Defesa & Geopolítica

S 300 para Venezuela e muito mais sobre os sistemas de defesa antiáerea Russas

Posted by

Informações: Rustam (correspondente Plano Brasil- Moscow Rússia)

Texto: E.M.Pinto- Plano Brasil

Texto compartilhado entre os sites Plano Brasil e Geopolítica Brasil

A Rússia assinou um contrato com o governo da Venezuela para o fornecimento de sistemas antiaéreos do tipo S-300V, mas que segundo o Diretor de missões especiais da Rosoboronexport Nicholas Dimidyuk na ocasião da IDEX 2011, “ainda não foi implementado”.


Conforme relata, em Setembro de 2009, o presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou a decisão de criar um sistema de defesa anti aérea mais abrangente dividido em camadas. Este incluiria os sistemas russos defesa da faixa de pequeno, médio e longa altitude.

http://precise3dmodeling.com/models/images/tor-m1/demo_tor-m1_s.jpg

Sendo estes o Tor-M1 já entregues à Venezuela e os que estão em negociação negociações, Buk ( média altura) e de defesa anti-míssil-Tor M2E. O contrato para o sistema de longa altura( também não gosto desta expressão)já foi assinado e contempla os sistemas S-300V.

No mesmo pronunciamento, Dimidyuk também informou que um contrato semelhante foi assinado com a Argélia que deve receber duas divisões de sistemas 300 ( S-300PMU-2).Além dos contratos mencionados, a Rússia tem perspectiva de fornecer sistemas antiáereos para os seguintes países:http://precise3dmodeling.com/models/images/s-300pu/s-300pu_front.jpg

Líbia, negociação para a compra de duas divisões (16 PU) S-300PMU-2 “Favorit”.

Arábia Saudita, há muito manifestou interesse em comprar oS-300PMU-2.

Síria, formalmente apresentado um pedido para a compra de S-300PMU-1 e Tor-M1. Além da modernização dos sistemas S-125 “Pechora”.

Além disso a Rússia participa de uma concorrência realizada pela Secretaria da Indústria da Defesa da Turquia para a compra de sistemas de defesa aérea / longa altura do programa de mísseis T-LORAMIDS (turco Long Range aereal míssiles defense systems).

O Iêmen também é considerado como um potencial comprador do S-300PMU ou mesmo do S-300PMU-1.

Fora isto o Vietnã a sua intenção de lançar um programa de modernização dos sistemas de defesa aérea do país e portanto, manifestaram interesse nos sistemas Tor, Buk e S-300. Com o Vietnã negocia-se também a modernização de nada menos que 40 batalhões de S-125.

Até o momento, a possibilidade de fornecer sistemas de defesa anti-aérea ao Brasil é considerada com probabilidade baixa, embora hajam negociações e preferências por parte do Exército brasileiro, é pouco provável a aquisição de sistemas de longa altura, sendo os de média e baixa os mais prováveis de se concluirem.

A Rússia assinou um contrato com o governo da Venezuela para o fornecimento de sistemas antiaéreos do tipo S-300V, mas que segundo o Diretor de missões especiais da Rosoboronexport Nicholas Dimidyuk na ocasião da IDEX 2011, “ainda não foi implementado”.

Conforme relata, em Setembro de 2009, o presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou a decisão de criar um sistema de defesa anti aérea mais abrangente dividido em camadas. Este incluiria os sistemas russos defesa da faixa de pequeno, médio e longa altitude.



A Bielorússia receberá também unidades Tor-M2 assim que forem concluídas as negociações.

A Bielorússia também desenvolve em conjunto aeronaves não tripuladas (VANT) os quais entrarão em produção, no final deste ano.

Os sistemas de mísseis antiaéreos Tor-M2E representam uma nova geração de combate de defesa aérea de baixa altura. Esta arma é particularmente eficaz contra aviões de combate, helicópteros, Vant, mísseis guiados, que voem em altitudes médias, baixas e extremamente baixas.http://precise3dmodeling.com/models/images/tor-m2e/tor-m2e_front.jpg
A carteira de encomendas do seu fabricante já ultrapassa os US $ 4 bi, levando em consideração as encomendas dos sistemas anti-mísseis Pantsir-S1.
Segundo Igor Stepanichev diretor executivo do grupo, foram fechados recentemente contratos com três países, e que outros quatro ainda estariam em fase de negociação, sendo que em dois deles as conversas estariam em “estágio avançado”.


Entre os clientes do Pantsir-S1, pode-se citar os Emirados Árabes Unidos, Argélia e a Síria.
Segundo Stepanichev, as forças armadas russas pretendem continuar a adquirir o Pantsir até 2020 e conforme salientou, outros dois clientes estrangeiros o irão adquirir até meados de 2016.


Somente nos Emirados Árabes unidos são esperadas as entregas de pelo menos 50 sistemas.


Nas palavras de Stepanichev.

Os EAU estão satisfeitos com o desempenho dos mais modernos sistemas de defesa aérea russa. As necessidades militares dos Emirados Árabes Unidos, programa ” Armadura “já foi testado em todos os tipos de modernos alvos aéreos, matando em todos as meta a execução”.



43 Comments

shared on wplocker.com