Defesa & Geopolítica

Impressão em 3D é a promessa para viabilizar a produção do caça J-31 de forma mais rápida, eficiente e econômica

Posted by

Seção de liga de titânio da parte estrutural da nova versão do J-31impresso a laser em impressora 3D – foto Shenyang Daily.

E.M.Pinto

Após o voo da nova versão melhorada do demonstrador J-31 em 24 de dezembro, as novidades acerca do projeto veio na forma do pronunciamento do seu fabricante, a AVIC, de que o caça chinês poderá abocanhar uma significativa fatia do mercado internacional de caças furtivos em razão do seu baixo custo e desempenho.

O futuro do J 31 ainda em incerto seja na PLAAF ou na PLAN, entretanto, o seu fabricante aposta em inovações importantes no processo produtivo do caça para conseguir emplacá-lo internamente e externamente.

Nesta semana, o jornal chinês Shenyang Daily, publicou um artigo no qual afirma que e capacidade de produção seriada da aviação chinesa pode revolucionar o mundo e que o fabricante chinês estaria a desenvolver a nova versão tão rapidamente que seria capaz de torná-la muitas vezes mais barata com o uso da tecnologia de impressão 3D mais avançada, aplicada a seções completas de e titânio da sua estrutura.


A AVIC chegou a demonstrar uma dessas seções (foto principal) construída com a tecnologia capaz de tornar a produção de J-31 mais rápida e mais barata em comparação à antiga tecnologia de forjamento e processamento mecânico.

O fabricante não deu detalhes sobres os perfis de construção nem períodos necessários para tal, entretanto, reforçou que esta tecnologia seria capaz de reduzir falhas no processo de montagem estrutural, abreviar tempo, economizar material,  mão de obra e de quebra, poder ser aplicado em larga escala com dezenas de impressoras trabalhando ao mesmo tempo na montagem de um esquadrão de caças construídos ao mesmo tempo se necessário.

 

4 Comments

  1. Dudu 3 says:

    Esse J-31 é o MIG 29 Raptor chinês, né?

  2. ARC says:

    Interessantíssimo, pois a impressão em 3D permite que a produção seja rápida e com um mínimo de falhas, haja visto que o processo quase não sofre interferência humana (passiva de erros) e segue os gabaritos pré determinados que são fielmente constantes, não permitindo falhas, exceto as pontuais, que se originam de erros no projeto.
    O J-31 surpreendeu com as mudanças de desenho qie sofreu em sua ultima aparição, revelando ao mundo que o projeto é serio e segue firme, a questão é se o mesmo vai conseguir aprovação e homologação, pois se entrar em serviço na PLAAFe PLAN, diversas nações do eixo sino-russo quererão o mesmo, haja visto que a intenção é de ser vendido pelo menor preço entre os 5G .

  3. Alvez8O says:

    Um fato interessante sobre a produção do J-31,
    é que as forças armadas chinesas não estão apoiando
    este projeto com promessas de compra.

    Ele está sendo bancado exclusivamente pela AVIC, que tudo indica, esta apostando na ideia de exportação do mesmo, independente do mercado interno.
    Embora nada me tire da cabeça, que o projeto J-31, devidamente navalizado, será futuramente utilizado embarcado em porta-aviões chineses…

    • ARC says:

      Caro Alvez, mesmo não tendo promessas de compra, acredita-se profundamente que as forças chinesas comprarão algumas centenas de J-31 caso o caça seja aprovado, e o farão por diversos motivos, tanto pra promover a venda do caça no exterior, quanto tbm aumentar suas forças com um custo menor (já que muito provavelmente o J-20 por se lutador bombardeiro, terá um custo maior) inclusive existe a intenção de que o mesmo ganhe sua versão naval e seja o principal operador nos próximos porta-aviões.

shared on wplocker.com