Defesa & Geopolítica

HAITI: Estados Unidos mobilizou Força-Tarefa Conjunta Matthew para responder e prestar ajuda humanitária ao Haiti

Posted by
Membros da Força Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais - Comando Sul dos EUA e soldados do 1˚ Batalhão do 228˚Regimento de Aviação descarregam mantimentos de um avião cargueiro C-130H Hércules da Guarda Nacional de Ohio em Porto Príncipe, capital do Haiti, como parte dos esforços de ajuda humanitária em resposta aos danos causados pelo furacão Matthew, dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgto. Adwin Esters)

Membros da Força Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais – Comando Sul dos EUA e soldados do 1˚ Batalhão do 228˚Regimento de Aviação descarregam mantimentos de um avião cargueiro C-130H Hércules da Guarda Nacional de Ohio em Porto Príncipe, capital do Haiti, como parte dos esforços de ajuda humanitária em resposta aos danos causados pelo furacão Matthew, dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgto. Adwin Esters)

 Uma equipe partiu do Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM) para Porto Príncipe, capital do Haiti, neste seis de outubro para prover ajuda humanitária e auxílio aos esforços assistenciais devido ao furacão Matthew.

Esta equipe avançada, composta do comandante da força-tarefa e de um comandante de controle de elementos chegou ao aeroporto internacional de Porto Príncipe onde já estabeleceu um centro de operações. Pessoal e material adicional chegaram depois via um avião cargueiro C-130.

Os helicópteros e tripulação que chegaram na terça-feira (5) para atividades de preparo em Grand Cayman permanecerão na ilha até o tempo permitir voos para o Haiti. Ao chegar, proverão ajuda no transporte aéreo para as missões das Forças Armadas americanas correntes de ajuda humanitária requeridas pelo governo haitiano.

A missão é encabeçada pelo Escritório de Assistência a Desastres no Estrangeiro (OFDA, por sua sigla em inglês) da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID, por sua sigla em inglês).

A equipe é composta de aproximadamente 100 militares e de nove helicópteros e chegou a Grand Cayman no dia cinco de outubro em antecipação a um possível pedido de apoio aos esforços de assistência devido aos danos causados pelo Matthew.

Fuzileiros Navais americanos membros da Força-Tarefa Matthew carregam um avião com ajuda humanitária que partiu da ilha de Grand Cayman em direção ao Haiti como parte dos esforços de ajuda humanitária a este país caribenho que foi atingido fortemente pelo furacão, dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgto. Adwin Esters)

Fuzileiros Navais americanos membros da Força-Tarefa Matthew carregam um avião com ajuda humanitária que partiu da ilha de Grand Cayman em direção ao Haiti como parte dos esforços de ajuda humanitária a este país caribenho que foi atingido fortemente pelo furacão, dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgto. Adwin Esters)

Membros da Força-Tarefa Conjunta Bravo (JTF-B) e da Força Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais – Comando Sul (SPMAGTF-SC, por sua sigla em inglês) partiram da Base Aérea de Soto Cano a bordo dos helicópteros CH-53E Super Stallion, CH-47 Chinook e UH-60L Blackhawk.

A missão da Força-Tarefa Bravo inclui estar preparada para apoiar operações de auxílio a desastres nas Américas Central, do Sul e no Caribe, quando requerido pelo SOUTHCOM.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=BvUJBfCo_Pc[/embedyt]

A SPMAGTF-SC se deslocou para a América Central em junho para servir como força de resposta rápida durante a temporada de furacões. A equipe ficou lotada na Base Aérea de Soto Cano em Honduras e estava preparada para agir rapidamente em apoio a missões afins na região.

Historicamente, as capacidades das Forças Armadas dos EUA são necessárias nos estágios iniciais e mais críticos de uma operação de auxílio a esforços de ajuda humanitária, quando poucos recursos e peritos em resposta a catástrofes estão disponíveis para ajudar as vítimas de comunidades impactadas. Na medida em que estas missões progridem e mais expertos chegam para ajudar nos esforços de longo prazo de recuperação e reconstrução, as capacidades militares americanas deixam de ser fundamentais e as funções previamente exercidas pelas Forças Armadas são assumidas por outras organizações experimentadas de auxílio.

Durante os últimos anos, o SOUTHCOM proporcionou assistência a desastres ao Haiti para auxiliar este país caribenho a se preparar contra tempestades como o furacão Matthew e outras catástrofes naturais, incluindo a montagem de centros operacionais de emergência, galpões para ajuda a desastres, estações de bombeiros e centros comunitários que também funcionam como abrigos. O Comando Sul dos EUA também doou embarcações de busca e resgate, assim como veículos de transporte de resposta emergencial ao Haiti, além de agências de proteção civil.

O Coronel (FN) Thomas Prentice (à direita), comandante da Força de Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais - Comando Sul e o Contra Almirante Cedric Pringle, comandante da Força-Tarefa Matthew, discutem estratégias de ação antes de partirem de Kingston, capital da Jamaica, para Porto Príncipe, no Haiti, a bordo de um avião C-130H Hércules como parte dos esforços da ajuda humanitária ao país caribenho após do furação Matthew no dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgt Adwin Esters)

O Coronel (FN) Thomas Prentice (à direita), comandante da Força de Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais – Comando Sul e o Contra Almirante Cedric Pringle, comandante da Força-Tarefa Matthew, discutem estratégias de ação antes de partirem de Kingston, capital da Jamaica, para Porto Príncipe, no Haiti, a bordo de um avião C-130H Hércules como parte dos esforços da ajuda humanitária ao país caribenho após do furação Matthew no dia 5 de outubro de 2016. (Foto: Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA/Sgt Adwin Esters)

Força-Tarefa coordena os esforços de ajuda das Forças Armadas dos EUA no Haiti

O Comando Sul dos Estados Unidos estabeleceu a Força-Tarefa Matthew para coordenar os esforços de ajuda humanitária das Forças Armadas americanas no Haiti e nomeou o Contra Almirante da Marinha dos EUA Cedric Pringle o comandante da força-tarefa.

Esta equipe, sob o controle do Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM), foi enviada para Porto Príncipe, capital do Haiti, a pedido do governo do país caribenho para prover ajuda humanitária e auxílio aos esforços assistenciais devido ao furacão Matthew.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=ie21J46anOg[/embedyt]

Estes esforços realizados pelas Forças Armadas dos EUA são em apoio às atividades correlatas realizadas pelo Escritório de Assistência a Desastres no Estrangeiro (OFDA, por sua sigla em inglês) da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID, por sua sigla em inglês).

Historicamente, as capacidades das Forças Armadas dos EUA são necessárias nos estágios iniciais e mais críticos de uma operação de auxílio a esforços de ajuda humanitária, quando poucos recursos e peritos em resposta a catástrofes estão disponíveis para ajudar as vítimas de comunidades impactadas. Na medida em que estas missões progridem e mais expertos chegam para ajudar nos esforços de longo prazo de recuperação e reconstrução, as capacidades militares americanas deixam de ser fundamentais e as funções previamente exercidas pelas Forças Armadas são assumidas por outras organizações experimentadas de auxílio.

Durante os últimos anos, o SOUTHCOM proporcionou assistência a desastres ao Haiti para auxiliar este país caribenho a se preparar contra tempestades como o furacão Matthew e outras catástrofes naturais, incluindo a montagem de centros operacionais de emergência, galpões para ajuda a desastres, estações de bombeiros e centros comunitários que também funcionam como abrigos. O Comando Sul dos EUA também doou embarcações de busca e resgate, assim como veículos de transporte de resposta emergencial ao Haiti, além de agências de proteção civil.

Helicópteros UH-60 BlackHawk e CH-47 Chinook assignados ao 228.º Regimento de Aviação do 1˚ Batalhão da Força-Tarefa Bravo partem da Base Aérea de Soto Cano, em Honduras, para estabelecerem-se nas ilhas Cayman e proporcionar apoio de transporte aéreo durante os esforços de resposta aos danos causados pelo furacão Matthew, a pedido da Agência Internacional para o Desenvolvimento Internacional dos EUA. (Foto: Sgt Siuta B. Ika/Força Aérea dos EUA)

Helicópteros UH-60 BlackHawk e CH-47 Chinook assignados ao 228.º Regimento de Aviação do 1˚ Batalhão da Força-Tarefa Bravo partem da Base Aérea de Soto Cano, em Honduras, para estabelecerem-se nas ilhas Cayman e proporcionar apoio de transporte aéreo durante os esforços de resposta aos danos causados pelo furacão Matthew, a pedido da Agência Internacional para o Desenvolvimento Internacional dos EUA. (Foto: Sgt Siuta B. Ika/Força Aérea dos EUA)

Equipe de assistência do Departamento de Defesa dos EUA chega ao Haiti para prestar apoio pós-furacão

Assistência militar americana chegou ao Haiti para prestar socorro e apoiar este país caribenho depois dos danos causados pelo furacão Matthew, nos dias 4 e 5 de outubro, anunciou o porta-voz do Pentágono Peter Cook, dia 6 de outubro.

A medida que a equipe se mobiliza, os Estados Unidos e o Departamento de Defesa continuarão coordenando a necessidade de assistência militar americana com seus parceiros interagências e o governo do Haiti, agregou Cook.

O secretário de Defesa americano Ash Carter está recebendo atualizações constantes. “Ele e o restante do Departamento de Defesa estão acompanhando os passos do furacão … e a consequente ameaça à costa leste dos Estados Unidos”, completou ele. Além disso, Cook ressaltou que a Agência Internacional para o Desenvolvimento Internacional fez um pedido de assistência e o secretário Ash aprovou que o Comando Sul dos EUA disponha de até US$11 milhões em ajuda humanitária, civil e para desastres no estrangeiro.

Os fundos incluem transporte ao Caribe, avaliação da necessidade de auxílio e apoio às missões aéreas, explicou Cook.

Membros da Força de Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais - Comando Sul e outros militares do 228.º Regimento de Aviação do 1˚ Batalhão da Força-Tarefa Bravo desembarcaram dos helicópteros CH-53E Super Stallion, CH-47 Chinook e UH-60L Black Hawk em Porto Príncipe, capital do Haiti, dia 6 de outubro de 2016. Durante as operações de alívio às vítimas do furacão Matthew, estes helicópteros serão usados para transportar equipamentos e ajuda humanitária a áreas habitadas inacessíveis por terra devido aos danos causados pela catástrofe natural. (Foto: Copro de Fuzileiros Navais dos EUA)

Membros da Força de Tarefa Ar-Terra de Propósito Especial dos Fuzileiros Navais – Comando Sul e outros militares do 228.º Regimento de Aviação do 1˚ Batalhão da Força-Tarefa Bravo desembarcaram dos helicópteros CH-53E Super Stallion, CH-47 Chinook e UH-60L Black Hawk em Porto Príncipe, capital do Haiti, dia 6 de outubro de 2016. Durante as operações de alívio às vítimas do furacão Matthew, estes helicópteros serão usados para transportar equipamentos e ajuda humanitária a áreas habitadas inacessíveis por terra devido aos danos causados pela catástrofe natural. (Foto: Copro de Fuzileiros Navais dos EUA)

O Segundo Grupo de Ataque Expedicionário dos EUA avalia danos causados pelo furacão Matthew no Haiti

O Contra Almirante Roy I. Kitchener, comandante do 2˚Grupo Expedicionário de Ataque (ESG-2, por sua sigla em inglês), voou para o Haiti dia 9 de outubro para avaliar os danos causados pelo furacão Matthew.

O navio anfíbio USS Mesa Verde chegou no domingo (9) depois de zarpar de Norfolk, Virgínia, dia 5 de outubro para prover ajuda humanitária e auxílio pós-desastre.

Kitchener reuniu-se com o embaixador dos Estados Unidos para o Haiti, Peter F. Mulrean, que está ajudando a coordenar os esforços de ajuda advinda de muitas organizações governamentais e não-governamentais e outras agências. Mulrean visitou o Mesa Verde para aprender sobre as capacidades do navio e conhecer seus marinheiros e os Fuzileiros da 24ͣ Unidade Naval Expedicionária (MEU, por sua sigla em inglês) que estão embarcados.

O Contra Almirante da Marinha dos EUA Cedric Pringle (à esq), comandante da Força-Tarefa Matthew, e o Contra Almirante Roy Kitchener, comandante do 2˚Grupo Expedicionário de Ataque, vistam a sede da FT Matthew para discutir esforços de auxílio às vítimas do furacão correntes e futuros em Porto Príncipe, Haiti. (Foto: Cabo Kimberly Aguirre/ Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA)

O Contra Almirante da Marinha dos EUA Cedric Pringle (à esq), comandante da Força-Tarefa Matthew, e o Contra Almirante Roy Kitchener, comandante do 2˚Grupo Expedicionário de Ataque, vistam a sede da FT Matthew para discutir esforços de auxílio às vítimas do furacão correntes e futuros em Porto Príncipe, Haiti. (Foto: Cabo Kimberly Aguirre/ Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA)

“ESG-2, Mesa Verde e a 24ͣ MEU são parte de uma resposta mais ampla dos Estados Unidos a um pedido de ajuda humanitária feito pelo governo do Haiti”, disse Kitchener.

Os esforços do país são coordenados pelo Departamento de Estados em conjunto com a Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID). Estamos aqui para fazer nossa parte de um mais amplo esforço para ajudar a população haitiana depois deste devastador furacão.”

Kitchener também se reuniu com o Contra Almirante Cedric Pringle, comandante da Força-Tarefa Matthew, membros da Missão de Estabilização no Haiti (MINUSTAH) e Forças brasileiras para discutir ações de auxílio combinadas.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=SQUvk6tR4aY[/embedyt]

“Estamos empenhados em trabalhar em estreita colaboração com nossos parceiros internacionais para fornecer aos haitianos o apoio de que necessitam”, acrescentou Kitchener.

As Forças Armadas dos EUA têm um histórico de apoiar missões de alívio lideradas pela USAID e de trabalhar com organizações de ajuda internacional e os países anfitriões para ajudar pessoas atingidas por catástrofes.

Outro navio tipo ESG 2 e o navio anfíbio de assalto USS Iwo Jima zarparam no sábado para prestar assistência e devem chegar ao Haiti até o final desta semana.

Resumo da ajuda prestada pelas Forças Armadas dos EUA às vítimas do furacão Matthew no Haiti

– Os militares americanos já distribuíram quase 50 toneladas de ajuda humanitária até agora.

– O USS Mesa Verde apoia a missão na costa do Haiti.

– 12 helicópteros e uma aeronave de pouso e decolagem rápidos apoiam a missão.

– USS Iwo Jima, com 500 Fuzileiros Navais, aeronaves, navios de desembarque e 225 pallets de auxílio estão a caminho do Haiti.

O SOUTHCOM é um dos seis comandos unificados geograficamente focados cuja área de atuação cobre o Caribe e as Américas Central e do Sul.

Fonte: dialogo americas

Edição: Plano Brasil

3 Comments

  1. Topol says:

    De vez em quando eles fazem uma graça. … ajuda humanitária vende bem a imagem de bom moço. .. mas todos nós sabemos que isso não passa de estratégia. .. e igual aquela empresa safada que dá material escolar pro filho do funcionário só para pegar abatimento no imposto de renda.

  2. Boanerge says:

    Não sabia que o Joel Santana tinha virado general.

  3. Jorge Knoll says:

    um dia meu sonho se realizará:
    Brasil operando Helicóptero CH-47 Chinook. 40 deles já seria um grande salto, 10 para FAB, 10 EB. 10; 6 MB; 4 FUZILEIROS NAVAIS.
    Mas me contento com a metade: 20, na mesma proporção.

shared on wplocker.com