Defesa & Geopolítica

Esquadra da Marinha russa se prepara para testes militares no Mediterrâneo

Posted by

De acordo com um comunicado enviado pelo Ministério da Defesa russo às companhias aéreas, navios militares da Marinha russa farão o disparo de mísseis durante exercícios próximos à costa da Líbia, entre os dias 24 e 27 de maio.

O documento ressalta a necessidade de limitar os voos sobre zonas situadas a 150 km da capital do país, Trípoli (na prática, porém essa área engloba toda a costa líbia).

Mísseis ainda em segredo

Segundo a imprensa russa, sete navios da Marinha russa e um submarino, o Krasnodar, estão atualmente posicionados no Mediterrâneo. Entre as embarcações há duas fragatas equipadas com mísseis, um grande navio anfíbio de ataque, e outro de reconhecimento. Os três barcos restantes são usados para carga e fornecimentos.

Kalibr 3M-54E1

“A zona dos exercícios depende dos sistemas que serão testados: mísseis de cruzeiro Kalibr, mísseis antinavio 3M54 ou mísseis J-35 para a bateria Uran”, explicou à Gazeta Russa o editor-chefe da revista “Arsenal Otetchestva”, Víktor Murakhovski.

Kalibr 3M54E

Para garantir a segurança de navios e aviões, os soldados russos estabeleceram uma zona de exclusão que abrange o dobro da distância do lançamento dos mísseis.

“O tipo especifico de mísseis que a frota testará e mostrará aos líbios só será conhecido durante os exercícios. Nenhum país tem a obrigação de fornecer dados sobre as armas que utilizam em suas manobras”, disse Murakhovski.

Ainda assim, espera-se que todas as manobras realizadas pela esquadra russa sejam acompanhadas por aviões de reconhecimento e embarcações da Otan.

“Durante os exercícios, haverá na zona definida aviões de reconhecimento P-8 Poseidon e Boeing RC-135, além de barcos de reconhecimento das frotas da Otan presentes no Mediterrâneo”, acrescentou o editor.

Propaganda na região

MiG-29 egípcio

O porta-aviões Almirante Kuznetsov e seus navios de escolta atracaram em um porto líbio há cerca de um ano, ao retornar da Síria. Durante a passagem, as embarcações foram visitadas por uma delegação com autoridades militares do país norte-africano.

“O objetivo desta expedição à Líbia, e da última, é simples: mostrar as capacidades e o armamento de nossa esquadra. A ideia é retomar as negociações e expandir a nossa cooperação militar com Trípoli”, diz o analista militar do “Izvêstia”, Dmítri Safonov.

“As manobras serão realizadas com o consentimento das autoridades do país, e, no momento do lançamento, uma delegação líbia estará em nossos navios observando as ações dos nossos navios e as capacidades dos nossos mísseis navais”, acrescenta.

Ka-52K egípcio

Ainda segundo Safonov, além da delegação líbia, também é possível que representantes da força naval do Egito estejam presentes a bordo.

“Os lançamentos de mísseis serão conduzidos nas proximidades e acredito que também serão convidados a visitar os nossos barcos. Temos um contrato com Cairo para o fornecimento de caças MiG-29 e helicópteros Ka-52K para porta-aviões do tipo Mistral. Nossas autoridades estão interessadas ​​em ampliar essa parceria”, conclui.

NIKOLAI LITÔVKIN

Foto: 1°- RIA Nôvosti – Lançamento de míssil de cruzeiro Kalibr a partir do Mediterrâneo

Edição: Plano Brasil 

Fonte: Gazeta Russa

Qual é o objetivo da Rússia no lançamento de mísseis perto da costa líbia?

Os navios do grupo naval da Marinha russa posicionado no Mediterrâneo se preparam para realizar exercícios de lançamento de mísseis perto da costa leste da Líbia. A recente tragédia neste país lança uma nova luz sobre este evento programado, afirmam os especialistas russos.

Os exercícios estão previstos para 24-26 de maio. Em meados deste mês, Moscou emitiu um aviso para informar as companhias aéreas de que nestas datas a zona norte de Tobruk será encerrada para a aviação civil por causa do treinamento de lançamento de mísseis pelos militares. Segundo RBC, este aviso se aplica à região que cobre toda a costa da Líbia.

Atualmente, o grupo naval da Marinha russa no Mediterrâneo inclui duas fragatas, Admiral Grigorovich e Admiral Essen, assim como o submarino Krasnodar. Os navios estão equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr e com sistemas de defesa antiaéreos Shtil.

Tendo em conta a localização dos exercícios, é evidente o contexto político do evento, escreve o jornal russo Svobodnaya Pressa (Imprensa Livre) citando vários especialistas.

“O mar Mediterrâneo tem muitos lugares onde se podem realizar testes de lançamento, enquanto a zona mencionada se encontra nas proximidades do Canal de Suez. É obvio que desta forma a Rússia quer mostrar seu papel na normalização da situação na Líbia”, opina o diretor do Centro de Estudos Islâmicos do Instituto de Desenvolvimento Inovador, Kirill Semenov.

O especialista do Instituto do Oriente Médio Sergei Balmasov crê que, dado o recente ataque contra a base aérea de Birak, os exercícios russos adquirem um significado especial. “Está claro que foram planificados e divulgados antes da derrota do Exército Nacional nesta base aérea, mas seu significado é obvio: assim, a Rússia expressa seu apoio direito a Khalifa Hafter naqueles eventos que contam com a sua participação.”

O ataque contra Birak, no sul da Líbia, teve lugar em 19 de maio e resultou em 141 mortos, entre eles havia soldados do Exército Nacional, comandado pelo general Khalifa Hafter, que regressavam dum desfile militar e não estavam armados.

A ofensiva foi lançada por milícias leais ao Governo de Unidade Nacional apoiado pela ONU. O ataque violou o cessar-fogo na região.

O Governo encabeçado por Fayez al-Sarraj negou que tenha ordenado às milícias para atacar a base.

Foto: © REUTERS/ Yoruk Isik

Fonte: Sputnik News

 

One Comment

shared on wplocker.com