Defesa & Geopolítica

FORÇAS IRAQUIANAS DECLARAM QUE O AUTOPROCLAMADO CALIFADO “CAIU” APÓS VITÓRIA SIMBÓLICA EM MOSUL DEPOIS DE UMA ÉPICA BATALHA.

Posted by

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Segundo nota do Independent, as tropas iraquianas recapturaram as ruínas da grande mesquita de Mosul expulsando os terroristas do ISIS, foi o que informaram militares iraquianos em um anúncio, declarando que o reinado dos extremistas no país acabou.

“Seu estado fictíciocaiu”,

 Disse o porta-voz militar, Brigadeiro-geral Yahya Rasool, à TV estatal na quinta-feira – no mesmo local onde três anos antes, o seu então líder, Abu Bakr Al-Baghdadi autoproclamou a criação do califado.

O Isis explodiu na semana passada a mesquita Al-Nuri, uma construção do século 12. O ato de desespero ocorreu depois de se tornar evidente  que as forças iraquianas forçaram as defesas conquistando passo a passo o caminho até a as ruínas da Mesquita. A bandeira negra desfraldada no minarete deAl-Hadba desde junho de 2014.

O general Gen Abdul Wahab Al-Saadi informou à Associated Press, que às forças especiais Iraquianas entraram no complexo e assumiram o controle das ruas circundantes na tarde de quinta-feira após uma ofensiva ao longo da madrugada.

A região precisará ser limpa por especialistas em explosivos, já que por prática o ISIS dissemina nos locais armadilhas.

Embora existam aproximadamente 300 militantes que ainda lutam até a morte no distrito da Cidade Velha, as autoridades iraquianas esperam que a batalha de oito meses de duração acabe nos próximos dias. O ISIS que havia tomado três anos antes cerca de um terço do território iraquiano após romper pela fronteira Síria, detém agora em solo Iraquiano uma pequena área do lado oeste do rio Tigre com menos de 1 km de quadrado.

A vitória chegou após um elevado custo: A luta feroz e a campanha de bombardeio liderada pelos EUA mataram milhares de civis, especialmente nos últimos três fins de semana e, deslocaram cerca de 850 mil refugiados. Uma vasta região da cidade foi reduzida à escombros, e no calor do verão, o fedor dos cadáveres é irresistível, dizem os soldados na linha de frente.

A operação de retomada da cidade começou em outubro de 2016. Mosul uma cidade cosmopolita de 1,5 milhão de habitantes foi a jóia da coroa do ISIS a batalha está próxima do fim, os militantes concentram-se em pequenos bolsões de resistência ao norte do Iraque e perto a fronteira com a Síria.

A complexa operação da coalizão composta pelo exército iraquiano, unidades de combate de elite, milícias financiadas pelo Irã e os Peshmerga curdos acompanharam os esforços das forças curdas apoiadas pelos EUA na fronteira para expulsar o ISIS da capital síria de Raqqa.

A destruição da mesquita de Mosul é outro exemplo de “culturalidade”

O ISIS lançou uma onda de atentados suicidas como última tentativa desesperada para resistir em Mosul.

A queda de ambas as cidades marcará o fim de ISIS como uma força de dominação de território, embora os analistas esperem que o grupo se transforme em uma força insurgência terrorista nos dois países e que inevitavelmente intensificará os ataques terroristas em todo o mundo no futuro.

 

“É importante diferenciar o ISIS como uma ideologia global e seu projeto de quase-estadofísico”,

 disse Dr. Andreas Krieg, do Departamento de Estudos de Defesa do King’s College em Londres, à The Independent.

“O ISIS não é a principal causa dos problemas do Iraque, e sim um sintoma dele. E todas as queixas locais que permitiram que ISIS florescesse em primeiro lugar pode se deizer, foram e insegurança física, privação de direitos, estes problemas não vão desaparecer. Há muitos no norte do Iraque que não irão encorajar e apoiar o governo de Bagdá, agora eles foram liberados de uma forma de opressão. Eles já se preparam para a próxima luta.”

Fonte: Independent

shared on wplocker.com