Defesa & Geopolítica

Porta-aviões russo Almirante Kuznetsov

Posted by

Fonte: Hoje no Mundo Militar – O Mundo Militar é um canal (You Tube) exclusivamente voltado para temas atuais do mundo militar.

Edição: konner@planobrazil.com

 

6 Comments

  1. Profeta_lunatico says:

    O porque de deitar tanto fumo? A quando da passagem no canal da mancha parecia um carvoeiro. Foi para irritar as bonecas histericas? Ah aqueles que vāo e chamam de casco velho de gigante ou monstro de ferrugem eu pergunto Brasil tem melhor?

    • Claudio Albuquerque says:

      Quem dera o Brasil tivesse um desse.

    • ……………. ….ora,tem que levar-se em conta seu desempenho militar e não o fumacê do portaviões……os inglêses se borraram de medo a ponto de pedir ajuda à OTAN e o “boca de carvão” continuou com sua escolta a caminho da Síria….os russos estão mostrando a que vieram………..

    • César A. F. says:

      Vou explicar o motivo do Kuznetsov estar fazendo fumaça;

      1) É uma belonave que conta na planta propulsora a opção por caldeiras (caldeira movida a óleo).

      2) Quando uma belonave fica docada por muito tempo, necessita realizar testes de caldeira, para iniciar o processo de regulagem da mesma.

      3) A regulagem da queima das caldeiras é algo que se faz no tato, na mão, ou seja, depende da tripulação É navegando, portanto, que a tripulação testa e regula a queima das caldeiras.

      4) O nosso A-12 São Paulo, quando levantou âncora na Baia da Guanabara e realizou seus testes de caldeiras, também levantou muito fumo. Como dito acima, é natural que se dê neste processo de teste e posterior regulagem da queima.

      5) Por vezes não é possível regular as caldeiras, que devem ser então entregues à manutenção.

  2. Rprosa says:

    Não há como se negar que o Kuznetsov padece de algum problema crítico em suas caldeiras, vez que não é normal este excesso de fumaça quando da sua navegação. Também é notório que o Kuznetsov enfrentou diversos problemas para a sua construção, vez que foi durante sua construção que se deu a ruína da URSS, já que a construção do Kuznetsov teve início em 22.02.1983, seu lançamento se deu em 05.12.1985, foi comissionado em 05.01.1991, porém somente foi declarado operacional em 21.01.1995, sendo que em todos os seus deslocamentos se faz necessário que seja acompanhado por um rebocador de alto mar.

    Muitas são as possíveis explicações para o excesso de fumaça do Kuznetsov, variando desde problemas de design das caldeiras, até mesmo o uso de um combustível especial que mistura óleo pesado e rico em enxofre e querosene, o que possibilitaria que o Kuznetsov atingisse velocidades de até 32 nós sem expor a risco suas caldeiras.

    O certo é que mesmo tendo problemas o Kuznetsov é uma embarcação de respeito, pois além dos seus caças e helicópteros, o Kuznetsov e armado com 6 × AK-630, 8 Kashtan (sistema misto que emprega 2 canhões de 30 mm Gatling e o míssil 3K87, 8 VLS dotados de misseis 3K95 perfazendo 192 mísseis, e ainda 12 P700 Granit, com algums fontes informando que formam substituídos pelo P-800 Onix, havendo possivelmente mais de uma recarga a bordo, o que daria no mínimo 24 misseis anti-navio. Como armamento anti-submarino o Kuznetsov conta com o sistema RBU-12000.

    Caso seja aprovada a modernização do Kuznetsov é certo que sua planta motriz seja alterada para um ou dois reatores nucleares a exemplo do Kirov, bem como seja retirado os lançadores de misseis Granit/Onix, expandindo-se a capacidade do hangar , de forma possibilitar uma maior número de aeronaves, porém em função dos custos, pode o Kuznetsov ser abatido em prol da construção dos Storms.

    Cabe lembrar que o Kuznetsov, somente ostenta a bandeira russa, por conta de uma engenhosa operação, já que em 1991,o Kuznetsov estava ancorado em Fedosia, posto que pelos planos originais o Kuznetsov faria parte do frota do Mar Negro, porem com a queda da URSS e tendo a Ucrânia se declarado independente, a Ucrânia declarou como seus todos os ativos militares soviéticos estacionados em território ucraniano, assim com o risco de perder o único porta-aviões, o comando naval russo, deu ordem para que o Kuznetsov zarpasse rumo ao porto russo de Severodvinsk, o que os marinheiros cumpriram de imediato, assim o Kuznetsov zarpou as escuras e com menos da metade de seus marinheiros, bem como sem nenhum avião, helicóptero ou provisão.

    O certo é que se o Kuznetsov tivesse ficado na Ucrânia teria tido o mesmo fim de seus irmãos, posto que o Kiev virou museu na China, o Uliánovsk foi desmantelado como sucata, e o Variag foi vendido a China virando o atual Liaoning.

    • Topol says:

      Excelente comentário Rprosa… Sobre o excesso de fumaça ocorre também devido ao navio ter nada menos do que 8 caldeiras a óleo o que naturalmente já gera bastante fumaça e dependendo das condições de vazao de alimentacão de combustivel, temperatura de fornalha , tiragem induzida , sistema de lavagem de grelha, podem acarretar em gases mais sujos na chaminé mas principalmente se os bicos spray do lavador de gases dessas caldeiras estiverem obstruídos ou se o navio estiver operando com esse equipamento em by pass a tendência é mesmo essa fumaça escura que vemos .. também varia dependendo do tipo qualidade do combustível utilizado na alimentação.

shared on wplocker.com