Defesa & Geopolítica

Turquia pretende modernizar toda sua frota de Carros de Combate M60T Sabra

Posted by

A Aselsan empresa de defesa especializada em eletrônica da Turquia, anunciou no dia 24 de julho que a mesma realizou com sucesso o projeto de atualização do primeiro lote de carros de combate M60T sob o programa FIRAT-M60T.

Em apenas um ano, a Aselsan desenvolveu uma versão melhorada dos dos Carros de Combate M60T Sabra e entregou o primeiro lote de veículos atualizados para o Exército turco. Os militares turcos ficaram satisfeitos e foi tomada a decisão de atualizar todos os veículos M60T Sabra que estão em serviço no exército turco.

De acordo com a declaração feita pela ASELSAN, foi decidido modernizar todos os carros de combate M60T no inventário das Forças Armadas Turcas (TSK) prohjeto que estará sob a liderança da Subsecretaria de Defesa da Turquia (SSB).

A alteração do contrato foi assinada por 96,7 milhões de euros e o aumento de 25 milhões de liras, dependendo das adições feitas no âmbito do projeto FIRAT-M60T assinado entre a SSB e a ASELSAN. Em resultado da alteração, o contrato ascendia a 206 milhões de euros e a 50 milhões de libras esterlinas.

Os veiculos que foram atualizados sob o programa FIRAT-M60T apresentam uma grande diferença em relação a versão básica do M60T Sabra. A versão atualizada está equipada com uma nova plataforma de armas remotas, um moderno sistema de aviso a laser e sistema de vigilância optronico.

A nova estação de armas remota (Remote Weapon Station RWS) substitui no lado esquerdo da torre a estação de armas M85 HMG. Segundo informações a estação de armas remotas poderá ser a SARP da própria Aselsan. Dependendo dos requisitos operacionais, o SARP pode ser equipada com uma metralhadora de 12,7 mm, lançador de granadas automático de 40 mm ou uma metralhadora de 7,62 mm.

O M60T FIRAT é equipado com um avançado sistema de alerta a laser TLUS para detectar, classificar, identificar e avisar sobre ameaças hostis a laser visando a segurança da plataforma, em um curto espaço de tempo com alta sensibilidade. O TLUS pode ativar os sistemas de contramedidas disponíveis na no veiculo diretamente ou através de um computador host.

Além disso, a bordo do M60T FIRAT foi instalado um novo Sistema de Vigilância Contínua DAS 360 ° com visores térmicos integrados a câmeras de TV. O sistema é projetado especificamente para vigilância contínua com o veiculo estacionado ou em movimento. De acordo com as condições de operação, o usuário tem a opção de instalar a quantidade de sensores forem necessários para cobrir todo o perímetro da estrutura do veículo para ter uma melhor Consciência situacional .

Além disso, os M60T FIRAT do Exército da Turco serão equipados com um sistema de proteção ativa de alta tecnologia, chamado Pulat, projetado para neutralizar todos os tipos de ameaça disparados, desde RPG, munição alto explosiva, tandem e até mísseis AC. a 8-10 metros de distância do carro.

O sistema de proteção ativa Pulat detecta os mísseis antitanques ou foguetes que se aproximam do veículo através do seu radar e, em seguida, os desativa usando o método Hard-Kill. O novo sistema de proteção ativa desenvolvido em conjunto pela Aselsan e pela ucraniana Critical Technologies Microtech, com a participação direta do UkrOboronService.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=Xwz9PNeTwMM[/embedyt]

 

Com Informações de Defence Blog e Aselsan

3 Comments

  1. jose luiz esposito says:

    Enquanto o Brasil , em situação MARAVILHOSA , quer descarta-los ! Vamos ver , se a Defesa tem uma atitude sensata , transfira alguns aos Navais e Modernize os demais !

    • Adriano Corrêa says:

      Ao meu ver, os daqui deveria que desfazer-se. Ter apenas um modelo em operação, os próprios Leopard 1A5.

      Ha Leopard na Suíssa, na Itália e Alemanha, estocados em condições de uso. Aproveita-los pra fazer uma linha apenas na Força.

      Fazer as modernizações disponíveis, que são bem variadas no mercado… E depois com o tempo ir substituindo-os pelos Leopard 2.

    • _RR_ says:

      jose,

      A questão é o custo/benefício para se moderniza-los…

      Um upgrade desses pode ficar em US$ 3 milhões por carro, a depender do pacote… Isso é o preço de um Leopard 2A4 revisado ou até mesmo um M1A1.

      Então fica a incógnita: obter um carro antigo modernizado ou um carro de geração posterior desatualizado ( porém sabendo-se que este último tem potencial de crescimento muito maior ).

      No caso do Brasil, penso que o melhor nesse momento seria saltar para um carro de geração posterior ao Leopard 1A5, O tempo para modernizar um carro como o M-60, para nós, já passou; e o Leo 1A5, cuja lista de usuários só diminui, logo se tornará um pesadelo logístico, exigindo uma pesada modernização para continuar operando ( mesmo o M-60 teria de passar por isso… ).

      Entendo que a escolha lógica, a partir de agora, é seguir para o Leopard 2A4 ou, quem sabe, “chorar” por um 2A5… Pode começar com um punhado no inicio ( suficiente para umas duas companhias, pelo menos… ), seguindo-se de novas aquisições até a constituição de pelo menos um RCC e dois RCB…

      Quanto aos fuzileiros, poder-se-ia pensar em algo como o Sprut. Mas algo mais pesado poderia vir a calhar no final das contas, já que fuzileiros haverão de serem empregados como força de combate convencional e mesmo em ações de choque em algum momento…

shared on wplocker.com