Defesa & Geopolítica

Buk-M2E Venezuela prepara a defesa Anti Aérea

Posted by

BULK venzuela 0Informações: Rustam, Moscou- Rússia

Texto e adaptação: E.M.Pinto

Como parte de um acordo celebrado em setembro de 2009,a  Rosoboronexport atendeu ao pedido de fornecimento de três batalhões de sistemas de defesa aérea “Buk-M2E”. Os sistemas fabricados pela OJSC “Ulyanovsk Mecânica” devem ser entregues a Venezuela em um futuro próximo.A Venezuela torna-se assim o primeiro cliente extrangeiro dos sistemas.

 

BUK venezuela1

Militares venezuelanos estiveram na Rússia recebendo treinamento nos sistemas  autopropulsados ​​AAMS fogo instalação “Buk-M2E” montados sobres chassis com rodas MZKT-69221

Bulk Vnezuela

NA imagem superior, militares Venezuelanos posando para a foto defronte de um AAMS  “Buk-M2E” presumivelmente, Ulyanovsk.

Na foto abaixo, o certificado assinado pelo Director-Geral da OAO “Ulyanovsk Mecânica” VV Lapin, emitido para um dos militares da Venezuela, na ocasião da sua conclusão de formação bem sucedida, efetuada  no período de 13 agosto – 27 dezembro de 2012.

Bulk Venezuela3

Certificado original assinado pelo Director-Geral da OAO “Ulyanovsk Mecânica”

11 Comments

  1. Lucas Senna says:

    Em falar no assunto, o que houve com as negociações para a compra do Tor pelo Brasil? Primeiro agente as negociações eram sobre ele, mas vamos de Pantsir. Isso quer dizer que eles dezistiram do Tor e trocaram pelo Pantsir? Alias, qual as diferenças entre os dois sistemas?

    • Aguarde a LAAD Lucas, Pantsyr S2 e provavelmente um novo sistema desenvolvido em conjunto e baseado no Russo-Bielo Russo Vityaz…
      Sds
      E.M.Pinto

      • Lucas Senna says:

        Vocês vão fazer a cobertura da LAAD? Alguma chance de vermos novos infográficos sobre os sistemas Russos? 😀

  2. J.MessiaH says:

    A Venezuela não tá brincando mesmo hein…
    E o Plano Brasil tá caceteiro, apresentando até o documento do negócio!
    Nossa equipe tá de parabéns. Em breve estaremos com força total novamente!

  3. Rustam says:

    A Venezuela foi o primeiro cliente no FAIA Minsk M2E chassis MZTK!
    antes que são exportados BUK M1 M2E apenas chassis gusenechnom

  4. Aristides Souza Mautone Junior says:

    Para se defender do que ?! da Colômbia ?!

  5. Rustam says:

    Exército colombiano prednazachena para a guerra como nós poimayu afiada seu exército em contra-insurgência

    único rival é o Chile! Exército tem que ter forças armadas na América Latina, mas eles não têm um guarda-chuva como a Venezuela – eo trunfo é o míssil com um alcance de 200 km
    é o craque principal que pode parar a qualquer cabeça quente do conflito com a Venezuela!

  6. Quando um país leva a sério a sua defesa é outra coisa!!

    E nisso a Venezuela da lição ao Brasil sil sil que acha que pode ficar de boa na beira da praia que no fim… dá nada.. não precisamos de soldados se temos advogados!!!

    Quanta ingenuidade nossa!!

    Valeu e parabéns pelos BUK-M2A…

  7. Felipe Rodrigo says:

    Venezuela não tem que ter inimigos para comprar defesas Ante-aéreas,nunca se sabe do dia de amanhã,no lado do Brasil a unica coisa que me agrada é troca de tecnologia,mas na minha opinião deveríamos ter comprado a muito tempo.

    Lucas Senna,Pantsir-S1 representa uma melhora significativa no tempo de resposta que baixou para 4 segundos, frente aos 8 segundos conseguidos pelo Tunguska, além de um aumento importante no alcance de engajamento devido ao uso dos mísseis SA-22 Greyhound cujo alcance máximo chega a 20 km. O míssil SA-19 Grison usado no Tunguska tem alcance de 10 km. Estas características fazem com que, além de aeronaves, o Pantsir-S1 possa engajar PGM (munições guiadas de precisão, ou mísseis e bombas inteligentes). Uma das principais funções do Pantsir-S1 é o de proteger sistemas de defesa antiaérea S-300/ S-400 de ataques de supressão de defesa aérea inimigos.

    á o armamento de tubo é configurado com 2 canhões 2A38M de 30 mm que são capazes de disparar, aproximadamente, 2500 tiros por minuto cada um. Cada canhão está carregado com 700 projéteis que podem ser explosivos, de fragmentação ou traçante perfurante de blindagem. O alcance efetivo destes canhões é de 4 km e podem atingir um alvo voando a 3000 metros de altitude.

  8. KLM says:

    EM.Pinto
    de uma olhada nessa materia
    LAAD 2013: DCNS unveils Brazilian carrier design
    http://www.shephardmedia.com/news/defence-notes/laad-2013-dcns-reveals-brazilian-carrier-design/

shared on wplocker.com