Análise: Mig-29 Fulcrum “Game changer” da capacidade aérea ucraniana.

E.M.Pinto

Adaptado do original

Oriiginal Army Recognition


Segundo Army Recognition (clique para ler), uma das maiores surpresas na invasão da Ucrânia pela Rússia foi a incapacidade de Moscou de garantir o domínio aéreo sobre o território ucraniano. Esse fracasso resultou em anos de operações terrestres para a Rússia. Atualmente, mesmo no terceiro ano de conflito, o espaço aéreo ucraniano permanece disputado, apesar das vantagens aéreas russas. A resistência ucraniana no controle do espaço aéreo deve-se em grande parte ao uso do MiG-29 codnome OTAN- Fulcrum.

MiG-29 Fulcrum em Ação

O caça Mikoyan MiG-29 tem sido crucial para a Ucrânia na contestação do espaço aéreo e na mitigação da vantagem russa. Embora a frota ucraniana de MiG-29 não seja perfeita, com muitas aeronaves desatualizadas e abandonadas, o jato da era da Guerra Fria ainda se mostra eficaz.

Conhecido pela OTAN como Fulcrum, o MiG-29 é uma aeronave soviética de quarta geração, desenvolvida na década de 1970 para superioridade aérea. Foi a resposta soviética aos caças americanos como o F-15 Eagle e o F-16 Fighting Falcon.

O MiG-29 possui características distintivas, como asas inclinadas montadas no meio e extensões da raiz da borda principal com inclinação de 40 graus. Os estabilizadores verticais duplos e a ausência de um sistema de controle fly-by-wire são outras particularidades. Apesar disso, o MiG-29 é altamente manobrável, com taxas de curva impressionantes e elevados ângulos de ataque. Os dois motores turbofan Klimov RD-33 proporcionam empuxo considerável, melhorando a manobrabilidade graças ao espaçamento entre os motores, que aumenta a sustentação da fuselagem traseira.

Limitações e Capacidades

Uma das limitações do MiG-29 é a sua capacidade de combustível. Com seis tanques internos, o jato consome combustível rapidamente. Sem tanques externos, seu alcance é de 930 milhas (1.490 km), podendo aumentar para 1.300 milhas (2.090 km) com tanques adicionais. O MiG-29 é equipado com um canhão GSh-30-1 de 20 mm e possui três suportes sob cada asa para tanques externos ou armamentos variados.

Obsolescência e Atualizações

Embora o MiG-29 tenha se tornado obsoleto comparado a caças mais modernos como o F-22 e o Rafale, ele ainda desempenha um papel vital na defesa aérea ucraniana. Os MiG-29 que a Ucrânia tem utilizado, herdados da União Soviética ou recebidos de países como Polônia e Eslováquia, não são aeronaves de última geração. Mesmo assim, ajudaram a manter a capacidade aérea ucraniana.

Em fevereiro de 2022, a Força Aérea Ucraniana possuía cerca de 50 MiG-29 operacionais. A Ucrânia recebeu cerca de vinte MiG-29 da Polônia e dez da Eslováquia, com as aeronaves polonesas em melhores condições e com diversas atualizações, incluindo transponders modernos, receptores GPS e de alerta de radar, rádios do tipo OTAN, novos aviônicos e displays de cabine, além de um barramento de dados digital MIL STD 1552 para uso de munições guiadas por GPS.

Futuro da Defesa Aérea Ucraniana

Com a chegada esperada dos F-16 americanos em junho ou julho, o MiG-29 será gradualmente substituído. A Ucrânia tem solicitado os F-16 ao Ocidente desde o início do conflito, e o treinamento dos pilotos e equipes de manutenção ucranianas já começou, preparando-se para a chegada dessas aeronaves avançadas.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.