Defesa & Geopolítica

Arábia Saudita diz que Líbano declara guerra contra reino

Posted by

Sabhan afirmou que esta mensagem havia sido entregue ao político libanês aliado à Arábia Saudita Saad al-Hariri, que declarou sua renúncia como primeiro-ministro do país no sábado em transmissão da Arábia Saudita.

Os atos de “agressão” do Hezbollah contra o reino “foram considerados atos de uma declaração de guerra contra a Arábia Saudita pelo Líbano e pelo Partido Libanês do Diabo”, acrescentou.

Hariri citou um esquema de assassinato contra ele em comunicado anunciando sua renúncia e realizou um ataque mordaz contra o Irã e o Hezbollah por semearem conflitos no mundo árabe.

A crise colocou o Líbano de volta ao front em uma disputa regional entre a Arábia Saudita e o Irã, que também se desenrolou na Síria, Iraque, Barein e Iêmen.

 Não houve comentário imediato do governo libanês.

 Anteriormente nesta segunda-feira, o presidente Michel Aoun, aliado político do Hezbollah, pediu unidade nacional após a renúncia de Hariri, que derrubou uma coalizão do governo que incluía o Hezbollah e que colocou o Líbano em crise política.

Fonte: Reuters

Irã acusa Arábia Saudita de provocar guerra no Oriente Médio

© AP Photo/ Ebrahim Noroozi

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, declarou nesta segunda-feira que a Arábia Saudita está tentando responsabilizar Teerã por suas “guerras” no Oriente Médio.

“Arábia Saudita está conduzindo guerras agressivas, está praticando intimidação regional e se comporta de forma a desestabilizar a situação, conduzindo ações de provocação”, escreveu Zarif em sua conta no Twitter.

O chefe da diplomacia iraniana também destacou que as visitas internacionais “à Arábia Saudita em guerra se revelaram perigosas para a saúde da região”. Segundo ele, a visita a Riad do presidente dos EUA, Donald Trump, refletiu em “repressões” por parte do Bahrein e na “queda do Qatar”.

No início de junho, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito romperam as relações diplomáticas com Qatar, acusando o país de apoiar o terrorismo.

“As visitas de [Jared] Kushner provocaram a estranha renúncia de [Saad] Hariri (premiê do Líbano — red.)…E agora, obviamente, estão acusando o Irã de interferência”, argumentou Zarif.

Neste sábado, o primeiro-ministro libanês abandonou o cargo de maneira repentina. A decisão foi transmitida pela televisão por meio de uma gravação feita em Riad, capital da Arábia Saudita. Hariri disse temer uma “conspiração contra sua vida” e fez críticas ao Irã e o Hezbollah.

O dirigente do Hezbollah, entretanto, afirmou que não o grupo não desejava a renúncia de Saad. O Hezbollah fez parte do Governo do agora ex-primeiro ministro por cerca de um ano.

Fonte: Sputnik

 

 

 

shared on wplocker.com