Defesa & Geopolítica

Manifestantes põem fogo no Congresso do Paraguai após Senado aprovar reeleição

Posted by

Confrontos violentos ocorrem após senadores aprovarem reeleição presidencial em reunião a portas fechadas. Parte da oposição denuncia a medida como um “golpe parlamentar”.

Manifestantes que protestavam no Paraguai contra a aprovação de um projeto de emenda constitucional para habilitar a reeleição presidencial entraram à força no Congresso e queimaram parte do edifício, segundo mostrou a televisão local. A reeleição é proibida pela Constituição de 1992.

Os incidentes começaram depois que um grupo de senadores aprovou nesta sexta-feira (31/03) a reeleição presidencial em uma reunião a portas fechadas, nas dependências da Frente Guasú, do ex-presidente Fernando Lugo, e sem a presença dos demais legisladores e do presidente do Senado, Roberto Acevedo.

No total, 25 dos 45 senadores votaram a favor da emenda que institui a reeleição. A emenda deveria ser ratificada neste sábado pela Câmara dos Deputados, também controlada pelos governistas, mas a seção foi cancelada devido à violência dos protestos. Parlamentares de oposição acusaram a manobra de “golpe parlamentar”.

O partido de Lugo aprovou a emenda para que o ex-bispo possa concorrer nas eleições de 2018, e o Partido Colorado, para que o atual presidente do Paraguai, Horacio Cartes, possa fazer o mesmo. Por outro lado, o Partido Liberal, o maior da oposição, e outras forças opositoras, alegam que a emenda é anticonstitucional como meio de facultar um segundo mandato presidencial.

Confronto violento

Várias centenas de pessoas romperam a barreira policial, destroçaram vidraças do prédio no centro histórico de Assunção e queimaram as portas de entrada, além de lançar morteiros e pedras contra a polícia. As forças de segurança responderam com balas de borracha, gás lacrimogêneo e jatos de água.

Trata-se do segundo incidente violento do dia no Congresso paraguaio, depois que no primeiro ficaram feridos por balas de borracha o deputado Edgar Acosta e o presidente do Partido Liberal, Efraín Alegre. Ao menos 12 pessoas ficaram feridas, a maioria por balas de borracha e golpes de cassetete.

Foto: Edifício do Parlamento paraguaio no centro histórico de Assunção em chamas

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: DW

Presidente do Paraguai pediu calma depois dos tumultos e do incêndio no Congresso

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, pediu à população para manter a calma, após tumultos e incêndio no Congresso Nacional.

“Tendo em vista as ações de vandalismo, realizadas nas últimas horas contra a sede do Congresso Nacional, peço aos cidadãos para manter a calma e que não de deixem levar por aqueles que há meses vem anunciando a violência e o derramamento de sangue”, disse Cartes em um comunicado na sua conta no Twitter.

Ao comentar incêndio, Cartes disse que o fato “prova mais uma vez que um grupo de paraguaios, envolvido na política e na mídia, não poupa esforços para alcançar o objetivo de destruir a democracia e a estabilidade política e econômica do país”.

Neste contexto, ele ressaltou que “a democracia não pode ser conquistada e defendida com violência”.

Ele também prometeu que o Governo do Paraguai “vai continuar a fazer os seus melhores esforços para manter a ordem jurídica da República”.

Nesta sexta-feira, manifestantes invadiram o prédio do Congresso do Paraguai e incendiaram parte do edifício, em meio aos protestos contra uma votação secreta do Senado, no início do dia, para aprovar um projeto de lei que permitiria ao presidente Horacio Cartes concorrer à reeleição.

twitter.com @Horacio_Cartes

Foto: © REUTERS/ Ministério das Relações Exteriores

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Sputnik News

 

 

 

34 Comments

shared on wplocker.com