Defesa & Geopolítica

Superiores novas armas Russas

Posted by
Sistema TOS-1A que Utiliza munições termobáricas.

Sistema TOS-1A que Utiliza munições termobáricas.

640_092811_greta_scales-300x168Por Robert H. Scales 05 de agosto

Tradução e adaptação- E.M.Pinto
Sugestão- Rustam

Em novembro, durante uma visita à sede do Exército dos EUA na Europa, recebi um relatório da sessão de informação sobre o desempenho do Exército Russo na Ucrânia. Em um tom superficial, o Briefing do jovem analista de inteligência recitou os detalhes da Batalha de Zelenopillya ocorrida em julho 2014, em que um único “ataque de fogo” da artilharia russa, quase destruiu dois batalhões mecanizados ucranianos em poucos minutos.

Zelenopillya

Veículos Ucranianos destruídos na Batalha de Zelenopillya.

Eu não podia deixar de imaginar um batalhão blindado dos EUA submetido a um ataque similar. Percebi, então, que a Ucrânia tornou-se o meio pelo qual a Rússia demonstra o que poderia acontecer se “nós” lançarmos um ataque massivo contra ela (Rússia). “Saibam disso rapazes”, eu meditei no momento, “esta é a primeira vez desde o início da Guerra Fria que uma função de combate norte-americana foi superada por uma Função militar estrangeira.”

Esta revelação foi ainda mais preocupante, pois o poder de fogo da artilharia tem sido uma peça central da guerra terrestre dos EUA por quase um século. Na Normandia, os alemães tinham nada de bom a dizer sobre a qualidade da arma blindada e infantaria dos EUA. Mas eles temiam a artilharia EUA. Os alemães não podiam lançar ataques em massa através dos limites das unidades. Mas uma invenção americana, o fogo coordenado “tempo no alvo”, poderia trazer centenas de armas para centralizar um ataque num único alvo, oferecendo milhares de disparos simultaneamente. O efeito sobre os alemães foi devastador.

Durante a Guerra do Golfo, os iraquianos mais temerosos o chamaram de “chuva de aço”. A “chuva” consistia em centenas de milhares de pequenas bombas lançadas pela artilharia e ogivas de foguetes. Os radares contra-fogo dos EUA, acoplado ao sistemas de lançamento múltiplo de foguetes (MLRS), sufocou a artilharia tão apregoada de Saddam Hussein em uma série de enorme barragens de fogo por um dia inteiro. A artilharia iraquiana nunca mais representou uma ameaça para as nossas tropas.

Os sistemas MLRS causaram pesadas perdas as froças Iraquianas ao longo das campanhas militares na guerra contra Sadan Russain

Os sistemas MLRS causaram pesadas perdas as forças Iraquianas ao longo das campanhas militares na chamada “Chuva de Aço” na guerra contra Sadan Russain.

A experiência ucraniana serve como um análogo mortal para o que pode acontecer à artilharia dos EUA se tivermos que lutar contra os russos ou um substituto russo. Novos sistemas com elevado poder de fogo russo agora ultrapasam o nosso em pelo menos um terço, ou mais. Eles melhoraram em relação a nossa tecnologia de “chuva de aço” através do desenvolvimento de uma nova geração de munições que são preenchidos com explosivos termobáricos. Estas munições geram uma onda de explosão intensa de maior efeito de explosão de gases que são muito mais letais que os explosivos convencionais. Uma única saraivada da “chuva de aço termobárica” russa, entregues por um único batalhão de lançadores de foguetes pesados vai aniquilar qualquer coisa dentro de uma área de cerca de 350 acres (141,64 hectares ou 1.416.400 m2).

Tragicamente, todas as armas de submunições da Chuva de Aço Americana, milhões de ogivas se foram, intencionalmente destruídas pelos últimos dois governos em um sacrifício aos “deuses do politicamente correto”.

Eles concordaram em desistir de todas as armas de submunição depois de outras nações (que não tinham “chuva de aço”) e assinaram um tratado que proibia essas armas, porque elas produzem muitos insucessos que permanecem no campo de batalha e apresentam riscos para os civis.

Porém, Rússia, China e Israel acreditavam que tinham guerras reais para combater e ignoraram o tratado. Como resultado, uma “chuva de aço” do batalhão de fuzilamento de lançadores de foguetes pesados Russos produz uma área letal, pelo menos, cinco vezes maior do que a de um batalhão americano de MLRS disparando ogivas de explosivos convencionais de elevada capacidade de explosão.

O desempenho da artilharia russa na Ucrânia demonstra fortemente que, ao longo das últimas duas décadas, os russos ficaram um salto tecnológico a nossa frente. O Drones estratégicos dos Estados Unidos, os que Plink terrorists lançados a partir da base Americana em Nevada, são mais avançados que os similares Russos. Porém, os drones táticos russos, que “pintam”e denunciam os alvos para a artilharia, são muito superiores (e muito mais numerosos) que os nossos. Em 2014, quando a Batalha de Debaltseve começou, os ucranianos informaram que até oito drones táticos russos orbitavam sobre suas cabeças à todo momento simultaneamente.

Segundo o Autor, Apesar de menos tecnológicos os russos alcançaram melhor eficiência em combate em suas unidades de artilharia ao empregar drones mais eficientes para guiar a artilharia.

Segundo o Autor, apesar de menos tecnológicos, os russos alcançaram melhor eficiência em combate em suas unidades de artilharia ao empregar drones mais eficientes para guiar a artilharia.

Além disso, a tecnologia de guerra eletrônica demonstrada pelos russos na Ucrânia é o melhor do mundo, muito melhor do que a nossa. Durante os 240 dias do cerco do aeroporto de Donetsk, os russos foram capazes de apagar o GPS, rádios e sinais e de radar. Suas capacidades de intercepção comunicações eletrônicos foram tão boas que as comunicações dos ucranianos ‘foram paralisadas.

Os comandantes ucranianos se queixaram de que uma barragem de punição era lançada sequencialmente após qualquer tentativa de transmissão de rádio dentro de segundos.

Isso significa que o exército russo é superior ao nosso? Não, não em tudo. Se nós lutássemos contra os russos de hoje, iríamos vencer. Nosso exército é uma força altamente treinada de meio milhão de soldados. Dois terços dos 800 mil soldados de Vladimir Putin são recrutas com um ano de experiência, cujas habilidades de luta são questionáveis. A Força Aérea russa também não é páreo para a nossa. Mas a experiência ucraniana nos diz que o custo em sangue de qualquer tipo de confronto contra eles seria elevado.

A queda trágica de um outrora estandarte do braço de combate do nosso Exército mais letal, deve servir como um alerta. Esta diminuição da capacidade de combate em nosso exército europeu vem em um momento pouco auspicioso: quando o candidato presidencial republicano Donald Trump questiona publicamente o valor de defender a Europa e a administração Obama está a gastar centenas de bilhões de dólares em grandes sistemas, de alta tecnologia otimizados para lutar no mar na Ásia.

No entanto, nas guerras de hoje, as armas mais prosaicas, como pequenas armas, minas e artilharia estão matando nossos soldados. Além disso, ressalta-se o fato de que temos perdido o que antes era uma capacidade de campo de batalha esmagadora dos EUA, e só podemos imaginar o que conseqüências mortais podem resultar de nossas boas intenções.

Robert H. Scales é um Alto General reformado dos Exército, ex-comandante da Escola de Guerra do Exército dos EUA e autor do livro ” Scales on War.”

Fonte: Washington Post

31 Comments

  1. Rafa_positron says:

    Desculpa trilogiopata padrão: Lobby pra conseguir mais verbas para a defesa

    • S-88 says:

      Você começou mal mas a última parte do seu comentário definiu com perfeição o texto. Parabéns!

      • Rafa_positron says:

        kkkkkkkkkk

        Ta certo Sabichão

        Chuck Norris do Plano Brasil

        ps.: todo mundo sabe que vc deu um chute na terra e desde então ela não para de girar

  2. Professor says:

    Peraí, um Alto General, ex-comandante da Escola de Guerra dos EUA disse isso? peraí, ele precisa conversar com o S-88, o Deagol, o GENEROSO com as elites PATRIOTA americano, etc.

    Porque eles pensam diferente desse general.

    Mas ele é só um general reformado, e o S-88, por exemplo, é….é…o que ele é mesmo?

    • JPC says:

      Leia direitinho.

      “”Isso significa que o exército russo é superior ao nosso? Não, não em tudo. Se nós lutássemos contra os russos de hoje, iríamos vencer. Nosso exército é uma força altamente treinada de meio milhão de soldados. Dois terços dos 800 mil soldados de Vladimir Putin são recrutas com um ano de experiência, cujas habilidades de luta são questionáveis. A Força Aérea russa também não é páreo para a nossa.””

      Parece que quem estava errado é o professor.

      • A Máquina Troll says:

        “Deagol
        Hoje 0:12

        Isso significa que o exército russo é superior ao nosso? Não, não em tudo. Se nós lutássemos contra os russos de hoje, iríamos vencer. Nosso exército é uma força altamente treinada de meio milhão de soldados. ”

        esta força altamente treinada de quem ele fala é igual/do mesmo nível a aquela força de elite deles que atuou na Batalha de Mogadíscio na Somália é senhor Deagol?!…. 😀

      • JPC says:

        Ele quer dizer que as tropas americanas são voluntárias e combatentes profissionais e não recrutas fazendo serviço militar obrigatório.
        Um das metas dos russos é aumentar o número de profissionais entre as tropas.

        Você deveria saber disso.

        Já que lembrou de Mogadíscio poderia se lembrar também do desastre que foi a atuação dos spetsnaz naquele teatro russo invadido por terroristas. Ou daquelas centenas de recrutas que foram massacrados Grosni.

        Todos perdem algumas batalhas às vezes.

      • Rafa_positron says:

        pois é Deagol

        até os foristas erram quando tentam prevê o futuro

        VADERUXO que o diga (o garoto não dá uma dentro)

        falando nisso

        kd ele eim?

    • S-88 says:

      Não seria nada difícil reduzir a pó seu palavrório mas o Rafa_Positron sem querer já fez isso “Teacher”…??

      • Rafa_positron says:

        E o pior é q os TRILOGIOPATAS acham piamente que enganam mais alguém

        kkkkkkkkkkkkkkk

        é verdade isso é?

        depois de uma década vcs não enganam mais nem um adolescente na puberdade

        Mas a culpa é de vcs mesmos

        eu digo direto: vão se reciclar… vão buscar novas estórias… parem com os clichês…. mudem o repertório… já tá muito na cara… etc etc etc etc

        não me escultam

        o resultado é esse ai

      • Professor says:

        Será que não dá para utilizar outro argumento para tentar justificar mais gastos? precisa elogiar o seu maior inimigo? por exemplo, se fosse para exagerar, não seria melhor utilizar um argumento assim: “nós somos os mega/super, mas a capacidade industrial da China poderia fazer zilhões de equipamentos soltando as pecinhas, mas que pela quantidade nos venceria. Então precisamos de mais grana, senão nem nossa tecnologia alienígena não nos salvará”. Um argumento assim não seria melhor? Precisa encher mesmo o seu adversário de moral, ainda mais contando mentiras?

        E por que um general reformado, que não está mais na ativa, faria esse tipo de lobby genérico para justificar mais gastos, se ele não está mais na ativa?

      • S-88 says:

        Você realmente não sabe por que um general reformado nos EUA faz lobby “Teacher”? Talvez por estar estar mais acostumado a ver no Brasil Almirante abrindo empresa em paraíso fiscal e simulando contrato de consultoria para encobrir proprina…..

        Antes de mais nada, o Lobby é permitido e regulamentado nos EUA. Inclusive um dos mais notórios é o exercido pela AIPAC (American Israel Public Affairs Comittee) que tanto ódio causa nos esquerdistas, atávicos antissemitas. Nesse sentido muitos oficiais reformados são contratados por indústrias de material bélico para fazer lobby junto ao congresso e ao Pentágono por mais verbas e/ou mais aquisições desse ou daquele sistema de armas.

        Da mesma forma muitos oficiais já reformados ainda permanecem muito ligados aos assuntos referentes ao ramo das forças armadas que integraram sendo os mais arraigados à essa tradição os oriundos do Exército e do USMC de forma que de vez em quando se pronunciam em defesa da sua corporação. E alguns também terminam por concorrer e ser eleitos a cargos políticos. O mais notório é John McCain mas não custa lembrar que quando a USAF cogitou retirar de serviço o A-10 um dos congressistas mais atuantes foi uma Senadora que havia sido ela própria piloto de Warthog durante boa parte de sua carreira.

    • GENEROSO PATRIOTA says:

      Eu não entro em discussões avaliativas com pernósticos simplesmente porque NINGUÉM no mundo tem acesso a números verdadeiros qndo o tema é poderio das FAs de outros países… não faço torcida organizada nem para o Palmeiras… 🙂

  3. Atirador 33 says:

    Acredito que os Russo não disponha de capacidade para derrotar e ocupar qualquer país da OTAN, porém o sinal vermelho foi aceso, os americanos estão muito apegado a tecnologias caras, para derrotar terroristas, e deixando suas forças, convencionais de lado, até aonde essas tecnologias americanas são eficientes em um enfrentamento aos russos? me refiro a uma força convencional.

    Acho que a china ainda demora algumas decadas para fazer frente aos americanos e russos.

    Abs

    • A Máquina Troll says:

      sempre foi evidente a vantagem dos eua em armamentos convencionais devido aos astronômicos investimentos que fazem…mas com um orçamento bem mais inferior ao dos eua mesmo assim os Russos ainda conseguem paridade tecnológica em diversos meios e até superioridade em outros…e muitos meios deles hoje encontram-se em necessidade de modernização como seus caças F-15s…para se ter uma ideia os F-15s usados atualmente pelo pais são inferiores aos usados pela Arábia Saudita…até o arsenal de misseis Trident e Minutemen deles necessitam de modernização urgente hoje….enquanto os Russos atualizam seus arsenais nucleares…os estadunidenses ainda operam Tridents 2 da década de 1980 e projetos ainda mais antigos como o Minutemen 3 da década de 1970…..por mais que recebam novas atualizações como propugnador de foguete sólido ou computador de voo mais modernos…tratam-se de projetos obsoletos…

      • _RR_ says:

        “…por mais que recebam novas atualizações como propugnador de foguete sólido ou computador de voo mais modernos…tratam-se de projetos obsoletos…”

        Quanto aos Minutemam, se se alcançou uma “casca” eficiente, então não tem necessidade nenhuma de se projetar novos mísseis a todo o momento… Ademais, o que importa para um míssil balístico intercontinental é ele chegar e fazer “bum”. E o fato é que os russos, fora o sistema A-235, não tem nada em seu arsenal que seja remotamente comparável ao que os americanos possuem hoje para se deter um ataque de ICBMs… Ou seja, os americanos estão focando recursos onde realmente importa: GMD, AEGIS, THAAD…

        “…para se ter uma ideia os F-15s usados atualmente pelo pais são inferiores aos usados pela Arábia Saudita…”

        Há atualmente 180 Raptores… Por isso que não estão lá tão preocupados… E cogita-se retomar a produção…

        E seja como for…. O F-15E é o atual ‘bomb truck’ da USAF, conservando plenas capacidades para combate aéreo em todos os níveis… Não há tecnologicamente nada que um Flanker possua que esse caça já não detenha… Reúne numa só plataforma as características do Su-27, Su-30 e muitas do Su-34. E vale lembrar que o F-15E já vem sendo progressivamente atualizado.

        O F-15SA ( para a Arábia Saudita ) é um novo desenvolvimento do ‘E’… Sua suíte eletrônica o coloca ombro a ombro com o Su-35; ou um pequeno passo a frente, já que usa um genuíno radar AESA ao invés de um PESA. Aliás, o próprio ‘E’ vem recebendo o radar APG-82, o que o coloca teoricamente ao nível do Super Flanker…

  4. Evandro sousa says:

    dos 800 mil soldados de Vladimir Putin são recrutas com um ano de experiência, cujas habilidades de luta são questionáveis. Será mesmo??

    • JPC says:

      Acho que são 300.000 no exército.

  5. Henrique says:

    Primeiro… os EUA ou mesmo a OTAN jamais entrariam em combate com as FAs Russas correndo o risco de destruir o planeta inteiro pois, sabendo como os Russos são, se estes vissem uma derrota iminente apelariam para o que eles tem de melhor… armas nucleares na velha tática de… se vou perder tudo vc tb vai.
    Esse tipo de discurso nada mais é do que a tentativa de angariar mais dinheiro para programas militares… está errado? NÃO !!! Pois toda potência séria sabe que só terá poder político e dissuasório se tiver capacidade bélica! O resto é mimimi…

    • JPC says:

      Sempre vão usar esse tipo de argumento para justificar mais gastos e investimentos, mas isso não significaria que general não esteja falando a verdade.

      Tem relatórios dos ucranianos que dizem a mesma coisa.

  6. Marcelo ft says:

    Fica tranquilo que aqueles ferro velhos russos da época da uniao soviética nao serve pra nada…….só serve pra fazer o quer quiser no planeta e todo mundo tem que ficar pianinho …….o tio sam viu a velharia na Ucrânia e ficou só no sapatinho……a América sabe onde o calo aperta !!!!!!!

  7. Marcelo ft says:

    A avibras com seu astros 2020 seguindo a tendência russa ……..parabéns !!!!!!!!!

  8. Arc says:

    A Questão sobre poderio militar e bélico entre Rússia e EUA é opinativa, pois não tem como prever com precisão quem sairia vencedor num conflito CONVENCIONAL.
    Creio que hoje a Rússia é inexpugnável em suas fronteiras, tendo poder para defender-se e retaliar eficientemente qualquer ataque oriundo de qualquer direção, não tendo qualquer país no mundo que esteja seguro de atacar e não sofrer terríveis perdas, ou seja, mesmo os EUA que poderiam ganhar vitórias nas fronteiras russas iria amargar bombardeios e outras coisas mais oriundas do céu e de forças submarinas, isso sem contar nos milhares de soldados que morreriam tentando avançar no território eslavo.
    Cito a questão do lado russo pois é o mais questionado, mas faço questão de colocar que hoje as principais potencias mundiais estão pau a pau no que cerne a defesa de suas fronteiras, só tendo o diferencial do poder CONVENCIONAL dos EUA de mobilizar-se eficientemente em todo o globo. Na questão nuclear é fato, se um tentar contra o outro serão desintegrados mutuamente, e não tem sistema que impeça disparos de saturação de milhares e mísseis inteligentes e impeça isso, por isso eles possuem acordo para assegurar a paridade.

  9. Topol says:

    o TOS dispara salvas com dois foguetes de cada vez… os foguetes termobáricos desse sistema tem uma potencia muito grande… um ataque desses sobre um comboio, um acampamento ou mesmo sobre uma base aérea causa um desastre no inimigo.

    Outro sistema de artilharia muito interessante russo é o Grad, a simplicidade do sistema contrasta com seu poder de destruição, um simples Ural facilmente camuflável carrega nada menos que 40 tubos. Um ataque coordenado com 10 Ural Grads não deixa nada vivo num raio de 2 km

    • Arc says:

      Fato, inclusive há um vídeo na internet com disparos de saturação realizados com o Grad, um bairro inteiro é estraçalhado.

  10. Russia sempre querendo, ter mais armamentos do que os Estados Unidos!

  11. Munhoz says:

    cerca de 350 acres (141,64 hectares ou 1.416.400 m2). tem certeza nisto me parece um exagero ?????????

    • Vandrade says:

      Por quê?
      Pouco mais de 1 Km².

      Att;

      • Munhoz says:

        Isso da aproximadamente uma área de 135 campos de futebol ?

        1 hectare equivale a uma área de 10.000 mts quadrados.

        Isso ai é mais potente que uma arma nuclear ??

    • JPC says:

      O texto exagera um pouco em dizer que munições termobaricas aniquilam tudo em nessa área. Contra veículos melhor blindados o efeito é bem menor se eles estiverem fechados é claro.

      • Arc says:

        Não se esqueça do efeito térmico, os carros de combate são compostos em maior parte de condutores térmicos perfeitos, logo, com uma temperatura elevada ao redor fritaria os usuários dentro dos carros, e pra isso bastaria poucos segundos a depender da temperatura externa.

shared on wplocker.com