Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

O porta-aviões almirante Kuznetsov será ancorado para mais reparos em 2020

Em abril de 2018, os construtores navais assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para fazer reparos no porta-aviões Almirante Kuznetsov.

©  Lev Fedoseev / TASS

MOSCOU, 7 de maio / TASS /. O porta-aviões russo Almirante Kuznetsov, atualmente em manutenção na 35ª fábrica de reparos navais em Murmansk, será docado em 2020, disse uma fonte da indústria naval à TASS.

“A fase de reparos em um dique seco começará em 2020, desde que as instalações necessárias estejam operantes e a capacidade do dique seja aumentada”, disse a fonte.

A United Shipbuilding Corporation informou à Tass que a 35ª usina de reparos de navios estava em processo de modernização de suas instalações portuárias, o que permitiria acomodar o porta-aviões.

“É um pacote complexo de medidas, por isso prevemos um certo adiamento da segunda docagem do navio, mas o eventual prazo para a conclusão dos reparos foi atualizado para 2021 e permanecerá inalterado”, disse a  fonte.

O almirante Kuznetsov foi danificado em um incidente noturno em 30 de outubro de 2018, durante uma operação de lançamento em Murmansk. A doca flutuante PD-50 afundou e a consequente queda de um guindaste danificou o convés de vôo do kuznetsov.

O presidente da corporação naval Alexei Rakhmanov disse à TASS que o porta-aviões sofreu 52 defeitos, o que custariam cerca de  70 milhões de rublos para serem eliminados. Ele disse que o Almirante Kuznetsov teria que ser ancorado pela segunda vez. 

Originalmente, a operação estava programada para o verão de 2019. Após o afundamento do cais PD-50, várias opções de um segundo acoplamento foram consideradas e a escolha foi feita em favor da criação das instalações necessárias na 35ª fábrica de reparos navais.

Atualização do Almirante Kuznetsov

Em abril de 2018, os construtores de navios assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para realizar uma atualização no porta-aviões project 11435. O então vice-comandante da Marinha russa, Viktor Bursuk, disse que os reparos no único porta-aviões da Rússia começaram em maio de 2018 e que a Marinha esperava ter o navio atualizado em 2021.

O ministro da Defesa, Sergey Shoigu, disse em 9 de abril que a parcela do trabalho de reparo e modernização chegou a 25% e deve ser concluída até o final de 2020.

O Almirante Kuznetsov estará armado com novos sistemas de defesa aérea, incluindo o Pantsir-M. Equipamentos de geração de potencia adicionais, caldeiras, bombas, equipamentos de vôo, sistemas de observação e controle totalmente novos.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Marinha russa pode ter que desmantelar seu único porta-aviões

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

O único porta-aviões da Rússia, o almirante Kuznetsov, pode ser desativado se o Ministério da Defesa e a indústria não resolverem a questão da substituição da doca seca flutuante PD-50 necessária para concluir a reparação do casco do navio, informou o jornal Izvestia, citando uma fonte na Marinha russa.

A Marinha Russa está considerando a desativação prematura de seu único porta-aviões depois que a doca seca flutuante PD-50, que a abrigava, afundou.

EM 2018 o navio sofreu um sinistro no dique seco flutuante  após uma falha no fornecimento de energia, fazendo com que um dos guindastes do cais caísse no convés do porta aviões, frindo os trabalhadores da estação de reparos. O incidente deixou um buraco de 4 × 5 metros no convés de vôo da embarcação.

Agora, o maior navio de combate da superfície da Marinha Russa está aguardando a decisão de seu destino perto do muro da 35ª Instalação de Reparos em Kola Bay, perto de Murmansk. A Rússia não possui um substituto adequado para o PD-50 que fora adquirido da 1980 na Suécia para a Marinha Soviética. Além disso, o porta-aviões russo já protagonizou  muitas outras controvérsias.

Segundo a Popular Mechanics, nas últimas décadas, o Kuznetsov já havia sido assolado por incêndios, cortes orçamentários e falhas nas caldeiras a vapor. É tão pouco confiável que um rebocador o acompanha em longas viagens.

Mesmo antes do acidente do PD-50, vários observadores questionaram a utilidade e a despesa de reforma do Kuznetsov.

 “Em geral, precisamos revisar criticamente o conceito doméstico do emprego de grupos de ataque de porta-aviões, já que a Rússia se comprometeu a usar o almirante Kuznetsov para realizar tais missões”, sugeriu Oleg Vladykin na Nezavisimaya Gazeta.

O editor do jornal Moscow Defense Brief Mikhail Barabanov rejeitou as atualizações de Kuznetsov.

“Como Kuznetsov não é tanto uma plataforma de combate como uma plataforma de treinamento, a modernização profunda para ela é um excesso óbvio”.

O almirante Kuznetsov (cruzador de aeronaves pesadas na classificação russa) foi comissionado em 1990 e herdado pela Rússia após o desmembramento da URSS. O nome inicial do navio era Riga; foi lançado como Leonid Brezhnev, embarcou em testes no mar como Tbilisi, e finalmente foi nomeado Almirante Flota Sovetskogo Soyuza Kuznetsov após o almirante da frota da União Soviética Nikolay Gerasimovich Kuznetsov.

Nos anos imediatamente posteriores à Guerra Fria, raramente foi para o mar – conduzindo apenas seis patrulhas entre 1991 e 2015. Em 2009, um acidente elétrico matou um tripulante na costa da Turquia. Mas a Rússia repetidamente empurrou o navio para o serviço, e uma missão de 2016 na costa da Síria viu o navio perder dois jatos em apenas três semanas.

No momento, a Rússia não tem as possibilidades técnicas e financeiras para restaurar seu antigo porta-aviões e também para construir uma série de novos.

Fonte: Defence Blog

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Navios Rússia Sistemas Navais Tecnologia

Army-2018: Revelado o conceito do novo Porta Aviões "leve"

 E.M.Pinto

No fórum “Army-2018” os participantes tiveram a oportunidade de ver o modelo de um porta-aviões leve e multiuso em desenvolvimento pelo Instituto Kyrlov. A princípio não foi manifestado o interesse do navio pela Marinha Russa.

O modelo Apresentado no  estande do Centro de Pesquisa do Estado de Krylov, claramente diferia das maquetes previamente apresentadas em outras feiras e eventos. O modelo exposto exibe um deck superior cuja configuração permite a operação simultânea de várias aeronaves.

Segundo as informações o novo porta-aviões teria um deslocamento total de 44 mil toneladas e seria capaz de operar cerca de 46 aeronaves, incluindo caças pesados ​​e leves, vários helicópteros e aeronaves alerta aéreo antecipado.

Para comparação, em um cruzador Porta aviões aviões, Almirante Kuznetsov, possui um deslocamento máximo de cerca de 58 mil toneladas, o projeto previa a operação de cerca de 50 aeronaves e helicópteros, na realidade, a ala aérea sempre operou com números menores. O Kuznetsov possui um alcance da navegação é de 8000 milhas, a autonomia é de 60 dias. O porta-aviões possui uma poderosa defesa antiaérea, anti-torpedo e anti-submarino.

Segundo o instituto Kyrlov o projeto apresentado interessou inclusive à estrangeiros, em particular, os franceses.  As suposições levantadas até mesmo antes do é de que o modelo seja destinado a um cliente estrangeiro embora se afirme que o mesmo também foi apresentado para a Marinha Russa.

Até então sabe-se que a Marinha Russa pauta a sua escolha no Project 23000 (“Storm”). O esboço preliminar sugere desse navio apresenta um deslocamento de 80.000 a 90.000 toneladas. O navio será equipado com uma unidade de propulsão combinada que compreende um reator nuclear e um motor de turbina a gás. O grupo de porta-aviões deve consistir em até 60 aeronaves.

Quanto a um possível deslocamento de um avançado porta-aviões russo, o instituto havia informado previamente que as especificações da Marinha Russa, apontam para um navio com deslocamento entre 60.000 a 100.000 toneladas. Essa diferença pode ser explicada: a escolha do deslocamento de água depende diretamente do tipo de propulsão que será usada para operar um navio.

As autoridades da Marinha russa presentes no evento disseram anteriormente que a frota russa espera receber um porta-aviões avançado movido a energia nuclear com um deslocamento de não menos de 70 mil toneladas até 2030.

Categories
Defesa Navios Negócios e serviços Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

O chefe da Nevsky PKB explica tudo sobre a reparação de porta-aviões "Almirante Kuznetsov"

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Mais informações sobre os progressos e as recentes mudanças no programa de reparos do único Porta aviões Russo o “Almirante Kuznetsov”. As informações são baseadas na entrevista de Sergei Orlov, chefe do Nevsky PCB, concedida  à agência de notícias TASS .

O porta-aviões Almirante Kuznetsov passará por reparos e modernização nos próximos três anos. Todos os principais pontos da entrevista são apresentados aqui:

Sobre as dificuldades na reparação do porta-aviões

A parte mais difícil neste contrato sério é sobreviver ao prazo, é indicado de forma bastante rígida.  A preocupação é causada não apenas pela parte de modernização mas, porque é necessário garantir a interface dos sistemas instalados entre si e com os instrumentos restantes do navio.

Sobre as obras e os termos de reparação e modernização

A reparação com a modernização será levada em 2,5 anos. E então a entrega do navio está planejada para ser efetuada em uma impressionante e complexa sequencia de testes por cerca de sete meses.

TAKR “Almirante Kuznetsov” / “82 Planta de reparo naval”, OJSC

Sobre o possível atraso

Há uma característica significativa relacionada ao uso da aviação. O fato é que as decolagens e aterrissagens no convés do navio só podem ser feitas em certas condições climáticas. De acordo com Sergei Orlov, é agora claro que o fim da reparação e do início do teste cai no início da época das tempestades do norte – isto dará tempo para uma curta pausa no julgamento o que permitirá que se pratiquem reparos neste período.

Sobre as diferenças na reparação do porta-aviões “Vikramaditya” (ex-almirante Gorshkov) e almirante Kuznetsov.

A principal diferença nos trabalhos realizados no Vikramaditya e o planejado no Almirante Kuznetsov é que é necessário combinar o novo equipamento com o antigo. Isso é mais complicado do que os trabalhos realizados no Vikramaditya.

Porta-aviões “Almirante da Frota da União Soviética Kuznetsov” / Korabel.ru

 

Sobre a transferência da documentação de projeto de trabalho para a fábrica

De acordo com Sergei Orlov, todos os cronogramas estão em dia, o PKB os observa e a documentação de desmantelamento já é transferida para a fábrica de Murmansk.

No início da reparação,

Sergei Vladislavovich disse que as caldeiras da proa do navio já foram descarregadas para instalar novas caldeiras. Para fazer isso, foram feitos grandes recortes através de vários decks, e o navio foi cortado até o fundo.

O Porta-aviões “Almirante da Frota da União Soviética Kuznetsov” / Korabel.ru

Sobre caldeiras de alimentação

A extração de caldeiras há um desafio tecnológico ainda mais difícil, e mais importante, será necessário nos meses mais frios em Murmansk. Neste caso, disse Sergei Orlov, tudo é feito quase simultaneamente, não haverá sequência clássica de ações – primeiro remover o antigo, então algo novo para instalar.

Sobre o número de construtores navais no momento do pico do reparo. Estima-se que cerca de 2.000 pessoas trabalhem no navio. Sobre o número de especialistas do departamento de design na reparação do navio quase todos os departamentos estão envolvidos no reparo do porta-aviões

Sobre a falta de especialistas no departamento de design

Atualmente, jovens especialistas chegam ao escritório após a formatura. Além disso, disse Sergei Orlov, durante os períodos de trabalho intensivo envolveu especialistas de empresas relacionadas que são membros da USC.

Porta-aviões “Almirante da Frota da União Soviética Kuznetsov” / Korabel.ru

Sobre os especialistas de “ouro”

A experiência de conserto “Vikramaditye” ajudou muito. Um grupo de jovens chegou à agência que tinha uma boa escola em Sevmash quando reparou o Vikramaditya. Esses especialistas são “capital de ouro”.

Ala Aérea do “Almirante Kuznetsov”

No navio serão baseadas aeronaves MiG-29K / KUB, Su-33 e vários tipos de helicópteros.

 

A probabilidade de atraso no reparo

A criação de qualquer navio é um compromisso. A tarefa do departamento é encontrá-lo entre o cliente e a unidade de construção, assumindo uma postura dura.

Sobre os porta-aviões do Centro Krylov

Eles têm sua própria visão do futuro do navio de transporte de aeronaves da Rússia, e o Neva BKB tenta não discutir com eles.

A bordo do porta-aviões / Korabel.ru

Sobre uma catapulta eletromagnética

A criação de uma catapulta eletromagnética será um passo incondicional à frente e permitirá a decolagem de aeronaves mais pesadas ​​com maior suprimento de combustível e armas.

Sobre o relacionamento pessoal com o “Almirante Kuznetsov”

Os contornos do porta-aviões, sua forma no momento, podem ser considerados perfeitos – nem adicionar nem subtrair.

Sobre os porta- helicópteros

 São navios de dupla utilização que podem desempenhar funções civis e militares. A experiência na Síria, de acordo com Sergey Vladislavovich mostrou que precisamos de grandes navios suficientes que são simplesmente capazes de oferecer uma variedade de produtos a partir do ponto A ao ponto B.

O trabalho no Porta helicóptero PKB

Esse trabalho ainda não está em andamento. Mas o PKB está trabalhando de forma proativa.

Sobre “Ivan Gren, Project 11711”

De acordo com Sergei Orlov, os fuzileiros estão absolutamente encantados com Ivan Gren. Eles disseram que tudo era muito conveniente em termos de carga e descarga do equipamento.

Sobre a recusa de continuação da construção Project 11711

Tendo criado dois navios, a frota vê o conceito de um novo veículo, há a possibilidade de um novo “hover craft” para usar  em navios e estes só podem ser lançados a partir de um navio de desembarque universal.

 

Fonte: KORABEL