Defesa & Geopolítica

Ministro paquistanês diz que EUA são como “amigo que sempre trai”

Posted by

O ministro das Relações Exteriores paquistanês, Khawaja Asif, disse que os Estados Unidos estão se comportando em relação ao Paquistão como “um amigo que sempre trai”, depois que Washington suspendeu a ajuda e o presidente Donald Trump acusou Islamabad de mentiras e engano por muitos anos.

Ministro das Relações Exteriores do Paquistão Khawaja Asif, fala durante uma conferência de imprensa conjunta após o 1º Diálogo dos Ministros dos Negócios Estrangeiros entre China e Afeganistão-Paquistão em Pequim na China, em 26 de dezembro de 2017. REUTERS / Jason Lee

Por Drazen Jorgic e Mubasher Bukhari

O líder da oposição, Imran Khan, uma ex-estrela de críquete apontado como o próximo primeiro-ministro, disse que era hora de o Paquistão se desligar dos Estados Unidos e reduzir a presença diplomática e de inteligência norte-americana numa região estratégica sensível.

Washington acusa o Paquistão de jogar um “jogo duplo” ajudando militantes do Talibã afegão e da Haqqani a causarem caos no Afeganistão. Islamabad nega isso e acusa os Estados Unidos de desrespeitar seus vastos sacrifícios –as vítimas são apontadas como dezenas de milhares– na luta contra o terrorismo.

O sentimento antiamericano e os laços duros entre os EUA e o Paquistão estão longe de seu ponto mais baixo recente, em 2011, quando Osama bin Laden foi morto em um ataque secreto dos EUA no Paquistão, mas a dura retórica provavelmente tornará mais difícil fortalecer laços futuros.

“O comportamento dos EUA não é o de um aliado nem de um amigo”, disse Asif à uma TV local nesta quinta-feira. “É o de um amigo que sempre trai.”

Pequenos grupos de estudantes que gritavam “Morte à América” ​​e “Morte a Trump” queimaram bandeiras dos EUA e fotos de Trump após as preces de sexta-feira na capital Islamabad e na cidade de Lahore. Os protestos organizados terminaram rapidamente.

O agravamento dos laços pode empurrar o Paquistão ainda mais para os braços da China, aliada de longa data, que apoiou Islamabad após desdobramentos do tuíte de Trump. O apoio diplomático e financeiro de Pequim também fortaleceu a posição do Paquistão, dizem analistas.

Fonte: Reuters

 

4 Comments

  1. Profeta_Lunatico says:

    Qual a novidade? Alias os EUA é o tal “Amigo” da onça .. so te conhece quando precisa quando sabe que vai tirar vantagem

  2. Francisco says:

    Os USA não tem amigos, tem vassalos.

    • JOJO says:

      Correto Francisco, nenhum pais soberano baseia em sentimentos amizade ou inimizade para manter relacoes com outros paises. Os EUA segue Inglaterra nesse assunto. Quando jornalistas perguntaram a um dos irmaos Forster Dulles, o que era Secretario de Estado, se os EUA mantinha relacoes amistosas com um certo pais, com quem os EUA havia estado em guerra antes, ele respondeu, os EUA nao tem amizades nem inimizades permanentes com nenhum outro pais, tem interesses proprios que sao permanentes. Essa foi resposta dada por Lord Palmerston, Primeiro Britanico no Seculo XIX, quando alguem havia lhe feito a mesma pergunta. So pais dominados, vassalos, sao forcados dizer que os que lhes dominam sao seus amigos. Os antigos reis das cidades-estados do que hoje sao os paises do Oriente Medio, quando escreviam documentos, cartas para o os Faraos do Egito, o pais dominante na epoca, Seculos XV ao Seculo IX AC, assinavam esses documentos, cartas, dizendo,Fulano de Tal, vosso tapete, vossa escarradeira, vosso penico, para expressar quao baixo eram eles frente ao soberano egipicio. Mas obviamente para os suditos deles, eles diziam que o Faraos, o Egito, eram grandes amigos deles. Nao posso dizer se nossos lideres, quando se dirigem aos soberanos deles, o governo norte americanos. se expressam da mesma maneira, mas o sentimento e o mesmo, uma vez que o Brasil parece nao ter interesses proprios, baste-lhe que os EUA tem os seus. E como diziam dois grandes herois militares brasileiros do Seculo XX, Marechal Juarez Tavoras e o General Juracy Magalhaes, o que e bom para os EUA e bom para o Br4asil

  3. jose luiz esposito says:

    Para se Enfrentar e brigar com Malandros , deve-se aprender a dar Rasteiras , não como o Brasil faz , aceita as Rasteiras dos EUA calado !

shared on wplocker.com