Defesa & Geopolítica

FAB PÉ DE POEIRA: Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Recife capacita 30 novos militares em operações com cães de guerra.

Posted by

i161020152600119792

É  a  quarta  vez que o BINFAE-RF  “Batalhão Guararapes” realiza esse tipo de curso.

O Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Recife (BINFAE-RF) formou trinta novos especialistas em cinofilia, cinotecnia e condução de cães farejadores. O curso teve duração de três semanas e capacitou os militares para emprego do cão de guerra em diversas atividades de segurança. Além de pessoal da própria Força Aérea Brasileira, foram formados representantes do Exército e da Guarda Municipal de Vitória de Santo Antão (PE).

i161020152112178005

O Tenente Marco Aurélio Souto, coordenador do estágio, explica que cinofilia se refere ao estudo da criação canina (vacinação, cuidados veterinários, etc.) e cinotecnia ao treinamento e adestramento dos cães. Durante o estágio, foram ministradas instruções como pista de obstáculos, técnicas verticais (como rapel), condução dos cães de faro, comandos de disciplina e ataque e transposição de cursos de água.

i161020152109149068

O veterinário afirma que esse será o último curso oferecido nesses moldes, pois a Força Aérea Brasileira (FAB) está trabalhando em uma legislação que vai padronizar a doutrina de emprego de cães para as unidades de todo o País.

i161020152601144995

PADRONIZAÇÃO

A partir de 2017, o BINFAE-RF irá centralizar o curso de adestradores. Já o estágio de condutores de cães será realizado pelos comandos aéreos regionais ( e futuramente aos comandos das ALA).  A grande diferença é que está em processo final de aprovação pelo Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR) uma Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) para padronização das operações com cães na FAB.

i161020150957174048

O documento foi elaborado a partir de um currículo e de um manual construídos pelo BINFAE-RF com a colaboração de médicos veterinários e operadores de diversos canis da FAB, além de outros órgãos. Até agora, o emprego de cães na FAB era organizado por normas regionais. “Com essa nova ICA, que deve ser assinada nos próximos meses, de Manaus a Santa Maria, falaremos a mesma língua no que se refere ao funcionamento dos canis”, explica o Tenente Souto.

i161020150955146233

O emprego do cão nas operações militares é de grande relevância. O veterinário afirma que as principais Forças Armadas no mundo, como a Royal Air Force, valem-se dos cães para aproximadamente 70% das suas operações. “Para se ter uma ideia, o Exército Israelense utiliza cães à frente das suas unidades de patrulha, para identificação de minas terrestres”, exemplifica.

i16102015095282545

Fonte: FAB

Edição Pé de Poeira

One Comment

  1. Cesar. A. Ferreira says:

    Pombas!
    Ainda insistem com Pastores Alemães????

    Todo mundo sabe que cachorro é só um: American Staffordshire Terrier!!!
    Pirbull é cachorro, o resto é o resto.

shared on wplocker.com