far, Russia will have no new orders, can sleep peacefully)
        ___

        É claro que a partir dele menitsya)))) o seu palhaço disse em Moscou svovsy outro – todos os direitos que eu mal não vai falar sobre o homem morto

        E agora olhar para as novas usinas de dry-instant-Kamov-Rostvertol – bem você e eu os vi

        -lhe a principal coisa, não se preocupe um generais principais sucessores de ditadura militar, até agora, a Rússia não terá novas encomendas, pode dormir em paz)

      • S-88 says:

        Rustam, i’m just asking if the russian industrial system, where one firm project the aircraft and another produce, is still active.

        And it’s true that the russian suport to it’s products isn’t good…

      • Rustam says:

        E pergunta crianças da Força aérea do Brasil que estudaram e aceitaram MI-35M na fábrica de Rostvertol lhe dirão que é a fábrica e que faz e tem um dos melhores de um oboroduvonaa (inclusive os centros de processamento japoneses) na Europa + os peritos das habilidades superiores

        se pelo menos tal fábrica estiver no Brasil com o ciclo de produção fechado + de 100% de partes da produção do Brasil estarei feliz

        p.s- e sabe tudo isso, mostrei-lhe e falei na nossa correspondência, mas por alguma razão antes do público local faz o outro? Entendo-o – mas sei que e sabe))
        ___

        And you ask children from the Air Force of Brazil who studied and accepted MI-35M at the Rostvertol plant they will tell you that it is the plant and that it does and has one of the best for an oboroduvonaa (including the Japanese processing centers) in Europe + specialists of the top skills

        if at least such plant is in Brazil with the closed production cycle + from 100% of parts of production of Brazil I will be happy

      • César A. F. says:

        Nesta mesma Red Flag, onde os Su-30 voaram com total disponibilidade, cumprindo todas as saídas, o belo, mágico e impoluto Gripen NG deu chabu, perdendo mais de 50% das saídas.

        E o Coronel que você alude, mas tem vergonha de citar é Terrence Fornoff, que foi humilhado, pois foi desmentido pela própria USAF, por ter falado besteira em palestra. É conhecido como “O Coronel falastrão” nos fóruns gringos…

        Para terminar: medo de FOD sempre foi algo presente na USAF, principalmente nos esquadrões equipados com F-16. Basta ver os carros equipados com turbinas que limpam as pistas a cada decolagem…

        Você como sempre está equivocado, pois se deixa pautar pela sua paixão ideológica.

      • Bardini says:

        Gripen “NG” ? Por favor…

        07 OCTOBER, 2008

        Equipped with Rafael Litening targeting/reconnaissance pods, the Gripens flew alongside fighters from Brazil and Turkey, plus NATO-operated Boeing E-3 Airborne Warning and Control System aircraft. Swedish aircraft deployed two live and four inert GBU-12 laser-guided bombs and 900 cannon rounds during the manoeuvres.

        The Gripen fleet flew 95% of its planned sorties during the Red Flag Nellis exercise, says detachment head Lt Col Lars Helmrich. “The Swedish air force has a proven, expeditionary capability,” he says.

        https://www.flightglobal.com/news/articles/nato-exercises-test-gripen-credentials-316841/

        O Su-30MKI é um baita caça mas, não adianta de muita coisa quando não voa, e isso é o que ele mais faz na Índia…

        https://warisboring.com/india-s-new-russian-fighters-have-serious-engine-failures-41fd7edbe94c#.q3gi1dkyb

      • César A. F. says:

        SU-30 MKI é o vetor no qual a IAF confia, e nele repousa a responsabilidade de assegurar a soberania dos céus indianos.
        Ele voa, caríssimo.

        E Gripen NG significa: New Ghost.

      • César A. F. says:

        Por Favor, o quê?
        Quem é você?

        Os suecos foram os únicos que fracassaram na Red Flag de 2008, caríssimo.

        Linkar a mídia indiana é para otários. Eles publicam hoje, desmentem amanhã. Os veículos são meios de dispersão de intrigas políticas e de lobby, caríssimo sabe nada.

        O fato é que para a sua doença, como o da Léo lunática, o MI-35 se mostram como o melhor vetor da FAB. Apresenta a melhor disponibilidade da força, além de ser o único que dispara armas guidas plenamente integradas e operacionais com constância.

        Se morda, jogue-se ponte!

      • S-88 says:

        Caríssimo, o war is boring não é mídia indiana e sim dos EUA. E o artigo usou como fonte não a mídia indiana mas a própria força aérea local e autoridades de Nova Délhi.

        E outra: não estamos questionando as qualidades do Su-30 mas sim o pós-venda russo, que é sofrível e todos sabem disso.

        Não adianta querer brigar com os fatos pois esses são teimosos, sempre se impõem.

      • S-88 says:

        Que dúvida cruel! Não sei se confio na flightglobal,uma das maiores e mais conceituadas revistas de aviação do mundo ou em alguém que até hoje não aceita o fato de que a FAB, ao contrário da MB, se portou de forma altiva e rejeitou a malfadada escolha política do dia 07/09/2009.

      • Bardini says:

        É assim que o “especialista” com mais de 25 anos de experiência em assusto de defesa comenta?
        Postando trolagens?

      • S-88 says:

        Esse é o modus operandi do “especialista” amigo Bardini!

      • César A. F. says:

        Você é o maior troll de todos os lugares.
        M… ideológico.

      • César A. F. says:

        O Troll, aqui, é você;

      • tiosam says:

        Esse Bardini the biggest troll do Plano Brasil.
        Discorda de todo mundo.

      • Bardini says:

        Ahh… Você cita que o “Gripen NG” estava na Red Flag 2008 e eu quem sou o troll…

        Depois, inventa um definição própria de “NG” como desculpa.

        Você cita que o Su-30 MKI teve disponibilidade 100% para tentar exaltar as qualidades do caça só que, não aceita que lá, na terra dele, a disponibilidade dele é ridícula devido a problemas de fabricação e manutenção. Coisa que é de conhecimento de qualquer leitor de assuntos de defesa sabe.

        Não me consta que os Gripens sofram do mesmo mal…

        Em nenhum momento falei do Mi-35. Cujo qual você usa como bandeira, para defender a qualidade do equipamento russo devido sua disponibilidade. Só que você esquece que… SÃO VETORES NOVOS. Faça a média de idade destes helicópteros na força!!! Não da 4 anos!!! Se não estivessem a 80% seriam uma bela porcaria.

        Ai você começou a mascarar dados de treinamentos que. por si só já são beeeem questionáveis. Só cita engajamentos 2 x 1 de F-15 contra Su-30… Esquece dos 6 x 18… Tudo sem poder usar o fator BVR e AWACS e isso lutando contra os melhores pilotos indianos.

        Caro Troll… Até F-22 é abatido por Typhoon e Rafale nestes engajamentos que citastes.

      • A Máquina Troll says:

        “Bardini
        Hoje 0:00

        O Su-30MKI é um baita caça mas, não adianta de muita coisa quando não voa, e isso é o que ele mais faz na Índia… ”

        já vai começar com seus espetáculos/circo aqui senhor Bardini?!..no “Índia Cup” realizado anos atrás os super fantásticos f-15 C/D estadunidenses foram sumariamente derrotados num exercício conjunto de jogos de guerra contra caças SU-30 MKI indianos….tudo foi oficialmente declarado em entrevista publicada na revista “US Today”….onde foi confirmado que o caça SU-30MKI da Índia havia superado completamente o f-15 C/D em 90% dos duelos simulados…. ?

        Um TAPA na cara da sociedade estadunidense…. 🙂

      • _RR_ says:

        India Cup…

        Um punhado de F-15, sem qualquer apoio que valha, se lançado em um espaço aéreo dominado pelo adversário, utilizando de regras de engajamento das mais desvantajosas o possível…

        Difícil não haver vencedor indiano…

        Curioso que após essas “vitórias” indianas, a produção de Raptores ganhou considerável impulso até 2009… 😉

        Meu caro senhor Máquina… Treino é treino. Jogo é jogo…

      • César A. F. says:

        Os F-15 foram derrotados em combate 2×1: dois F-15 contra 1 SU-30…

        Como sempre, tendencioso…
        Se toca!

      • _RR_ says:

        César…

        Por favor…

        2×1 com vitória para o isolado…? Só se for no BVR e com o outro se negando ao combate BVR ou impossibilitado de faze-lo… E olhe lá…

        No mundo real, isso não existe em se tratando de pesos pesados como Flanker e Eagle…

        Esses exercícios normalmente tem fases nas quais se aplicam várias modalidades de engajamentos. 1×1, 2×2 e por aí vai… E muitas vezes, os participantes se auto-limitam para poder forçar uma modalidade em especifico de combate.

        A propósito: gostaria, por gentileza, de um link com a informação que o senhor atesta…

      • JPC says:

        César A. F.

        Com todo o respeito…

        http://www.freerepublic.com/focus/f-news/1237790/posts

        ”’At India’s request, the U.S. agreed to mock combat at 3-to-1 odds and without the use of simulated long-range, radar-guided AIM-120 Amraams that even the odds with beyond-visual-range kills.””

        “””Generally the combat scenario was to have four F-15s flying at any time against about 12 Indian aircraft. “”

        Você está engando.

      • S-88 says:

        A obsessão ideológica é a sua e não a minha…..

        Antes de mais nada o Gripen não está aqui em discussão mas, ante ao fato que a malfadada escolha do dia 07/09/2009 não ter ido adiante e você ainda não ter se conformado com esse fato, aproveita-se do tópico para (sem sucesso) denegrir o caça escandinavo e futuro vetor da FAB.

        Não citei o nome do Coronel Terrence Fornhoff por esquecimento mesmo. O expediente de não citar por vergonha é afeito à você e não a mim. Tanto é que você tem vergonha de dizer que o “desmentido” da USAF (pois o conteúdo da palestra é absolutamente válido) se deveu à birra dos indianos, que provocaram um incidente diplomático. E não contentes ainda inventaram mais histórias mirabolantes na linha daquela do suposto 12×0 frente aos Typhoons da RAF.

        E você também omite que os detratores do Cel. Fornhoff nos fóruns de defesa são as eternas e desconsoladas tietes dos Flankers.

        Por fim, quanto ao FOD todas as forças aéreas do mundo se preocupam com ele, até mesmo a boliviana com seus K-8. Mas as forças aéreas que usam o F-16 continuam a fazer as suas saídas normalmente, sem os receios dos indianos afinal o pós-venda da LM e do governo dos EUA via FMS é bem melhor que o russo.

      • César A. F. says:

        Como é?
        A obsessão ideológica não é sua?
        Se toca!
        Você faz em qualquer lugar um discurso ideológico, transforma a coluna de comentários em pandemônio e diz que não é obsessivo?

        Quer me fazer rir ?

  4. _RR_ says:

    Amigos…

    Primeiro de tudo: já é questionável um helicóptero de ataque para a FAB… O lugar desse helicóptero, pra mim, é no EB.

    Apesar do desempenho do helicóptero, o ‘Hind’ nem sempre foi festa…

    Haviam problemas de compatibilidade de equipamentos elementares quando os helicópteros foram entregues, o que retardou sua entrada em serviço. Tiveram que mandar vir técnicos russos para resolver os problemas.

    https://pbrasil.wordpress.com/2010/03/15/resolucao-de-problemas-de-compatibilidade-nos-mi-35m-da-fab/

    Os problemas em logística também existem ( ou existiam… enfim… não encontrei nada que dissesse que estivesse resolvido ):

    “Existe uma lei russa na parte de exportação e importação de material militar, que impede que o atendimento ao Brasil seja mais rápido. Com isso nós temos um bom helicóptero, mas não temos um suporte logístico à altura para que tenhamos uma disponibilidade melhor das aeronaves.”

    http://br.sputniknews.com/mundo/20150416/776560.html

    Sobre os Su-30 indianos… Até agora estão com as voltas com os problemas dos seus ‘Flanker’… Peças de baixa qualidade e demora em executar o suporte são as principais reclamações…

    https://realrussiatoday.com/2015/12/23/scandal-erupted-in-india-about-quality-of-su-30-purchased-from-russia/

    Aparentemente, algo entre 1/3 e metade da frota sempre está no chão sofrendo algum reparo ou por simples ausência de peças…

    Sendo justo, resta saber também se é só a parte russa o problema, já que os indianos também não parecem ter feito o dever de casa…

    http://www.planobrazil.com/os-motores-dos-cacas-su-30-mki-fabricados-sob-licenca-na-india-estao-funcionando-mal-nos-ultimos-35-dias-foram-34-panes/comment-page-1/

    • César A. F. says:

      Caríssimo RR…
      Os Mi-35 exibem disponibilidade de rampa acima de 80%.
      E você me vem falar de problemas de logística?

      Comente, então, o fato dos Blackhawks do EB terem ficado no chão por meses…

      É cada uma.
      Eles insistem!
      O cara toma na cara uma disponibilidade de rampa de 80%, mas quer discutir!
      O que dizer?
      Ora, apenas que a pessoa revela a sua doença: obsessão ideológica.

      Pior…
      Não só o Mi-35 exibe uma disponibilidade de rampa absurda, como a matéria desta coluna de comentários versa sobre a revisão de motores no Brasil…

      E camarada insiste que o “pós-venda” é ruim…
      É de se perguntar se ele sabe ler, caso positivo, se sabe interpretar um texto…
      Por aí se vê que a obsessão ideológica causa, entre outras coisas, a cegueira.

      • S-88 says:

        Meu caro, não adianta inventar o que não existe…..

        Os Blackhawk do EB estão sediados em Manaus e operam continuamente desde quando foram aqui implantados. Quem está no chão agora é a famigerada Kombi voadora, aquela mesma que custou uma fábula sob o pretexto de “transferênfia di tequinúlugia”, tendo em vista a MGB bichada a qual a Airbus Helicopters até hoje não arrumou uma solução satisfatória.

      • _RR_ says:

        Meu caro César…

        Caso não tenha reparado, não sou eu quem está dizendo… É o próprio Sputnik…

        Tá lá…

        “…mas não temos um suporte logístico à altura para que tenhamos uma disponibilidade melhor das aeronaves…”

        http://br.sputniknews.com/mundo/20150416/776560.html

        E, segundo o artigo, o principal problema seria a legislação russa… Logo, não é ideologia… A menos, claro, que eles é que estejam sendo “ideologicamente incorretos” ao apontar um entrave na legislação da Rússia…

        Ao contrário do que afirma, a disponibilidade média é da ordem de 60% ( umas sete aeronaves ). E, até onde já li, as dificuldades orçamentárias atuais estão baixando ainda mais a disponibilidade.

      • César A. F. says:

        60% RR?
        Com o Esquadrão POTI voando a com 10 aeronaves de um total de 12?

        Engula essa aqui, do FDBr: “O 2º/8º GAv completou a expressiva marca de 5000 horas voadas com o projeto AH-2 Sabre. Recebidos em 2010, esses helicópteros de ataque atendem a uma série de demandas operacionais da FAB. Empregado, entre outras missões, na defesa aérea de grandes eventos, a aeronave está pronta para defender os céus do Brasil nas Olimpíadas Rio 2016”.

        O Esquadrão POTI exibi durante a Olimpíada uma disponibilidade de rampa de 100%!

        Você é muito infeliz. Sua infelicidade está registrada nesta fotografia cujo link posto agora, onde a sua afirmação de disponibilidade de 60% vai para o buraco, visto que são dez aeronaves de doze, ou seja, disponibilidade de… 83% !!!!!…
        Que coisa, não?

        https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2015/10/AH-2-Sabre-600×333.jpg
        .

      • S-88 says:

        Os Su-30 da Venezuela voam desfile mas no dia a dia do esquadrão a disponibilidade é baixíssima. Aliàs, em outra oportunidade você pegou justamente a foto de um desfile para tentar provar a “alta” disponibilidade dos Su-30 bolivarianos.

      • _RR_ says:

        Caríssimo…

        Tu quer comparar dia a dia com demonstrações ou eventos especiais…? Faz favor, vai…

        Por a frota em alta disponibilidade só é praticável em situações específicas e por um curto período de tempo. Force as aeronave além da conta, e tudo o que vai ter é uma força inteira em manutenção…

        “A operacionalidade do esquadrão é de 6 aeronaves em rampa para três em reserva (0,67%), sendo possível aumentar a disponibilidade para sete aeronave em qualquer situação (0,77%).”

        http://portaldefesa.com/3360-ah-2-sabre-o-trovao-alado/

      • César A. F. says:

        RR,
        caríssimo…

        Eu não sei você é falso, tonto, ou bisonho, mas certamente é uma pessoa insidiosa!

        Tosco, você não percebeu que a matéria de minha autoria, foi redigida antes da entrega do último lote. Na época haviam apenas 9 aeronaves na dotação do esquadrão. A prontidão era de seis aeronaves em nove, sendo possível, caso fosse necessário, prontificar sete aeronaves em nove.
        Hoje, caríssimo desinformador, são 12 aeronaves e a disponibilidade em rampa é de 10 aeronaves!

        A informação está presente no segundo parágrafo, caríssimo tosco.

        Eu não tenho certeza se você sabe ler, mas vou repetir: hoje são 12 aeronaves, e não 9. A disponibilidade é de 10 em um esquadrão de 12 vetores: 83%.
        Ficou claro para você, caríssimo insidioso?

        Agora… Se você quiser ficar esmurrando a faca, fique. A FAB manteve o POTI com 100% de disponibilidade durante toda a duração da Olimpíada Rio 2016.

        Jogue-se da ponte. Será um favor…

  5. Rafa_positron says:

    Hahahahahahahahahha

    TRILOGIOPATAS são uma graça… daqui a pouco tão tudo gágá com as mesmas esparrelas

    – Amorim
    – Lula
    – PT
    – Foro de São Paulo
    – É caro pra manter
    – Problema de pós venda
    – Fábricas russas são sucateadas
    – Ter não significa operar
    – Os sistemas deles não conversam com os nossos
    – Fiz curso de piloto pra entender de caças

    Daqui a pouco vão começar a cobrar de HOLLYWOOD que relancem os filmes do Rambo e do Bradock

    kkkkkk

    Meu povo, até pokemon e digimon evoluem

    • S-88 says:

      Meus questionamentos continuam: Da visita do ex-vice presidente brasileiro à uma fábrica russa alguma coisa mudou? Uma empresa continua projetando e outra construindo os aviões?

      No mais, e como foi caudalosamente mostrado aqui, o pós venda russo continua ruim. E isso é um fato….

      Ps: Ainda nesse papo de “Trilogiopata”? Tudo isso é porque ninguém quis brincar com você lá?..rs!

      • Rafa_positron says:

        ” Uma empresa continua projetando e outra construindo os aviões?”

        E por acaso isso é indicativo de que as fabricas são capengas ou que não tem condições de fabricar um parafuso?

        oq uma coisa tem a ver com outra?

        então como se explica o recente lançamento do Sukhoy SuperJet ?

      • S-88 says:

        Você, sedizente engenheiro, deveria saber que essa “divisão de tarefas” torna tudo mais complicado. E ainda por cima pode criar situações perigosas. basta lembrar que na II Guerra Mundial um diretor de fábrica, por motivos escusos e criminosos, tentou incriminar Serguey Ilyushin ao apresentar para Stálin rabiscos feitos em uma reunião como se fossem os planos e desenhos de construção do IL-2. Não fosse a interferência de outras pessoas que inclusive ajudaram a desvendar a farsa, o criador do “Sturmovik” teria ido parar em um gulag na Sibéria. Ou executado sumariamente por Beria.

        E quem afirmou que não fabricaria ali sequer um parafuso foi o falecido ex-vice presidente. Fosse ele um advogado ou um médico de formação eu nem diria nada mas sendo ele um industrial eu sou forçado a admitir que ele tinha alguma razão…

        Quanto ao Sukhoi Super Jet, não vou negar que comparado aos antigos aviões comerciais russos como o Tu-134 e o Tu-154 ele é um inegável avanço. Mas ainda está muito longe do seu principal rival no mercados, os E-Jets da EMBRAER. Inclusive em vendas.

      • Rafa_positron says:

        “Você, sedizente engenheiro, deveria saber que essa “divisão de tarefas” torna tudo mais complicado.”

        Eu não sou engenheiro de produção, camarada

        Mas eu volto a questionar

        Oq o modo de trabalho dos russos tem a ver com o ESTADO FÍSICO de suas fábricas?

        Uma coisa simplesmente não tem nada a ver com a outra

        Tavez um engenheiro de produção possa argumentar que realocando e modificando o modus operandi industrial deles a coisa poderia ficar mais eficiente, mais dinâmica etc…. mas isso não implica em estado ruim das instalações físicas (e é disso q se trata)

        E insisto: mais de uma década já se passou desde a suposta frase do Alencar…. vc quer mesmo q a gente acredite q em 1 década nada mudou? ninguém estudou? a coisa não andou? q a vida não seguiu? que o mundo não girou?

        por favor né

      • S-88 says:

        Eu infelizmente sou forçado a devolver o questionamento: de uma década para cá, o estado das fábricas russas melhorou? não adianta querer usar o lapso temporal como justificativa. Se você tem alguma informação de melhoria nas mesmas, não custa citar não?

      • tiosam says:

        Vamos para industria automobilística. Todos carros fabricados no Brasil são projetados nas matrizes, e produzidos aqui.
        Então o projeto não pode ser feito por uma empresa, e o produto ser fabricado em outro país ou outra empresa.

shared on wplocker.com