Defesa & Geopolítica

Os Hermes 900 da Força Aérea Colombiana

Posted by

Autor: Erich Saumeth Cadavid

© Plano Brasil- 2018

Tradução e adaptação- E.M.Pinto- Plano Brazil

 

 

Nessa ocasião, a Revista Aeronáutica, visitou as instalações do Comando Aéreo de Combate Cacom nº 2, da nossa Força Aérea (FAC), para conhecer e observar o funcionamento dos Sistemas de Aeronaves Remotamente Tripuladas (UAV), Elbit Systems Hermes 900 e 450.

Neste artigo, compartilharemos as características do Hermes 900, bem como a forma como a Força Aérea Colômbiana opera e implanta essa aeronave, que atualmente é um dos mais avançados  no mundo.


Características gerais do Hermes 900

Características gerais do Hermes 900

O Hermes 900 operado pela Força Aérea da Colômbia (FAC), possui comprimento de 8,3 metros e envergadura de 15 metros comprimento, com um peso bruto estimado de 1100 kg, com capacidades de carga útil entre 250 e 300 kg distribuídos em tanque ventral de 2,5 metros de comprimento e em 4 pontos de carga sub-alar, atingindo velocidades máximas de até 220 km/h e velocidades de cruzeiro de 100 km/h em média, com uma permanência de cerca de 36 horas, sem tanques de combustível auxiliares e um teto  máximo de 9.000 m a aeronave possui ainda trem de pouso retrátil.

 

Os Hermes 900 e 450 são operados pela FAC com uma equipe composta pelo piloto interno, o piloto externo, responsável pelas manobras de decolagem e pouso, pelos técnicos responsáveis ​​pela manutenção e por um grupo de operadores que trabalham na sua configuração, esta equipe é composta por um mínimo de 8 pessoas, todas treinadas pela Força Aérea.

 

Tanto o Hermes 900 como o 450, possuem sistemas redundantes, tornando sua operação mais segura, uma característica muito útil durante o estágio de teste e falhas de vôo que surjam durante os testes. Vale ressaltar que essas aeronaves foram projetadas para reduzir sua resistência ao ar, economizando assim combustível, de modo que mesmo suas asas possam ser retraídas – de acordo com a configuração da missão – e ter a habilidade técnica de usar bordas de degelo com Glicol, evitando o congelamento do mesmo em altitudes elevadas.

 

A Hermes possui uma série de equipamentos de última geração que buscam maximizar seu uso operacional, destacando seus sistemas eletro-ópticos / infravermelhos e a busca e fixação de alvos por designador de laser. Eles também possuem sistemas Gmti, Comint DF, Elint, radar SAR – para operar no mar, sistema de criptografia de dados duplo (LOS), para criptografia de dados, comunicações via satélite (Blos-beyond the line of sight), com criptografia dupla e tem  sistemas de autônomos de decolagem e aterrissagem independentes (Latol), o que facilita a aterragem automática em situações de emergência.

 

O Hermes 900 é alimentado por um motor Rotax 914-115 hp, com quatro cilindros turboalimentados de quatro tempos, que conduz uma hélice de duas lâminas, com sistemas de emergência autônomos, ATC (transtorno de tráfego aéreo), transponders IFF, sistema de navegação inercial (GPS) e um sistema de identificação do tipo APX100.

 

Estes UAV são operadas pela sua tripulação através da estação de controle Elbit Ugcs (Universal Ground Control Station), que, juntamente com os outros meios que compõem o sistema, tornam a aeronave Hermes não só fácil de operar, mas também consideravelmente móvel porque os diferentes equipamentos que o compõem, isto é, o próprio UAV, o seu veículo de reboque, de combustível e ignição, seus carregadores de bateria, seu recipiente de armazenamento, sua estação Ugcs, seus acessos de ligação de dados de ascendente-descendente (Banda C) e terminal de dados de satélite, seu extintor de incêndio e seus geradores, são todos implementáveis, sem que seja necessária qualquer infra-estrutura física para o seu funcionamento, o que, de fato, faz deste sistema um comando de drone móvel para a nossa FAC, nomeadamente aumentando as capacidades operacionais e permitindo que  essas aeronaves voem a partir de diferentes pontos da nação.

 

O Hermes 900 na FAC

Esses sistemas foram comprados pela Colômbia no ano de 2012 e começaram a operar desde 2013, graças à decisão do Ministério da Defesa da Colômbia de adquirir veículos aéreos não tripulados, com o objetivo de poder usá-los na luta contra os vários fatores que geram violência e insegurança, bem como apoiar instituições e entidades civis em diversas atividades preventivas.
Devido à necessidade de ter um órgão de gestão, foi criada a Direcção de Aeronaves Manejadas de forma remota (Diart), entidade responsável pela direção, gestão e desenvolvimento das várias UAV da nossa Força Aérea.

Então, de acordo com um planejamento rigoroso, desenvolveu-se um programa que estabeleceu os modelos UAV que deveriam ser adquiridos, além de adotar do ponto de vista doutrinal e tático uma série de fases que facilitariam a incorporação desta tecnologia e que incluíam, é claro, aquisição e colocação em operação dos Hermes 450 e 900, sendo o primeiro classificado como “Operacional” e o segundo como “Male”, isto é, com a capacidade de aumentar consideravelmente o tempo de vôo e a área de observação. Até o momento a FAC já acumulou mais de 2.000 horas de vôo com ambas as aeronaves.

Nossa Força Aérea concentrou a operação de seus Hermes 900 e 450 na obtenção de informações do tipo ISR (inteligência, vigilância e reconhecimento), particularmente em áreas com alto valor estratégico, bem como em metas móveis e também para a vigilância da infra-estrutura vital e enérgico da nação, objetivos alcançados graças à autonomia e às capacidades desses sistemas, o que lhe permitiu coletar mais dados e fazer um acompanhamento prolongado no caso de missões do tipo Homeland.

No mesmo sentido e por causa do uso que a FAC faz dos seus UAV, estes foram utilizadas no monitoramento de processos eleitorais, monitoramento do meio ambiente, canais de rios, além de estradas e trânsito no final e período de início. do ano, no desenvolvimento das operações Lamda 1 e 2.

SEU EMPREGO

Nossa Força Aérea, através de seu Esquadrão “Quimera“, implanta o Hermes em quase todas as condições meteorológicas, tanto de dia como de noite, 7 dias por semana e 24 horas por dia, graças ao profissionalismo, à experiência operacional e a prontidão desta unidade.

A preparação cuidadosa e o acompanhamento de um Hermes 900, por exemplo, começa quando a equipe “Quimera“, formada por oito integrantes (divididos em quatro grupos e representando as quatro cabeças da figura mitológica Chimaera), conseguem uma tarefa ordenada para apontar um destes UAV em um período de tempo não superior a 30 minutos, depois de ter esta aeronave para realizar uma missão em qualquer parte do território e com a capacidade de tirá-los de uma estrada  militar ou civil,  pavimentada ou não.

A missão começa com uma revisão rigorosa dos parâmetros de vôo anteriores e o fornecimento de combustível para o UAV. Em seguida, o veículo de reboque coloca o Hermes 900 na pista, uma aeronave que é consideravelmente silenciosa, e apenas a 50 metros de distância, o som do seu motor Rotax 914-115 CV é praticamente imperceptível, e a uma altitude maior, pára completamente de ser ouvido. que destaca a operação desta UAV.

Durante o curso da missão, o Hermes, envia constantemente informações sob a forma de imagens, ao longo do traçado da rota previamente estabelecida pelos seus operadores. A qualidade das imagens enviadas permite que a FAC tenham em qualquer momento e em tempo real, informações de inteligência de natureza estratégica, a custos operacionais muito baixos e por longos períodos de tempo, que no caso do Hermes 900 , pode durar até mais de 30 horas.

A operação termina com uma manobra de aterragem UAV executada pelo piloto externo, para ser posteriormente realizada pelos operadores no veículo de reboque para o hangar, onde sua estrutura e sistemas são submetidos a uma revisão completa, para finalmente serem desconectados.

 

Padronização operacional

 

A implantação operacional do Hermes, nossa Força Aérea, conseguiu graças ao trabalho das equipes e equipes dos UAV, padronizar uma série de capacidades, dentro das quais podemos enunciar o seguinte:

1-Os diferentes procedimentos de comunicação entre a tripulação e o pessoal que opera o sistema. Este padrão é conhecido como “linguagem de comunicação“.

2 – No mesmo sentido, os diferentes procedimentos operacionais dos canais de freqüência foram padronizados. Para isso, canais específicos são utilizados para realizar os processos de manutenção e trabalhar em toda a carta de entendimento com a Aeronáutica Civil.

3 – De acordo com o acima exposto, os boletins de segurança são constantemente preparados, orientados para a prevenção, que são constantemente renovados, ou resultados de uma novidade operacional.

4 – Da mesma forma, os boletins de freqüência são formulados, com os mesmos detalhes que os boletins de segurança.

5 – Os modelos do esquadrão também são emitidos para que os pilotos estejam cientes das notícias operacionais de todo o esquadrão.

6 – A equipe da Quimera, graças ao desenvolvimento de seu próprio projeto de pesquisa, conseguiu a conversão de imagens em HD, otimizando consideravelmente a coleção gráfica de informações.

7 – Ttambém adaptaram e renovaram os manuais de operação, entre eles o treinamento, a tarefa, as táticas, técnicas e procedimentos (Mttp) e o guia necessário para os pilotos.

 

A Manutenção

O Esquadrão de Quimera, de forma projetada, realiza uma série de inspeções  nos UAV, que foram chamados Horaria e o segundo Calendário.

A programação acontece a cada 100 horas, enquanto o Calendário a cada 30 dias. Estes consistem em recarregar as baterias mensalmente, verificando os sistemas anticongelantes, verificando e mantendo os sistemas de freio, bem como o Radar de Abertura Sintética (SAR), o Satcom (sistema de comunicação por satélite). e as câmeras eletro-ópticas.

 

Características Gerais

Fabricante Elbit Systems
Operadores 08 homens
Dimensões:

Comprimento

Envergadura

Peso

 

8.3 m

15.0 m

1.100 kg

Capacidade de carga útil: Entre 250 a 400 kg
Pontos de carga 5 (Un interno ventral)
Velocidade máxima:

Velocidade de Cruzeiro:

220 Km/h (137 mph)

100 Km/h (70 mph)

Autonomia: 36 horas (a FAC opera em intervalos máximos de 30 horas)
Teto máximo de serviço: 9.000 m
Planta motriz Rotax 914-115 CV – 4 cilindros
Capacidade de entrega  de armamento: Em desenvolvimento pela FAC e Elbit

Dados técnicos: Escuadrón Quimera, Fuerza Aérea Colombiana.

Fotos. Erich Saumeth ©


Sobre  o Autor:
Erich Saumeth é Analista e pesquisador colombiano sobre questões de Defesa, Segurança Nacional, Geopolítica e Políticas Governamentais. Mestrado em Estudos Políticos com ênfase em Políticas de Defesa e Segurança, Especialista em Estudos Político-Econômicos, Diploma em Estudos Geopolíticos, Diploma em Desenvolvimento Humano, Advogado. Especialidades: Defesa – Segurança – Coexistência – Governo. Corresponsal para Colombia de Tecnología Militar e Infodefensa.com

 

 

5 Comments

  1. Pingback: Os Hermes 900 da Força Aérea Colombiana | DFNS.net em Português

  2. Rodrigo says:

    O Brasil possui o Hermes 900???

    • Fennek says:

      Acho que a FAB recebeu um em 2014.

      • Tomcat3.7 says:

        Realmente foi só um em 2014 que foi usado na Copa do Mundo.

  3. Pingback: Plano Brasil – Acompanhe a Nova Coluna do Plano Brasil: Erich Saumeth

shared on wplocker.com