Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Entra em produção seriada o Motor Al-41F desenvolvido para o caça SU-57

E.M.Pinto


Segundo relatou a TASS, a produção em série do motor desenvolvido para o caça de 5ª Geração russo, Su-57 entrou em produção seriada.

Numa apresnetação proferida à imprensa,  a OKB exibiu os prospectos da linha de prodção dos motores AL-41F e deu detalhes sobre suas características básicas.
Curioso é que num dos slides da apresentação a OKB informou que a produção de fato foi iniciada ainda em 2018.
A decisaão para a produção em série foi tomada em outubro daquele ano, atribuindo-lhe o código 01 o qual significa prontidão para produção em série.
Já em novembro daquele ano, foi a dada a transferência da documentação de projeto de trabalho para o motor. Durante o trabalho de desenvolvimento, 38 turbinas foram montadas, 20 delas para testes de vôo nos protótipos do caça Su-57.

DETALHES

A OKB informou que o motor de turbojato AL-41F-1, possui cãmaras de mistura de fluxos, uma câmara de pós-combustão e um vetor de empuxo com direção controlada. Além do SU 57 o motor será instalado também nos caças Su-35.

Sua principal diferença em relação aos seus antecessores é o novo sistema de controle automático: é totalmente digital e construído com componentes integralmente russos. Outra vantagem é o sistema de ignição à plasma isento de oxigénio nas câmaras de combustão principal e de pós-combustor.

Uma nova variante a 02 já está em bancada de testes. O anúncio de prontidão de produção em série e esperado para muito em breve, segundo informou a OKB. Segundo a fonte da Lyulka Design Bureau (LKB) O primeiro vôo de teste do motor  (02) foi realizado no protótipo do Su-57 em dezembro de 2017.

O desenvolvedor LKB, informou que o motor garante a super manobrabilidade para ambos os caças, tanto o Su-57 quanto ao Su-35 e que a sua relação Peso/Empuxo e baixa visibilidade garante as aeronaves maiores potências e menores índices de detecção pro radar e Infra vermelho. O novo motor adicionará a essas qualidades a capacidade de acelerar a velocidade supersônica sem pós-combustor, mantendo um rítimo de economia de combustível compatível com os moteres de séries anteriores em regimes de velocidades subsônicas.

SOBRE  O AL-41F

AL-41F é uma designação para duas variantes diferentes de motores de turbofan militares russos.

Inicialmente a designação dada pela NPO Saturno ao AL-41F referia-se ao motor turbojato russo projetado para vôo supercruise para o programa MFI ( Mnogofunktsionalni Frontovoy Istrebitel , “Lutador Frontal Multifuncional”), que resultou no avião conceito Mikoyan Project 1.44 .

Especialistas o caracterizavam como um motor  equivalente ao General Electric YF120 o qual foi superado pelo  YF-119 mais convencional no programa de motor do Advanced Tactical Fighter dos Estados  Unidos.

Desde o cancelamento do programa de MFI, a designação AL-41F1S e AL-41F1 foi atribuída as variantes AL-31F as quais equipam o caça Su-35S e até onde se sabia, os protótipos do caça Su-57 de produção inicial.

A designação AL-41 foi reutilizada para variantes atuais do Saturno AL-31 que equipam os caças Sukhoi Su-35 (Izdeliye 117S / AL-41F1S) e produção inicial do avião furtivo Sukhoi Su-57 (Izdeliye 117 / AL-41F1) . Algumas das tecnologias do AL-41F original foram aplicadas nos motores Izdeliye 117S, 117 e 30.

Especificações 

designação: AL-41F
  •  Iz 30 AL-41FRU AL-41F3

Características gerais

  • Tipo: Turbofan
  • Comprimento: 4990 mm
  • Diâmetro: 1280 mm
  • Massa seca: 1.420 kg 
  • Compressor:Axial
  • Máxima Potência : 180 kN
  • Relação de empuxo-peso : 11: 1

 


Categories
Defesa Negócios e serviços Rússia Traduções-Plano Brasil Uncategorized

China teria interesse no SU -57?

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Segundo o Global Times- A China está avaliando as opções para comprar o novo caça furtivo Sukhoi Su-57, da Rússia, que identificou a China e a Índia como potenciais clientes para adquirir seu avançado avião de guerra.

Viktor Kladov, diretor de cooperação internacional e política regional da holding industrial russa de defesa Rostec, declarou em uma reunião na Exposição Internacional Marítima e Aeroespacial de Langkawi, na Malásia, que identificou a Índia e a China como potenciais compradores.

O GT afirma que a força aérea chinesa, que atualmente tem uma série de novas aeronaves domésticas, incluindo o avião de caça J-20, além dos russos Su 35, estaria interessada na aqisição de caças Dassault Rafale da França, acrescentando uma nova dimensão estratégica aos seus ativos aéreos.

Embora a China esteja desenvolvendo sua própria aeronave de nova geração, ainda depende muito de motores russos para os aviões, pois ainda não atingiu a fase de produção independente dos seus motores. Tanto a China quanto o Paquistão confiam nos motores russos para o JF-17 Thunder produzido em conjunto.

O analista de defesa chinês Wang Ya’nan, editor-chefe da Aerospace Knowledge, disse que a oferta da Rússia para vender a SU-57 é mais atraente para a Índia, já que a China tem seu próprio caça furtivo. Ao contrário da China, a Índia não tem um caça de quinta geração, então o Su-57 é um avião de guerra atraente para a Índia, disse ele ao Global Times.

Kladov disse que o Su-57E, uma versão de exportação do Su-57, deve receber aprovação de exportação de Putin em poucas semanas.

Nomeando a China como um cliente em potencial, ele disse,

“A China recebeu recentemente 24 aviões Su-35, e nos próximos dois anos tomará a decisão de comprar Su-35 adicionais, construir o Su-35 na China, ou comprar uma aeronave de caça de quinta geração, que poderia ser outra oportunidade para o Su-57E “.

Xu Guangyu, consultor sênior da Associação de Controle de Armas e Desarmamento da China, disse ao Global Times que é possível que a China faça a compra, porque a China precisa estudar os pontos fortes de outros países sempre que possível.

“As observações de Kladov também são uma indicação de cooperação em tecnologia militar de ponta, sob a estrutura da cooperação estratégica dos dois países”, disse Xu.

Wang Yongqing, designer-chefe do Instituto de Design de Aeronaves de Shenyang, sob a estatal Aviation Industry Corporation da China, escreveu na edição de fevereiro de 2019 da revista Aerospace Knowledge que o Su-57 foi projetado para ter forte capacidade de cruzeiro supersônico e super manobrabilidade e intencionalmente reduz a discrição, uma capacidade que se diz ser crucial para um caça de quinta geração, para uma prioridade secundária.

Enquanto os aviões dos EUA enfatizam furtivamente e além dos ataques de alcance visual, o Su-57 pode escapar dos mísseis de longo alcance através de sua super manobrabilidade e atacar os inimigos de perto, uma situação em que a furtividade não é tão importante quanto a super manobrabilidade, disse Wang.

No entanto, o analista de defesa chinês Wang disse que a China está aperfeiçoando sua tecnologia de quinta geração, já que o J-20 está em vias de ser produzido em massa. Durante este período, a integração de outro jato de combate à frota poderia trazer desafios para a integração dos sistemas de armas e equipamentos das forças armadas chinesas e interromper os planos de desenvolvimento e treinamento, disse ele.

Ele observou que um estudo técnico é possível, usando o Su-57 no exército chinês é improvável.

O Su-57 também pode se tornar um forte concorrente de mercado do caça furtivo chinês FC-31, informou a Weihutang, em declaração à coluna afiliada à China Central Television (CCTV), na sexta-feira, observando que o FC-31 e o F- 35 são os únicos dois atuais caças de quinta geração disponíveis no mercado internacional.

 

Fonte: the Economist Time

 

Bem vindo ao primeiro de Abril

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

VKS receberá o primeiro caça Su-57 de série em 2019

E.M.Pinto

O primeiro caça de quinta geração do Su-57 será colocado em operação com as Forças Aeroespaciais da Rússia ainda neste ano. Em um futuro próximo, o Ministério da Defesa da Federação Russa planeja receber outras 15 aeronaves deste modelo.

A declaração foi feita esta semana pelo presidente da United Aircraft Corporation Yuri Slusar, para a  RIA Novosti.

Dois contratos para a fabricação e fornecimento de caças em série contemplam o modelo de quinta geração Su-57 e os de 4,5 MiG-35, ambas aeronaves multifuncionais cujos acordos foram assinados pelo Ministério da Defesa da Rússia e pela empresa Sukhoi durante o fórum do Army 2018.
Slusar afirmou também que a a segunda aeronave será transferida para as Forças Aeroespaciais da Rússia em 2020. Além disso, o Ministério da Defesa da Rússia planeja assinar em 2020 um segundo contrato para a produção e fornecimento de caças de quinta geração Su-57.
Slusar afirmou ainda que as aeronaves do lote inicial terão diferenças em níveis tecnológicos em função de desenvolvimentos recentes, como por exemplo, alguns receberão motores mais recentes e potentes que a primeira série, além de inúmeras incorporações tecnológicas.
Recentemente o Ministério da Defesa Russo informou que alguns sistemas embarcados para o futuro jato de combate de 6ª geração da Rússia estão sendo testados a bordo do caça Su-57.

Slusar confirmou que não há planos para criar a versão não-tripulada do Su-57. Ela está sendo usada para testar alguns sistemas do futuro jato de combate de sexta geração, cujo programa recebe o nome de “Hunter” (caçador) em sua versão de linha de base e apenas opcionalmente pilotado. Os sistemas em testes envolvem equipamentos de controle e navegação e sistemas de armas.

A United Aircraft-Building Corporation da Rússia se recusou a comentar esta informação para a TASS.

Porém, em 2016 o então vice-primeiro-ministro russo, Dmitry Rogozin, anunciou que a Rússia havia lançado os trabalhos para desenvolver o avião de combate da sexta geração. Como Rogozin observou na época, o Escritório de Design da Sukhoi apresentou um trabalho preliminar sobre a criação do jato de combate de sexta geração.

Os especialistas observam que o caça de sexta geração apresenta a capacidade de realizar missões não tripuladas de combate e inteligência artificial, a disponibilidade do radar radiofotônico e o potencial para desenvolver a velocidade supersônica e entrar no espaço exterior e a possibilidade de usar novas armas de precisão, bem como laser entre outras.

O caça russo Su-57 de quinta geração possui tecnologia stealth com amplo uso de materiais compostos, é capaz de manter a velocidade de cruzeiro supersônico e é equipado com o mais avançado equipamento rádio-eletrônico a bordo, incluindo um poderoso computador de bordo, conhecido como “piloto eletrônico”. A aeronave possui sistemas de radares espalhados por toda a sua fuselagem de modo a permitir maior alcance para detecção de aeronaves furtivas. Dentre outras inovações, em particular, o armamento é acondicionado no interior da fuselagem.

Apesar de Slusar deixar no ar a questão, suspeita-se que as versões do lote serial já sairão de fábrica com incorporações de tecnologias recentes como a capacidade de operação em nuvem com Drones de combate, bem como novas armas eletromagnéticas.

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

A Índia não se retirou do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de caça de 5 G

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A Índia não está se retirando do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de quinta geração, foio que informou neste domingo Yuri Slyusar, presidente da UAC, Rússia.

“Nós continuamos a discutir com a Índia o desenvolvimento conjunto de um caça de quinta geração. O tópico não está fechado. Foi dito que a Índia está se retirando deste projeto. Não, isto é fake news eles não estão”, disse ele em entrevista ao Deitsvuyushchiye Litsa. 

“Espero que nossas conversas sejam finalmente coroadas pelo estágio de projeto e vamos desenvolver nossa aeronave conjunta de quinta geração”, acrescentou.

O jornal Economic Times da Índia disse anteriormente que a Índia planeja se retirar do projeto conjunto com a Rússia para o desenvolvimento de um caça de quinta geração, enquanto a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) da Índia afirmava que havia todas as possibilidades de desenvolver tecnologias correspondentes de forma independente.

Um acordo sobre tal projeto foi alcançado em 2007. O jato de caça de quinta geração está sendo desenvolvido com base no caça russo Su-57, levando em conta os requisitos técnicos do lado indiano. Está previsto que o cliente de lançamento será a Força Aérea da Índia. Mais tarde, esses jatos serão vendidos a terceiros países.

 

Fonte: Russia Aviation

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Índia está pronta para retornar ao programa PAK FA / FGFA

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

A Índia não considera a criação conjunta de um caça de quinta geração, com base na proposta russa de um SU-57  de “prateleira”. foi o que noticiou a imprensa Indiana citando fontes da Defesa. Ao falar das divergências entre a Índia e a Rússia,  sobre a distribuição dos custos do projetos,  a mídia indiana afirma que o lado indiano não está satisfeito com a tecnologia de construção da aeronave e com o número de aeronaves que devem ser construídas sob o projeto, o FGFA para a Força Aérea Indiana. 

De acordo com o lado indiano, o custo que Nova Deli precsa pagar é muito elevado, mas a Índia está pronta para apoiar o projeto, caso haja  uma redistribuição de custos entre as partes. 

Embora, até à data, não haja progresso nesta matéria, o lado indiano afirma que: 

“A porta neste projeto ainda não está fechada”

http://www.planobrazil.com/india-abandona-o-programa-fgfa-pakfa/

Lembre-se que no final de abril deste ano, a Índia declarou oficialmente a retirada do projeto, explicando que o programa é muito caro e custa cerca de US $ 30 bilhões. Além disso, o lado indiano alega que a Rússia não possui a tecnologia  para criar um caça de quinta geração.

 

Fonte: Weaponnews e Top war