Defesa & Geopolítica

Índia e França estão para finalizar o contrato de atualização dos jatos Mirage, um projeto de Rs 10.000 cr (US$ 2,15 bilhões)

Posted by

http://www.patricksaviation.com/uploads/photos/11135.jpg

Tradução e sugestão: Justin

Rajat Pandit, TNN, 23 de fevereiro de 2010, 02 h 17

NOVA DELI: Índia e França estão agora finalmente perto de finalizar contrato para um projeto de cerca de 10.000 crore (US$ 5,8 bilhões) para atualizar os caças Mirage 2000 da frota de combate da Força Aérea Indiana (IAF) depois de prolongadas negociações.Os primeiros quatro a seis Mirages da IAF serão atualizados na França, enquanto os demais 50 serão equipados com novos aviônicos, armas e sensores para aumentar sua capacidade de combate pela Hindustan Aeronautics Ltd., na Índia, com transferência de tecnologia do projeto.

“A finalização do contrato deve acontecer em breve”, disse, na segunda-feira, para a TOI o IAF Air Chief Marshal P V Naik. Este será o segundo grande programa, sendo acompanhado pelo “upgrade” de 63 MiG-29, já em curso, no âmbito de um contrato de US$ 964 milhões assinado com a Rússia em março de 2008.

Será também o segundo grande contrato defesa a ser assinado com a França, depois do projeto em curso de Rs 18.798 crore (US$ 5,8 bilhões) para construir seis submarinos Scorpene em Mazagon Docks, que aliás está com dois anos de atraso, com enorme aumento de custos.

“O escopo da atualização dos Mirage será muito maior do que o dos MiG-29”. “Vai ser tecnologicamente mais avançado (“high-end”). Irá custar a metade do valor das aeronaves. “Após a atualização, os Mirages nos serão úteis por mais 15 a 20 anos”,  disse outro oficial.

Os caças “multi-role” irão receber novos aviônicos, radar, computadores de missão, “displays – glass cockpit”, “HMD – helmet mounted displays”, suítes de guerra eletrônica, comunicação segura com link de dados, sistemas de precisão para direcionamento de armas, incluindo os mísseis “all weather” e “fire and forget” MICA (mísseis de interceptação e combate aéreo).

“Uma equipe francesa vai retornar no início de março para ultimar os detalhes. A CNC (Comissão de Negociação do Contrato) deve concluir o trabalho em mais dois meses. O Comitê do Gabinete de Segurança irá então ser consultado para a aprovação”, acrescentou.

A concretização do negócio poderia ser muito bem coordenada com a visita do Presidente francês Nicolas Sarkozy à Índia, a qual foi proposta para o final do ano. O projeto foi criticado, nos últimos anos, porque o pacote oferecido pelas empresas francesas Dassault Aviation (fabricante de aviões), Thales (integradora de sistemas de armas) e MBDA (fornecedora de mísseis) era cerca de 30% mais elevado do que aquilo que Índia estava disposta a pagar.

Tendo inicialmente adquirido 40 Mirage em meados da década de oitenta, a Índia adquiriu mais de 20 aeronaves adicionais nos anos posteriores. Com os Mirages tendo êxito nas missões de ataque realizadas durante o conflito de Kargil, em 1999, a IAF chegou a cogitar, há alguns anos, os avançados Mirage 2000-V para seu gigantesco projeto 10,4 bilhões de dólares referente à aquisição de 126 novos aviões de combate multiuso médios (MMRCA).

Mas, como a França decidiu encerrar sua linha de montagem do Mirage, o Ministério da Defesa autorizou a IAF realizar uma competição global para o projeto MMRCA. Agora, o Rafale francês está competindo com americanos F/A-18 “Super Hornet” (Boeing) e F-16 “Falcon” (Lockheed Martin), russos MiG-35 (United Aircraft Corporation), Gripen suecos (Saab) e Eurofighter Typhoon (consórcio de empresas britânicas, alemãs, espanholas e italianas) na disputada competição pelo MMRCA.

A IAF vem enfrentando uma diminuição no número de esquadrões de caça (cada um tem de 16 a 18 aeronaves). Existem apenas 32 esquadrões, de um número autorizado de 39,5. A IAF decidiu realizar uma combinação de upgrades e introdução de novos aviões, como os Sukhoi-30MKI, para manter a sua disponibilidade de combate.

Fonte:The Times Índia

shared on wplocker.com