Categories
Uncategorized

Bell Helicopter apresenta propostas de seus helicópteros AH-1Z e UH-1Y Venom para a Austrália

A Bell Helicopter e BAE Systems Australia estão oferecendo a Austrália sua última versão do helicóptero de ataque “Cobra”, o AH-1Z Viper e ainda o helicóptero de transporte UH-1Y Venom, apostando na comunalidade de componentes entre as duas aeronaves e suas capacidades comprovadas em serviço com o US Marine Corps.

A Austrália esta iniciando os estudos em busca de um substituto ou realizar um programa de atualização dos seus Airbus Helicopters  Tiger ARH (Armed Reconnaissance Helicopter) de reconhecimento armado e ataque. Diante desta oportunidade, o vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Militares Globais da Bell, Keith Flail, esteve comentando hoje (2) no Avalon Airshow, que a empresa discutiu com o Departamento Australiano de Defesa sobre a proposta de oferta de suas aeronaves de ataque AH-1Z como potencial substituto para seus “Tiger ARH”, e completa a oferta oferecendo o UH-1Y como uma solução para suas forças de operações especiais.

Tiger ARH (Armed Reconnaissance Helicopter)

Tivemos discussões com o Departamento de Defesa, que afirmou que vai atualizar ou substituir seus” Tiger”. Nós oferecemos o AH-1Z Viper, podendo entregar 22 helicópteros até 2025 se eles optarem pela substituição de seus “Tiger”. Nós também estamos oferecendo o UH-1Y para suas forças especiais, com 15 aeronaves sendo a exigência “.

Steve Drury, da BAE, e Lisa Atherton, da Bell Helicopter, após a assinatura do contrato de cooperação no Singapore Airshow 2016

A Bell apresentou pela primeira vez o seu AH-1Z como um potencial substituto para o Tiger ARH no Avalon Airshow em 2015. Sendo uma aeronave concebida para o emprego naval, o AH-1Z não exigiria mais melhorias para operar a partir dos dois LHDs australianos. A Austrália deve tomar uma decisão durante a 3ª Fase do programa AIR 87 Tiger ARH, que vem analisando as possibilidades sobre a  atualização dos seus Tiger ou optar pela aquisição de uma  nova plataforma para operar a partir dos seus LHDs EMAS “Camberra e EMAS “Adelaide” .

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=tpIMk2hfkm4[/embedyt]

A Bell Helicopter tem sublinhado o fato do AH-1Z ser projetado desde o início para ser resistente à corrosão, criado exatamente para operar no exigente ambiente naval, contando com os mesmos motores que equipam o MG-60R operados pela Royal Australian Navy, as pás do rotor principal são dobráveis para facilitar sua acomodação a bordo.


Com Informações de IHS Jane’s

Categories
BINFAE Infantaria da Aeronautica PÉ DE POEIRA

FAB PÉ DE POEIRA: Pelotão de cães da Força Aérea realiza faro em presídios da região Norte

Missão solicitada pelo Ministério da Defesa foi cumprida por militares da Ala 8

Militares do Grupo de Segurança e Defesa da Ala 8 ( Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Manaus BINFAEMN – Uiruuetê) realizaram, entre os dias 17 e 21 de fevereiro, uma missão de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Casa de Detenção José Mário Alves da Silva – mais conhecida como Urso Branco -, localizada em Porto Velho (RO). O objetivo da atividade foi detectar a existência de materiais ilícitos dentro dos presídios, como armas brancas, drogas, celulares, entre outros. A missão foi solicitada pelo Ministério da Defesa.

A equipe contou com três cachorros do Pelotão de Cães de Guerra com seus respectivos condutores. Esse animais são treinados para o faro e, de acordo com a Tenente Veterinária Raquel Tomé, estão sempre prontos para acionamentos. “Nossos cães vivem em condições de atuar em qualquer missão de faro de entorpecentes ou explosivos, devido aos treinamentos realizados diariamente no Grupo de Segurança e Defesa. Para missões específicas são realizados, dias antes da operação, treinamentos em conjunto com todas as equipes que estarão atuando, como Polícia Militar, Exército, Bombeiros, Polícia Civil, entre outros”, explicou a oficial.

A 2º Tenente Veterinária Raquel Tomé do BINFAE MN com o cão Bolt.

Este ano já foram realizadas outras operações dessa mesma natureza em outras penitenciárias. Uma delas ocorreu na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, situada em Boa Vista (RR). Na ocasião, foram utilizados três cães de faro de entorpecentes e um cão de faro de explosivos. Em outra missão, foi realizada a varredura na cadeia pública Raimundo Vidal Pessoa, sediada em Manaus (AM). Nesta, a equipe contou com dois cachorros, um para farejar drogas e outro para explosivos.

Durante as ações, foram encontradas substâncias entorpecentes e explosivos. As atividades vêm sendo realizadas de forma integrada com o Ministério Público, Exército Brasileiro, Polícias Civil e Militar, Secretarias de Estado de Justiça (SEJUS) e Bombeiros.

Fonte: FAB

Edição Pé de Poeira