Defesa & Geopolítica

Classe Horizon – Interceptação de míssil antinavio voando baixo (Sea Skimming)

Posted by

Foto: Marinha da França via Mer et Marine 
A Marinha francesa, utilizando a fragata de defesa aérea da classe Horizon de nome Forbin, interceptou com êxito um alvo supersônico simulando um míssil anti-navio voando em altitude muito baixa. O alvo foi lançado a partir do centro de testes de mísseis baseado na Ile du Levant, no sul da França (região de Var) e interceptado em voo por um míssil Aster 30 do sistema de armas da Forbin. Outra fragata classe Horizon, a Paul Chevalier, acompanhou o alvo e os mísseis de interceptação disparados.

Este teste, realizado em conjunto com a DGA (Direction Générale de l’Armement), confirmou a capacidade da marinha francesa de garantir a proteção das forças armadas no mar (transportes e grupos de combate anfíbios) contra a mais grave das ameaças, os mísseis anti-navio que voam rente as águas. Além disso, o teste se revelou um êxito considerando-se a realização dos disparos dentro de um cenário operacional de alta complexidade, diante de uma ameaça supersônica do tipo sea skimming.
Durante a operação, todo o acesso à zona de tiro, ao largo da costa du Levant Ile, foi proibido pelas autoridades francesas.
A Forbin e a Chevalier Paul, fragatas da classe Horizon, estão equipadas com o sistema PAAMS (utilizando os mísseis Aster 30 e Aster 15), sendo que as duas embarcações estiveram muito ativas recentemente, nomeadamente durante a Operação Agapanthe no Oceano Índico, entre Outubro de 2010 e Fevereiro de 2011 e, em seguida, durante a Operação Harmattan. Operando na costa da Líbia, os navios realizaram a proteção dos grupos navais ligados ao porta-aviões Charles de Gaulle, bem como dos LHDs Tonnerre e Mistral. Elas também realizaram operações costeiras de apoio de fogo e a coordenação de operações aéreas para a coalizão ao largo da costa da Líbia, um tipo de missão conhecida como “Red Crown”.

7 Comments

shared on wplocker.com