Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Brasil Defesa

Plano Brasil/MD/FAB/EMBRAER/Análise: “Força Aérea Brasileira (FAB) incorpora a sua primeira aeronave de transporte multimissão KC 390”

NOTA DO PLANO BRASIL, por Gérsio Mutti: Plano Brasil/MD/FAB/EMBRAER/Análise: Força Aérea Brasileira (FAB) incorpora a sua primeira aeronave de transporte multimissão KC 390.

 

“A incorporação do KC-390 na Força Aérea Brasileira é um marco na aviação militar. Sua modernidade trará uma implementação e aperfeiçoamento na doutrina de emprego desse vetor multimissão, contribuindo sobremaneira para o cumprimento da missão de controlar, defender e integrar os 22 milhões de quilômetros quadrados sob nossa responsabilidade”. Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

 

“A entrada em serviço do KC-390 na FAB representa um marco importante para o programa e certamente aumentará o crescente interesse internacional por essa aeronave, consolidando o caminho para novas vendas”. Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

 

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=DPJtgVemPnY[/embedyt]

 

FAB: KC-390 – O FUTURO É AGORA

 

 

FAB recebe novo avião militar KC-390

Aeronave é a maior fabricada no Hemisfério Sul

 

 

Publicado em 04/09/2019 – 13:15

 

Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil, Anápolis

 

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu hoje (4), oficialmente, sua mais nova aeronave militar, o KC-390, fabricado no país em parceria com a Empresa Brasileira de Aeronáutica SA (Embraer). A cerimônia de entrega do avião ocorreu na Ala 2 da Base Aérea de Anápolis, em Goiás, e contou com a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e de comandantes das Forças Armadas, além de diversas autoridades, incluindo o governador de Goiás, Ronaldo Caiado e parlamentares.

 

Ao discursar durante a cerimônia, Bolsonaro falou em soberania e voltou a criticar declarações de líderes estrangeiros sobre o hipotético estabelecimento de uma governança internacional sobre a Amazônia, como chegou a ser sugerido pelo presidente da França, Emannuel Macron. “O Brasil é um país pacífico, mas não pode continuar, nem continuará sendo passivo a esse tipo de agressão. A Amazônia brasileira é nossa”, disse.

 

Para o presidente, a repercussão internacional de notícias dos incêndios na Floresta Amazônica, que têm sido objeto de declarações de organismos internacionais e de presidentes de outros países, também serviu para unificar a população brasileira em torno do sentimento de patriotismo. “Isso que aconteceu nos últimos dias foi muito bom para despertar o patriotismo entre nós”, acrescentou.

 

O KC-390 é o maior avião militar desenvolvido e fabricado no Hemisfério Sul. Segundo a FAB, a aeronave tem condições de realizar todo tipo de operação de transporte como o de paraquedistas e tropas militares e de lançamento de cargas, além de missões de reabastecimento em voo, evacuação aeromédica, socorro humanitário, busca e resgate e combate a incêndios. A aeronave tem ainda capacidade de operar em pistas não pavimentadas ou danificadas e em praticamente qualquer parte do planeta, incluindo a Antártida e regiões de floresta, como a Amazônia.

 

As primeiras unidades da aeronave multimissão ficarão sediadas na Ala 2 da Base Aérea de Anápolis. Em 2014, o governo brasileiro adquiriu 28 aviões KC-390, que vão substituir, de forma paulatina, o cargueiro C-130 Hércules. A Embraer não informa o custo unitário da nova aeronave, porque o valor final varia conforme a customização exigida pelo clientes. O governo de Portugal também fechou contrato para a compra de 5 unidades do KC-390.

 

Em seu discurso, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse que a entrega da aeronave consolida uma posição importante do Brasil no mercado internacional de veículos militares.

 

“A entrega do avião, além de representar significativo incremento na capacidade operacional da Força Aérea, representa um potencial para a ampliação da participação brasileira no mercado internacional de defesa, possibilitando inegável contribuição para a economia do país. No mês passado, como já foi anunciado, Portugal formalizou a encomenda de seis aviões KC-390, abrindo as portas da Otan [Organização do Tratado do Atlântico Norte] para essas aeronaves. Além disso, a recente posição do Brasil, como aliado preferencial extra-Otan, amplia mais as possibilidades”, afirmou o ministro.

 

Tecnologia

 

De acordo com a FAB, o KC-390 é o único da sua categoria que conta com sistema de comando de voo por impulsos elétricos (fly-by-wire, em inglês), que controla eletronicamente o comportamento da aeronave durante o voo, garantindo mais precisão nas manobras e reduzindo a carga de trabalho da tripulação.

 

O novo modelo da FAB tem 35,2 metros de comprimento, 35,05 de envergadura e 11,84 de altura. Com capacidade de carga de até 26 toneladas, o avião pode transportar armamento pesado, como lança-foguetes, veículos blindados de combate e até helicópteros. O avião também tem autonomia para percorrer uma distância de 6 mil quilômetros sem reabastecer, podendo atingir velocidade máxima de 870 km/h e atingir até 11 mil metros de altura, graças à configuração com dois motores Turbofan Aero Engines V2500, de última geração.

 

Fonte: Agência Brasil (EBC) ( http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-09/fab-recebe-novo-aviao-militar-kc-390 )

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Rússia Traduções-Plano Brasil

Reabastecedor Il-78M-90A começara os testes de vôo em julho próximo

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A mais recente aeronave de reabastecimento aéreo, o  Ilyushin Il-78M-90A da Rússia deve começar a ser submetido aos testes de voo em julho, disse o vice-presidente da Ilyushin Aircraft Company, Pavel Cherenkov, nesta segunda-feira 28 de maio. Foi o que relatou a agência de noticias russa TASS.

“A aeronave Il-78M-90A construída na Aviastar-SP Aviation Enterprise, com sede em Ulyanovsk, está passando por uma fase de testes em solo que inclui, em particular, uma verificação do sistema de combustível. Quando terminarem, a aeronave de reabastecimento será entregue para um acabamento de pintura, após o qual será transferido presumivelmente para a Companhia Ilyushin em julho para testes de vôo de fábrica. Tudo está acontecendo de acordo com o procedimento padrão e não há atrasos no cronograma“, informou Pavel.

Atualmente, o estágio de testes no solo está em andamento. A verificação do sistema de abastecimento da aeronave e a estanqueidade ao ar de seus tanques de combustível foram concluídas.   Como disse o chefe da Estação de Testes de Vôo da Aviastar-SP, Yuri Kapsha, o sistema de abastecimento da aeronave é projetado para fornecer combustível para os motores básicos e para o motor auxiliar. Os testes deste sistema passaram com sucesso e não houve desvios dos parâmetros que foram definidos, acrescentou ele. 

“Além do sistema de combustível, os testes de solo também envolverão os motores, testes abrangentes de retração e extensão do trem de pouso e verificação de todos os sistemas da aeronave quanto à compatibilidade eletromagnética”, informou a assessoria de imprensa da divisão de aviação de transporte da United Aircraft Corporation.

 

Fonte-Rusaviation

Categories
Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Boeing junta-se ao grupo General Atomics MQ-25 Stingray

  

 

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A General Atomics Aeronautical Systems, Inc. (GA-ASI) formou uma equipe industrial com vistas ao programa da Marinha dos Estados Unidos MQ-25 Stingray. O MQ-25 prevê uma aeronave não tripulada e reabastecimento aéreo baseado em Porta Aviões.

Além da General Atomics atuando como líder da equipe,  integrador de sistemas e fabricante de plataformas, duas outras empresas irmãs no grupo formam o “time dos sonhos”, o qual inclui a Boeing, Pratt & Whitney, UTC, BAE Systems, L3, Rockwell Collins e GKN.

“O GA-ASI projetou o Stingray MQ-25A proposto, otimizado para a missão com uma oferta excepcional de combustível que pode exceder mais do que o dobro do alcance da ala aérea embarcada. A nossa oferta excede todos os requisitos da Marinha, incluindo a adequação ao Navio… Esta colaboração dos melhores da indústria aeroespacial proporcionará à Marinha dos EUA um reabastecedor não tripulado com uma frota com excepcional crescimento, bem dentro do horizonte temporal desejado pela Marinha”. afirmou David R. Alexander, presidente da GA,

O membro mais surpreendente da equipe é a divisão de Sistemas Autônomos da Boeing Company. A Boeing também está buscando a oportunidade no MQ-25 com sua própria plataforma MQ-25, desenvolvida pelo seu centro de prototipagem rápida – a ‘Phantom Works’. O anúncio recente parece colocar a atividade dos Sistemas Autônomos da Boeing em concorrência com a empresa-mãe.

 “A Boeing Autonomous Systems tem o prazer de ter a oportunidade de colaborar com a General Atomics na sua proposta do MQ-25… Estamos ansiosos para apoiar a GA com nossa aviação e experiência autônoma.”, disse o vice-presidente e gerente geral Chris Raymond.

O fabricante do motor será a Pratt & Whitney, que fornecerá o principal sistema de propulsão para a aeronave, o qual se baseia no seu motor comercial turbofan PW815; A UTC Aerospace Systems, irá projetar o trem de pouso do drone, que também incluirá subsistemas da Fokker da GKN Aerospace, especificamente o gancho da cauda para o sistema de engrenagem de parada do MQ-25. A L3 Technologies também se juntou à equipe para fornecer sistemas de comunicação para o Stingray que juntamente com a Rockwell Collins, fornecerá uma nova geração do rádio aéreo de comunicações em rede TruNet ARC-210, tecnologias de navegação avançadas e uma estrutura de simulação abrangente para suportar o Cronograma geral de baixo risco da Atomics. A BAE Systems será responsável por vários softwares e capacidades de segurança cibernética.

Duas empresas do grupo General Atomics,a General Atomics Electromagnetic Systems  (GAES) e a General Atomic Systems Integration também se juntaram à equipe que oferece experiência de integração e redução de riscos, adicionando a experiência ao programa da Marinha dos EUA tal como, a experiência em integração do trem de pouso. O sistema de lançamento eletromagnético (EMALS) desenvolvido pela GAES começou a ser testado no USS Gerald  Ford no mar no ano passado…

 

Fonte: Defence Update