Defesa & Geopolítica

Patriota duvida de represália líbia contra o Brasil

Posted by

Chanceler brasileiro, Antonio Patriota

MARINA GUIMARÃES, CORRESPONDENTE – Agência Estado

O chanceler brasileiro, Antonio Patriota, não acredita em hipótese de represália de parte de um novo governo líbio contra o Brasil, que manteve relação estreita com o regime de Muamar Kadafi e questiona a atuação de tropas aliadas em território líbio. “O Brasil se distinguiu ao longo de todo esse processo com uma preocupação muito grande de se posicionar do lado da população líbia. A preocupação que manifestamos era com a utilização de uma autorização do Conselho de Segurança de proteção à população civil que gerasse violência adicional à violência”, argumentou o ministro das Relações Exteriores.

Ao ser indagado sobre a ideia do governo francês de fazer uma reunião de “amigos da Líbia” para discutir o pós-Kadafi, o chanceler respondeu que “o Brasil se considera mais amigo da Líbia que muitos outros países”. “Não utilizamos armas contra qualquer líbio em momento algum”, disse ele em referência às tropas aliadas (Estados Unidos, Reino Unido e França) enviadas à Líbia para conter a rebelião que matou centenas de civis nos últimos meses.

“No parágrafo operativo que autorizou a proteção civil falava-se em cessar-fogo, e na nossa visão, esforços adicionais deveriam ter sido usados para negociar o cessar-fogo há muito tempo atrás”, criticou Patriota. “O que nós queríamos era o fim da violência (…) Então deploramos, lamentamos e condenamos a violência na Líbia, que afetou a população civil de forma indiscriminada e continua a afetar”.

O chanceler brasileiro afirmou que não há uma pacificação do país e que “o Brasil se posicionou do lado das Nações Unidas, do lado da legalidade, do respeito às decisões do Conselho de Segurança, na letra e no espírito com que foram adotadas para proteção da sociedade civil, e não para colocar regime “A”, “B” ou “C” no poder”. Ele reafirmou que o Brasil manteve contato com os rebeldes em Benghazi, e que está acompanhando de perto a situação para ver como evolui.

Referindo-se a editorial de um jornal brasileiro, o chanceler chamou a atenção para a importância de não se cometer, na Líbia, erros que foram cometidos em outros lugares como Iraque. “Por mais frágeis que sejam as instituições na Líbia, desmantelar completamente a burocracia existente provoca o risco de aumentar a imprevisibilidade, a insegurança, em uma fase que se inicia e que será muito delicada porque existem muitas armas no país, inclusive armas de destruição em massa, armas químicas”, afirmou.

Patriota disse que não tem conhecimento sobre pedido de forças de paz junto ao Conselho de Segurança para a Líbia, mas não excluiu a hipótese de que tenha sido feito. Ele indicou que “existe uma reflexão no secretariado das Nações Unidas sobre o pós-conflito que vai nesta direção, de como contribuir para uma estabilização, fim da violência, monitoramento de segurança…”. Indagado sobre se o Brasil enviaria forças de paz à Líbia, o chanceler respondeu que “ainda não dá para refletir sobre isso sem saber exatamente quais são as condições” do cessar-fogo.

O chanceler também queixou-se da imprensa. “Às vezes, sai equivocadamente na imprensa de que o Brasil não se associou ou não foi favorável às sanções contra a Líbia. Pelo contrário, o Brasil desde o começo do governo apoiamos as sanções”, defendeu-se. O chanceler esclareceu ainda que não havia sanções durante o governo Lula, as sanções foram consideradas nesse ano, após Kadafi reprimir a população de civis desarmados.

Patriota disse que tanto no Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), quanto na Unasul (12 países da América do Sul), há a percepção de que não basta o governo Kadafi deixar Tripoli para a situação se estabilizar automaticamente. “Será necessário que o futuro governo de transição se preocupe em reconstruir a união nacional e apaziguar a situação interna”, disse Patriota.

O ministro defendeu “a preservação das responsabilidades do Conselho de Segurança na definição de estratégias para a promoção da paz e segurança internacionais”, em clara alusão à iniciativa de Nicolas Sarkozy de convocar uma conferência para discutir o pós-conflito. O chanceler comparou ainda a situação da Líbia com a Síria. No primeiro caso, disse ele, houve unanimidade da ONU para impor sanções a Kadafi, “inclusive com o voto do Brasil”. Já em relação à Síria não existe consenso sobre sanções e embargos de armas”.

“Existem visões que ainda são bastante divergentes no Conselho de Segurança. China e Rússia, por exemplo, não estão participando das discussões no Conselho de Segurança sobre a Síria, nesse momento, o que reflete uma polarização do debate, uma dificuldade grande de se chegar a uma decisão”, argumentou.

Patriota manifestou-se decepcionado com o governo sírio, que não deu uma resposta satisfatória em relação ao pedido internacional de “cessar a violência, acabar com as mortes e adotar, aceleradamente, um programa de reformas de abrir o país aos jornalistas porque temos dificuldade de saber o que está acontecendo”.

Fonte: Estadão

46 Comments

  1. Jonnas says:

    Este conflito também pode virar uma catástrofe!
    Vejam bem, quem garante que a Líbia não possua um artefato nuclear? Até uma bomba suja!.. O cara é excêntrico, pode ser que este seja o cheque-mate, claro! Além de sua guarda-pessoal composta por belas mulheres armadas. Lembrem que a pouco tempo atrás a Russia estava a inutilizar suas reservas de elementos nucleares super-enriquecidos. Quem garante que não venderam alguns lotes pelo o mercado negro?..

  2. StadeuR says:

    Com relação à importância dos problemas divida-os da seguinte forma :
    Muito importa.
    Pouco importa ou
    Nada importa.
    Não precisamos do petróleo deles, eles precisam de nossos alimentos ou vai ficar tudo caro de novo após a poeira acentar e vem fome e vem mais encrenca.
    Só um governo inexperiente e/ou idiota não dará importância ao Brasil ou Brics.
    Pára meu, você não é tão gostosa assim.

  3. Jonnas says:

    http://www.youtube.com/watch?v=pWJiCsvhWpI&feature=related

    Belo discurso de Kadafi! Quem discordar é porque estás a ver o rótulo cegamente. Do que os fatos, a história, e a atitude dos elementos inseridos. Inclusive do qual o Brasil também será uma vítima.

  4. antonio says:

    Historicamente a estratégia da diplomacia brasileira sempre cometeu os piores erros, com uma total falta de visão e uma imbecilidade de deixar atônito o mundo. Desde a era Getulio Vargas quando a diplomacia e governo brasileiros eram pro-alemanha nazista, até os dias de hoje. Com o governo petista e LULA apoiando as ditaduras que cometem crimes contra os direitos humanos, sempre tomando posições anti-democraticas com seu apoio a governos
    ditatoriais onde suas populações são oprimidas e massacradas . Esse apoio a ditaduras, poderá siguinificar que no futuro o PT pretenda dar um golpe de estado no Brasil. Qurendo no futuro, com sua atual diplomacia, obter apoio e reconhecimento das mesmas ditaduras com as quais simpatiza e defende os interesses no cenario mundial ?
    Acreditar que o apoio pro Kadafi de nossa diplomacia fanfarrona não irá afetar as relações comerciais e empresas brasileiras na Libia !. É o mesmo que acreditar em Coelinho da Páscoa e Papai Noel. Bem como não poderia deixar de ser historicamente com nossa acefala diplomacia, sempre estaremos do lado errado, do lado perdedor, da anti-democracia.
    O Partido do PT ( partido dos trabalhadores) quer ser o Khmer Vermelho do Brasil e o LULA sonha em ser o Fidel Castro do Brasil (Ditador/Presidente vitalicio) . Nada é tão ruim que não possa piorar…

  5. Rafael-JF says:

    Rebeldes nem sabem oque acontece fora da Líbia,
    .
    As marionetes que vão assumir o poder, que podem ferra com tudo a mando dos Americanos e Franceses…
    Ai que mora o perigo,
    Vão fazer uma reuniãozinha para enganar “nos os bobos”,,,,
    Mas nos esconde que toda a Síria já foi bem dividida, meio a meio para cada um deles…

  6. Gustavo G says:

    Meus amigos, tenho medo de que naquela cidade vizinha de tripoli, onde é o verdadeiro reduto da tripo do Gadaffi, tenha alguns misseis apontados para tripoli que hoje está repleta de rebeldes, recebendo ataques pontuais das forças de gaddafi. Será que ele nao ta so deixando o resto da cambada chega a tripoli pra ajuda na revolução pra lança uma chuva de misseis em tripoli, que até la ja tera todo o comando rebelde la acampado.
    A russia possuia contratos bilionarios com a libia para a compra de armamento russo. Eles ja deveriam possuir uma grande quantidade de misseis, parece que não foram muitos lançados até agora…

  7. Eduardo Carvalho says:

    O que não dá pra aguentar mesmo é a turma dos lambe saco das grandes potências vomitando asneiras nos blogs…Eita coisinha irritante.
    O Brasil fez muitíssimo bem em não participar desse ataque ao governo Líbio, em busca de fundos soberanos e melhores condições de exploração das riquezas desse país, independentemente de Kadafi, ou de quem quer que seja.
    Censurou a repressão violenta que houve, mas deixou claro que não se trata de impor governantes títeres a nenhum país.
    No mais, quase nenhuma diferença faz o que o novo governo (que espero que não se torne numa RAU…) pense ou faça com relação ao Brasil, pois a verdade é que mais eles precisam de nós que nós deles, uma situação bem diferente de uma França sem fontes de energia, numa Europa cambaleante economicamente. E também bem diferente de uma Itália a beira da crise, sem falar na Inglaterra praticamente estagnada…
    Nossa diplomacia sempre foi muito eficiente e pragmática. Espero que continue assim.

  8. César Pereira says:

    O Itamaraty acerta novamente ao não se aliar ao CNA,a guerra ainda não acabou,e como bem disse o ministro Patriota, a resolução da ONU era pra proteger a população,não para apoiar os rebeldes!
    Nos últimos acontecimentos mundiais o Itamaraty só tem acertado,vide o caso do Irã em que os mal intencionados sabotaram o sucesso do BRASIL e Turquia,mas infelizmente vejo que a SÍNDROME DE REGINA DUARTE ainda atinge muitos brasileiros falam fino com os poderosos e rugem contra toda atitude tomada pelo BRASIL!
    ”QUEM APOSTAR CONTRA O BRASIL VAI PERDER !”

  9. 1maluquinho says:

    Especulações e um flozôzinhu que gosta de aparecer com vozinha de boiola desmunhecando rsrs

  10. fiorano says:

    O Brasil errou e errou feio mais uma vez.
    Kadafi é um ditador sanguinário e qualquer um que ouse contrariar seus interesses pode pagar com a própria vida.
    Em um regime cruel como este, como o povo pode exigir seus direitos com um fuzil AK-47 apontado pra sua cabeça sem também partir para o combate?
    Repudiar o kadafi e apoiar o povo que grita por melhores condições de vida é o minimo que o Brasil que quer ser reconhecido mundialmente deve fazer.
    E para os anti-americanos de plantão, não se trata do Brasil apoiar a esse ou aquele, trata-se de condenar todos esses governos corruptos e assassinos e assumir as consequências e ônus como qualquer potencia faz. Não dá pra fazer omelete sem antes quebrar a casca do ovo.

  11. Jonnas says:

    fiorano. Viajou na maionese. O Brasil tem que aprender sobre direitos humanos com a líbia. Ja expuseram em um dos posts. Que o idh da líbia é muito mais alto que o do brasil. Não acredite nos bixo-papões que criam, pois um dia nós é que seremos tachados de povo que segrega índio, apoia criminalidade na tríplice fronteira.. Existem erros, problemas sociais no mundo. Mas não é com base de $$ para armas de lado a lado b, que vai resolver, pelo contrário.. a quem tais guerras está beneficiando? A população está por ultimo! Entre as preferências da fila.

  12. Blue Eyes, Na Resistência says:

    Eu ia postar, mas o antonio e o fiorano advinharam meus pensamentos… Jonnas, me perdoe, mas desta vez me parece que quem viajou na maionese foi tu… em politica externa não se titubeia… espero não sofrermos consequencias da mazela que está o Itamaraty em questões de posicionamento perante a comunidade internacional… Barão do Rio Branco deve estar de cabelos em pé, apesar de ter sido careca… saudações…

  13. Paulo Rick says:

    Os BRIC`S apoiaram a intervenção na Libia quando se abstiveram, que na prática é um apoio velado a OTAN, porém a abstenção tem um caráter de ressalva. Que acabou não se observada pela OTAN, ao invés de apenas proteger os civis, a OTAN participou e ajudou um dos lados, vamos ver o que vai dar isso tudo. E aos ingênuos que acreditam que os revoltosos são mais democrático que Kadafi, dois dos principais dirigentes rebeldes pertenciam ao governo até o início do ano. O Brasil está correto de se precaver, de nada adianta tirar o coisa ruim e entrar o medonho no lugar dele.

  14. Tiago Santos says:

    A Líbia já era… virou território de multinacionais
    muitas empresas vão lucrar coma reconstrução da líbia…
    adivinhem quais? Ira. termina logo a bomba uashhusauhsa

  15. .
    .
    E da Arabia Saudita ninguém lembra de falar em direitos humanos… ou que se erra em se posicionar a favor…
    .
    E na Europa todos eram alinhados com o Kadhafi até o inicio dessas revoltas ai, dos anos 90 até hoje, mais de 20 anos a Europa se alinhou à Kadhafi… errou feio também a Europa, ou somente o Brasil erra em seguir os Ocidentais em tudo, como fez o Brasil agradando a Europa com a diplomacia tranquila para com o Kadhafi??
    .
    Pessoal ano que vem tem eleição, ai soltem a verborragia como quiserem, por enquanto vamos analisar melhor a nossa diplomacia de forma real e não partidária!
    .
    Valeu!!

  16. Ronin says:

    Só rindo mesmo desse “Blue Eyes, Na Resistência” e seus seguidores de pensamento entreguista, bajuladores dos Piratas BILDERBERG.

  17. Dandolo says:

    O PT e PMDB tem que perder a mania de apoiar ditadores. Se eu fosse a Dilma, faria uma grande limpa em seus ministérios. Quem apoiar ditadores,rua.

  18. HMS TIRELESS says:

    A questão líbia mostrou a incapacidade dos BRICs em agir como um bloco coeso tão ao sonhos dos esquerdistas assim como sua incapacidade diplomática de influir de forma decisiva. Quando irromperam os protestos e a posterior repressão do regime de Kadafi, e a partir do momento em que ficou clara a disposição da OTAN em ir à guerra, deveriam esses países ter negociado uma saída pacífica de Kadafi e a realização de eleições sob a supervisão da ONU. Mas aí começam os problemas. China negociando saída democrática para alguma coisa? impossível né? A Russia sempre foi muito próxima de Kadafi, era carta fora do baralho. A Índia talvez não se importasse. Sobrava o Brasil. Mas oito anos de política externa “ativa e altiva”, marcados pelo antiamericanismo como um fim em si mesmo, conduziram a política externa brasileira para negociações cujo único propósito era permitir que que déspotas e regime execráveis ganhassem tempo para atingir seus objetivos tal como restou evidente na farsa nuclear de Teerã.Especificamente no caso líbio, indubitavelmente a diplomacia da dupla Lula-Megalonanico se empenharia em um acordo que permitisse a Kadafi permanecer no poder e massacrar os opositores à vontade. Assim, os BRICs se abstiveram, esperançosos de que a OTAN fracassasse na Líbia e os gordos contratos de petróleo literalmente caíssem no seu colo conforme Kadafi havia prometido. Mas os BRICs subestimaram a determinação da OTAN e pagaram caro por isso. Foram convidados a participar de uma reunião para discutir o futuro da Líbia mas certamente serão relegados à um canto da sala, de onde observarão a partilha do butim. As petrolíferas francesas, britânicas, italianas e Catarianas abiscoitarão gordos contratos. Empresas norteamericanas faturarão alto na reconstrução da infraestrutura líbia. Na hora de reequipar a força aérea líbia indubitavelmente o Rafale será o favorito, e não duvidaria que o Typhoon também faturasse. A base aérea de Mitiga talvez volte a se chamar Wheelus AFB. Dois ex-impérios coloniais decrépitos ganharam um novo destaque. E ao Brics, cabe a irrelevância a qual eles mesmos se condenaram.

  19. HMS TIRELESS says:

    PATRIOTA MUDA O TOM
    .
    Líbia: Em reunião com latino-americanos, Patriota muda o tom
    .
    Durante reunião de chanceleres da Unasul (União das Nações Sul-Americanas) e do Focalal (Foro de Cooperação América Latina-Ásia do Leste), realizadas em Buenos Aires, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, mudou o tom que vinha utilizando em relação aos acontecimentos na Líbia.
    .
    A reunião, convocada para tratar das medidas a serem tomadas pelos participantes dos dois foros diante da crise financeira internacional, também discutiu o desenrolar da agressão imperialista contra a Líbia.
    .
    Apesar de reiterar que o governo aguarda ainda um posicionamento da ONU sobre a Líbia, Patriota revelou que é “solidário” às aspirações do “povo” líbio por “progressos institucionais, econômicos e sociais, por buscar formas mais modernas de governança”, tendo dito inclusive que a Líbia havia sido submetida nas últimas décadas a “um governo autocrático”.
    .
    Segundo afirmou o chanceler, “como região democrática, estamos ao lado das aspirações por liberdade e democracia”, afirmando em seguida que haveria convergência entre os países da América do Sul em relação a alguns pontos, como o papel da ONU (Organização das Nações Unidas), sobretudo do Conselho de Segurança, na “promoção da paz” e da “segurança” na Líbia em um eventual governo sem Muamar Kadafi.
    .
    As declarações do ministro foram contrastadas com a condenação da Otan pela Venezuela, que por meio de seu presidente Hugo Chávez denunciou o papel do imperialismo na intervenção contra o país do norte da África. Chávez condenou mais uma vez o ataque das forças leais à Otan contra Trípoli,

    Ao mesmo tempo, o chanceler Patriota admitia que o Conselho Nacional de Transição (CNT) é um “interlocutor válido no atual momento”.
    .
    “Qualquer que seja o [futuro] governo, ele deverá ser de transição, para organizar eleições e proporcionar à população condições de maior participação nos destinos do país”, acredita.
    .
    Ao encerrar a conversa com jornalistas brasileiros, o chanceler afirmou que o Brasil se considera “mais amigo da Líbia que outros países. “Nunca utilizamos armas contra o povo líbio. E o país se distinguiu por se posicionar sempre ao lado da população”.
    .
    http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=162444&id_secao=9
    .
    Como se vê a Presidente Dilma e o ministro Patriota empenham-se em corrigir os desvios ideológicos que marcaram os anos de diplomacia “ativa e altiva” do triunvirato Lula-Top Top-Megalonanico, onde o Brasil aliou-se ao piores regimes do mundo, aqueles que mais desrespeitam os direitos, apenas com o propósito de fazer oposição à alguns países ocidentais tidos como hegemônicos.

  20. HMS TIRELESS says:

    “E da Arabia Saudita ninguém lembra de falar em direitos humanos… ou que se erra em se posicionar a favor…”
    .
    Como diria Ronald Reagan: Lá vem você de novo….

  21. .
    .
    BRICS condenados à irrelevância… hahahah!! So rindo mesmo!
    .

  22. HMS TIRELESS says:

    UM DOS BRICS(RÚSSIA) JÁ JOGANDO A TOALHA:
    .
    Segundo matéria do jornal ‘The Moscow Times’, não deverá haver negócios da Rússia com a Líbia pós Gaddafi.
    .
    Na quarta-feira, 24 de agosto, o jornal “The Moscow Times” publicou matéria trazendo informes de várias agências internacionais sobre a situação na Líbia, com o controle do país caindo nas mãos dos rebeldes. Na opinião de analistas e observadores russos, levando em conta aspectos militares e comerciais da situação, a posição de Moscou na Líbia ficará enfraquecida quando os rebeldes finalmente tomarem conta do país.
    .
    O coronel Viktor Murakhovsky disse que a praticamente certa vitória dos rebeldes foi possível graças aos esforços coordenados dos ocidentais. Segundo o coronel, um papel fundamental foi realizado por serviços de inteligência, comprando ou influenciando as deserções de oficiais e soldados antes leais a Kadafi. O treinamento de rebeldes por conselheiros ocidentais e o isolamento do regime, feito de forma metódica, também foram fatores de importância.
    .
    Ainda segundo o coronel Murakhovsky, a operação na Líbia também mostrou as fraquezas dos aviões de combate europeus, que não poderia agir de maneira independentre em relação aos Estados Unidos.
    .
    Mikhail Margelov, representante especial do presidente Dmitry Medvedev na África, disse que os rebeldes prometeram manter e reconfirmar todos os contratos existentes com a Rússia. Mas, na opinião de Vladimir Isayev. analista do Instituto de Estudos Orientais da Academia Russa de Ciências, os novos governantes líbios não deverão esquecer o fato de que a Rússia se absteve de votar a Resolução 1973 da ONU (Organização das Nações Unidas). Segundo Isayev, França e Grã-Bretanha deverão ficar com as vantagens econômicas.
    .
    Os rebeldes também indicaram que deverão rever contratos. “Temos algumas questões políticas com a Rússia, a China e o Brasil”, disse Abdeldzhalil Mayuf, porta-voz da Arabian Gulf Oil Company (AGOCO), a empresa estatal de petróleo da Líbia, que agora está sob controle dos rebeldes.
    .
    No recente evento aeroespacial MAKS, o diretor geral da agência russa de exportação de material de defesa (Rosoboronexport), Anatoly Isaikin, disse que as sanções da ONU custaram 4 bilhões de dólares para a agência. Na semana passada. A “Tactical Missiles Corporation”, sediada em Korolyov (próximo a Moscou) sofreu prejuízos de 600 milhões de euros em contratos bloqueados com a Líbia, segundo seu diretor geral, Boris Obnosov. E um contrato para a venda de seis aviões de treinamento Yak-130 foi congelado, conforme declaração do presidente da “Irkut Corporation”, Alexei Fyodorov.
    .
    O maior vencedor será a França, que agora pode exportar seu caça Rafale para a Líbia, disse Konstantin Makiyenko, analista do Centro de Anãlises de Estratégias e Tecnologias.
    .
    Por fim, o analista político Boris Makarenko disse que o presidente Dmitry Medvedev não conseguirá nenhum benefício de seu apoio aos aliados ocidentais no conflito da Líbia. Apesar de ter reforçado sua posição internacional ao apoiar as sanções contra a Líbia, a maioria dos russos apoia Gaddafi.
    .

  23. Jonnas says:

    Blue Eyes, Na Resistência, concordo em parte.. cara. Realmente uma coisa é ser neutro outra coisa é ficar encima do muro. A diplomacia precisa aparecer! Não como Lula fazia falando um monte de besteirada por aí. Mas com embasamentos! Nossa diplomacia precisa crescer! Aliás o Brasil precisa parar de ladainha e aparecer! Como um todo. Vejam se Russia, China, India ficam só nos verbetes? O Brasil está desperdiçando uma chance de ouro de ser o protagonista! Eu quis dizer viajar na maionese, quanto a este esteriótipo que botam naqueles que pretendem derrubar! Por que Bush ou Obama não seriam sanguinarios? São mais frios que qualquer serial killer! Pois Usam ucav’s armados que imitam o “machado de deus”. A pessoa morre achando que foi o senhor da morte que a executou. E também, falam muita mentira sobre estes países fora do eixo ocidental. Uma cultura diferente não quer dizer que está errado! A “bendita” OTAN tem como lema: Espelhar pelo o mundo a cultura americana “de paz”, “liberdade”.. entende? Eu acho isto errado. Acho que criam! problemas e conflitos como justificativa. No fundo todos sabemos! É petróleo, é construtora. Os caras conseguem fazer mísseis de milhões de dólares cada. Lançar dezenas deles! Mas uma máquina de fazer água ( http://www.aguapurah2o.com.br/ ), como um brasileiro recentemente fez de uma pequena! empresa, para por na áfrica por exemplo! Isto não fazem. Para depois chegarem e falarem de direitos humanos! Hipocrisia do caramba!

  24. Gustavo G says:

    Tem pessoas que veem esses episodios em tripoli de maneira tão sordida quanto um nazista, ou quanto um açougueiro vendo um rebanho de bois se matando e ficando contente de nao ter que ter mais o trabalho de mata-los para carnea-los, porque eles estão fazendo isso por si só.
    Milhares de pessoas morrendo, e desde o inicio dos confrontos todos estavam sabendo que ali se daria inicio um massacre generalizado, e as forças da OTAN enchendo os rebeldes de armas, querendo ver o circo pegar fogo mesmo.
    Isso que você disse enchendo a boca, sem a menor vergonha ou hesitação, ja diz tudo a respeito do seu conceito de ETICA:
    .
    HMS TIRELESS disse: “Petrolíferas francesas, britânicas, italianas e Catarianas abiscoitarão gordos contratos. Empresas norteamericanas faturarão alto na reconstrução da infraestrutura líbia. Na hora de reequipar a força aérea líbia indubitavelmente o Rafale será o favorito, e não duvidaria que o Typhoon também faturasse“
    .
    Bela justificativa para uma ação como essa colega, afinal, um arabe a menos, um a mais ne? qual a diferença? O que importa é eu garantir o meu né?!
    .
    O brasil não entrou de cara nesse conflito, porque ele não via aqueles libios como meros peões que poderiam ser sacrificados em nome de interesses das nossas petroliferas e construtoras.
    E o fato de não apoiar a resolução da onu, não significa que demos as mãos ao gaddafi e viramos melhores amiguinhos. O Brasil e outros paises que se abstiveram, tinham a intenção de se costurar um acordo sim, evitando milhares de mortes. Mas os paises da OTAN se precipitaram sim. E utilizaram a midia pra legitimar essa invasão.

  25. 1maluquinho says:

    TIRELESS quer dizer que os Russos não fazerem negocios no momento com Libios significa que eles estão jogando a toalha né Cara qualquer coisinha voce logo corre pra querer dizer isso ou aquilo ou da Russia ou da China e sempre endeuzando os santinhos Anglo-Saxonicos e seus bastardos Israelenses rsrs rsrs Os Russos e não so eles nenhuma potencia hoje em dia faz negocios com paises ou governantes instaveis.A Russia fez contrato de armamentos com Kadafi e quando tava na portinha tirou fora rsrs A China fez o mesmo com a Coreia do Norte e a Russia fara o mesmo com Chavez.Ninguem quer ver sua tecnologia nas mãos de loucos e assim ser acusada pela comunidade mundial como inconsequente comerciante de CAGADAS.A Russia fez o mesmo com o Irã tambem.TIRELESS o mundo ocidental tem muito o que aprender em estrategia com o melhor jogador de xadrez os Russos ao invez de usarem da velha e previsivel estrategia da mentira para embassar genocidios usada pelos EUA,Europa Ocidental e Israel.Cara sai do mundo de Alice ja te falei que Peter Pan cresceu mandou o pinto na Fada Sininho e o espinafre do Popeye não faz mais efeito e o Brutus ta mandando o ferro na Olivia Palito rsrs Tadinha né rsrs

  26. João Lucas V. says:

    Bom dia caros amigos do PB!
    Bom, acho que estamos esquecendo um pequeno detalhe muito importante nesta história toda: Os rebeldes estão organizados? Há um centro de poder e tomada de decisões? Não.
    Os rebeldes são compostos por diferentes grupos e ideologias,juntos por um objetivo em comum, mas agora que este objetivo foi cumprido, há chances de se começar uma nova guerra pelo controle do país. Sabe,se olharmos na história, o conflito líbio não é igual a nenhum outro tipo de levante armado, onde se tinha um comando bem definido do pós-revolução. Aliás, há sim semelhanças entre este conflito em questão e um outro ocorrido no continente africano e que tem consequências até hoje, se não me engano, a revolução ocorrida na Angola teve estas características e os resultados todos já conhecem. Guerra civil pós guerra contra a ditadura.
    Enfim, é bem possível que a líbia continue em guerra por mais alguns anos.
    A! mais uma coisa, pensem bem:
    Você prefere ter comida sem liberdade ou liberdade sem comida?
    É isso que ocorrerá na Líbia. ( Não estou defendendo o regime ditatorial , apenas condenando a ação da OTAN.)
    Um grande abraço!

  27. helder says:

    O Governo do Brasil (PT apoia ditadores e tudo o que é de errado a começar pela presidente que foi uma terrorista anistiada, como muitos que recebem autos salarios por ter matado o povo brasileiro.) Eles buscam os interesses propios e não o povo, querem dominar o Brasil como o ditador Kadaf e Hugo Chaves, pois Lula não saiu ainda manda e desmanda!!!!!

  28. Francisco says:

    Não se esqueçam da revolução islâmica do Irã… A esquerda daquele país empolgada… toda a opinião mundial achando que viria uma democracia plena… os receios dos diplomtadas em apoiar os rebeldes, desse vez, foi justificado

  29. KHANN says:

    Coitado do povo líbio….sai da mão de um ditador doido e cai na mão dos sangue-sugas…..

  30. Blue Eyes, Na Resistência says:

    Helder, vc foi ao ponto, na meninas dos olhos… rsrsrsr… é isso ai… francisco, é verdade, mas não justifica a politica frivola do Patriota e cia… saudações…

  31. PauloRick says:

    Os entreguistas e quinta colunas são sempre os mesmos, usam essas matérias vendidas da mídia PIG para repetirem mentiras e análises completamente fora da realidade para justificar seu rabo preso e a falta de nacionalidade. São estrangeiros nascidos no Brasil. Não existiu nenhum mudança de tom, a política externa brasileira continua se preocupando mais com o povos e os civis, fora a parte teatral e os interesses econômicos e geopolíticos da OTAN. Gaddafi era uma coisa, como Saddan, agora pergunta-se, o Iraque e o povo iraquiano está melhor que antes de Saddan? O mesmo vale para a Líbia. Democracia de fachada, sobre um monte de miseráveis e uma nação destruída foi o resultado final no Iraque, e a Líbia parece ir para o mesmo caminho, repito, são todos bandidos, não tem mocinho nesse filme.

  32. Nick says:

    As vencedores, tudo.

    França, Inglaterra, EUA e demais países que apoiaram os rebeldes com certeza serão reconhecidos como parceiros do novo governo. O Brasil “em cima do muro” deverá ter seus contratos honrados, mas sem grande entusiasmo. Talvez alguns até cancelados em prol de algum de um país que tenha participado nessa campanha.

    []’s

  33. HMS TIRELESS says:

    É impressionante como os esquerdopatas de plantão, que não apreciam nem um pouco o debate e a troca de idéias, utilizam-se dos mesmos adjetivos ofensivos na tentativa desesperada de desqualificar aqueles que divergem de suas linhas doutrinárias.Adjetivos como “vira-latas”, “entreguistas”, “vendidos”, “traidores”,etc, de tanto que foram repetidos já fazem parte do folclore. Mas chama a atenção quando estes furiosos militantes autoproclamam-se brasileiros e patriotas melhores do que os outros. Tenho curiosidade em saber que critérios são utilizados por estas pessoas para declarar-se como brasileiros melhores que os outros. Desculpem-me meus caros mas não vejo como advogar que a diplomacia brasileira se paute por caprichos ideológicos obsoletos os torna melhores do que os outros!

  34. PauloRick says:

    Por enquanto não existe um governo na Libia, vamos ver o que vai dar antes de alguém disser que vai ganhar dinheiro, o Iraque e o Afeganistão foram dois grandes poços sem fundos de recursos. Não existiu lucro ali para os envolvidos.

  35. Beto says:

    Da onde apareceu tanto bronco aqui para discutir geopolitica? Dá para ver claramente o antipetismo nos comentários e percebe-se também um côro osquestrado de trolls a vomitar mantras que todos sabem são as propostas derrotadas nas urnas pelo povo brasileiro. Oh dó!

  36. fiorano says:

    Prezado Beto
    Na realidade o que irrita são os esquerdistas “BRONCOS” que por causa de sua idolotria a bandeira vermelha ficam “vomitando” os mesmos pensamentos incoerentes de sempre.
    Rejeitam as politicas dos paises desenvolvidos (em alguns casos até que concordo) em nome de um falso apego a “democracia e justica” e apoiam tudo quanto é governo autoritário, corrupto e sanguinário. Se povo da libia fosse tão feliz assim como postaram aqui alguns pseudo esquerdistas nunca que pediriam o afastamento do Kadafi, e assim é na siria, Egito e tantos outros países.
    Não importa se Brasil, EUA e união européia se relacionavam comercialmente com a libia ou Arabia saudita (como ja mencionaram), porque agora o que importa é que o povo Libio se cansou de tantas coisas erradas e se revoltou contra isso, assim sendo a comunidade internacional tem mesmo é que apoiar o povão se libertar desse tirano e que com toda certeza se não fosse o apoio da OTAN teria havido um massacre contra o povo, assim como ocorre na Siria cujo governante o Brasil tanto apoia.

  37. PauloRick says:

    Os rebeldes já estão dando com a lígua nos dentes, além do já covarde bombardeio aéreo, que hoje só mata pessoas não salva ninguém, parece que tropas especiais francesas e inglesas tomaram parte ativa na vitório dos oposicionistas, que agora já estão parecendo títeres do neocolonialismo, a União Africana resolveu diante dos fatos, não reconhecer nenhum governo na Líbia enquanto essa guerra não acabar, agora, a obra da OTAN está matando e desterrando a população de Tripoli. Estão conseguindo fazer um grande desastre humanitário. Vergonhoso o que a OTAN faz no momento na Líbia!

  38. PauloRick says:

    Pois é, quando não estão indo para a Flórida costumam rezar em direção a Las Vegas! Se identifica as pessoas pelo que elas leêm, quem lê a PIG fica igual a ela! KKKKKK

  39. pe de cao says:

    tem gente que nao entende que mesmo sendo um puxa saco como a direita brasileira foi vai come so migalha das maos dos gringos para sobrar um pedaço maior do pao nos temos que fazer o que o itamaraty esta fazendo pois quando que um lider françes iria chamar o brasil para conversar sobre a libia se fosse nos tempos da direita brasileira eles nem lembravam do brasil pois os governantes daquela epoca pareciam pombos pois eram acostumados a comer migalhas e soltar fezes para o povo brasileiro ainda bem que esses direitistas ja passaram a muito das casa dos 50 anos e a nova geraçao brasileira que nao paga de comedia para gringo ja ta ai .Quanto mais kadafi aquentar melhor para nos nos equiparmos e etc e tal ate chegarem em nós estaremos armados e atentos

  40. pe de cao says:

    enquanto o brasil brinca de esquerda e direita os ovinhos das serpentes vao dominando as midias exemplo o cr das armas e o porte fizeram campanha em sao paulo usando sofrimento das maes do jardim angela quem aquela empresa de maior audiencia com aquela ong junto eles tiraram o direito do povo de comprar portar uma tecnologia que é uma arma pois burocratizaram tanto a obtençao do bem que fica muito caro possuir elitizaram as armas mesmo o povo votando nao ao desarmamento e quem permitiu isso a nossa midia o maior judas que nos temos no brasil nosso problema nao e esquerda nem direita sao os filhos da serpente eles iram jogar nos contra nos mesmos pois so assim eles nos vencem

  41. Qdo emergir um vencedor da luta interna na Líbia , saberemos , qdo eles revidar ao BRASIL, ou ñ.Quem Viver verá.

  42. Cal says:

    Acho melhor o governo brasileiro esperar um pouco mais, porque, parece que os rebeldes não decidiram quem vai governar o pais ainda. Os rebeldes vão começar a se matarem logo, logo.

  43. Blue Eyes, Na Resistência says:

    Fiorano, seus 2 primeiros paragrafos estão perfeitos… diretos ao ponto… emblematicos…

  44. 1maluquinho says:

    Olha que combinaçãozinha DU KCT Dilma+Ideli+Gleici+Martha Suplicy+Patriota=KIT GAY NA VEIA ATE O TALO rsrs rsrs e o que temos?Afinação com os Lobos Anglo-Saxonicos achando que se blindam com eles,favorecimentos e posicionamentos complacentes com as RATAZANAS LATINAS.E como resultado dessa equação Lilazinha de miolo rosinha pacto de comuns interesses com a ELITE CHINCHEIRA.E qual é a consequencia?Roubalheira,roubalheira e roubalheira………Quanto ao posicionamento neutro de nossa diplomacia TOLINHOS isso é FILOSOFIA NACIONAL ja desde a segunda metade de nossa ditadura militar pra ca de não alinhamento com posicionamentos intervencionistas e sim disposição ao DIALOGO.Então bobinhos usarem especularem que o Brasil com esse ou aquele governo se mostra titubeante é pura falta de conhecimento estrategico geopolitico.Aquele que acha que nós o Brasil deveriamos formarmos junto as decisões do CLUBE DOS CAFAGESTES voces todos apenas assumem para si mesmos o VIRALATISMO e a SUBJUGAÇÃO VOLUNTARIA.Hoje o Brasil se afina em decisões politicas e diplomaticas em carater externo em todas as facetas internacionais com interesses BRICS aos quais realmente formamos e se pensam que sincronia BRICS é restrita a interesses comerciais e economicos somente assustem-se pois ainda não oficial ja se faz PACTO ESTRATEGICO MILITAR E DIPLOMATICO.É o contraponto não somente referente a interesses comuns mas acima de tudo a voz dos excluidos onde todos juntos tornam EUA e OTAN a minoria que decadente ou cedera ou sera engolida.

  45. Nilo says:

    Meu Caro ministro o VENENO é dado em pequena porções (porções homeopaticas), diluido em mel.
    Eles fazem isso a seculos.
    É ai ( como dizia minha avó ) que a porca torce o rabo.
    Ou que sua vã filosofia, ou idelologia ou talvez diplomacia da com os burros n’água.
    Um pais armado com material de 60/50 anos que não investe em tecnologia e educação o discurso fica no [ ].
    SDS a todos

  46. Felipe says:

    O que me preocupa é que na maioria das postagens termina-se brigando por causa do EUA, ou da URSS, ou pró ou contra o Imperialismo. Se nós estamos no “topo” da intelectualidade dos cidadãos comuns desse país e agimos dessa forma, me preocupa ainda mais as reações de quem está teoricamente “abaixo” de nós pois além de tudo essas pessoas são a maioria da população.
    A favor ou não de qualquer coisa estamos esquecendo que somos todos brasileiros, e que esse site é um lugar onde podemos “costurar” situações e soluções, mas, ao invés disso, acabamos sempre nos acusando de termos meios diferentes para atingir um mesmo objetivo, sem aprendermos uns com os outros. Desperdiçando uma imensa chance de crescer individualmente e como cidadãos.
    Sabe aquela história de dividir para conquistar? pois é! se fossemos um país, que tipo de país seríamos?

shared on wplocker.com