Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Novo porta-aviões italiano lançado 15 meses após o início da construção

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

O novo Porta helicópteros da Marinha italiana (LHD), Trieste, foi lançado em uma cerimônia no estaleiro Castellammare di Stabia da Fincantieri em 25 de maio.

O navio anfíbio polivalente foi lançado na presença do presidente italiano Sergio Mattarella e do comandante chefe da Marinha italiana, Adm. Valter Girardelli, entre outros oficiais de alto escalão.

 O LHD é também referido como um porta-aviões uma vez que se espera que seja capaz de transportar e operar aeronaves F-35B de pouso-decolagem vertical. 

A Trieste será entregue em 2022, de acordo com a Fincantieri, e será capaz de operar aeronaves, veículos e equipamentos anfíbios, contando com um convés de vôo e uma doca alagável localizada na popa do navio.

O navio possui acomodações para uma tripulação total de 1000 integrantes e contará com um convés para operações de helicópteros, de 230 m de comprimento, permitindo a operação de um batalhão de 600 tropas e acomodação para veículos, civis e militares. .

A doca alagável de 50 m de comprimento e 15 m de largura permitirá que o navio implante equipamentos anfíbios e veículos das marinhas da UE e da OTAN. Também transportará barcos de patrulha rápidos que serão capazes de transportar tropas a velocidades de 40 nós.

Foto: Fincantieri

Embedded video
As áreas de carga do Trieste são acessíveis através de guindastes, rampas de popa e laterais e o manuseio será gerenciado por rampas internas e elevadores.
 
[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=IEATacuOjqk[/embedyt]
 

Além de permitir a projeção da força de desembarque da Marinha italiana, o Trieste prestará assistência a países e populações em caso de desastres naturais, graças à sua capacidade de fornecer água potável, fornecimento de energia e assistência médica. A unidade também foi concebida para realizar funções de comando e controle em caso de emergências no mar, evacuação de cidadãos e operações de assistência humanitária.

Um hospital totalmente equipado também estará disponível a bordo, completo com salas de operação, salas de radiologia e análise, um consultório odontológico e salas de pacientes capazes de abrigar 27 pacientes gravemente feridos.

 imagem-Ministério da defesa italiano

A Fincantieri também está construindo um navio de apoio logístico Vulcano de 193 metros. A entrega do navio provavelmente será adiada, já que foi danificada em um incêndio em julho de 2018 , apenas um mês após o lançamento.

Fonte: Naval Today

New Italian aircraft carrier launched 15 months after construction start

Categories
Aviação Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Marines encomendam 12 CH-53K num contrato avaliado em US $ 1,3 bilhão

 

O Comando de Sistemas Aéreo Navais dos EUA concedeu à Sikorsky um contrato de US $ 1,3 bilhão para a construção e entrega de 12 helicópteros CH-53K King Stallion para o US Marine Corps.

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

O helicóptero mais potente do Departamento de Defesa, o CH-53K King Stallion, é um helicóptero de projeto e construção totalmente nova que expandirá a capacidade da frota de movimentar mais material e com mais rapidez .

O CH-53K fornecerá ao Corpo de Fuzileiros Navais a capacidade de transporte pesado necessária para atender aos requisitos operacionais futuros das missões de helitransporte pesado.

“O Corpo de Fuzileiros Navais está muito agradecido pelos esforços da Marinha e de nossos parceiros industriais para poderem conceder o contrato LRIP 2/3.Esta é uma vitória para o Corpo de Fuzileiros Navais que garantirá a capacidade de transporte pesado que precisamos para atender aos requisitos operacionais futuros e apoiar a Estratégia Nacional de Defesa”. Declarou o tenente-general Steven Rudder, vice-comandante da Aviação dos Marines.

Com uma capacidade de deslocamento e içamento projetada e demonstrada de quase 14 toneladas em um raio de missão de 203 km, em ambientes elevados e  quentes o CH-53K triplica a capacidade de transporte e  elevação comparado ao CH-53E .

O CH-53K provou a capacidade de levantar até 16329 kg através do gancho de carga externo. De acordo com a Marinha, o CH-53K terá uma capacidade logística equivalente com menores custos operacionais por aeronave e menos horas de manutenção direta por hora de vôo.

“Este  contrato reflete uma estreita cooperação e compartilhamento de riscos entre o governo e as equipes da indústria para fornecer recursos essenciais para o Corpo de Fuzileiros Navais”. Trabalhando com nossos parceiros do setor, a equipe garantiu que as soluções para desafios técnicos fossem incorporadas a essas aeronaves de produção. Isso reflete a urgência de garantir que fornecemos os recursos necessários para apoiar o Corpo de Fuzileiros Navais e a missão do Departamento de Marinha, ao mesmo tempo em que continuamos a impulsionar acessibilidade e responsabilidade no programa ”. Relatou James Geurts, Secretário Assistente da Marinha para Pesquisa, Desenvolvimento e Aquisição.

Até o momento, o helicóptero demonstrou voos em elevadas altitudes, temperatura quente e ambientes com capacidades visuais degradadas, carga máxima de um ponto de gancho de carga 16.329 kg a velocidade de vôo para a frente de mais de 200 nós, com Ângulo de 60 graus de curvas; altitude de 18.500 pés; Desembarques e decolagens em declive de 12 graus; ejeção de carga externa  e testes de fogo.

 

Fonte: Naval Today

Categories
Aviação Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Tempestade do oceano

 
Foto: Artem Tkachenko / Wikipedia.org
Tradução e adaptação-E.M.Pinto
 
O desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo deve começar já em 2023. O navio será projetado para operar com modernos  meios de defesa e ataque, o que fará do navio uma formidável força na vastidão do oceano.
As especificidades do navio não foram divulgadas,porém apenas se afirmou que ele seria movido por um reator nuclear e que teria um deslocamento de cerca de 70 mil toneladas.

O Vice-primeiro-ministro Yuri Borisov, confirmou que o trabalho de criação de um porta-aviões “Já existe há muito tempo “. No entanto, ele não especificou as datas exatas de seu lançamento.Sabe-se que o projeto de um porta-aviões, classificado como Project 23000 Storm, foi proposto pelo Centro de Pesquisa Krylov.

O especialista militar, Alexei Leonkov, disse à RG, que havia vários projetos do navio, e que estes sofreram constantes alterações.
Lenokov acredita que a construção de um porta-aviões para a Marinha é realmente necessária, uma vez que as tarefas para a frota mudaram muito nos últimos anos.
O especialista sugeriu que o porta-aviões possa ser equipado com reatores RITM-200, que estão sendo instalados nos quebra-gelos nucleares russos, ou ainda, que ele seja equipado por um reator com refrigeração à metal líquido, criado para ele.
“Atualmente, a criação de tais motores é trazida à nossa mente, eu não excluo que o trabalho já esteja em andamento “, observou Leonkov.

Segundo ele, como meio de defesa aérea, o navio utilizara uma versão naval do mais novo sistema de defesa  S-500 e o desenvolvimento da versão naval do Su-57 e ou até mesmo a revitalização do projeto para criar uma aeronave de decolagem e pouso verticais, em particular a “ressuscitação” do Yak-141, mas tendo em conta as tecnologias modernas.

Fonte: RG

Categories
Defesa Navios Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Rússia Planeja produzir pelo menos 12 fragatas Project 22350M

Tradução E.M.Pinto

A Rússia planeja fabricar pelo menos 12 fragatas do Project 22350M de deslocamento de 7.000 toneladas e uma capacidade de transportar até 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon. O projeto será finalizado no final deste ano.

MOSCOU, 9 de maio / TASS /. A Rússia planeja fabricar pelo menos 12 fragatas aprimoradas Project 22350M, capazes de transportar até 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon, disse uma fonte da indústria naval à TASS nesta quinta-feira.

“O navio principal desta série está previsto para ser incorporado à Marinha em 2027”, disse a fonte.

De acordo com a fonte,

“O projeto para esta embarcação prevê um deslocamento de 7.000 toneladas padrão e uma capacidade de transportar 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon e que será finalizado no final do ano”.

“Ao todo, 12 fragatas desta classe estão planejadas para serem fabricadas, com 11 delas para serem encomendadas ao cliente dentro dos quadros do novo programa estatal de aquisição de armas”, acrescentou a fonte.

A Marinha Russa tem atualmente a seu serviço o principal navio de guerra do Project 22350, a Almirante Gorshkov, enquanto a Almirante Kasatonov passa por testes no mar e mais duas fragatas desta série estão em construção.

Espera-se que as fragatas do Project 22350 se tornem os navios de guerra mais avançados da marinha russa em sua classe. Estas fragatas deslocam 4.500 toneladas e podem desenvolver uma velocidade de 29 nós. Eas estão armadas com mísseis Oniks e Kalibr e com os sistemas de mísseis de defesa aérea Poliment-Redut.

 

Fonte: Tass

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

O desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023

Andrey Luzik

Tradução e adaptação E.M.Pinto

O trabalho de desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023. Os recursos da fase de desenvolvimento já estão incluídos no programa ferderal de armamento.

Grupos de ataque centrados em Porta Aviões continuam sendo a ferramenta mais poderosa da guerra no mar.

“A pesquisa científica e desenvolvimento do novo porta-aviões estão incluídos no atual programa de armamentos que se estende até 2027, e vai ser iniciado já em 2023” – foi o que informou a TASS, uma fonte da indústria de construção naval.

Segundo a fonte, o navio será movido a energia nuclear e terá um deslocamento de cerca de 70 mil toneladas.

A United Shipbuilding Corporation esclareceu à agência que até agora nenhuma especificação técnica e tática específica para o projeto deste navio foi recebida do Ministério da Defesa da Rússia.

“Se tal ordem for recebida do departamento, as empresas da corporação estarão prontas para implementá-la”, disse o porta voz da USC.

No momento, a Marinha russa possui um porta-aviões convencional, o Cruzador Almirante Kuznetsov que está passando por reformas com modernização e deve voltar a operar depois de 2021.

Fonte: Tass 

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

O porta-aviões almirante Kuznetsov será ancorado para mais reparos em 2020

Em abril de 2018, os construtores navais assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para fazer reparos no porta-aviões Almirante Kuznetsov.

©  Lev Fedoseev / TASS

MOSCOU, 7 de maio / TASS /. O porta-aviões russo Almirante Kuznetsov, atualmente em manutenção na 35ª fábrica de reparos navais em Murmansk, será docado em 2020, disse uma fonte da indústria naval à TASS.

“A fase de reparos em um dique seco começará em 2020, desde que as instalações necessárias estejam operantes e a capacidade do dique seja aumentada”, disse a fonte.

A United Shipbuilding Corporation informou à Tass que a 35ª usina de reparos de navios estava em processo de modernização de suas instalações portuárias, o que permitiria acomodar o porta-aviões.

“É um pacote complexo de medidas, por isso prevemos um certo adiamento da segunda docagem do navio, mas o eventual prazo para a conclusão dos reparos foi atualizado para 2021 e permanecerá inalterado”, disse a  fonte.

O almirante Kuznetsov foi danificado em um incidente noturno em 30 de outubro de 2018, durante uma operação de lançamento em Murmansk. A doca flutuante PD-50 afundou e a consequente queda de um guindaste danificou o convés de vôo do kuznetsov.

O presidente da corporação naval Alexei Rakhmanov disse à TASS que o porta-aviões sofreu 52 defeitos, o que custariam cerca de  70 milhões de rublos para serem eliminados. Ele disse que o Almirante Kuznetsov teria que ser ancorado pela segunda vez. 

Originalmente, a operação estava programada para o verão de 2019. Após o afundamento do cais PD-50, várias opções de um segundo acoplamento foram consideradas e a escolha foi feita em favor da criação das instalações necessárias na 35ª fábrica de reparos navais.

Atualização do Almirante Kuznetsov

Em abril de 2018, os construtores de navios assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para realizar uma atualização no porta-aviões project 11435. O então vice-comandante da Marinha russa, Viktor Bursuk, disse que os reparos no único porta-aviões da Rússia começaram em maio de 2018 e que a Marinha esperava ter o navio atualizado em 2021.

O ministro da Defesa, Sergey Shoigu, disse em 9 de abril que a parcela do trabalho de reparo e modernização chegou a 25% e deve ser concluída até o final de 2020.

O Almirante Kuznetsov estará armado com novos sistemas de defesa aérea, incluindo o Pantsir-M. Equipamentos de geração de potencia adicionais, caldeiras, bombas, equipamentos de vôo, sistemas de observação e controle totalmente novos.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Rússia lança o maior submarino do mundo- Project 09852 KC-139 "Belgorod" a nave mãe dos submarinos "Poseidon"

Tradução e adaptação: E.M.Pinto


SEVERODVINSK, 23 de abril / TASS /.

Em cerimonia oficial, foi lançado o submarino Project 09852 KC-139 “Belgorod” o submarino de propulsão nuclear que será o primeiro transportador dos drones submarinos estratégicos “Poseidon”. O lançamento do navio foi efetuado de sua doca no estaleiro Sevmash, no norte da Rússia.

O presidente russo, Vladimir Putin, assistiu à cerimônia de lançamento do submarino por meio de um link de TV.

Mikhail Budnichenko diretor do estaleiro proferiu um pronunciamento enfatizando o papel dos construtores navais que estão em constante melhoria e produção continuada, com contratos assinados por mais de duas décadas garantidos.

Ele enfatizou:

“Os construtores navais da empresa cumpriram todas as tarefas de construir navios dentro do prazo estabelecido e com alta qualidade”.

Depois disso, o Comandante do Navio Capitão Anton Alyokhin tradicionalmente esmagou uma garrafa de champanhe contra a quilha do navio. A construção do submarino será concluída após o lançamento ao mar.

Uma fonte do setor de defesa disse à TASS que os testes do reator nuclear do submarino e seus testes no porto estão programados para este ano.

O Belgorod realizará testes marítimos em 2020 e após as suas aprovações, será entregue à Marinha até o final desse ano, observou a fonte.

Outra fonte na indústria de defesa disse à TASS que o novo submarino seria capaz de transportar seis drones estratégicos.

O submarino nuclear Belgorod foi inicialmente construído sob o Project  949A ‘Antey’.

O submarino foi colocado no estaleiro Sevmash em 24 de julho de 1992. Em 20 de dezembro de 2012, foi novamente lançado sob o Projeto 09852.

As características operacionais exatas do submarino para fins especiais são secretas e desconhecidas, porém, o Ministério da Defesa da Rússia informou em novembro de 2018 que a tripulação do submarino de Belgorod havia sido formada.

O navio terá no entanto a missão de transportar e comandar o drone submarino Poseidon o qual foi revelado pelo presidente russo Vladimir Putin em seu discurso à nação na Assembléia Federal em 1 de março de 2018.

O líder russo disse que a Rússia já havia desenvolvido drones capazes de se mover em grandes profundidades, em distâncias intercontinentais a uma velocidade superior aos dos subamarinos convencionais.

Como o presidente russo disse, esses drones podem ser armados com munições convencionais ou nucleares, o que lhes permitirá atacar uma ampla gama de alvos. O drone Poseidon terá um alcance operacional ilimitado e uma profundidade operacional de mais de 1 km.


Fonte: TASS

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Estaleiro Sevmash dá início a construção de duas fragatas Project 22350 " Almirante Gorshkov"

Tradução e adaptação-E.M.Pinto


ST. PETERSBURGO, 23 de abril / TASS /. O presidente russo, Vladimir Putin, participou da cerimônia de lançamento de duas fragatas da série Project 22350 no Estaleiro Sevmash, no norte da Rússia.

Putin instalou uma placa de quilha da primeira fragata. A cerimônia de instalação de uma placa de quilha da segunda fragata contou com a participação do vice-primeiro-ministro Yuri Borisov, do ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e do ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov.

O almirante Nikolai Amelko contribuiu considerável durante seu serviço militar ao desenvolvimento da Marinha e participou ativamente da defesa de Leningrado durante a Grande Guerra Patriótica da União Soviética contra a Alemanha nazista em 1941-1945.

O almirante Vasily Chichagov (1726-1809) era um comandante naval russo e um pesquisador polar. Durante a guerra com a Suécia, ele conquistou vitórias notáveis ​​como o comandante da Marinha na Batalha de Öland, a Batalha de Reval e a Batalha de Vyborg.

Fonte: TASS

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Os estaleiros de Kaliningad, na Unidade de Construção Naval do Báltico  iniciaram a construção de dois novos navios de desembarque Project 11711

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

 

Os estaleiros de Kaliningad, na Unidade de Construção Naval do Báltico  iniciaram a construção de dois novos navios de desembarque Project 11711, construídos simultaneamente a Marinha Russa planeja introduzi-los em até 2025, informou a TASS .

O presidente Vladimir Putin, que atualmente está em São Petersburgo, participou da cerimônia solene no modo de videoconferência. Supõe-se que um dos grandes navios de desembarque (BDK) terá o nome de Vladimir Andreev  o almirante soviético, participante da Grande Guerra Patriótica. O segundo será nomeado Herói da União Soviética, Major-General Vasily Trushin.

O projeto BDK 11711 é projetado para o desembarque de tropas, transporte de máquinas e equipamentos. Eles podem transportar até 13 tcarros de combate pesados ou 36 veículos blindados, ou ainda, veículos de combate de infantaria. O navio tem capacidade para o transporte de uma força de vcerca de 300 militares.

O comprimento dos navios é de 120 m, eles são armados com armas automáticas de seis canos de 30 mm. O navio líder do Projeto 11711, “Ivan Gren”, chegou à frota do norte em outubro do ano passado.

Categories
Aviação Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Polônia compra helicópteros AW101 

Tradução e adaptação-E.M.Pinto 

O governo polonês assinou um contrato de compensação de € 90 milhões  com a Leonardo MW, que precederá um contrato para a entrega de helicópteros AW101 para a guerra anti-submarino e  operações de busca e salvamento da marinha polonesa.

Enquanto os helicópteros serão entregues a partir da instalação de Leonardo MW Yeovil no Reino Unido, o acordo de compensação fará com que Leonardo estabeleça um centro de manutenção para os helicópteros e seus sistemas de missão no Grupamento de Armamentos Poloneses No.1 em Łódź. A Universidade Técnica de Gdańsk, na Polônia, também se beneficiará do acordo de compensação.

O ministro da Defesa polonês, Mariusz Błaszczak, confirmou que o contrato oficial para a entrega de helicópteros será assinado até o final de abril, sem especificar o número de aeronaves a serem compradas.

O país já havia indicado que precisaria de até oito helicópteros equipados com sistemas de combate para guerra submarina para as suas forças navais. O AW101 é operado pelas marinhas do Reino Unido, Japão e Itália.

Fonte:Naval Today

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Marinha russa pode ter que desmantelar seu único porta-aviões

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

O único porta-aviões da Rússia, o almirante Kuznetsov, pode ser desativado se o Ministério da Defesa e a indústria não resolverem a questão da substituição da doca seca flutuante PD-50 necessária para concluir a reparação do casco do navio, informou o jornal Izvestia, citando uma fonte na Marinha russa.

A Marinha Russa está considerando a desativação prematura de seu único porta-aviões depois que a doca seca flutuante PD-50, que a abrigava, afundou.

EM 2018 o navio sofreu um sinistro no dique seco flutuante  após uma falha no fornecimento de energia, fazendo com que um dos guindastes do cais caísse no convés do porta aviões, frindo os trabalhadores da estação de reparos. O incidente deixou um buraco de 4 × 5 metros no convés de vôo da embarcação.

Agora, o maior navio de combate da superfície da Marinha Russa está aguardando a decisão de seu destino perto do muro da 35ª Instalação de Reparos em Kola Bay, perto de Murmansk. A Rússia não possui um substituto adequado para o PD-50 que fora adquirido da 1980 na Suécia para a Marinha Soviética. Além disso, o porta-aviões russo já protagonizou  muitas outras controvérsias.

Segundo a Popular Mechanics, nas últimas décadas, o Kuznetsov já havia sido assolado por incêndios, cortes orçamentários e falhas nas caldeiras a vapor. É tão pouco confiável que um rebocador o acompanha em longas viagens.

Mesmo antes do acidente do PD-50, vários observadores questionaram a utilidade e a despesa de reforma do Kuznetsov.

 “Em geral, precisamos revisar criticamente o conceito doméstico do emprego de grupos de ataque de porta-aviões, já que a Rússia se comprometeu a usar o almirante Kuznetsov para realizar tais missões”, sugeriu Oleg Vladykin na Nezavisimaya Gazeta.

O editor do jornal Moscow Defense Brief Mikhail Barabanov rejeitou as atualizações de Kuznetsov.

“Como Kuznetsov não é tanto uma plataforma de combate como uma plataforma de treinamento, a modernização profunda para ela é um excesso óbvio”.

O almirante Kuznetsov (cruzador de aeronaves pesadas na classificação russa) foi comissionado em 1990 e herdado pela Rússia após o desmembramento da URSS. O nome inicial do navio era Riga; foi lançado como Leonid Brezhnev, embarcou em testes no mar como Tbilisi, e finalmente foi nomeado Almirante Flota Sovetskogo Soyuza Kuznetsov após o almirante da frota da União Soviética Nikolay Gerasimovich Kuznetsov.

Nos anos imediatamente posteriores à Guerra Fria, raramente foi para o mar – conduzindo apenas seis patrulhas entre 1991 e 2015. Em 2009, um acidente elétrico matou um tripulante na costa da Turquia. Mas a Rússia repetidamente empurrou o navio para o serviço, e uma missão de 2016 na costa da Síria viu o navio perder dois jatos em apenas três semanas.

No momento, a Rússia não tem as possibilidades técnicas e financeiras para restaurar seu antigo porta-aviões e também para construir uma série de novos.

Fonte: Defence Blog

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

A BAE Systems está oferecendo o projeto do Porta Aviões Queen Elizabeth para a India 

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

…É o que relata a revista Australian magazine, segundo a nota, a BAE Systems oferece o projeto do porta-aviões na edição da Langkawi Internacional Marítimo e Aeroespacial (LIMA-2019) em conversas restritas com altos oficiais da marinha indiana.

A Índia tem atualmente um porta-aviões em serviço, o porta aviões soviético Ex- Almirante Gorshkov, ex-membro da classe soviética de nome Kiev. Atualmente este navio é conhecido como INS Vikramaditya, que opera com caças  MiG-29K embarcados e helicópteros. O país também está construindo um segundo navio INS Vikrant de 40 mil toneladas de deslocamento o qual está sendo finalizado e que começará os testes de  mar em 2020.

No entanto, o governo indiano também tem a exigência de um terceiro navio e mair, na classe de 65.000 toneladas, o qual já tem nome, INS Vishal. Como o Vikrant, o navio será construído localmente, no estaleiro de Cochin.

O representante da BAE Systems na LIMA disse que a empresa já conversou com a Marinha indiana sobre o potencial de um derivado militar do  projeto da classe Queen Elizabeth de 65.000 toneladas, adaptado para atender às exigências da Índia.

“A BAE Systems está satisfeita por ter começado as discussões com a Índia sobre o potencial para basear o desenvolvimento do segundo projeto de porta-aviões indígenas (IAC-2) no projeto de classe Queen Elizabeth”,… “O design é adaptável para oferecer sky jump ou catapulta e pode ser modificado para atender às exigências da indústria naval indiana e da indústria local.”

A empresa tem desfrutado de sucesso internacional recente na exportação de seu projeto de fragata de guerra anti-submarino da Global Combat Ship (Royal Navy Type 26) para a Austrália e o Canadá, para fabricação em estaleiros locais.

“O projeto do Reino Unido já foi provado no mar e está próximo da exigência da Marinha indiana para um PA de 65.000 toneladas com Propulsão Elétrica Total Integrada (IFEP), que poderia ser construída sob o programa ‘Make in India’ do país. Disse o representante.

Ele disse que a BAE Systems acredita que os riscos, custos e cronograma para o programa IAC-2 seriam “significativamente reduzidos” pela cooperação com o Reino Unido.

Oficiais da Marinha indiana visitaram recentemente o estaleiro da BAE Systems em Rosyth, perto de Edimburgo, onde a HMS Queen Elizabeth e sua irmã, HMS Prince of Wales, foram concluídos.