Defesa & Geopolítica

Venezuela: “Enfraquecido por crise, Maduro militariza sociedade”

Posted by

VENEZUELA-CHAVEZ-MILITIA

Presidente venezuelano aumenta milícias, fortalece Forças Armadas e se cerca de generais

“A milícia bolivariana já participa hoje de diversas operações em todo o país, e não somente como guias turísticos no Quartel da Montanha, onde descansam os restos mortais do “comandante eterno” Hugo Chávez. Eles vigiam hospitais, cobram produtos em caixas de supermercado, controlam a venda de gasolina na fronteira ou patrulham os transportes públicos.”

 Daniel Lozano, “La Nación”

-CARACAS -À deriva, a revolução bo-livariana tem seu próprio ritmo: a marcha militar. Nicolás Maduro está apostando na militarização da sociedade e da política para aguentar a crise social e econômica mais aguda do chavismo na última década. E o faz pisando no acelerador em três frentes: o crescimento das milícias, o fortalecimento das Forças Armadas e a aposta de generais para novos altos cargos de govemo.

— A milícia bolivariana é uma força moral enorme no centro, na resposta de logística para a guerra econômica.

São as forças de dissuasão para os que têm sonhos loucos contra a pátria — afirmou Maduro, acrescentando que os homens “têm que ter uniforme, equipamentos, armas, orientação e treinamento”

Se as ordens do presidente forem cumpridas, a milícia bolivariana continuará crescendo até atingir meio milhão de membros em 2015 e um milhão em 2019. Este órgão civil e armado é composto em grande parte por militantes do chavismo. Milicianos dispostos a defender a revolução são “o sonho de Maduro” destaca a especialista em defesa Rocio San Miguel.

A milícia bolivariana já participa hoje de diversas operações em todo o país, e não somente como guias turísticos no Quartel da Montanha, onde descansam os restos mortais do “comandante eterno” Hugo Chávez. Eles vigiam hospitais, cobram produtos em caixas de supermercado, controlam a venda de gasolina na fronteira ou patrulham os transportes públicos.

Em maio, Maduro anunciou a criação da milícia operária para “resguardar” a classe trabalhadora. Alguns de seus membros já apareceram armados com fuzis do govemo. Eles têm mais participação no estado de Bolívar, sede das grandes indústrias do país, que vem assistindo a conflitos trabalhistas.

Rocio San Miguel argumenta que “há uma resistência interna no Exército, apesar de que o alto comando da milícia é todo composto por militares” Ela alerta para o perigo do controle das armas, que já abundam no país.

Maduro não apenas pretende militarizar a sociedade, mas também não hesita em se cercar de militares. Colocou o ex-comandante geral da milícia Gustavo Gonzá-lez à frente do polêmico Centro Estratégico de Proteção à Pátria com poderes plenos de censura. Outro general muito próximo de Chávez, Hebert Garcia Plaza, preside o Órgão Superior para a Defesa da Economia. Fecha o círculo o major Antonio Pérez, à frente da Fundação Povo Soberano, uma entidade integrada ao Vice-Ministério da Suprema Felicidade do Povo Venezuelano.

Todos eles se beneficiarão do milionário orçamento designado ao Ministério da Defesa: US$ 2 bilhões só para salários, o equivalente a 60 entidades públicas, segundo o jornal “El Mundo Economia e Negócios”

O Ministério da Defesa também terá outros US$ 4 bilhões para “aumentar a capacidade defensiva” do país. Maduro anunciou que vai continuar comprando armas russas.

66 Comments

shared on wplocker.com