Categories
Conflitos Geopolítica Terrorismo Traduções-Plano Brasil

IAF ataca terroristas em território Paquistanês

Tradução e adaptação-E.M.Pinto- Sugestão Rustam- Moscou

Segundo a imprensa indiana, a Força Aérea Indiana atacou postos de treinamento de terroristas em território paquistanês na manhã de 26 de fevereiro de 2019.

O ataque foi coordenado em três campos de militantes dos grupos terroristas islâmicos Jaish-e-Muhammad (JeM, Exército de Muhammad), Hezbul Mujahiddin (Hizbul Mujahideen) e “Lashkar-Taiba” (Lashkar-e-Tayyaba, LeT, “Exército do Senhor”).

Dois desses campos foram localizados nas áreas de Chakoti e Muzaffarabad, na parte paquistanesa de Caxemira e o terceiro (o principal campo do grupo JeM) está localizado nas áreas de Balakot e Mansehra, na província paquistanesa de Khyber Pakhtunkhwa (isto é, fora o território disputado de Jammu e Caxemira).

O ataque foi realizado por 12 caças Dassault Mirage 2000H da Força Aérea da Índia, que usaram bombas israelenses de 2000  libras e sistemas Rafael Popeye 2 (Crystal Maze) guiadas por sistemas de observação e navegação Rafael Litening.

Os ataques por um grupo significativo de aviação da Força Aérea Indiana, incluiu duas aeronaves A-50EI e um NETRA (baseada na Embraer E145), duas aeronaves Il-78MKI e de quatro a oito caças Su-30MKI como escoltas. Duas aeronaves Mirage 2000H foram equipadas com sistemas de interferência ativa e para reconhecimento e designação de alvos, foram utilizados os drones israelenses UAI IAI Heron.

A mídia indiana afirma que o Mirage 2000H decolou da base aérea de Gwalior, no centro da Índia, para garantir a rapidez, o reabastecimento aéreo de aviões Il-78MKI a caminho do alvo e pousou em Ambala após o ataque. Os caças Su-30MKI foram lançados a partir das bases aéreas de Bareilly e Halvar e os aviões AWACs, a partir de Agra (A-50EI e IL-78MKI) e Bhatimda (NETRA). O ataque foi lançado às 03:45, hora local, e durou 21 minutos.

O lado indiano anunciou o sucesso total da operação. “Os campos terroristas em Balakot, Chakoti e Muzaffarabad foram completamente destruídos como resultado dos ataques aéreos da Força Aérea. Os postos de controle do Exército de Muhammad também foram destruídos”, informou a agência de notícias oficial ANI.

Categories
Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Enfrentando o esgotamento de esquadrões de caça, a IAF quer adquirir 21 jatos MiG-29 desativados da Rússia

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

 Tempos desesperados exigem medidas desesperadas. Lidando com uma queda no número de esquadrões de caça em meio ao confronto político em torno do acordo com o Rafale, a IAF agora quer comprar 21 jatos MiG-29 desmontados e desativados na Rússia desde o final dos anos 80.

O plano de aquisição do MiG-29 vem logo após a IAF ter 35 fuselagens antigas e peças sobressalentes dos caças Jaguar de origem da França, Reino Unido e Omã para canibalizá-los para melhorar a disponibilidade operacional de sua frota de 115 Jaguares.

Mas os 21 MiG-29, se o acordo for assinado com a Rússia, não serão canibalizados. Em vez disso, eles serão montados e reformados  totalmente em padrões “upgrade MiG-29” da Rússia. Até agora, a IAF atualizou metade de seus 62 caças MiG-29 sob um contrato de Rs 3.842  firmado com a Rússia em março de 2008.

A atualização com novas armas e aviônicos tem como objetivo transformar o bimotor MiG-29, um caça de defesa aérea em um caça multi-função muito mais letal para todos os cenários, o que também pode desencadear ataques terrestres com mísseis e “bombas inteligentes”. A vida operacional do MiG-29 também está sendo ampliada de 25 anos (2.500 horas de vôo) para 40 anos (3.500 horas).

Quanto aos 21 MiG-29 adicionais, a Rússia ofereceu “um bom preço” por eles.

“Esses caças foram construídos nos anos 80, mas nunca foram montados e voados. Nossa equipe visitou a Rússia no mês passado e descobriu que os esqueletos do MiG-29 estão em boas condições ”,disse um oficial.

O vice-chefe da IAF, Marechal do Ar Anil Khosla, acrescentou:

“O exercício de demonstração de poder de fogo da IAF em Vayu Shakti em Pokhran em 16 de fevereiro também incluirá o caça atualizado MiG-29 em um papel ar-solo pela primeira vez. Tempo.”

A Índia receberá os 36 novos caças Rafale, contratados da França por 59 Bilhões de rupias, no período de 2019-2022. Mas os Rafales sozinhos não farão os números, com a IAF reduzida a apenas 31 esquadrões de caça (cada um com 16 a 18 aeronaves), quando são necessários pelo menos 42  para fazer frente a ameaça unida da China e do Paquistão.

O número cairá ainda mais porque seis antigos esquadrões MiG-21 e MiG-27 serão aposentados em fases até 2024.

“A indução de 36 Rafales não mitigará a necessidade geral. Então, a IAF também está apoiando totalmente o caça indígena Tejas ”, disse o marechal do ar Khosla.

A IAF encomendou um número inicial de 40 caças Tejas, com outros 83 jatos Tejas Mark-1A “com 43 melhorias” na linha. O custo total de desenvolvimento e produção destes 123 Tejas, dos quais apenas 12 foram entregues até agora, é estimado em mais de 75.000 milhões de rupias.

A IAF também está aberta para a introdução de 201 Tejas Mark-II, equipados com aviônicos e radares muito melhores, maior capacidade de transporte de combustível e armas e motores mais potentes.

Aliás, a força também está procurando adquirir nove caças Sukhoi-30MKI para substituir os perdidos em acidentes. A força até agora introduziu 249 dos 272 caças Sukhoi  contratados por mais de US $ 12 bilhões da Rússia, com a maior parte deles com licença de produção em solo indiano.

Fonte:  Times of India