Defesa & Geopolítica

“Digam olá para o primeiro Porta Aviões equipado com catapulta da China.”

Posted by

Por Jeffrey Lin e PW Singer

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

 

Em um artigo especial o Popular Sciene descreve os principais progressos da China no que se refere à tecnologia de porta-aviões: O artigo de título “A China está fazendo grandes progressos: Digam olá para o primeiro Porta Aviões equipado com catapulta da China”. Descreve sobre os primcipais avanços chinese recentes.

O artigo apresenta uma imagem gerada por computador de um fã do segundo Porta Aviões Chinês e primeiro a ser integralmente construído na China o Type 002. A imagem abresenta catapultas, caças J-15B e aeronaves de Alerta aAéreo antecipado e Controle (AEW & C) Y-7 KJ-600 AEW.

Essa descrição, embora seja especulação, pode ser verdadeira, uma vez que sem catapulta, o navio não pode lançar mão de aeronaves de asa fixa para as funções de AEW & C em alto do mar. O artigo ressalta que a China deve possuir ao menos um porta-aviões de mar azul se quiser ter uma marinha igualmente de “mar azul.”

Embora a China tenha lançado o seu porta-aviões Type 001A, muito recentemente, há apenas alguns meses, a Marinha do Exército de Libertação do Povo quase não teve o tempo para descanso e já faz progressos constantes na tecnologia para o seu segundo navio doméstico, o Type 002, navio este cujo desenvolvimento está programado para ocorrer entre 2020 ou 2021, este por sua vez, será um porta-aviões de 70 mil toneladas com catapultas projetadas para lançar aeronaves mais pesadas.

CGT-60F

A CGT-60F, vista aqui como um modelo em escala reduzida é uma turbina classe F que pode ser usada em navios de guerra como o porta-aviões Type 002. As catapultas gigantes não são a única tecnologia nova em desenvolvimento. A CGT-60F é uma turbina a gás de classe pesada, que tem tipicamente uma potência de 170 a 230 MW, projetada pelo Centro de Pesquisa de Turbinas de Gás da Universidade de Tsinghua, com o Dongfang Electric Group e o Shanghai Electric Group, a turbina é resultado de um projeto integralmente doméstico, que não se baseia ou é montado sobre outro qualquer projeto existente. Em seus testes o sistema excedeu as expectativas de refrigeração e distribuição de temperatura – fatores vitais para grandes turbinas. Como tal, o estatal da China Daily sugeriu que a CGT-60F seria um candidato adequado para a planta propulsora de um grande navio de guerra como um porta-aviões.

Type 002 Wuhan

O novo Porta Aviões Type 002 Wuhan, já serviu de plataforma para testes de sistemas eletrônicos embarcados, especialmente para os novos sistemas de comunicação por satélite e múltiplas antenas de radares AESA.

Além disso, o Mockup do Wuhan hospedou o equipamento de teste eletromagnético para os Destroyers Type 055, onde a ilha teve de ser modificada para incluir novos sistemas eletrônicos.

Anteriormente modelado após a ilha mais velha de Liaoning, as mudanças incluem a instalação de um deck na ponte adicional e novos radares AESA de tipo 346x com painéis planos, tal como os instalados no Type 001A, porém com radares AESA Type 346S menores acima na ilha.

A ilha do Type 002 provavelmente teria um sistema de radar de vários painéis similar encontrado no mastro integrado dos Type 055. Esses radares AESA menores podem ser usados ​​para direcionamento e controle de fogo, permitindo que o Type 002 “fale” com os mísseis lançados a partir de aeronaves e outros navios, estendendo ainda mais os seus alcances.

J-15B

O J-15B, visto em uma catapulta antes do lançamento na base aérea naval de Huangdicun em Liaoning onde estão sendo testadas as catapultas de vapor e EMALS para instalação no porta-aviões Type 002.

A China também continuou os testes de catapulta no Huangdicun. No início deste verão, a China lançou o J-15T além de testar as catapultas do sistema de lançamento de aeronaves eletromagnéticas terrestre (EMALS), bem como lançou novas catapultas de vapor.

Ao submeter o J-15T e a catapulta através de testes extensivos, os pilotos e as tripulações do Type 002 poderão se mover rapidamente para operações complexas quando lançadas. Além disso, um J-15 (número de série “111”) foi detectado no início de julho de 2017 com uma sonda de reabastecimento colocada sob a linha central da fuselagem, entre as nacelas do motor. Esse tipo de reabastecimento aumentaria o alcance e a permanência em voo dos caças atuais.

Gyrfalcon J-31

O Shenyang “Gyrfalcon” J-31 caça furtivo, o segundo programa de aeronave de combate furtivo da China, tem uma possível configuração capaz de ser embarcada com asas dobráveis ​​e trem de pouso reforçado.

Além disso, o segundo protótipo J-31 fez vôos adicionais neste verão, o mais recente em 25 de julho. Estas atividades dão credibilidade aos boatos de que a Shenyang Aircraft Corporation, construtora do J-31, está planejando criar um terceiro protótipo do J-31 com a capacidade de operar em porta-aviões equipados com catapulta.

O J-31, embora menor do que o J-20, melhorou a capacidade de discrição e aviônica em seu segundo protótipo. Além disso, as versões de produção estão planejadas para serem equipadas com motores WS-17 mais potentes, o que poderia permitir voos supercruise.

Type 003

Em exibição no Museu Militar da Revolução do povo chinês, uma versão em escala de um gigante Porta Aviões prediz o futuro. Catapultas, caças J-20 e veículos aéreos furtivos de combate não tripulados (UCAV). O super portaaviões  Type 003, certamente será de propulsão nuclear e provavelmente não entrará no serviço antes de 2030.

Olhando para além do Type 002, o Type 003 seria um verdadeiro super porta-aviões, com um deslocamento de 90.000 toneladas. Se as exibições oficiais no museu militar da China são alguma indicação, o Type 003 viria com aviões futuristas, como bombardeiros furtivos e caças de sexta geração. Também poderia ter potência suficiente para alimentar lasers e catapultas eletromagnéticas atualmente em desenvolvimento.

Sobre a questão orçamental, muito debatida em função da necessidade de um orçamento que equacione todos estes sistemas, pode-se dizer que não há dúvidas de que a China é capaz de obter essas tecnologias, mas que um porta-aviões nuclear e seu grupo de ataque é algo muito mais caro de construir e manter. Porém, talvez, vale lembrar, que à medida que a economia chinesa continua crescendo em 7% ao ano, a China crescerá o suficiente para pagar todas essas armas avançadas.

Fonte: Popular Science

9 Comments

shared on wplocker.com