Categories
Uncategorized

Mercedes-Benz aumenta 34% exportação para África e Oriente Médio em 2018

Maior exportadora de veículos comerciais do País, a Mercedes-Benz do Brasil, que já tem uma tradicional e destacada presença na América Latina, está expandindo as vendas para outros mercados. Este é o caso das exportações crescentes de caminhões Atego e Accelo para a África e o Oriente Médio.

“No ano passado, enviamos aproximadamente 260 caminhões Atego e Accelo para países da África e do Oriente Médio. Para 2018, projetamos o embarque de mais 350 unidades, o que significa um crescimento de cerca de 40% nas exportações destes caminhões para aquelas regiões”, afirma Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Os caminhões já saem do nosso País customizados para atender às demandas específicas de cada mercado”.

O crescimento das vendas de Atego e Accelo para países da África e do Oriente Médio contribui para o avanço da Mercedes-Benz do Brasil no mercado externo. “Nossas exportações totais de caminhões tiveram um crescimento superior a 120% nos últimos 4 anos, saltando de mais de 3.600 unidades em 2014 para cerca de 8.000 unidades em 2017”, informa Leoncini. “No acumulado de janeiro a julho deste ano, já exportamos mais de 4.600 caminhões, o que nos garante o mesmo patamar de vendas do ano passado. Para se ter uma ideia, a representação das exportações na produção de caminhões da Empresa saltou de 10% em 2014 para 40% atualmente”.

Mercedes-Benz customiza caminhões para exportação

Graças aos atributos de força, robustez e resistência do Atego e do Accelo, já consagrados no mercado brasileiro, esses caminhões desenvolvidos e produzidos pela Mercedes-Benz do Brasil vêm obtendo aprovação nas severas aplicações da África e do Oriente Médio.

“O Accelo e o Atego operam com eficiência e produtividade tanto nas cidades e estradas, como em condições adversas, como vias não pavimentadas, desertos, temperaturas elevadas e topografia irregular, muito comuns naquela região”, afirma Leoncini. “Além de reconhecer a qualidade dos produtos, os clientes locais dão muito valor à confiabilidade da marca e ao suporte de atendimento e assistência técnica que a Mercedes-Benz oferece em qualquer lugar do mundo, em parceria com os concessionários e os escritórios regionais da Daimler Trucks”.

Os caminhões exportados pela Empresa são customizados para atender às solicitações específicas dos clientes e às legislações de cada país. Sob coordenação da área de Centro de Customização para Clientes (Custom Tailored Trucks – CTT), esse trabalho conta com o envolvimento de profissionais de Engenharia, Produção, Vendas, Marketing, Controlling e Peças & Serviços.

Como resultado da atuação do CTT, foram criadas, por exemplo, soluções como a aplicação de pneus largos super single 365/85 no Atego 1725 4×4, a fim de aumentar a eficiência nas operações fora de estrada no deserto. Do mesmo modo, foram produzidos caminhões com escape vertical, iluminação externa de emergência no teto da cabina (giroflex), entre-eixos mais curtos, dispositivo de proteção frontal e painel de instrumentos com idioma árabe.

A Mercedes-Benz do Brasil, em parceira com implementadores, também exporta veículos completos, como para o transporte de tropas, tanques de água e combustível, coletor de lixo e autossocorro.

Caminhões brasileiros complementam o portfólio da Daimler Trucks

“Os caminhões Accelo e Atego produzidos pela Mercedes-Benz do Brasil complementam o amplo e abrangente portfólio global da Daimler Trucks nessas regiões”, ressalta Fábio Mesquita, gerente sênior do Order Center e Exportações Overseas da Mercedes-Benz do Brasil. “O Accelo é um modelo totalmente desenvolvido por nossa Empresa no Brasil. Além disso, com as soluções customizadas do Atego, ampliamos a nossa participação no atendimento a diversos mercados mundiais da Daimler Trucks, com motores Euro 3 ou Euro 5, conforme a necessidade do cliente e legislação local”.

Com seu Centro de Desenvolvimento Tecnológico – criado há 21 anos e localizado junto à fábrica de São Bernardo do Campo, SP – e seu Campo de Provas, inaugurado este ano em Iracemápolis, SP, a Mercedes-Benz do Brasil está apta a desenvolver e testar caminhões para qualquer parte do mundo.

“Isso nos credencia a atender quaisquer demandas dos nossos clientes e a conquistar novos mercados em vários continentes, como vem ocorrendo na África e no Oriente Médio”, afirma Fábio Mesquita. “Para ressaltar essa integração do Brasil à plataforma global de produção de caminhões da Daimler Trucks, o nosso Accelo e o nosso Atego 1725 4×4 customizado para o transporte fora de estrada estarão expostos no estande do Grupo Daimler no Salão Internacional de Veículos Comerciais IAA 2018, em Hanover, na Alemanha, no próximo mês de setembro”.

Empresa reduz custo de frete e agiliza o tempo de remessa

A fim de ampliar ainda mais a competitividade da Empresa nas exportações de caminhões, a Mercedes-Benz do Brasil adotou soluções inovadoras de logística para o envio dos veículos aos clientes da região do Oriente Médio e da África. Como resultado, reduz os custos de frete e agiliza o tempo de trânsito.

“Os caminhões semipesados Atego estão sendo embarcados no sistema de Flat Rack Containers, solução que gera uma economia de 16% a 20% no frete em relação à alternativa de Navio Ro-Ro (Roll-on e Roll-off), em que os veículos entram e saem do navio rodando por seus próprios meios”, afirma Leoncini. “Já o Accelo, de dimensões compactas, é transportado em containers convencionais, com economia de 50% sobre o Navio Ro-Ro”.

“Além da diminuição no custo do frete, a opção pelos containers assegura mais uma importante vantagem no transporte marítimo aos clientes, que é a redução de cerca de 25% no tempo de trânsito em relação ao navio tipo Ro-Ro”, destaca Leoncini, enfatizando que a Mercedes-Benz é a primeira fabricante do País a utilizar containers para embarque de caminhões.

A fim de demonstrar todas as soluções oferecidas pela Mercedes-Benz do Brasil aos clientes do mercado externo, a Empresa tem recebido a visita de concessionários e seus clientes na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), que têm assim a oportunidade de conhecer as linhas de produção de caminhões, motores e agregados, bem como, os produtos do portfólio.

Atualmente, a Mercedes-Benz do Brasil exporta caminhões e ônibus para cerca de 50 países. Além dos mercados da África e Oriente Médio, os outros destinos são América Latina, Ásia e Oceania.

 

Fonte: Mercedes-Benz

Categories
ADSUMUS

ADSUMUS: Batalhão de Engenharia de Fuzileiros Navais (BtlEngFuzNav) realiza adestramento de mergulho em Arraial do Cabo-RJ

Exercício de reflutuação da passadeira de alumínio
No período de 20 a 24 de agosto, foi realizado o adestramento de mergulho autônomo circuito aberto (Exercício AdestMerg/2018), com os mergulhadores do Batalhão de Engenharia de Fuzileiros Navais (BtlEngFuzNav), na região de Arraial do Cabo-RJ, com apoio do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira.
Durante o exercício, foram realizadas atividades de orientação subaquática; busca e reflutuação de equipagem de engenharia; resgate de mergulhador; equalização de flutuabilidade com o colete equilibrador; mergulho noturno com teste de queima de estopim utilizando acendedor hidráulico; simulação de preparação; e lançamento de carga explosiva.
Adestramento de Mergulho em Arraial do Cabo

 

A atividade de mergulho teve início no BtlEngFuzNav em 2013, com a formação dos primeiros mergulhadores autônomos no Centro de Instrução e Adestramento Almirante Áttila Monteiro Aché. A ação tem o propósito de auxiliar nas tarefas de transposição de curso d’Água, no reconhecimento de pontes, na demolição subaquática e outros apoios aos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais.
Fonte: MB

Categories
Infantaria da Aeronautica PÉ DE POEIRA

FAB PÉ DE POEIRA: Parque de Material Bélico de Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAMB-RJ) ministra curso de manipulação de material de demolição

Os alunos aprenderam técnicas de segurança, manuseio de artefatos explosivos e métodos de demolição de estruturas simples

O Parque de Material Bélico de Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAMB-RJ) encerrou, na última sexta-feira (31), o Curso de Manipulação de Material de Demolição (CMMAD). Dividido em duas etapas, teórica e prática, o objetivo foi capacitar os militares a desempenharem as atividades de coordenação, planejamento e execução de operações com cargas explosivas em instruções e operações de demolições aplicáveis a missões operacionais de combate.

“Sabendo dos riscos inerentes ao uso de explosivos, a realização do CMMAD é de suma importância para capacitar o militar a manipular itens ativos do acervo da FAB, minimizando riscos, de forma a cumprir a missão utilizando o mínimo de material necessário e com o máximo de segurança”, relatou o Sargento Rafael Peixoto Toledo, um dos instrutores do curso.

Durante 10 dias, os alunos aprenderam técnicas de segurança, manuseio de artefatos explosivos, métodos de demolição de estruturas simples e vivenciaram um ciclo de atividades práticas. Além de capacitar 15 militares da Força Aérea Brasileira (FAB), o curso também formou dois militares do Comando de Operações Especiais da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro, um militar do Exército Brasileiro (EB) e um policial rodoviário federal.

“As técnicas ministradas, com certeza, serão difundidas aos integrantes da Arma de Engenharia do Curso de Formação de Sargentos Combatentes do EB. A importância dos conhecimentos adquiridos no CMMAD, tais como coordenar atividades de demolição, construir sistemas de iniciação para cargas explosivas, verificar o fiel cumprimento dos padrões de segurança em atividades de demolição, engrandecerão o currículo dos alunos da Escola de Sargento das Armas”, destacou o Tenente Engenheiro Márcio da Silva Araujo, do Exército, aluno do curso.

 

Fonte: PAMB-RJ

Categories
ADSUMUS

ADSUMUS: Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE) apoia bombeiros durante incêndio no Museu Nacional

Meios da Marinha foram empregados em apoio ao Corpo de Bombeiros
Militar do Estado do Rio de Janeiro
Na noite do dia 2 de setembro, a Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE), mobilizou-se no intuito de apoiar o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), no combate do incêndio ao Museu Nacional. No decorrer das ações, 27 militares e meios da Força foram colocados à disposição do Centro de Manutenção e Suprimento (CSM) do CBMERJ. O CSM é a unidade de distribuição de suprimentos e de manutenção dos equipamentos de apoio a operacionalidade do CBMERJ. A unidade é responsável pela manutenção das viaturas da corporação e distribuição de equipamentos operacionais.
O acionamento ocorreu às 22h15, quando teve início o deslocamento de uma Viatura Bombeiro e duas Viaturas Cisternas pertencentes à Base de Fuzileiros Navais do Rio Meriti. O Batalhão Logístico de Fuzileiros Navais contribuiu com o envio de uma Viatura ¾ Land Rover e uma Viatura Cisterna UNIMOG. O Batalhão de Engenharia de Fuzileiros Navais enviou para o CSM uma Equipe de Reconhecimento Nuclear, Biológico, Químico e Radiológico (NBQR), preparada para monitorar os gases liberados no incêndio e auxiliar possíveis vítimas de intoxicação.
Os militares e meios da FFE participaram do fornecimento de água e a Equipe de Reconhecimento NBQR permaneceu à disposição do CBMRJ para emprego imediato.
Fonte: MB

Categories
ADSUMUS

ADSUMUS: 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas (2°BtlOpRib) realiza II Adestramento de Equipes Ribeirinhas

Adestramento de entrada e saída de compartimentos confinados
O 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas (2°BtlOpRib) realizou, no período de 13 a 17 de agosto, a segunda edição do Adestramento de Equipes Ribeirinhas com propósito de manter a prontidão operativa dos militares na área de selva da Amazônia Oriental. O treinamento ocorreu no Centro de Treinamento Coronel Moraes, no município de Terra Alta-PA, e foi conduzido para os integrantes da 2ª Companhia de Fuzileiros Navais.
O exercício permitiu que todas as subunidades se mantivessem capacitadas em técnicas de combate necessárias a uma organização militar operativa do Corpo de Fuzileiros Navais. As instruções foram direcionadas para as operações militares em área urbana com características ribeirinhas, tendo como foco técnicas de entrada e saída de compartimentos confinados, adestramentos de comunicações, técnicas de rapel e escalada militar, defesa pessoal e maneabilidade tática com fuzil.
O Comandante do 2ºBtlOpRib, Capitão de Fragata Celio Litwak Nascimento, comentou sobre o adestramento. “As técnicas treinadas são essenciais para o desenvolvimento das ações terrestres desencadeadas em proveito de operações ribeirinhas e terrestres de caráter naval. Além da qualificação técnica dos militares, observamos o espírito de equipe, o exercício das lideranças de pequenas frações e a manutenção da prontidão operativa do Batalhão com a versatilidade do emprego da Tropa nas mais variadas situações”.
Militares realizam adestramento de maneabilidade tática com fuzil
O monitor da equipe de instrução do 2ºBtlOpRib, Cabo Fuzileiro Naval de Engenharia Jailson Nascimento Silva, destacou as atividades realizadas. “Colocamos em prática tudo aquilo que aprendemos sobre as técnicas de combate em área de selva e ambiente urbano. As ações foram bem planejadas e executadas de modo a preservar a segurança e garantir o correto emprego dos militares neste tipo de missão”.
Fonte:MB