Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Índia encomendará mais 18 novos caças SU-30MKI

Segundo a fonte, a Rússia está considerando uma série de propostas para entrega de produtos militares à Nova Déli.
Tradução e adaptação-E.M.Pinto

© Marina Lystseva / TASS

MOSCOU, 9 de julho / TASS /. A Força Aérea da Índia comprará 18 caças Sukhoi Su-30MKI de fabricação russa. Foi o que afirmou nesta terça-feira o vice-diretor do Serviço Federal de Cooperação Militar e Técnica da Rússia, Vladimir Drozhzhov.

“Cumprimos nossos compromissos com a entrega de todos os caças Su-30MKI e recebemos um pedido adicional para outros 18 novos modelos”,disse Drozhzhov.

Segundo Drozhzhovo, a Rússia está considerando uma série de propostas para entrega de produtos militares à Nova Déli

“Recebemos propostas para o  fornecimento de mais de 20 caças modernizados MiG-29 e um pedido de modernização de 450 carros de combate T-90. Estamos trabalhando nessas propostas para entregá-las à Índia”,disse ele.

Fonte: Tass

Categories
Conflitos Defesa Geopolítica Traduções-Plano Brasil

Imprensa indiana explica a não utilização do SU-30MKI no conflito entre Paquistão e índia

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

A mídia indiana The Hindu apresentou mais outra razão pela qual os modernos caças Su-30 da Força Aérea Indiana não se envolveram em combate com aviões F-16 paquistaneses. Como resultado dessa batalha, o MiG-21 indiano foi abatido no céu sobre a Caxemira  e o piloto foi capturado e depois libertado pelos militares paquistaneses.

Segundo The Hindu , os caças Su-30 não participaram do conflito aéreo por causa da indisponibilidade de infraestrutura terrestre para receber aeronaves dessa classe.

“Devido a atrasos burocráticos, não conseguimos construir hangares fortificados para caças Su-30MKI perto da linha de controle. O Comitê de Segurança do Gabinete aprovou este projeto apenas no final de 2017”, disse uma fonte indiana do Ministério da Defesa.

Como resultado, os aviões não foram redistribuídos mais perto da zona de combate devido à falta de hangares fortificados. Os caças Su-30MKI foram criados para interceptar os caças da Força Aérea do Paquistão em alerta de áreas remotas. Portanto, os caças MiG-21 foram os primeiros a se envolver em combate aéreo com aeronaves paquistanesas e entraram em uma emboscada aérea.

Lembre-se que na manhã de 27 de fevereiro, mais de 20 aeronaves de combate da Força Aérea do Paquistão cruzaram a linha de controle por um curto período de tempo. No entanto, eles foram interceptados por jatos de combate MiG-21 Bison atualizados . Os caças Mirage 2000 e Su-30MKI foram levantados de outras bases aéreas.

Fonte: The Hindu

Categories
Conflitos Geopolítica Terrorismo Traduções-Plano Brasil

IAF ataca terroristas em território Paquistanês

Tradução e adaptação-E.M.Pinto- Sugestão Rustam- Moscou

Segundo a imprensa indiana, a Força Aérea Indiana atacou postos de treinamento de terroristas em território paquistanês na manhã de 26 de fevereiro de 2019.

O ataque foi coordenado em três campos de militantes dos grupos terroristas islâmicos Jaish-e-Muhammad (JeM, Exército de Muhammad), Hezbul Mujahiddin (Hizbul Mujahideen) e “Lashkar-Taiba” (Lashkar-e-Tayyaba, LeT, “Exército do Senhor”).

Dois desses campos foram localizados nas áreas de Chakoti e Muzaffarabad, na parte paquistanesa de Caxemira e o terceiro (o principal campo do grupo JeM) está localizado nas áreas de Balakot e Mansehra, na província paquistanesa de Khyber Pakhtunkhwa (isto é, fora o território disputado de Jammu e Caxemira).

O ataque foi realizado por 12 caças Dassault Mirage 2000H da Força Aérea da Índia, que usaram bombas israelenses de 2000  libras e sistemas Rafael Popeye 2 (Crystal Maze) guiadas por sistemas de observação e navegação Rafael Litening.

Os ataques por um grupo significativo de aviação da Força Aérea Indiana, incluiu duas aeronaves A-50EI e um NETRA (baseada na Embraer E145), duas aeronaves Il-78MKI e de quatro a oito caças Su-30MKI como escoltas. Duas aeronaves Mirage 2000H foram equipadas com sistemas de interferência ativa e para reconhecimento e designação de alvos, foram utilizados os drones israelenses UAI IAI Heron.

A mídia indiana afirma que o Mirage 2000H decolou da base aérea de Gwalior, no centro da Índia, para garantir a rapidez, o reabastecimento aéreo de aviões Il-78MKI a caminho do alvo e pousou em Ambala após o ataque. Os caças Su-30MKI foram lançados a partir das bases aéreas de Bareilly e Halvar e os aviões AWACs, a partir de Agra (A-50EI e IL-78MKI) e Bhatimda (NETRA). O ataque foi lançado às 03:45, hora local, e durou 21 minutos.

O lado indiano anunciou o sucesso total da operação. “Os campos terroristas em Balakot, Chakoti e Muzaffarabad foram completamente destruídos como resultado dos ataques aéreos da Força Aérea. Os postos de controle do Exército de Muhammad também foram destruídos”, informou a agência de notícias oficial ANI.