Categories
Defesa Estados Unidos Infantry Fighting Vehicles Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia

EUA sem recursos para nova geração de substitutos dos M1A2 Abrams e veículo Bradley

O orçamento dos Estados Unidos não permitiu que o país adquirisse para as suas forças nova geração de tanques blindados. É o que informa a publicação da revista The National Interest.

Segundo o artigo, já existem concepções para novos modelos de tanques e já existem possibilidades para a criação de protótipos próprios. No entanto, não existem planos para a produção de equipamento técnico-militar de nova geração.

“Eu gostaria que hoje existissem programas de substituição dos [carros de combate] Abrams e Bradley […] mas isso não está incluído nas condições orçamentais”, disse o diretor do programa de aquisição de equipamento militar, major-general  David Basset, na última terça-feira (4).

Segundo ele, há uma série de opções para modernizar os tanques Abrams e Bradley. “Para isso, é preciso entender quais tecnologias podem ser implementadas nestas plataformas, e quais necessitarão da criação de máquinas completamente novas”, disse Basset.

A National Interest observa que os modelos Abrams e Bradley são máquinas muito poderosas e de modernização gradual. Portanto, os militares norte-americanos têm trabalhado na introdução de sistemas de proteção ativa para ambos os tanques de guerra.

O artigo ainda ressalta que em certos aspectos de tecnologia militar os Estados Unidos começam a ficar para trás em relação à Rússia e China, e o Pentágono terá que empreender esforços para ficar em pé de igualdade com os líderes mundiais.

Edição: Konner/Plano Brasil

Fonte: Sputnik News

 

20 replies on “EUA sem recursos para nova geração de substitutos dos M1A2 Abrams e veículo Bradley”

Abrans e Bradley são plataformas ainda modernas e aptas a enfrentar quaisquer atuais cenários de guerra… o que pode ser feito e como o próprio texto afirma é uma integração de sistemas de defesa ativa para criar mais uma camada de proteção nesses veículos… A Rússia também vem fazendo isso introduzindo sistemas defensivos e melhorias de motorização e na suite eletrônica de seus já defasados tanques T-72 o que os coloca praticamente em pé de igualdade com veículos uma geração mais recente.

Os EUA já possuem pelo menos dois sistemas de defesa ativos em testes, um é o Iron Courtain e o outro é o Quick Kill ambos modulares que deverão ser integrados na maioria dos veículos blindados de linha de frente até quer haja verbas para a criação de um conceito totalmente novo para rivalizar com o Armata.

Em biologia aprendemos que para cada antibiotico inventado uma nova geração de bactérias é criada. O mesmo conceito serve para armamentos. Quando americanos inventam algo inovador, russos criam uma arma melhor que causará uma reação americana e posteriormente russa novamente. O fim disso é impossível de se prever. Até chegar a algo que não possa definitivamente ser superado, no máximo igualado. E então voltamos as pranchetas ou a paus e pedras.

Já já aquela galera PAGA vai sumir daqui.
Vamos ver o que sobra do assalto ao Brasil até lá.

De fato teve uma galera paga que sumiu daqui…..

Mas foi aquela galerinha que desconhece a nossa Constituição..rs!

A Máquina Trollsays:

“Já já aquela galera PAGA vai sumir daqui.”

e alguns supostos “blogs de defesa” por ai também…

Rafa_positronsays:

Os EUA não tem nenhum plano ou projeto pra um novo MBT nos próximos anos?

A Industria americana possui varios projeto, o que não há é dotação orçamentária para tocar

Rafa, existe o projeto da variante A3 do Abrams, que faria uso por exemplo de um carregador automático. E a depender do que vier a acontecer com o ARMATA, talvez seja integrado um canhão de 140mm

A Máquina Trollsays:

é porque estão direcionando/priorizando o orçamento para o programa “Abacaxi” caboclada….o programa esta em situação de emergência e precisam cobrir os rombos…vários outros programas militares estão sendo parados ou tendo seus recursos/orçamento diminuídos por causa deste programa “Abacaxi”… pois precisam de alguns mais bilhões de dólares para consertar os erros e falhas de projetos…são obrigados a fazerem isto pois não existe outro substituto para os caças fora de linha deles que já estão chegando ao fim de suas vidas…e são obrigados a fazerem isto pois se não fizerem e cancelarem este programa “Abacaxi” o prejuízo será de trilhões de dólares…… 😉

Estão tão ruins das pernas que o mundo inteiro espera para saber se espirrarão ou não; se pegarem uma gripe o mundo morre de pneumonia. Amigo, sua fala é só retórica. Quem conhece a economia americana não fica achando essas bobagens. Sabe que é pura inveja.

A Máquina Trollsays:

“A confiança é a base do arrependimento.”

André Dahmer

O “Abacaxi” Está voando, tem mais de 100 unidades entregues e o IOC declarado de duas das três variantes.

Enquanto isso o T-50 não passa de meia dúzia de protótipos…..

A Máquina Trollsays:

e estão esperando o que para enviar o “Abacaxi” para batismo de fogo lá na Síria?!….ele não já esta operacional?!.. com o IOC declarado?!..hihihihi… 😀

Pois é né… deve ser para ninguém descobrir que aquela coisa feia não tem nada de stealth e assim manter a lenda viva. Já pensou se todo mundo descobre? ninguém mais vai querer o abacaxi invisível com recheio de ouro.

A previsão para os primeiros deslocamentos operacionais para fora dos EUA é para 2017……

Mas tem quem queira negar os fatos e as notícias….

E enquanto isso o T-50 não passa de meia dúzia de protótipos e tem quem ache que está abafando…hehehehe

Não tem orçamento para a defesa? kkkkk

Mas é simples de resolver: é só fazer as impressoras trabalharem, imprimindo dólares! e o mundo inteiro pagaria a conta junto com os EUA. kkkkkkk

Aí os americanófilos ficariam contentes de ver a “SUPER-PUTÊNCIA” deles. Afinal, eles enchem a boca para falar mal de um programa do tipo bolsa família, que dá uns trocados para um miserável ter condições de deixar de ser marginal; mas não se importam com a enorme quantidade de dinheiro que eles pagam aos EUA, via dólar, via juros bancários, via roalties, via cartéis e trustes que os EUA – em conluio com a Europa Ocidental, Israel e o Japão – formam para nos roubar e monopolizar mercados.

Sim, os americanófilos não se importam com isso. O importante para eles é que os lucros que os EUA obtém vai ser bem gasto com F-35, bombas nucleares, 12 porta-aviões, escudos anti-mísseis contra a Rússia, golpes de estado na Ucrânia, financiamento de grupos terroristas moderados na Síria e muitos outros projetos necessários à democracia e liberdade. Projetos esses financiados com dinheiros do contribuinte americano e com o nosso dinheiro também, já que fazemos parte de um sistema criado pelos americanos e que os provê. Isso sim é dinheiro bem gasto. Bolsa família? nem pensar.

Nunca se esqueçam que muito do fruto do nosso próprio suor é desviado para financiar terrorista na Síria.

Ainda preso a esse discurso de centro acadêmico “Teacher”?

Sabe o que esse discurso lembra? vou dizer: aquelas reuniões em ambientes fechados, fumaça de cigarro barato, tira gosto de calabresa frita com cachaça ruim e aquelas feministas exaltadas que não depilam as axilas…….

Meu caro, no final tudo é uma questão de competência e acima de tudo educação. Se os EUA, os britânicos e os indefectíveis “siúnistas maus” que tanto vocês abominam dominam o mercado financeiro é porque as potências donas de toda a verdade e virtude (Rússia e China) foram até o presente incapazes de elaborar uma arquitetura financeira capaz de servir de contraponto. É isso que dá ter apenas bancos estatais ou então na mão de oligarcas corruptos amigos do rei. E por falar em amigos do Rei, não custa lembrar que enquanto o ParTido esteve no poder por aqui o BNDES, ao invés de servir de banco de fomento, foi usado politicamente para beneficiar as mesmas empresas que agora estão enroladas na Lavajato. E o banco “duzbriqui”?cadê?

E os Royalties? São ajusta remuneração pelo uso econômico dos bens criados para alavancar o progresso e trazer bem estar, comodidade ou utilidade aos seus utilizadores. E sabe qual o país que mais registra patentes todos os anos? justamente eles, “uzamericanú mau”. E por que eles são os que mais registram patentes? Pelo fato de que em suas universidade os estudantes estão cuidando de aprender e se preparar para o ambiente de negócios próprio do capitalismo. Outro exemplo claro de empreendedorismo nas universidade se dá em Israel, campeão mundial de “startups”

Enquanto isso, em nossas universidades o dinheiro do contribuinte é desperdiçado com reuniões inúteis em centro acadêmico com seus clássicos estereótipos como descrevi acima. Ou então em “protestos” em defesa de pautas inúteis, bizarras e sem sentido tal como o uso de saia pelos homens……

Já no que diz respeito aos malvados “cartéis e trustes”, é apenas uma forma pejorativa de tentar desmerecer o fato da economia desses países (EUA, GB, UE, Japão e Israel) ter possibilitado o surgimento de empresas grandes, de forte presença no mercado mundial. Falamos de empresas como Boeing, Microsoft, Ford, Apple, GE, Rolls Royce, BAe Sytems, Honda, Sony, Elbit e tantas outras, líderes mundiais em seus ramos de atuação. É por isso que até hoje a Lada foi incapaz de rivalizar com a Ford e outras. E também os jatos comerciais russos são incapazes de rivalizar com os ocidentais. E aqui no Brasil o capitalista e o empreendedor são sempre malvistos, demonizados. Basta ver o chilique que dão quando se fala em privatizar algo, enquanto a presença de uma empresa extremamente corrupta como a empreiteira “cúmpanhêra” é elogiada…

Se é fácil assim imprimir dinheiro, o nosso antigo governo não teria deixado a economia afundar como afundou, ou foi tão incompetente até pra isso. Vou avisar o Temer. Problema economico do Brasil resolvido. Vc avisa o Putin. kkk

Claro que imprimir dinheiro não é bom porque causa inflação. Mas no caso dos EUA, a deterioração do dinheiro causada pela inflação seria diluída pelo mundo inteiro, já que o dólar é uma moeda mundial.

Em outras palavras, o mundo inteiro pagaria a conta, não só os EUA.

Amigo, só lembrando que eles estão em defração enquanto a Rússia, assim como nós, amargamos inflação de dois dígitos.

Comments are closed.