Categories
Defesa Estados Unidos Negócios e serviços

Boeing recebe contrato de US $ 39 milhões para 4 helicópteros MH-47G

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

O Departamento de Defesa dos EUA (DoD) anunciou que a Boeing recebeu um contrato de  US $ 39 milhões para a finalização de quatro novos helicópteros de operações especiais MH-47G.

Segundo um comunicado, o Boeing Co., foi premiada com US$ 39.038.317 (PZ0003) para um contrato de custo fixo mais taxa fixa (H92241-18-F-0022) para a finalização de quatro helicópteros MH-47G novos.

A nota também destacou que essa ação é necessária para satisfazer uma necessidade urgente de sustentar as aeronaves de asa rotativa de assalto pesado e de ataque pesado das Forças de Operações Especiais (SOF) dos EUA, à luz das crescentes demandas operacionais das SOFs.

O Boeing MH-47G é uma variante de operações especiais do helicóptero CH-47 Chinook. O MH-47G é usado em missões de transporte pesado, como o transporte de tropas, munições, veículos, equipamentos, combustível e suprimentos, bem como missões de socorro civil e humanitário.

O helicóptero pode realizar missões de longo alcance em baixo nível, em condições climáticas adversas durante o dia e à noite.

O MH-47G, a mais recente atualização do helicóptero, foi usado pelo 160º Regimento de Aviação de Operações Especiais “Nightstalker” desde que o primeiro modelo foi entregue em 2014.

O 160º Regimento de Aviação de Operações Especiais do Exército dos Estados Unidos, também conhecido como Night Stalkers, é uma força de operações especiais do Exército dos Estados Unidos que fornece apoio de aviação de helicópteros para forças de uso geral e forças de operações especiais.

Categories
Defesa Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

O exército dos EUA precisa de novos veículos de combate de infantaria

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Do Original Army Recognition

Foi discutido por um tempo: o M1 Abrams e o M3 Bradley precisam ser substituídos por sucessores. O secretário do Exército, Mark Esper, anunciou que uma prioridade será dada ao “novo veículo de combate de infantaria, que é o que será o primeiro veículo de combate de próxima geração (NGCV)”. O desafio é imenso, pois também abrangerá a tecnologia de controle remoto a um nível sem precedentes.

Tanto o Bradley quanto os Abrams estão ficando cada vez mais velho, daí a decisão do Exército de classificar seus substitutos como prioridade número 1, mesmo que se possa detectar outros veículos, armas, etc. 

O NGCV é apenas uma das seis prioridades de modernização do Exército, que inclui sistemas de artilharia de precisão de longo alcance, Future Mobile Lift, rede móvel, defesa aérea e antimísseis eincremento de letalidade aos soldados, sem mencionar os exoesqueletos.

O primeiro protótipo do NGCV foi projetado para transportar um esquadrão de nove soldados; no projeto inicial ele era propulsado por um motor de acionamento híbrido para maior potência e equipado com um sistema de proteção ativa projetado para derrotar os mísseis inimigos. 

As estimativas de massa eram da ordem de 53 toneladas, aproximadamente o peso do carro de combate principal. Mas, mais uma vez, os cortes nos gastos de defesa forçaram o Exército levaram a cancelar o programa da GCV em 2014, o que deixou o Exército com US $ 100 milhões em vez dos US $ 592 milhões que havia solicitado para continuar desenvolvendo o programa.

No entanto, o Bradley continua a necessitar ser substituído. Desta vez, o Exército planeja entregar os primeiros protótipos tripulados e não-tripulados do NGCV até 2019. Como esperado, ele contará com inteligência artificial para fornecer consciência situacional assistida de 360 ​​graus para os motoristas, bem como recursos de aquisição e direcionamento assistidos por computador para ajudar os membros da tripulação a tomarem decisões mais rápidas em combate, dizem oficiais do Exército.