Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Rússia iniciará a construção do seu primeiro LHD em 2021

Tradução e adaptação-E.M.Pinto
 

“Existem planos para construir um navio de assalto anfíbio universal e entregá-la ao cliente no âmbito do programa de armamento 2018- 2027”

KUBINKA / Região de Moscou, 26 de junho / TASS /.

A Rússia planeja construir dois navios de assalto anfíbio universais capazes de transportar entre 15-20 helicópteros. Foi o que relatou a TASS em sua cobertura ao evento Army 2019. O projeto militar do LHD “Lavina” (avalanche) está amparado nos recursos do programa de rearmamento 2018-2027.

“Até o final do ano, o Ministério da Defesa concluirá o desenvolvimento das especificações técnicas para um navio de assalto anfíbio universal e os enviará à United Shipbuilding Corporation. O programa é amparado nos recursos até 2027 e inclui dois navios de assalto anfíbios universais. Um projeto preliminar foi elaborado. O trabalho de projeto técnico começará em 2020 e a construção do primeiro navio da série começará em 2021 “, disse a fonte, acrescentando que o construtor ainda não  havia sido determinado.

Existem planos para construir o principal navio de assalto anfíbio universal e entregá-lo ao cliente sob o programa estatal de rearmamento até 2027, até lá, o trabalho no primeiro navio produzido em série será concluído antes do início da década de 2030, disse a fonte.

“Embora as especificações técnicas ainda não tenham sido formuladas, já é possível falar agora que os navios de assalto anfíbios universais receberão uma grande doca para abrigar embarcações de assalto e também serão capazes de transportar um grande grupo de helicópteros de várias designações, incluindo 15-20 helicópteros de ataque “,disse a fonte.

LAVINA E PRIBOY

Os navios de assalto anfíbio universais como são chamados pelos militares russos, serão projetados para transportar um grupo de desembarque e grupamento aéreo bem heterogêneo composto por helicópteros pesados além de veículos e embarcações de grande porte.

As características do projeto “Lavina” são:

Comprimento /m: 218,0

Deslocamento / ton:  24.000 

Velocidade máxima / nós:  22,0

Alcance / Milhas: 5.000 à 18 nós

Tripulação: 320 oficiais e praças

Tropas: acima de 500 fuzileiros navais

Grupamento aéreo:

Cerca de 16 helicópteros Kamov Ka-27 (ou Ka-40 (minoga), Lampreia em desenvolvimento) ou Ka-52K

Cerca de 

50 veículos

Projeto  11770 de 6 navios de desembarque 

6 navios projeto 03160 – Raptor (Projeto 03160) barcos de patrulha de alta velocidade

NAVIOS DE ASSALTO UNIVERSAIS

Os navios de assalto anfíbio universal podem transportar  várias centenas de soldados de infantaria da marinha, barcos e outras embarcações infiltração de forças de assaltos e veículos blindados. O navio possuirá um poderoso sistema de controle de combate e poderá atuar como uma embarcação de comando e controle para um agrupamento de forças.
Acredita-se que a base seja o projeto Lavina, porém, modificações serão necessárias para ampliar a capacidade de acomodação de veículos e tropas por expedições de maior tempo de permanência em mar e por isso, apesar d anegativa de que o programa não se esplha nos mistral, ganha força a percepção de que o projeto não seja baseado no “Lavina” . 

A fonte esclarece que o navio terá capacidade superior ao Lavina podendo transportar até mais de 20 helicópteros de diferentes modelos. Apesar do “Lavina” ser o mais provável navio a ser base para o futuro LHD russo, as suspeitas direcionam para um outro projeto muito semelhante ao Mistral Francês, é o programa que respode pelo nome “Kachalote”. 

Isso porque a Nevsky PKB KGNTSestá projetando vários tipos de Navios de Assalto Anfíbio equipados com  Doca e deck para operações de Helicóptero (DVKD – Desantnyh Vertoletonosnyh Korablei-Dokov), esses projetos são chamados de “Priboy” dos quais dois navios já foram encomendados e iniciarão em breve o seu processo de construção e também conta como outros dois o “Lavina -Avalanche” e “Cachalote”.

O Projeto “Priboy” se baseia no navio de assalto Ivan Gren e possui um decke para operações simultâneas de até 4 helicópteros com capacidade de acomodação de até 6.

 CAHALOTE

Enquanto os dois primeiros projetos são razoavelmente bem amadurecidos,  o Cachalote é pouco conhecido.

O projeto Priboy apresenta um navio de desembarque de doca de cerca de 14.000 toneladas de deslocamento, já o Lavina apresenta um LHD com deslocamento de 24.000 toneladas e quipado com deck  e pista para operações de grupamentos de helicópteros em maior quantidade. Por sua vez o “Cachalote” possui um deslocamento superior, da ordem de 30.000 toneladas.

O projeto acumula a experiência na construção dos dois navios da classe “Mistral” que foram cedidos à indústria russa onde os  especialistas da Nevsky Design Bureau tomaram a iniciativa de criar várias versões do projeto do navio de assalto anfíbio para a Marinha russa.

O Diretor Geral Sergei Vlasov chegou a afirmar que o grupo tomou a iniciativa de desenvolver várias opções para embarcações de desembarque e está pronto para avançar para o projeto de qualquer um deles.

Representação artística da provavel configuação do navio projeto Cachalote”. muito semelhante ao Mistral.

O tempo de construção depende do deslocamento do navio  e a partir da sua criação o projeto, construção e entrega pode levar entre 5 a 6 e 7a8 anos, explicou o diretor do Nevsky Design Bureau.

Construção de navio de assalto anfíbio, superior ao “Mistral”, já havia sido definida para começar em 2020, de acordo com uma fonte do Ministério da Defesa.

“A primeira prioridade é a construção de novos grandes navios anfíbios (Lavina ou Cachalote), a construção de um navio de assalto anfíbio com uma plataforma de voo (Priboy), com os navios iniciando a construção em 2021 a ser concluída dentro de 3-4 anos. Durante este tempo, você deve ver uma nova geração de helicópteros (Ka-40 Lampreia) para aviação naval e embarcações de desembarque “

A construção do navio de assalto anfíbio completará a formação de uma nova imagem das forças expedicionárias da Marinha, baseada na composição de seus navios de doca  alternativos ao BDK-11711 ( “Ivan Gren”) e do Porta helicópteros. 

Fonte: TASS

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil China Defesa Geopolítica Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia

Segundo televisão chinesa a Marinha Russa interessada em sistemas militares chineses

E.M.Pinto

Numa edição especial sobre a Army-2018, a TV chinesa  “Phoenix” informou que a Rússia estuda comprar navios de guerra de projeto e produção Chinesas, a informação teria vazado no último fórum técnico-militar “Army-2018”. No setor chinês da feira, uma movimentação grande de oficiais russos e representantes dos setores diplomático e político do país chamaram a atenção. O estande Chinês, exibia um modelo de uma nova fragata e de um navio LHD semelhante à classe francesa “Mistral” do qual a Rússia havia encomendado, mas que devido às sanções não lhes foram entregues.

Neste exato momento em que as relações da Rússia com o Ocidente sofrem agravamentos devido às sanções, Moscou está se voltando para o Oriente, e Pequim está lançando novos navios.

Segundo o Phoenix o evento em questão ocorreu no dia 21 de agosto na cerimônia de abertura do fórum técnico militar internacional “Army-2018”, organizado pelo Ministério da Defesa da RússiaMoscow Kubinka no qual os chineses exibiram as mais novas armas e equipamento militares do seu inventário, dentre eles, veículos VT-4 e VT-5, de 155 mm sistemas de artilharia PLZ-52, mísseis anticarro HJ-12 dentre outros.Ao todo mais de 10 corporações chinesas estiveram no evento.

Fragata Type 54AE

O murmúrio ocorreu no estande da empresa chinesa que exibiu o modelo de exportação da fragata Type 054A, chamada Type 054AE, bem como modelos de um navio de assalto anfíbio e deum navio destinado a áreas costeiras.

O Phoenix chama a atenção para o modelo de exportação da fragata 054AE, onde a letra E no final, por assim dizer, sugere que este modelo foi modificado especificamente para a Rússia (“Rússia” em chinês começa em E-óluósī – ed.). Ap participar dos exercícios russo-chinês “Marine interaction-2017” a fragata Type 054A provou suas capacidades e atraiu a atenção do lado russo com a sua excelente aparência e funcionalidade avançada. De acordo com especialistas militares russos, a frota precisa urgentemente de modernização e a fragata Type 054A pode salvar a situação.

LHD Type 75E e ou Type 71?

O modelo de exportação do navio de assalto com deslocamento superior à 25 mil toneladas do qual a China já projetou e produziu 6 navios de desembarque de doca LPD Type 71  Yuzhao, não esteve presente na feira, mais foi muito solicitado. Estes navios oceânicos multipropósitos  despertaram o interesse dos oficias russos e suscitaram a discussão quanto as necessidades vigentes da Marinha russa.

Outro navio que mantém uma reminiscência do francês “Mistral” são os LHD (Type75?). É de conhecimento que, devido à deterioração das relações entre a Rússia e os Estados Unidos, a França não enviou os Mistral revendendo-os ao Egito. Embora 50 % do casco dos dois navios tenham sido construídos em solo russo, a Rússia há muito tempo perdeu a capacidade de produzir navios de grande porte e até agora não teve oportunidade de fornecer à sua frota esses navios por conta própria. Segundo relatos da Phoeinix, a China planeja produzir quatro embarcações de assalto Type 075, deslocamento de 40 mil toneladas. O Modelo de navio esteve presente na feira (foto superior) e levantou muitos questionamentos uma vez que foi muito vistado pelos representantes russos.

Sistemas de Infravermelho

O interesse real russo reside nos  termógrafos infravermelhos multifuncionais, cuja exportação para a Rússia é a mais promissora. Mesmo antes do início da deterioração das relações com o Ocidente, a maioria dos dispositivos infravermelhos para equipamento militar foi comprada pela Rússia na França. Agora, o fornecimento de equipamentos de infravermelho é proibido.

A China assumiu completamente o desenvolvimento desta área e logo fez um avanço tecnológico nela, melhorando a qualidade dos dispositivos infravermelhos fabricados para equipamentos militares no nível ocidental. Assim, quase todos os dispositivos de infravermelho instalados nos carros de combate russos, helicópteros militares e veículos de reconhecimento foram fabricados na China e salvaram a situação após a proibição de suprimentos da França.

Outras possibilidades

De acordo com analistas, técnico-militar fórum “Army 2018”, o interesse na indústria naval possa estar associado aos motores navais, turbinas a gás e motores diesel elétricos além de baterias elétricas de alto desempenho.

Esta seria uma grande oportunidade para a Rússia se reunir com a tecnologia militar chinêsa que foi especialmente importante nas condições de sanções ocidentais e deterioração oportunidades para fornecer materialmente para o seu exército.

O objetivo das empresas chinesas, que apresentavam a fragata Type 054A, não foi segundo Phoenix a venda de navios ou equipamento de infravermelho no fórum, mas sim expandir a cooperação no campo da defesa com a Rússia, que caiu sob as sanções do Ocidente. O lado chinês está cheio de esperança de que a cooperação militar entre os dois países se torne bilateral e efetiva no futuro.

 

Categories
Defesa EDITORIAL Negócios e serviços Patrulheiros Sistemas de Armas Sistemas Navais

Novas corvetas Italianas e mais navios para a Marinha do QATAR

Modelo da corveta apresentada na DIMDEX-2018 – Gentileza-Fincantieri.


Autor:

E.M.Pinto – Plano Brasil 

 

 

 


Com um  montante global de US$ 5,0 Bilhões dos quais cerca de US$ 1 bi refere-se apenas à  aquisição de mísseis, a Marinha do Qatar exerce assim a sua opção pela aquisição de uma considerável força de navios para a sua Marinha. A Marinah do Qatar receberá em breve quatro novas  corvetas  (Imagem superior, descritas a seguir), dois navios de patrulha offshore de cerca de 60 metros e uma unidade de projeção LHD, apresentada como LPD (Landing Platform Dock) que poderá ser derivada do navio de apoio de aterrissagem e logística (BDSL) Kalaat Beni Abbes  de 143 m e 9,0 kton de desolcamento.

Segundo o fabricante italiano, todos os navios serão produzidos na Itália e posteriormente entregues ao cliente até o ano de 2024.

navio de apoio de aterrissagem e logística (BDSL) Kalaat Beni Abbes- foto Marinha Argelina.

Nesse sentido a Fincantieri aproveitou o DIMDEX, afeira militar que ocorre em Doha no Qatar para formalizar o projeto das quatro corvetas que o grupo italiano vendeu ao país do golfo.

A plataforma, com 107 ms de comprimento e quase 15 m de boca possui um deslocamento de 3000 toneladas e pode atingir 28 nós. O alcance do navio é  estimado em 3.500 milhas em velocidade econômica, com autonomia de três semanas em operação.

Um navio que se enquadra nos requisitos da Marinha do Brasil para uma corveta de patrulha do Atlântico Sul?

Sistema de Mísseis Aster 30 B1 – foto MBDA.

A tripulação é de 95 integrantes com a possibilidade de acomodar um máximo de 110 pessoas.

A versão oferecida ao Qatar é armada com um sistema defesa aérea composto por células com capacidade para 16 mísseis Aster 30 dos quais segundo nota da MBDA, o Qatar optou pela versão B1 o qual possui a capacidade anti-míssil balística.

Além disso o navio é equipado com um sistema sistema de RAM , 8 mísseis anti-navio Exocet MM40, uma arma de cano de 76mm, operada remotamente, tubos torpedos e lançadores de chamariz.

O navio possui capacidade de operação de uma aeronave orgânica da qual o Qatar assinou recentemente a encomenda de 28 helicópteros multipropósito NH-90 destinado ao resgate, guerra de superfície e guerra submarina.

 

Informações- Fincantieri

Sobre  o Autor:

E.M. Pinto é Físico, Mestre em Física Aplicada e Doutor em Engenharia e Ciências dos Materiais, Professor Universitário editor do site Plano Brasil e de Revistas científicas  internacionais.