Categories
Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Enfrentando o esgotamento de esquadrões de caça, a IAF quer adquirir 21 jatos MiG-29 desativados da Rússia

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

 Tempos desesperados exigem medidas desesperadas. Lidando com uma queda no número de esquadrões de caça em meio ao confronto político em torno do acordo com o Rafale, a IAF agora quer comprar 21 jatos MiG-29 desmontados e desativados na Rússia desde o final dos anos 80.

O plano de aquisição do MiG-29 vem logo após a IAF ter 35 fuselagens antigas e peças sobressalentes dos caças Jaguar de origem da França, Reino Unido e Omã para canibalizá-los para melhorar a disponibilidade operacional de sua frota de 115 Jaguares.

Mas os 21 MiG-29, se o acordo for assinado com a Rússia, não serão canibalizados. Em vez disso, eles serão montados e reformados  totalmente em padrões “upgrade MiG-29” da Rússia. Até agora, a IAF atualizou metade de seus 62 caças MiG-29 sob um contrato de Rs 3.842  firmado com a Rússia em março de 2008.

A atualização com novas armas e aviônicos tem como objetivo transformar o bimotor MiG-29, um caça de defesa aérea em um caça multi-função muito mais letal para todos os cenários, o que também pode desencadear ataques terrestres com mísseis e “bombas inteligentes”. A vida operacional do MiG-29 também está sendo ampliada de 25 anos (2.500 horas de vôo) para 40 anos (3.500 horas).

Quanto aos 21 MiG-29 adicionais, a Rússia ofereceu “um bom preço” por eles.

“Esses caças foram construídos nos anos 80, mas nunca foram montados e voados. Nossa equipe visitou a Rússia no mês passado e descobriu que os esqueletos do MiG-29 estão em boas condições ”,disse um oficial.

O vice-chefe da IAF, Marechal do Ar Anil Khosla, acrescentou:

“O exercício de demonstração de poder de fogo da IAF em Vayu Shakti em Pokhran em 16 de fevereiro também incluirá o caça atualizado MiG-29 em um papel ar-solo pela primeira vez. Tempo.”

A Índia receberá os 36 novos caças Rafale, contratados da França por 59 Bilhões de rupias, no período de 2019-2022. Mas os Rafales sozinhos não farão os números, com a IAF reduzida a apenas 31 esquadrões de caça (cada um com 16 a 18 aeronaves), quando são necessários pelo menos 42  para fazer frente a ameaça unida da China e do Paquistão.

O número cairá ainda mais porque seis antigos esquadrões MiG-21 e MiG-27 serão aposentados em fases até 2024.

“A indução de 36 Rafales não mitigará a necessidade geral. Então, a IAF também está apoiando totalmente o caça indígena Tejas ”, disse o marechal do ar Khosla.

A IAF encomendou um número inicial de 40 caças Tejas, com outros 83 jatos Tejas Mark-1A “com 43 melhorias” na linha. O custo total de desenvolvimento e produção destes 123 Tejas, dos quais apenas 12 foram entregues até agora, é estimado em mais de 75.000 milhões de rupias.

A IAF também está aberta para a introdução de 201 Tejas Mark-II, equipados com aviônicos e radares muito melhores, maior capacidade de transporte de combustível e armas e motores mais potentes.

Aliás, a força também está procurando adquirir nove caças Sukhoi-30MKI para substituir os perdidos em acidentes. A força até agora introduziu 249 dos 272 caças Sukhoi  contratados por mais de US $ 12 bilhões da Rússia, com a maior parte deles com licença de produção em solo indiano.

Fonte:  Times of India

Categories
Aviação Defesa Defesa Anti Aérea Defesa em Arte Destaques Equipamentos EVENTOS Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Rússia interessada em participar da licitação de 400 caças para a Índia

oficial da Marinha Indiana em visita ao protótipo “712” do MiG-35 em 24 de janeiro (Foto: RT)

Com informações das agências TASS e Sputnik

A Rússia planeja participar na competição para entrega de aproximadamente 400 caças para a Força Aérea Indiana, segundo informações do Vice-Diretor da Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Federação Russa, Vladimir Drozhzhov:

“Nós certamente participaremos na licitação com aviões MiG e Sukhoi”, Drozhzhov disse na feira Aero India 2017 realizada na Base Aérea de Bangalore, no sudoeste do país, nesta quarta-feira.

Esta declaração reforça a afirmação do Vice-Primeiro Ministro russa Dmitry Rogozin durante a apresentação pública do MiG-35 em janeiro:

“Uma conferência militar e industrial será realizada na Índia, nesta primavera (hemisfério norte) para discutir a entrega, reparos e manutenção de armamentos russos, e também de esforços para estabelecer parcerias (joint-ventures) dentro dos parâmetros do programa ‘Make in India’.”

“Nesta conexão estamos também preparados para oferecer essa máquina [o MiG-35] para a Força Aérea Indiana. Não há dúvida que conversaremos sobre isto,” completou Rogozin.

Vale lembrar que naquela ocasião, foi observado a presença de delegações militares da Índia e também do Egito (que encomendou 56 caças desse modelo), o que reforça o interesse estrangeiro pelo MiG-35 com a possibilidade de encomendas concretas.

Delegação do Egito em visita ao protótipo “712” do MiG-35 em janeiro (Foto: Egyptian Armed Forces fanpage)

Atualmente, a Força Aérea da Índia possui em seu inventário 63 caças MiG-29, modernizados recentemente para a versão MiG-29UPG (uma derivação do pacote MiG-29SMT) num contrato de US$ 965 milhões assinado em 2008,

MiG-29UPG da Força Aérea Indiana

Houve também a encomenda de 45 caças embarcados MiG-29K para a Marinha Indiana num contrato de US$ 2,2 bilhões entre 2005 e 2010, segundo dados da SIPRI. O modelo opera no porta-aviões INS Vikramaditya.

os caças MiG-29K embarcados no INS Vikramaditya

Assim como a participação do MiG-35 na licitação indiana para caça médio multi-funcional (MMRCA) em 2007; porém, devido a incertezas dos acordos com os franceses, vencedores do programa com o Dassault Rafale no qual resultou no encerramento do programa MMRCA em abril de 2015, e a encomenda de apenas 24 Rafale (sendo que o programa MMRCA requeria 126 unidades). Isso somado com a histórica familiaridade dos pilotos indianos com a família “Fulcrum” podem ser fatores que reacendam o interesse de Nova Délhi pelo novo modelo russo, o que pode representar junto com a encomenda egípcia, o batismo antecipado do MiG-35 no mercado internacional.

o MiG-35 apresentado em 24 de janeiro. (Foto: RT)

É importante ressaltar que atrasos no programa HAL Tejas e o encerramento do MMRCA agrava o desgaste da grande e obsoleta frota aérea indiana, onde modelos modernos como os Sukhoi Su-30MKI e os MiG-29UPG, convivem com velhas células de 245 MiG-21 (nas versões MiG-21MF e MiG-21 “Bison”), 87 MiG-27ML, 145 SEPECAT Jaguar M/S e até os Dassault Mirage 2000H com 50 unidades, todos em vias de desativação na próxima década. Essa urgência de remodelar sua frota de caças leves e médios aliado a necessidade de nacionalização parcial ou total da produção e desenvolvimento dentro do programa “Make in India” (“fabricar na Índia”) são fatores que também podem contribuir na possível entrada do MiG-35.

Existem planos de abrir um centro de serviços de manutenção em território indiano para os caças da família MiG-29, afirmou Sergei Korotkov, o designer-geral da MiG e vice-presidente da Corporação Aeronáutica Unida (CAU) para inovações, durante a apresentação do MiG-35 no dia 24 de janeiro.

“Após o fim do período de manutenção assegurado pela garantia, nós estamos prontos para criar um centro de serviços para manutenção do MiG-35 no território de qualquer cliente estrangeiro”.

Em 2007, a Rússia e Índia assinaram um acordo para desenvolvimento conjunto do Avião de Caça de Quinta Geração. O cliente primário será a própria Força Aérea Indiana e futuramente ser oferecido ao mercado internacional.

abaixo um vídeo mostrando delegações militares e diplomáticas do Egito, Índia, Peru e Bangladesh presentes no evento de lançamento do MiG-35

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=Rt3io0gSIfw[/embedyt]

S-400 e outros acordos em curso.

Drozhzhov afirmou que a entrega dos sistemas antiaéreos de longo alcance S-400 “Triumf” para a Índia não está planejado para esse ano.

“Nós assinaremos o contrato rapidamente, após termos uma resposta concreta de fornecimento. Eu acho que provavelmente não ocorrerá em 2017”.

Um acordo intergovernamental para a entrega do S-400 para a Índia foi assinado em outubro de 2016.

A China tornou-se o primeiro cliente estrangeiro do S-400. Ambos os lados (russo e chinês) anunciaram a assinatura do contrato em março de 2015. De acordo com relatos da imprensa, o contrato está avaliado em cerca de US$ 3 bilhões.

Outros acordos em curso na Aero India 2017, envolvem o fornecimento de mais dois aviões-radar Beriev A-50El com radares Phalcon israelenses e 48 helicópteros multifuncionais Mil Mi-17V5. Segundo declarações do Vice-Diretor da empresa Rosoboronexport (empresa russa de comércio de armamentos), Sergei Goreslavsky, as encomendas indianas já excederam US$ 4 bilhões em 2016, frisando o “alto nível da cooperação técnico-militar russo-indiana”.

Edição, Tradução e Análise: Tito Lívio Barcellos Pereira