Defesa & Geopolítica

Algumas das armas mais perigosas na Marinha da Rússia

Posted by

Especialistas da Marinha norte-americana indicaram os navios e armas do arsenal da Marinha russa que consideram mais perigosos, informou o jornal russo Izvestia citando Michael Petersen, professor e diretor do Instituto de Estudos do Potencial Naval da Rússia.

Segundo Petersen, para os EUA os mais perigosos são os submarinos Yasen, as fragatas do projeto 22350 Admiral Gorshkov, bem como os mísseis Tsirkon e Kalibr.

Os navios do projeto 22350 são fragatas de longo alcance e o desenvolvimento de fragatas deste tipo acontece pela primeira vez após a dissolução da União Soviética.

O chefe e fundador do Instituto de Estudos Marítimos da Rússia (RMSI na sigla em inglês) explicou que, enquanto o desenvolvimento de navios de superfície russos é considerado como parte do sistema defensivo, o aparecimento de submarinos nucleares tão “poderosos e perigosos” como os Yasen torna-se razão de sérias preocupações de Washington.

O RMSI foi inaugurado no estado americano de Rhode Island apenas um mês atrás com a função anunciada de coletar e trabalhar informação militar detalhada nos interesses da Marinha dos EUA, bem como dos seus aliados da OTAN.

Além disso, o professor destacou que agora a Marinha russa atingiu um novo nível de desenvolvimento e os EUA devem estudá-lo de forma cautelosa.

“Apesar das dificuldades que observamos em décadas precedentes, a Marinha russa atingiu em termos de preparação de pessoal e potencial tecnológico um nível que permite competir com qualquer Marinha do mundo”, concluiu Petersen.

Os submarinos russos do projeto 885 Yasen são submarinos nucleares multifunção de quarta geração equipados com mísseis de cruzeiro. A missão principal do Yasen é atacar submarinos e navios, bem como liquidar alvos terrestres com seus mísseis.

Edição: konner@planobrazil.com

Fonte: Sputnik News

 

16 Comments

  1. RobertoCR says:

    Olá povo.
    É de se pensar porque este destaque a um instituto que foi criado a cerca de 30 dias e que não está afirmando nada sobre coisa nenhuma em tema amplamente conhecido, e sobre o qual há consenso estabelecido: a vantagem tecnológica dos mais recentes recursos militares russos frente suas contra-partes ocidentais. Até porque a comparação entre a qualificação da ação diplomática e política, que deveria ser o real “medidor” de eficiência para situações como esta, mostra ampla vantagem ao sistema russo frente aos birrentos adolescentes europeus e norte-americanos. Na falta de competência a se mostrar, apela-se para o terror midiático apostando na ignorância da população.
    A propósito, está muito divertido ver as reações na internet sobre o deslocamento da força naval russa em direção a costa síria no ar Mediterrâneo. A frase mais interessante que vi esta semana foi “… a Inglaterra envia seus mais poderosos navios para acompanhar o deslocamento do grupo naval russo…”. Esta foi a descrição da atitude do governo britânico, com o deslocamento dos Type 45 e Type 23 para acompanhar o grupo de passagem ao largo da costa britânica. Fica a pergunta: o que poderiam estes navios, com os já bem e constantemente divulgados problemas de projeto, contra este grupo naval russo? A resposta é bem simples: nada além de vê-los passar e ouvi-los por sensoriamento remoto, coisa que certamente os bancos de dados da OTAN, e os de sua majestade em particular, já estão bem familiarizados.
    O que é destaque realmente, e que este instituto (RMSI) recém criado sabe-se lá com que finalidade (me engana que eu gosto) não afirma, é a incapacidade da OTAN/US Navy de produzirem situação tal que constrangeria a Rússia a enviar seus dois maiores meios navais (Pedro o Grande e Admiral Kuznetsov) para a Síria, a passarem confortavelmente, se medo, raspando por Gibraltar e adentrando no “Mare Nostrum” ocidental sem nem ao menos pedir licença. A mensagem, se é que alguém ainda não havia percebido, ficou mais que evidente agora: saiam as crianças da sala pois a conversa agora será entre adultos. Difícil é saber qual será o outro adulto que sentará junto a mesa com a Rússia.

    • JPC says:

      “”a vantagem tecnológica dos mais recentes recursos militares russos frente suas contra-partes ocidentais””

      Com certeza isso não inclui aviação nem a marinha. Pois nestas área o senhor sabe muito bem que a vantagem é ocidental. Tanto em número como em qualidade, mas com algumas exceções certamente.

      “”Fica a pergunta: o que poderiam estes navios, com os já bem e constantemente divulgados problemas de projeto, “”

      Não podem fazer nada porque teriam que declarar guerra. Capacidade para varrer esses navios da costa eles tem mais que o suficiente. Até porque podem usar aviões para fazer isso.

      • Filipe says:

        Quanto vantagem em meios navais, não tenho duvida que o ocidente está anos há frente da marinha russa principalmente no fator quantidade pois a USNAVY equivale há umas 3 marinhas russas, quanto há o fator tecnológico os russos conseguiram reduzir em muito esse atraso.
        Mais em meios aéreos não vejo vantagem alguma dos caças ocidentais frentes aos caças russos, os Su-30,Su-35,Mig-29 são em vários quesitos superiores aos caças ocidentais F-15,F-16,Typhoon,Rafale e Gripen, então não vamos aumentar as coisas né!
        Não esqueçam o baile que US AIR FORCE levou no deserto dos Su-27, há mesma coisa aconteceu com há RAF na India.

      • JPC says:

        O Mig-29 não é superior em nada.

        O Su-30 está mais ou menos no mesmo nível, porém sem radar AESA e sem mísseis como o meteor.

        Talvez o Su-35 seja comparável tecnologicamente.

        Su-33, se não for modernizado, é obsoleto.

      • Filipe says:

        O Mig-29 não é superior em nada. kkk…
        Tá de brincadeira, não dá mesmo para debater com FanBoys, oque aconteceu no deserto lá foi mera sorte ne Deagol?
        kkk!!!
        Talvez o Su-35 seja comparável tecnologicamente.kkk!!!!
        O tem que somar um F-16, um F-15 e um F-18 para ver se chega aos pés de paridade do Su-35.
        Assistindo muito Top Gun camarada.
        Mais bom mesmo é o F-35 que tem mais dificuldade de voar do que aquele avião dos irmãos Wright.

      • Arc says:

        (…)
        ______________________________________________
        Senhores, o assunto é Submarino e Fragatas, portanto, estamos dando por encerrado o debate sobre Aviação de Caça nesse tópico. – Plano Brasil

      • Filipe says:

        Pois se vier falar em F-22 que só aparece em show aéreos ou no abacaxi chamado F-35, quando eles voarem para combate de verdade os FanBoys da USA pode usar esses abacaxis como argumento.

      • JPC says:

        Não preciso de F-22.

        “””F-22 que só aparece em show aéreos “”

        Você está completamente enganado, o F-22 já foi usado em combate e está na síria neste momento.

        “”no abacaxi chamado F-35″”

        O F-35 coloca seus flankers na geração passada, não adianta baixar o nível dos argumentos. Que importa é a opinião das forças aéreas que sabem do que estão falando. O F-35 tem se saído muito bem contra caças americanos, que sempre superam outros caças em combate como o f-15, por exemplo.

        Por fim, caças russos só jogam bombas em terroristas sem defesa aérea ou caças. Embora mereçam respeito, não estão fazendo nada de espetacular.

        Se um dia você conversar com um piloto ele vai lhe dizer 2 segundo de vantagem podem ser a diferença entre a vida e a morte para um piloto.
        então é melhor se informar antes de dizer que algo é abacaxi.

        Abacaxi é o fulcrum, que perdeu todas, faliu a mikoyan por ser um avião ruim que nem a força aérea russa quer. Sorte dele por ser o mais adequado para esses porta-aviões de menor capacidade que os russos utilizam.

        O F-35, que nada tinha a ver com a conversa, pode vir ser um sucesso como o Eagle ou um fracasso como fulcrum, só o tempo vai dizer.

        Você pode dizer onde existe consenso da vantagem tecnológica russa?

      • Filipe says:

        Blindados de nova geração, Guerra Eletrônica e etc.
        Mais bom mesmo é o F-22 que até agora só entrou em combate no filme Transformes e o F-35, kkk, ele vai está operacional quando Jim Kirk assumir o comando da Enterprisse, abacaxi!!!

      • JPC says:

        Aviação militar é muito mais complexa do que apenas números divulgados na internet. Não vou estender essa discussão de abacaxi porque o tema são armas russas.

        Só acho que a opinião de quem conhece o assunto, como pilotos, comandantes, analistas de verdade, vale muito mais do aqueles que só sabem juntar números (muitos deles falsos) na web.

        Antes e criticar lembre-se que russos e chineses seguem atrás copiando. O que já demonstra que estão no caminho certo.
        _________________________________________________
        Senhores, o assunto é Submarino e Fragatas, portanto, estamos dando por encerrado o debate sobre Aviação de Caça nesse tópico. – Plano Brasil

      • Filipe says:

        Copiar o F-16 para quê?? os caças da família flanker botam os caças americanos no chinelo em vários quesitos cara.
        Veja oque aconteceu no deserto lá nos Estates, foi um vexame. Voar em combate contra forças aéreas despreparadas e mau treinadas é uma coisa agora enfrentar o força aérea russa é outra historia.
        ______________________________________________
        Senhores, o assunto é Submarino e Fragatas, portanto, estamos dando por encerrado o debate sobre Aviação de Caça nesse tópico. – Plano Brasil

    • JPC says:

      “”há consenso estabelecido: a vantagem tecnológica dos mais recentes recursos militares russos frente suas contra-partes ocidentais. “”

      Tem fonte disso?
      Porque a gente lê e encontra justamente a o contrário do que você diz.
      Fora da cobertura de dezenas de S-300 e S-400 a história é outra. Su-33, se ainda não foram modernizados, pouco podem fazer contra a aviação ocidental, por exemplo.

      Mas se tiver uma fonte boa.

    • Arc says:

      Excelente comentário, quanto a questão do “outro adulto” tbm aguardo, pois as posições da OTAN tem sido tão infantis que é lastimável assistir suas prerrogativas para reagirem a “ameaça russa”.

  2. BrComenta says:

    Quando Eu leio em um site ou Jornal especializado.que os navios do projeto 22350 são [ fragatas ] de longo alcance ,este da Russia .

    Como Classificar as nossas [ Fragatas e Corvetas ] da MB ????

    Fascinante as dimenssoes do projeto projeto 22350 .

    Alguns Paises,realmente tem belos projetos navais.

    • Arc says:

      Creio mais ser uma questão de seriedade com a defesa nacional, artigo em falta nos nossos políticos.

  3. Topol says:

    A Rússia está construindo simultaneamente 2 modelos de fragatas ambas baseados na
    Krivak IV… a Admiral Gorshkov no SVS em Sao Petersburgo e a Admiral grigorovich no Yantar em Kaliningrado. .. houve um contratempo na construção devido que a Ucrânia embargou o fornecimento da planta propulsora e a Índia arrematou os três cascos finais do primeiro lote para negociar direto com a Ucrânia posteriormente. .. A Rússia já desenvolveu sua própria planta substituta gás or gás pela NPO Saturno e as encomendas recomeçarão podendo chegar até 20 unidades para substituir todos os Sovremmenys Udaloys e Krivaks ainda em operação.

    A classe Yasen e espetacular mas está muito atrasada… a Rússia não tem conseguido por esses subs em ritmo consistente. .. estão dando mais ênfase na construção do projeto 636 varshavyanca.

shared on wplocker.com