Defesa & Geopolítica

Rússia aniquilaria do campo de batalha a Grã Bretanha em uma tarde afirma Think Tank do exército britânico

Posted by

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A capacidade militar do Reino Unido foi “esvaziada” a tal ponto, que este poderia perder toda a sua força de combate em um único engajamento, caso uma “ameaça do Oriente” emergisse, afirma um novo documento do  Centro de Análise Histórica e Pesquisa sobre Conflitos (CHACR). O documento foi publicado após uma reunião de dois dias de líderes britânicos e especialistas militares.

Embora o documento admita que o país “pode ​​não estar enfrentando um risco imediato de um ataque direto de um estado estrangeiro , este afirma que há “cenários plausíveis” em que o Reino Unido pode ser arrastado para uma guerra – digamos com a Rússia, por exemplo – enquanto este estiver apoiando um aliado da OTAN.

“Isso levanta uma questão importante: o exército britânico está pronto para tal possibilidade? Se se vê apenas a preparação através da mão-de-obra líquida e da capacidade de força cinética, a resposta pode ser um simples “não”: o exército britânico está no seu mínimo e sofreu anos de cortes orçamentários “, afirmou o estudo. O Sunday Times.

De acordo com o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), o Reino Unido tem pouco mais de 83000 soldados em tempo integral, e 102.000 reservistas, enquanto a Rússia tem 750 000 de pessoal ativo, com mais de 2.000.000 de soldados nas forças de reserva.

A única divisão britânica de “combate” será ampliada para 50.000 após a conclusão de uma reorganização este ano. De acordo com o CHACR, ter uma força de batalha relativamente pequena não é apenas uma desvantagem em si, mas pode fazer os comandantes britânicos ficarem  extra-cautelosos em qualquer envolvimento potencial.

“A”perspectiva de perder a divisão em uma tarde pesará  na cadeia de comando. . .e em  Como os políticos apreciam os interesses envolvidos em lançarem-se à batalha, ” dizem os autores.

Além disso, o Reino Unido teria dificuldade de transportar sua força para qualquer teatro de guerra, com sua frota atual apenas capaz de transportar três brigadas – cerca de 5.000 tropas – a qualquer momento. Os autores dizem que o resto dependeria de navios comerciais e aviões fretados ou requisitados.

“A capacidade de obter partes de uma divisão inteira rapidamente e com segurança em um teatro de operações é identificado como uma preocupação fundamental”, o documento afirma.

A situação é resultado do “esvaziamento ou supressão das capacidades de desdobramentos do exército, o que significa que o exército teria dificuldades de lutar ainda que num conflito tão limitado quanto a intervenção no Iraque em 2003, para o qual o Reino Unido teve meses para se preparar.

A CHACR afirma que, apesar das despesas relativamente elevadas, presumivelmente para  manter uma força militar moderna e de alta tecnologia, o Reino Unido “ainda não compreende” que a guerra cibernética tem uma “lacuna de capacidade” na defesa aérea – protegendo suas tropas contra ataques aéreos – e não possui “Algumas das ferramentas que seriam necessárias contra uma ameaça do Leste “.

O IISS afirma que o Reino Unido gasta apenas US $ 9 bilhões a menos em suas forças armadas (US $ 56,2 bi) do que Rússia, US $ 65,6 bilhões em 2015 e ainda tem o quinto maior orçamento de defesa do mundo.

A crítica é particularmente poderosa, pois vem do CHACR , o próprio grupo de reflexão do exército britânico , baseado em sua academia de oficiais de Sandhurst – um auto-proclamado “centro de estudos e debate” envolvendo “as mentes mais brilhantes do Serviço”.

No entanto, o Ministério da Defesa eliminou estas acusações, insistindo que “o exército está pronto e capaz de desdobrar uma poderosa força de combate em grande escala, a nível de divisão, com suficiente antecedência”.

Esta não é a primeira vez que altos funcionários militares britânicos alertaram sobre a superioridade militar da Rússia, quer por preocupação urgente, quer por um desejo de atrair a atenção de um governo ocupado.

Em agosto passado, um relatório foi vazado para o the Times, alegando que Moscou desfruta  da “um salto de capacidade significativa” em equipamentos avançados, bem como, de uma melhor compreensão da guerra cibernética e mais recentes técnicas de campo de alta tecnologia, como hackers de GPS.

As relações entre a Rússia e o Reino Unido têm sido frias há mais de uma década. Isto foi congelado ainda mais depois que a embaixada russa em Londres acusou o governo britânico de uma “caça às bruxas”, depois que foi revelado que a inteligência britânica transmitiu informações aos oficiais americanos sobre suposto hacking antes das eleições presidenciais dos EUA no ano passado. Além disso, o ministro britânico de Relações Exteriores, Boris Johnson, acusou Moscou de “todos os tipos de truques sujos”.

Um teste recente, no qual os carros de combate do Reino Unido foram enviados através do túnel do canal da Mancha em uma simulação de um hipotético conflito com a Rússia, foi tratado como um “golpe baixo”, por um funcionário de Moscou, que rejeitou as alegações de que a Rússia poderia entrar em guerra com a Grã-Bretanha . “

Fonte: RT

7 Comments

shared on wplocker.com