Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Sistemas de Armas

drone de combate "Caçador" terá desenvolvimento acelerado por conta dos avanços no programa PAK FA

E.M.Pinto
 
Segundo o Ministério da Defesa da Rússia,  o drone de combate Su-70 “Caçador”, possui exímia capacidade furtiva superior ao próprio Su-57. A aeronave produzida em formato de “asa voadora” e dificilmente perceptível para radares, é projetado tanto para operação autônomas quanto para operações em conjunto com o futuro bombardeiro PAK-DA ou mesmo com os caças  Su-57.
O MD russo reportou que muitas tecnologias do Su-70 já estão desenvolvidas e que seu programa será bem curto, uma vez que muitas de suas tecnologias são herdadas dos desenvolvimentos para o caça de 5G que estão em fase final de testes de seus protótipos.
Em nota o MD russo afirma que dentre outras funções, o drone explorará por exemplo a localização das instalações de defesa aérea inimigas e as destruirá ao comando de um piloto de caça.
O caçador possui uma exímia capacidade de carga, inigualável a qualquer modelo já desenvolvido no mundo, com uma massa total de cerca de 24 toneladas o Caçador poderá transportar em baias internas, cerca de 8 toneladas de armamentos para as mais diferentes missões, SEAD, CAS, CAP e interceptação. 

 

Quando foi apresentado ao público o Su-70 “caçador” exibia as tubeiras traseiras dos seus motores que despertaram nos articulistas de defesa os questionamentos sobre suas capacidades furtivas. Entretanto, o drone equipado com uma variante dos motores AL-31F foi apresentado  na MAKS 2019 com um bocal plano oq ue deve reduzir significamente  a visibilidade  nas faixas de infravermelho.

Imagens Michael Jerdev

Melhorias aerodinâmicas são esperadas para serem  introduzidos num futuro próximo, em uma das etapas da produção em massa.

 

Categories
Aviação Defesa Tecnologia Vídeo

PM Ambiental usa aeronave remotamente pilotada para combater crimes em São Paulo

https://www.youtube.com/watch?v=LD-qYQe-DF4

Sugestão: Justin Case

Segundo o Tenente Coronel Luís Gustavo Biagioni, o teste do emprego da tecnologia é primordial para prevenção de crimes contra o meio ambiente

Por terra, água e ar, o trabalho e a fiscalização realizados pela Polícia Militar Ambiental não deixa espaço para quem quer cometer crimes em nenhum dos quatro cantos do Estado de São Paulo.

 

Polícia Militar Ambiental usa VANT para monitorar crimes no Estado de São Paulo
Divulgação

Polícia Militar Ambiental usa VANT para monitorar crimes no Estado de São Paulo

Na manhã desta sexta-feira (9), eu conversei com o Tenente Coronel Biagioni da Polícia Militar Ambiental. Ele é responsável por coordenar todo o trabalho de implementação do uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP) na PMA e ressalta os benefícios e eficiência do uso da tecnologia.

“A PMA tem pesquisado esse tipo de tecnologia desde 2010 e os testes trazem experiência no sentido de efetivamente ter isso como uma ferramenta de trabalho no futuro. O momento agora é de testar um equipamento bem maior que é o Caçador, modelo Heron, da Avionics-IAI. Um equipamento de alta capacidade e tecnologia”, diz o Tenente Coronel.

De acordo com o Policial, essa nova aeronave é diferente dos drones convencionais de até 20 quilos que costumamos ver. O Caçador precisa ficar em uma base e tem uma logística toda especial só para ele. A aeronave é capaz de voar por mais de 40 horas seguidas, a uma altitude de até 30.000 pés. “Ele voa integrado com o controle de espaço aéreo e em contato com o controlador de voo. Ele usa as vias estabelecidas para ele durante uma missão em uma altura que impossibilita a sua percepção por quem está no solo. Ele acaba se tornando furtivo ao olho humano, operando durante qualquer hora do dia”, diz.

O RPA tem autonomia para atuar em um raio de 250 KMs de onde está, mas com seu sistema de links através de satélites pode cobrir 100% do território do Estado de São Paulo. “Nós usamos dois modelos de RPAS atualmente, de até 20 quilos para testes operacioanais de eficiência e temos a perspectiva futura de conseguir continuar empregando a tecnologia. No teste que está sendo feito, a perspectiva é de ter serviço à disposição, e não de adquirir um RPA. Sendo mais eficiente a contratação de serviços do tipo”, aponta o Coronel Biagioni.

Para finalizar, o Coronel Biagioni diz que toda a operação do RPA é feito pelo pessoal da Avionics-IAI, mas que sempre tem alguém da PMA que atua de forma integrada para que as ações sejam planejadas. “Esse Policial identifica aquilo que pode haver de errado e isso é repassado para uma equipe em solo, que checa a ocorrência e toma a devidas medidas”, finaliza o Coronel.

VANT caçador e Policiais da PMA
Divulgação/PMAmbiental

VANT caçador e Policiais da PMA

Apreensão com RAP

Durante a madrugada dessa quinta-feira (8), a Polícia Militar Ambiental realizou uma operação na região de Botucatu com auxílio da Aeronave Remotamente Pilotada, o Caçador. A ação só foi possível graças a tecnologia que utiliza câmera especial com infravermelho e consegue identificar pessoas, veículos e construções, tanto de dia como à noite.

De acordo com o Tenente Coronel, foi identificado alguns pontos onde um trator estava operando em área de proteção durante a madrugada. “Isso nos chamou atenção e a partir daí mandamos viaturas pelo solo para checar essa ação e também a de alguns barcos que foram vistos. Essa fiscalização é importante para prevenir crimes. Agimos com a capacidade de monitoramento, antes que a infração ocorra”, disse o Tenente Coronel Biagioni da Polícia Militar Ambiental.

Imagens noturnas feitas pelo VANT Heron modelo caçador da Polícia Militar Ambiental
Divulgação/PMAmbiental

Imagens noturnas feitas pelo VANT Heron modelo caçador da Polícia Militar Ambiental

Fonte: IG- Último Segundo