Defesa & Geopolítica

Rússia deixa de usar base aérea de Hamadã no Irã

Posted by

Um representante do Ministério da Defesa iraniano declarou que a Rússia parou de utilizar a base aérea de Hamadã.

A respectiva informação foi divulgada nesta segunda-feira (22) pela agência Tasnim.

“Atualmente o uso pela Rússia da base iraniana de Hamadã foi cessado”, escreveu a agência.

A agência Reuters especificou que a informação foi divulgada pelo porta-voz do ministério Bahram Qasemi.

Na semana passada a Força Aeroespacial russa usou pela primeira vez a base para realizar ataques aéreos contra alvos dos grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra, proibidos na Rússia. Antes disso, os ataques russos eram realizados a partir da base síria de Hmeimym.

Foto: © AP Photo/ WarfareWW

Fonte: Sputnik News

Ministro da Defesa do Irã censura Moscou por divulgar dados sobre uso de Hamadã

Hossein Dehghan, ministro da Defesa do Irã, disse que a Rússia divulgou informações sobre o uso da base aérea iraniana de Hamadã não tendo informado previamente o Irã, relata a agência Mehr.

“Primeiro, os russos querem mostrar que são uma superpotência e que podem influenciar fortemente as tendências na área de segurança. Segundo, a Rússia quer parecer um ator eficaz nas operações na Síria para poder realizar conversações com os americanos e garantir seu papel no futuro político da Síria”, a agência cita Dehghan.

Em 16 de agosto de 2016, o Ministério da Defesa da Federação da Rússia anunciou que os aviões da Força Aeroespacial russa tinham realizado uma série de missões de combate contra o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) na Síria partindo da base militar de Hamadã, situada no Irã. Foi a primeira vez que a aviação russa usou um aeródromo em solo iraniano para atacar os terroristas na Síria. Em setembro de 2015, a aviação russa foi enviada para a base aérea de Hmeymim, na Síria.

Fonte: Sputnik News

Uso de Hamadã pela Rússia viola Constituição do Irã?

O representante do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, disse que neste momento os militares russos não estão realizando voos para a Síria a partir da base iraniana de Hamadã, informou a agência Tasmin.

Em entrevista à Sputnik Persa, o analista político, professor da Universidade de Teerã e especialista em assuntos do Oriente Médio e países árabes, Hossein Ruyvaran, disse que na luta contra o terrorismo a Rússia e o Irã estão do mesmo lado e o uso da base iraniana é uma medida acordada.

“Entretanto, nos círculos políticos do Irã esta decisão provocou muitas discussões e debates. A questão principal que está no foco da discussão pode ser formulada como ‘será o empréstimo deste aeródromo militar à Força Aeroespacial russa uma violação do artigo 146 da Constituição do Irã?’ Conforme este artigo, qualquer forma de empréstimo do aeródromo para criar uma base militar de forças estrangeiras (mesmo para realizar operações de paz) é proibida”.

Entretanto, as estruturas militares e o ministro da Defesa, Hossein Dehghan, em particular, explicara que não há nenhuma violação da Constituição do país porque esta medida antiterrorista não inclui o transpassar a base para a Rússia. A última somente aproveita as capacidades técnicas do aeródromo de Hamadã.

“Penso que o assunto da cooperação entre a Rússia e o Irã na luta contra o terrorismo não perdeu sua relevância. Não está em dúvida. Não há nada para discutir”, disse Ruyvaran.

Há que dizer que a situação política interna no Irã, que está a alguns meses das eleições presidenciais de 2017, não contribui para autorização de permanência de militares estrangeiros no território do país.

A luta política se torna cada vez mais violenta e a posição do líder do país, Hossan Rouhani, não está tão segura como antes. Os oponentes de Rouhani fazem todo o possível para impedir a vitória dele nas presidenciais e sua autorização do uso da base pela Rússia é um dos argumentos principais dos seus inimigos.

Fonte: Sputnik News

Reuters: Irã diz que Rússia não irá mais usar base aérea para ataques na Síria por ora

A Rússia não está mais usando uma base aérea iraniana para realizar ataques na Síria, informou o Ministério das Relações Exteriores do Irã nesta segunda-feira, interrompendo abruptamente uma mobilização inédita que foi criticada tanto pela Casa Branca quanto por alguns parlamentares iranianos.

Na semana passada, bombardeiros russos Tupolev-22M3 de longo alcance e caças-bombardeiros Sukhoi-34 utilizaram a base de Nojeh, próxima da cidade de Hamadan, no noroeste iraniano, para lançar ataques aéreos contra grupos armados na Síria.

Foi a primeira vez que uma potência estrangeira usou uma base iraniana desde a Segunda Guerra Mundial. A Rússia e o Irã vêm proporcionando um apoio militar crucial para o presidente sírio, Bashar al-Assad, contra os rebeldes e jihadistas durante o conflito de mais de cinco anos na Síria.

Alguns parlamentares iranianos classificaram a medida como uma violação da Constituição do país, que proíbe “o estabelecimento de qualquer tipo de base militar estrangeira no Irã, ainda que para objetivos pacíficos”.

O ministro da Defesa da República Islâmica, Hossein Dehghan, minimizou essa crítica, mas também repreendeu Moscou por divulgar a medida, o que descreveu como uma exibição e uma “traição da confiança”.

“Não demos nenhuma base militar aos russos, e eles não vieram para ficar”, disse Dehghan, segundo a agência de notícias Fars, no final do domingo.

Ele disse não haver “acordo por escrito” entre os dois países e que a “cooperação operacional” era temporária e limitada a reabastecimento.

Na semana passada, o Departamento de Estado dos Estados Unidos afirmou que a ação era “infeliz, mas não surpreendente”, e disse que estava verificando se ela violava a resolução 2.231 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que proíbe o suprimento, a venda e a transferência de aeronaves de combate para o Irã.

Nesta segunda-feira, o porta-voz da chancelaria iraniana disse que a utilização da base por parte dos russos havia terminado.

“A Rússia não tem base no Irã e não está posicionada aqui. Eles fizeram isso (a operação) e encerraram por ora”, disse Bahram Qasemi, de acordo com a agência de notícias Tasnim.

Na semana passada, o Ministério da Defesa do Irã havia dito que a Rússia teria permissão para usar a base de Nojeh “pelo tempo que precisar”.

Bozorgmehr Sharafedin

Fonte: Reuters

 

 

 

2 Comments

shared on wplocker.com