Defesa & Geopolítica

Movimentos no tabuleiro Geopolítico – Síria

Posted by

Turquia entra com tanques no norte da Síria

Exército turco adentra o território sírio sob pretexto de combater jihadistas do “Estado Islâmico”. As primeiras manobras militares, porém, confirmam a suspeita de que seu principal alvo sejam os rebeldes curdos.

O Exército turco e os rebeldes sírios que ele apoia atacaram neste sábado (27/08) tropas curdo-sírias no Norte da Síria, numa manobra já esperada. Ocorreram confrontações violentas próximo à localidade de Tel al-Amarna e, segundo fontes da aliança rebelde Forças Democráticas Sírias (SDF), a Força Aérea da Turquia também bombardeou edifícios residenciais, fazendo vítimas civis. As SDF falam de uma escalada perigosa que ameaça toda a região.

Como relatou uma testemunha ocular à agência de notícias Reuters, aviões de combate voaram da Turquia para a Síria, e pouco mais tarde ouviram-se detonações. O Exército turco também mobilizou para a área em questão um grande número de tanques de combate, que atravessaram a fronteira síria na altura de Kobane. Um porta-voz do partido curdo-sírio PYD confirmou as ofensivas. As autoridades turcas não comentaram as informações.

Jogo duplo de Ancara

As SDF são uma aliança sob liderança curda, com o fim principal de combater a milícia terrorista “Estado Islâmico” (EI), com o apoio da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. Até agora, as milícias curdas foram as únicas capazes de impor derrotas ao EI.

Os tanques de Ancara que atravessaram a fronteira em Kobane foram acompanhados por máquinas de construção, as quais começaram a cavar um fosso em solo sírio. Segundo os rebeldes curdos, a Turquia pretende isolar a região.

Na semana em curso, as Forças armadas turcas avançaram sobre o Norte da Síria, juntamente com seus aliados rebeldes, expulsando o EI da cidade fronteiriça de Jarablus, e assim se antecipando aos rebeldes curdos, cuja função nas SDF é importante.

Com tais estratégias, Ancara procura evitar a formação de um território curdo contínuo no Norte da Síria, por temer que assim o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), classificado como terrorista, venha a ganhar mais força em solo turco.

AV/afp,rtr,dpa

Edição/Imagem: Plano Brasil

Fonte: DW

“Escudo do Eufrates”: Operação turca vai alterar correlação de forças na Síria

Alguns analistas afirmam que a operação turca “Escudo de Eufrates” mudará o equilíbrio de forças na região a favor de Washington, enquanto outros alertam que os EUA podem se afastar dos seus aliados curdos na Síria. Eles concordam, porém, que o envolvimento de Ancara vai mudar drasticamente o curso da guerra.

A intervenção da Turquia na Síria pode mudar drasticamente o curso da guerra, afirmam diversos analistas. “O exército turco lançou uma operação na quarta-feira com o nome ‘Escudo de Eufrates’ juntamente com a coalizão liderada pelos Estados Unidos na cidade fronteiriça de Jarablus para “limpar” a área do Daesh” – informou a edição turca Sabah na quarta-feira (24).

No entanto, de acordo com o Guardian, o movimento recente de Ancara, bem como as anteriores manobras diplomáticas mostram que a prioridade da Turquia é “limitar as ambições territoriais dos combatentes curdos”.

Embora as unidades de defesa curdas ganhassem a reputação de corajosos combatentes contra o Daesh, Washington já deu claramente a entender que coloca os interesses da Turquia à frente dos curdos.

A mídia observa que, para se aliar com Ancara, Washington corre o risco de prejudicar sua aliança com as forças curdas, de fato a sua única ferramenta na luta contra o Daesh na região.

Enquanto isso, surge a pergunta: quanto tempo a operação turca “Escudo de Eufrates” continuará?

A questão adquiriu um novo significado depois de um caminhão-bomba na cidade turca de Cizre ter morto pelo menos 11 policiais na sexta-feira (26). O ataque teria sido realizado por rebeldes curdos.

“Desde o início que temos vindo a defender a integridade territorial da Turquia. Estamos também a defender a integridade territorial da Síria.<…> Vamos continuar nossas operações (na Síria) até garantirmos plenamente a segurança da vida e da propriedade dos nossos cidadãos e a segurança da nossa fronteira. Continuaremos até o Daesh e outros elementos terroristas serem expulsos” – disse o primeiro-ministro turco Yildirim à mídia depois do ataque mortal, citado pela Reuters.

Foto: © AFP 2016/ BULENT KILIC

Edição/Imagem: Plano Brasil

Fonte: Sputnik News

9 Comments

shared on wplocker.com