Defesa & Geopolítica

Naval Group emplaca mais uma no pacífico- Marinha australiana assina o maior acordo militar envolvendo submarinos da Atualidade

Posted by

A marinha australiana assina acordo de US $ 50 bilhões com o Naval Group (ex- DCNS) para aquisição de 12 submarinos.

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Após vários anos de negociações, as autoridades assinaram um acordo para a construção da frota de novos submarinos da Marinha australiana. O governo federal anunciou hoje a assinatura do Acordo de Parceria Estratégica do submarino Ataque com o construtor naval francês Naval Group (NG).

Autoridades do Departamento de Defesa e do NGl estão envolvidas em negociações há vários anos para produzir os 12 submarinos. Em dezembro, havia relatos de que o projeto de US $ 50 bilhões poderia chegar atrasado e custar milhões a mais que o esperado.
No entanto, uma declaração conjunta do primeiro-ministro Scott Morrison e do ministro da Defesa, Christopher Pyne,desmentiu tais rumores e que o trabalho continuará no primeiro submarino da classe a ser chamado HMAS Attack, para entregá-lo dentro do orçamento no início dos anos 2030.

A assinatura formal do acordo é um

“momento decisivo para o país”, disse o comunicado. “Os submarinos ajudarão a proteger a segurança e a prosperidade da Austrália nas próximas décadas e também aprofundarão o relacionamento de defesa entre a Austrália e a França”, continuou. A construção dos submarinos “regionalmente superiores” já começou e os trabalhos continuarão sob o acordo, que representa a base contratual do programa.

Os submarinos são um dos principais pilares do Plano Nacional de Construção Naval, no valor de US $ 90 bilhões, sob o qual 54 navios serão construídos na Austrália.

O desenvolvimento do estaleiro de construção de submarinos em Osborne, na Austrália do Sul, continua como parte de outras atividades necessárias para executar o programa.

Em causa está o submarino Bloco 1A Barracuda da Shortfin, projetado pela DCNS especificamente para a Marinha Real Australiana, que será o receptor da tecnologia submarina mais sensível e protegida pela França e será o submarino convencional mais letal já contemplado.

A Propulsão moderna e inovadora significa que o Barracuda Shortfin pode mover-se mais silenciosamente do que os submarinos com tecnologia de hélice obsoleta. Em um confronto entre dois submarinos idênticos, aquele com este tipo de propulsão  sempre tem a vantagem tática. O desempenho do conjunto de sonar fornecido pela Thales será o melhor disponível para um submarino deste tamanho.
É esse acoplamento de excelente discrição acústica, capacidades de detecção de ponta e caminhos para o desenvolvimento de tecnologia que garantirão à Commonwealth a capacidade de permanecer à frente de qualquer adversário regional, agora e no futuro.

 

Ao adotar a tecnologia da DCNS, a Austrália se unirá a um clube de elite de nações que inclui apenas o Reino Unido, os Estados Unidos da América e a França. O Barracuda de Shortfin é um submarino magnífico e inspirador que permanecerá tecnologicamente superior até a década de 2060.

Fonte: naval-group.com.au

3 Comments

  1. muttley says:

    A Austrália não esta brincando porque a China também não esta brincado, a pressão na região pelo andar da coisa só tende a aumentar. O submarino é uma arma formidável de dissuasão, mesmo os mais antigos ainda são motivo de preocupação para um grupo de batalha, o que dizer desses novos então. Só não entendo o motivo da Austrália em não optar por um submarino nuclear, para mim seria algo natural mas com certeza deve existir muitos poréns.
    Uma leitura que pode ser feita a partir desses investimentos e inclua ai Coreia do Sul e Japão é a preocupação crescente com a China, e isso não é só porque Ela tem lançado ao mar navios a um ritmo frenético, deve se somar a isso a qualidade da eletrônica embarcada que é moderna e que já esta muito próxima ou equivalente a Ocidental.
    * a pouca experiencia da Marinha Chinesa em mar aberto é um grande aliado da Austrália, por enquanto.
    ** o orçamento militar da Austrália é muito próximo do Nosso segundo a wiki https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_gastos_militares . Qual sera o motivo de tal disparidade em termos de equipamento. Por sinal nosso orçamento é comparável a vários países que possuem FA muito bem equipadas.
    *** Em Israel (que é tão invejado) uma parte significativa do orçamento militar acaba servindo de fomento para a industria de alta tecnologia, isso porque as FA adoram comprar produtos nacionais já que tem um bom orçamento (que é equivalente ao nosso). Já que muitos se espelham neles (ou apenas dizem se espelhar) poderíamos adotar o regime previdenciário Israelense para todas as esferas do nosso Pais.

    Sds

    • B&E says:

      É aquela VELHA e MANJADA história… ou temos culhões para fabricarmos o MELHOR em números de DEZENAS ou 1 ou 2 cascudos não valerão de nada… PARABÉNS aos caipiras australianos comedores de crocodilo… é assim que se projeta uma nação de verdade… quanto as críticas a Israel, é porque desconhecem a história e a situação geoestratégica tanto israelense quanto brasileira que NADA tem em comum…

  2. Anônimo says:

    Barracuda gosta de armar um barraco.

shared on wplocker.com