Exército Brasileiro realiza lançamento do Míssil MSS 1.2 Anticarro

Com informações do Departamento de Ciência e Tecnologia

Rio de Janeiro (RJ) – O Centro de Avaliações do Exército (CAEx), localizado em Guaratiba-RJ, realizou, em 22 de maio do corrente, o teste de lançamento (mais um dentre vários) para avaliação técnica do Míssil Superfície-Superfície 1.2 Anticarro (MSS 1.2 AC). O teste teve por finalidade verificar a segurança no emprego do material e o cumprimento dos requisitos técnicos projetados, além de ratificar os quesitos de segurança e letalidade, prevendo, na atual versão do míssil, prospectar melhorias. Na ocasião, o míssil foi lançado contra um alvo com blindagem e, para averiguar o êxito do teste, foi utilizado um conjunto de câmeras e drones que registraram sua trajetografia.

O teste foi executado por engenheiros e técnicos, militares e civis, cuja atividade foi conduzida pelo Chefe do CAEx, General de Brigada João Paulo Zago.

O MSS 1.2 Anticarro é um Material de Emprego Militar (MEM) equipado com sistema de visão noturna infravermelho, o que permite seu emprego em condições de pouca visibilidade. Seu peso permite, também, a utilização tanto por tropas aeroterrestres como aeromóveis. Tais características lhe conferem versatilidade para ser empregado em operações militares contra diversos tipos de ameaças, como veículos blindados, construções fortificadas, depósitos de combustível e munição, embarcações e até contra helicópteros pairando à baixa altura.

No contexto do processo evolutivo do supracitado MEM, o MSS 1.2 AC é resultado do projeto elaborado pela Seção de Mísseis e Foguetes do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), em parceria com a empresa SIATT – Engenharia, Indústria e Comércio S/A.

Nesse sentido, o Exército Brasileiro, por meio do desenvolvimento do MSS 1.2 AC, no escopo da Ciência, Tecnologia e da Inovação, coopera com o desenvolvimento nacional e traz, como principais entregas, significativos benefícios à sociedade, como geração de empregos e o fortalecimento da Base Industrial de Defesa (BID), além de promover a projeção internacional do Brasil pela geração de novas capacidades militares.

Nota Plano Brasil: O MSS 1.2 AC (Míssil Superfície-Superfície 1.2 AntiCarro) é um míssil que deriva do “Missile Anti-Carro della Fanteria” (MAF), projeto da Oto Melara (iniciou seu desenvolvimento na Itália nos anos 1980) que não foi aceito pelo Exército Italiano. A participação brasileira no projeto começou em 1986, o produto foi batizado MSS-1.2 LEO, em homenagem ao ministro do Exército Leônidas Pires Gonçalves. Posteriormente foi nomeado  MSS 1.2 AC (Míssil Superfície-Superfície 1.2 AntiCarro) e desde então ele foi testado e reformulado pelos órgãos de pesquisa do Exército Brasileiro (EB) e as empresas Órbita, Mectron e SIATT.

Para saber mais sobre o Projeto do MSS 1.2 AC :

Evolução das Armas Antitanque Parte 4: MSS 1.2 A Arma antitanque brasileira- ontem, hoje e amanhã

1 Comentário

  1. É ISSO AI! DESENVOLVENDO TECNOLOGIA PARA NÃO FICAR REFÉM DE PRODOTOS IMPORTADOS COM CAIXA PRETA. E AINDA PODEMOS COMPETIR NO EXTERIOR.
    BRAVO, INDÚSTRIA ESTRATÉGICA DE DEFESA.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.