Defesa & Geopolítica

O papel da China no desfecho da guerra na Síria

Posted by

China pode aumentar ajuda militar à Síria e cooperar com a Rússia nos esforços para estabilizar a região.

O chefe da Comissão Militar de Cooperação Internacional da China Guan Yufei visitou recentemente Damasco e prometeu aumentar a ajuda “humanitária” às forças armadas sírias e intensificar o treinamento dos militares sírios na China. Tal solução pode ser de grande importância para o avanço dos combates na Síria. A China pode fornecer ajuda militar juntamente com a Rússia, disse em um comentário para a Sputnik o especialista militar russo Vasily Kashin.

“Veículos automóveis, comunicações, medicina, máquinas de engenharia – tudo isso é agora necessário para o exército sírio, tal como armas. Quanto a treinamento de pessoal, a China tem vantagens significativas. Alguns dos sistemas de armas usados no teatro de operações militares sírio ainda continuam sendo utilizados pelo exército chinês.”

O especialista russo afirma que a China aumenta seu papel no conflito para alcançar seus objetivos internos. A Síria agora se tornou um lugar que atrai adeptos de movimentos radicais islâmicos de todo o mundo. O número de militantes que vieram para lá a partir da região chinesa de Xinjiang equivale a muitas centenas de homens. Estes militantes têm na Síria suas próprias escolas e acampamentos de treinamento militar. A China está interessada na destruição desses extremistas antes de eles regressarem ao território chinês, espalhando suas redes terroristas entre a população muçulmana chinesa de Xinjiang.

Neste momento, com a luta feroz nos arredores de Aleppo, a guerra na Síria está entrando numa fase decisiva. Todos os países envolvidos no conflito estão agora aumentando seus esforços porque nos próximos meses será decidido quem irá determinar o futuro da região no pós-guerra. Portanto, para a China, como uma grande potência, talvez o melhor momento para intervir seja agora, concluiu Vasily Kashin.

Edição/Imagem: Plano Brasil

Fonte: Sputnik News

5 Comments

  1. Topol says:

    A China será a principal beneficiada com contratos de construção civil e financiamentos para remover todos os escombros e reerguer as cidades devastadas pela guerra… empresas chinesas e russas irão faturar bilhões para restabelecer a infraestrutura do país e irão gerar empregos para o povo e vão ficar ali ajudando até que a economia comece a dar sinais de vida

    • Lucena says:

      Se o brazil entrasse em uma dessa …. o empreiteiro pensava duas vezes pois poderia sair no vaza-jato e ser levado para a Guantánamo particular dos golpista no Paraná .. a não ser que fosse em alguma obra cujo o governo fosse tukano como é o caso de São Paulo,Minas Gerais,Paraná ou de algum PMDBista que seja da laia do corrupto Temer CUNHA & cia …. .. ai o puxuleco não existe só existe em governo de esquerda. petista e bolivarianista … como disse certo “juiz” .. “Isso não vem ao caso “

      • Richard says:

        Caro Lucena

        Perai mas a culpa de 11 milhões de desempregados é de São Paulo, Minas Herais, Paraná somente?
        PMDB e PT governaram juntos, você se lembra?

      • GENEROSO PATRIOTA says:

        rsrsrssrssss… eles elegem “o cara” e depois ficam xoramingando que é golpi… 🙂

  2. Claudio Moreno says:

    Coisa que o Brasil deveria ter aprendido e feito lá no Haiti.
    Reconstruir o país deles custa caro, mas torna-se vitrine para o mundo.

    CM

shared on wplocker.com