Categories
Defesa Meios Navais Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Almirante Kasatonov conclui os primeiros testes de mar

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A mais nova fragata do Project 22350 Almirante Kasatonov, construída para a Marinha da Rússia na empresa “Severnaya Verf”, completou com sucesso a primeira fase de testes de  Mar no Mar Báltico e retornou a São Petersburgo.
Durante a primeira fase de testes, em que participou a equipe de aceitação do fabricante e da tripulação da fragata, vários sistemas de suporte, sobrevivência, energia, operação autônoma de equipamentos de rádio, comunicações, ventilação e ar condicionado, bem como indicadores de velocidade, manobrabilidade e estabilidade do navio foram testados.
Os testes continuarão após a melhoria da situação do gelo no Golfo da Finlândia.
Anteriormente, a tripulação do navio passou por um treinamento abrangente no Centro de Treinamento Conjunto da Marinha e estava pronta para conduzir todas as fases do programa de testes.

Fonte: Seawaves

Categories
Defesa Mísseis Navios Rússia Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Novo míssil de cruzeiro Kalibr-M com autonomia de mais de 4.500 km em desenvolvimento na Rússia

De acordo com a fonte, grandes navios de superfície serão equipados com a nova versão denominada Kalibr-M começando com fragatas, bem como submarinos nucleares.

Informações TASS
Tradução e adaptação-E.M.pinto
© Ministério da Defesa da Federação Russa / TASS

MOSCOU, 8 de janeiro / TASS /.

  Uma nova versão do míssil Kalibr, denominada Kalibr-M, com alcance estendido para mais de 4.500 km, está atualmente em desenvolvimento atendendo a um pedido da Marinha Russa. Foi o que relatou uma fonte do complexo industrial-militar à TASS nesta terça-feira.

“O mais novo míssil de cruzeiro Kalibr-M de alta precisão baseado em navios, possui alcance máximo de disparo de mais de 4.500 km. Está sendo desenvolvido para a Marinha Russa. A criação do foguete propulsor está em fase de pesquisa e é financiada pelo Ministério da Defesa. Defesa “, disse a fonte à TASS.

A fonte esclareceu que o desenvolvimento do míssil foi incluído no programa de armamentos até 2027. A fonte acrescentou que o novo míssil será diferente dos mísseis Kalibr existentes em serviço, tanto em termos de maior alcance e dimensões.

“Será muito maior, o peso de sua ogiva se aproximará a 1 tonelada”, observou ele.

Segundo a fonte, grandes navios de superfície serão equipados com este míssil, começando com fragatas, bem como submarinos nucleares.

“O Kalibr-M foi projetado para destruir instalações terrestres e será capaz de transportar ogivas nucleares e convencionais”, disse ele.

A TASS não possui confirmação oficial das informações fornecidas pela fonte.

Atualmente, o sistema de mísseis Kalibr está em serviço com a Marinha russa. De acordo com dados de fontes abertas, o alcance máximo de disparo de um míssil de cruzeiro 3M-14, voando a uma velocidade subsônica, atinge cerca de 2.000 km.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Geopolítica Sistemas Navais

Brasil junta-se às Forças Marítimas Combinadas

O Brasil uniu-se às Forças Marítimas Combinadas (CMF), tornando-se o 33º membro da parceria naval multinacional. 

O Brasil tem um número de oficiais de ligação trabalhando ao longo dos anos dentro da organização para desenvolver habilidades e entender como a CMF trabalha.

O comandante João Prudêncio Enes, da Marinha do Brasil, torna-se o primeiro oficial a atuar como Representante Nacional Sênior do Brasil como membro ativo.

“No dia 30 de julho, a Marinha do Brasil atendeu a carta convite do CCFM aceitando a afiliação como membro titular da CMF. A Marinha do Brasil considera esse tipo de evento uma excelente oportunidade para reforçar os laços de amizade, além de promover a cooperação e o respeito mútuo entre as marinhas participantes ”,afirmou  um porta-voz da Marinha do Brasil.

Como explicado, a adição do Brasil à coalizão CMF significa que eles agora têm representação em todos os continentes habitados e se tornaram uma força-tarefa marítima global.

“Estou muito feliz em receber o Brasil em nossa crescente organização. Isso mostra que as questões de segurança marítima, como pirataria e atividades terroristas, são uma preocupação verdadeiramente global e estamos ansiosos para que a Marinha do Brasil contribua com nossa parceria internacional ”  , comentou o Comodoro Steve Dainton, vice-comandante da CMF.

A CMF dedica-se a promover a segurança e o livre fluxo do comércio em 3,2 milhões de milhas quadradas de águas internacionais no Mar Vermelho, no Golfo de Aden, na Bacia Somali, no Oceano Índico e no Golfo. As principais áreas de foco da CMF são a interrupção do terrorismo, a prevenção da pirataria, a redução de atividades ilegais e a promoção de um ambiente marítimo seguro para todos.

 

Fonte: Naval Today

 

Nota: Atualmente a CMF é composta pelas  marinhas dos seguintes países.

Alemanha,

Austrália,

Bahrein,

Bélgica,

Brasil,

Canada,

Catar,
Dinamarca,

Emirados Árabes Unidos,

Espanha,

Estados Unidos,

Filipinas,

França, 

Holanda,

Grécia,

Itália,

Iraque,

Japão,

Jordânia,

Kuwait,

Malásia,

Nova Zelândia,

Noruega,

Paquistão,

Portugal,

República da Coréia do Sul

Reino da Arábia Saudita,

Reino Unido,

Seycheles,

Singapura

Tailândia,

Turquia

Yemen.

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Surge o 3ºporta-aviões chinês ?

Autor: Henri K.

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

O assunto já havia sido discutido pelo East Pendulum há quase dois anos no artigo intitulado ” O 3ᵉ porta-aviões chinês está em preparação “, publicado em 31 de julho de 2016, onde foram abordados elementos tão diversos quanto possíveis, mas todos convergiamo para a existência de um programa de porta-aviões CATOBAR (Catapult Assisted Take-Off But Arrested Recovery Chinesa, Decolagem Assistida por Catapulta e Recuperação por captura) – Isso vai desde a transformação da plataforma de estudo de compatibilidade eletromagnética em Wuhan até as instalações de projeto e teste de dois tipos diferentes de catapulta, incluindo o bloco experimental construído no estaleiro de Wuhan. Jiangnan Changxin sendo perto de Xangai.

Embora o trabalho de infraestrutura necessário para a construção de porta-aviões ainda esteja em andamento em Jiangnan , fotos recentes feitas por observadores de Xangai surpreenderam muitos observadores. E por uma boa razão, o primeiro grande bloco que parece pertencer ao porta-aviões chinês de número 3 que é agora claramente visível na Ilha Changxin.

O grande bloco que seria o porta-aviões chinês de 3ᵉ (Foto: 防务 汉 防务 – 菜 兵)

As primeiras análises indicam que seria um grande bloco de meia-nau, obviamente aquele que contém uma parte do hangar e o compartimento do maquinário.

O bloco em questão está atualmente estacionado na nova área de extensão do estaleiro. É 5,5 km² e inclui duas grandes instalações fechadas de fabricação e montagem, uma com 408 metros × 170 metros e outra com 289 metros × 170 metros, mas outras instalações ainda estão em construção. .

Este grande bloco, se na verdade pertence ao novo porta-aviões chinês, apareceu bem antes da conclusão do trabalho de transformação da doca seca em que o edifício será construído.

Agora entendemos melhor porque várias fontes próximas à marinha chinesa e ao setor naval na China haviam falado no final de maio do “progresso considerável” em torno deste programa, o que implicaria não apenas um, mas dois navios, se acreditarmos em certos rumores.

Durante a visita do CEO CSIC do Grupo Naval Chinês ao Escritório de Design No. 701, responsável pelo projeto de todos os porta-aviões chineses até agora, a imagem de computador de uma frota de três porta-aviões, incluindo um com três catapultas, foi exibido na parte de trás da sala de reunião. Pode-se ver aí uma comunicação institucional muito discreta por parte do industrial chinês sobre o assunto.

De acordo com nossa estimativa, colocando em espera de 3ᵉ porta-aviões chinês pode ter lugar em meados do próximo ano, possivelmente visando uma entrada de serviço para 2022-2023, um período em que o porta-aviões Liaoning poderia começar sua parada técnica e a sua embarcação irmã atualmente em construção no estaleiro em Dalian, deve se tornar totalmente operacional, com o grupo aéreo plenamente embarcado.

Além do momento exato de seu comissionamento, duas outras questões técnicas em torno deste novo porta-aviões chinês permanecem sem resposta hoje – A propulsão convencional como foi planejada? ou a embarcação será eventualmente equipada com propulsão nuclear que é tecnicamente viável para a China hoje?

E que tipo de catapulta, vapor ou eletromagnética, foi selecionada para equipar o navio, sabendo que duas linhas experimentais foram testadas por alguns anos no centro de treinamento das Forças Navais de Xincheng?

Principais marcos STOBAR Type 001
(16 Liaoning)
Dalian
STOBAR Type 002
Dalian
Type CATOBAR 003
Xangai
Projeto geral Concluído em 2007 Começou no início de 2012
Desenho técnico inicial Concluído em março de 2015 (?)
Revisão feita em julho de 2015
Desenho técnico detalhado Concluído em junho de 2008
Assinatura do contrato com o estaleiro De março de 2009
Projeto de processo industrial Concluído no 2º semestre de 2009
Corte das chapas 28 de agosto de 2013 29 de junho de 2017
(ou 1º de outubro de 2017)
Construção de seções Iniciado em janeiro de 2014 Final de 2017
Lançamento na Água 10 de março de 2015 Começo de 2019
Armamemntos Concluído no final de 2009
Flutuando 26 de abril de 2017 Antes de meados de 2020
Testes de Mar Iniciado no 2º semestre de 2010
Julgamento do mar Iniciado em 10 de agosto de 2011 Começou em 13 de maio de 2018
Admissão ao serviço ativo 25 de setembro de 2012 Prév: setembro de 2019 Por volta de 2022

 

Fonte: EastPendulum

Categories
Defesa Patrulheiros Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Desenho do Novo patrulheiro marítimo Russo está quase definido

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A United Aircraft Corporation (UAC) continua cumprindo o contrato de atualização das aeronaves Il-38 do Ministério da Defesa da Rússia. A Ilyushin Company está estendendo o ciclo de vida dessas aeronaves equipando-as com modernos sistemas de bordo.

As aeronaves Il 38N MPA desempenham operações de defesa e resgate e a  Marinha russa planeja encomendar uma aeronave de patrulha anti-submarina de nova geração o qual segundo o porta voz da UAC, encontra-se em fase final de desenho.

Segundo o Chefe da aviação naval, o major-general Igor Kozhin, a aviação naval está se desenvolvendo de forma síncrona com outros componentes da marinha, e que o potencial do Il-38N é muito mais amplo que a versão básica, tendo esta recebido novos sistemas de detecção de anomalias magnéticas, bem como sonares, sistemas de comunicação e refereneciamento por satélite, radio interferômetros, sonoboias entre outros. Quanto a cabine, esta também recebeu melhoramentos aumentando o conforto das tripulações, sonoro, ergonômico e climático. desta forma, a aviação naval entra em seu segundo século atualizando ativamente o hardware e as habilidades de combate. Os pilotos navais são capazes de realizar missões mais complicadas em todas as latitudes do oceano em nível global, afirmou Kozhin.

Em janeiro de 2017 Kozhin afirmou que a aviação naval russa receberia cerca de 30 atualizados Il-38N. A entrega de todos eles deve ser concluída até 2025. Ao mesmo passo que o Il 38 é convertido para a nova versão, uma nova aeronave está sendo projetada para substituí-lo e o trabalho para criar aviões de patrulha anti submarina de uma nova geração para a aviação naval russa está quase pronto, disse Kozhin.

A nova plataforma base para uma nova família de aeronaves cujo projeto substituirá todas as aeronaves de patrulha naval disponíveis no inventário russo.

O especialista Vladimir Karnozov afirmou que o Il-114 será um substituto adequado para a família Il-38. Na década de 1970, a Índia adquiriu vários Il-38. Em Fevereiro de 2017, a Marinha indiana confirmou no Aero India 2017  o programa de extensão da vida útil de todos os Il-38SD disponíveis.

O turboshaft de dois motores Il-114-300 foi oferecido para substituir o Il-38 como plataforma para o projeto de aeronaves anti submarinas de nova geração. Foi relatado na Aero India-2017 que a Hindustan Aeronautics Ltd (HAL) planeja produzir o Il-114 civil e militar no âmbito do programa Make in India. A HAL e outras empresas indianas podem fornecer componentes e peças a aeronave que teria a sua montagem final na Rússia.

https://www.youtube.com/watch?v=_tx75GwfNMk

 

Fonte: Naval Recognition

Categories
China Defesa Anti Aérea Equipamentos Geopolítica Mísseis Navios Sistemas Navais

Marinha chinesa realiza grande exercício e demonstra a capacidade de seu sistema antiaéreo HQ-10 (VÍDEO)

A marinha chinesa (PLA Navy) realizou no dia 7 deste mês, um grande e importante exercício de avaliação anual no Mar da China oriental. Mais de 40 navios de três grandes frotas chinesas competiram em diferentes eventos, um dos quais foi destacado especificamente pelo jornal oficial chinês, o uso de mísseis de defesa antiaérea HQ-10, pelas corvetas Type 056 ( classe Jiangdao ) para interceptar mísseis anti navio chineses YJ-83J.

Míssil anti navio chinês YJ-83J
Míssil anti navio chinês disparado pela fragata Type 053H3 abatido por míssil do sistema HQ-10.

 

O objetivo deste exercício, denominado “Blue Sword Cup”, de acordo com oficiais do departamento de treinamento da marinha chinesa, é avaliar a capacidade dos meios de se defender de forma autônoma contra uma série de ameaças, testando a qualidade de defesa diante de ameaças aéreas e de mísseis anti navio (ASM), e tais testes ocorreram sem qualquer suporte prévio de dados e  dentro de um “contexto tático especial”.

De acordo com a mídia local, dentro do exercício, a fragata classe Type 053H3 iniciou um ataque disparando o primeiro míssil anti-navio. A corveta 509 Huai’an da Frota oriental foi então selecionada para interceptá-lo sozinha, disparando dois mísseis do sistema HQ-10, um após o outro, com cerca de um segundo de intervalo entre os disparos.

Blue Sword - HQ-10
Sistema antiaéreo HQ-10 em ação.

O relatório do canal chinês de televisão CCTV-7 mostra que os dois mísseis atingem seu alvo perto da superfície do mar. Fotos publicadas pela marinha chinesa sugerem que pelo menos quatro corvetas do mesmo modelo também dispararam depois, e tiveram que avaliar o resultado dos danos de maneira isolada e decidir se uma nova onda de mísseis antiaéreo deveria ser lançada.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=50&v=mjL0zEOJIPg

VÍDEO COM DISPARO DO SISTEMA HQ-10 ABATENDO O MÍSSIL ANTI NAVIO YJ-83J

   Se considerarmos as últimas manobras da força aérea e marítima chinesa na direção do mar da China oriental em novembro e dezembro, notaremos que autoridades de Taiwan estavam diretamente ou indiretamente preocupadas. Em seguida, o exercício “Blue Sword Cup” não se concentra na projeção de forças, mas na autodefesa de navios de escolta. Pode-se então presumir, que se esses eventos estiverem relacionados, a marinha chinesa estaria simulando a proteção coordenada de suas frotas  pelas novas corvetas, uma vez que os navios de primeira linha são implantados para defesa Anti-acess/ Area denial (A2/AD) contra todos os inimigos que poderiam ajudar as forças armadas taiwanesas. Claro, esta é apenas uma das muitas hipóteses do cenário em questão.

 

Sistema antiaéreo embarcado HQ-10
Sistema de defesa HQ-10

 

Observação: O texto é de responsabilidade do autor e não representa a opinião do site.

Fonte: Eastpendulum.com

Categories
Defesa

Porta-Aviões Kuznetsov pronto para ação

http://img144.imageshack.us/img144/8946/021730101tm.jpg

O Almirante Kuznetsov, porta-aviões da Rússia, saiu da doca onde efectuava reparações e está preparando-se para uma missão activa no Mar Barents, de acordo com um comunicado da Frota do Norte.

O Almirante Kuznetsov juntou-se à Frota do Norte em 1991. Tem capacidade para levar 26 aviões de ataque, caças Su-33 Flanker-D e MiG-29K Fulcrum-D além de 24 helicópteros anti-submarinos.

Categories
Defesa

Marine Nationale recebeu seu segundo NH90

No dia 07 de setembro, a Marinha francesa recebeu o segundo helicóptero NH90, agora designado como Caiman.

Este aparelho equipados com sonar e consoles táticos, chegou a BAN Hyères, proveniente doCentre d’expérimentations Pratiques et de réception de l’Aéronautique navale.

Categories
Defesa Negócios e serviços

Ministro britânico vem ao Brasil para assinar acordo de cooperação com a Marinha

http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56/shinecommerce/folder/17/img_17_9920_3?1228728882.jpg

O ministro-adjunto britânico para Segurança e Estratégia Nacional chegou nesta terça-feira ao Brasil para uma visita de três dias. Gerald Howarth veio ao país entregar pessoalmente a oferta britânica para a construção conjunta de novos navios para a Marinha brasileira e a assinar um amplo acordo de cooperação na área de Defesa entre os dois países.

Após entregar a oferta de governo a governo ao comandante da Marinha do Brasil, almirante Júlio Soares de Moura Neto, Howarth concedeu uma entrevista coletiva no HMS Ocean, o maior navio de guerra da marinha britânica, que na semana passada realizou exercícios conjuntos com a Marinha do Brasil e e está agora ancorado no Pier Mauá, no Rio de Janeiro.

Categories
Defesa Sistemas Navais

Submarino nuclear terá continuidade no próximo governo, aposta comandante da Marinha

http://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2008/07/maquete_submarino_nuclear-brasileiro.jpg

A descontinuidade do projeto de construção do primeiro submarino nuclear brasileiro pelo próximo governo foi descartada hoje (13) pelo comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Júlio Soares de Moura Neto. Segundo ele, trata-se de um programa de Estado, que deverá ser desenvolvido independentemente de quem ocupe a Presidência da República.

Categories
Defesa Sugestão de Leitura

Sugestão de leitura: "Marinha em Revista"

Clique aqui para visualizar Marinha em Revista

Clique aqui e visualize em pdf

Veja as edições anteriores da Marinha em Revista

Categories
Defesa

VII Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional

Sugestão: Gérsio Mutti

A Escola Naval (EN), no Rio de Janeiro, sediou, de 30 de agosto a 2 de setembro, o VII Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional. Promovido pelo Ministério da Defesa, reuniu participantes de todo o Brasil. A programação contou com a apresentação diária de painéis.