Defesa & Geopolítica

Operações navais do Porta aviões Almirante Kuznetsov na Síria trouxeram importantes lições e incluíram novos programas de treinamento.

Posted by

E.M.Pinto

O comandante chefe da Marinha russa, Almirante Vladimir Korolyov, em entrevista ao jornal russo Krasnaya Zvezda avaliou os importantes ensinamentos adquiridos pela Marinha da Federação Russa após as operações da Força expedicionária capitaneada pelo Porta Aviões Almirante Kuznetsov em sua primeira operação de combate no largo do litoral Sírio, desenvolvido no começo deste ano.

Segundo ele, a experiência adquirida pela Marinha russa durante a expedição da frota no Mediterrâneo não somente agregou aprendizados valiosos, mas também, como destacou, provou em combate muitas capacidades adormecidas ou mesmo desenvolvidas pela Marinha nos recentes anos.

Korolyov enfatizou as operações coordenadas onde os novos mísseis de cruzeiro Kalibr foram utilizados em ataques sistemáticos às posições terroristas na Sírias e destacou que estas operações conjuntas, entre submarinos e navios de superfície foram analisadas ​​e se tornaram parte dos programas de treinamento para setores operativos da Marinha Russa.

A experiência segundo ele, provou a capacidade do grupo de ataque em operar conjuntamente com uma força mista de navios, praticamente de todas as tonelagens e perfis, coordenando ataques de armas de alta precisão a partir dos submarinos Project 636.3 e  fragatas do Project 1135.6 com o comando a milhares de quilometros de distância. Porém, a operação destas armas por “pequenos” navios lança mísseis destacados à milhares de quilômetros de no Cáspio e Negro, coroaram a  capacidade de inter operacionalidade das forças e da imposição de poder a longa distância.

Korolyov lembrou que os pilotos da frota do alocada no mar do Norte, levaram a cabo mais de 420 incursões aéreas sobre o território sírio das quais 117 foram realizadas à noite, numa operação inédita o Almirante Kuznetsov lançou ondas de ataque que destruíram 1.252 instalações terroristas.

A ala aéra multifuncional operada a partir do porta aviões incluiu caças Sukhoi Su-33, MiG-29K e helicópteros Kamov Ka-52, Ka-27PL, Ka-27PS e Ka-29. Todas estas aeronaves testadas pela primeira vez em situações reais de combate, demonstraram a sua efetividade em um cenário atual de guerra.

Segundo ele, os dois incidentes graves envolvendo uma aeronave MIG 29K e um Su-33, deveram-se a falhas  em manobra no convés e mecânicas, as quais trouxeram importantes aprendizados e readequações de doutrinas operacionais, porém, Korolyov enfatizou que os incidentes foram “mínimos” se consideradas a natureza das operações, condições operacionais e imediaticidade das missões, para ele, tais feitos constavam na expectativa de fadiga das tripulações e equipagens e que o evento, serviu para testar e comprovar pela primeira vez em condições reais a realização de toda a gama de tarefas no espaço aéreo, marítimo e terrestre da projeção de poder lançada a partir do Almirante Kuznetsov.

Os conteúdos dos artigos publicados nesta coluna são de total responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião do site.

shared on wplocker.com