Defesa & Geopolítica

Atualizado/Turquia: Atividades na base aérea de Incirlik estão suspensas

Posted by

Aeronaves alemãs na base Incirlik na Turquia.

Fontes do Departamento de Defesa dos Estados Unidos informaram neste sábado (16/07) que a Turquia suspendeu as atividades na base aérea de Incirlik. Além disso o país fechou seu espaço aéreo para veículos militares.

O consulado americano na cidade de Adana, a dez quilômetros da base, confirma que “as autoridades locais estão impedindo a circulação para e a partir de Incirlik” e que o abastecimento de energia foi cortado.

Da instalação que abriga cerca de 80 ogivas nucleares partem ofensivas da coalizão internacional contra a milícia jihadista “Estado Islâmico” (EI) na Síria. A medida ocorre um dia após o fracassado golpe de Estado contra o governo de Recep Tayyip Erdogan, realizado por uma facção das Forças Armadas nacionais.

Ainda não está claro se a base aérea foi sequestrada pelos golpistas durante os eventos da noite anterior. Autoridades governamentais afirmam que jatos teriam sido usados para atacar prédios-chave, inclusive o Parlamento em Ancara.

Além da Turquia, Incirlik é usada principalmente por forças dos Estados Unidos e da Arábia Saudita. A Alemanha também mobilizou para lá cerca de 400 soldados, como parte das operações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra o EI. No início de julho, parlamentares alemães foram impedidos de visitar o local, no contexto do conflito em curso entre Ancara e Berlim.

AV/afp,dpa

Fonte: DW

Chefe da base Incirlik preso na Turquia

O chefe da base aérea de İncirlik, usada em conjunto pelas forças da Turquia e dos EUA, foi preso neste domingo (17).

De acordo com dados revelados pela mídia, o alto responsável militar é acusado de cumplicidade na tentativa de golpe de Estado de sexta-feira (15) na Turquia.

Lembramos que, durante a noite, os envolvidos no golpe atacaram uma série de instalações em Ancara, inclusive o prédio do Estado-Maior, sedes da polícia, o Ministério do Interior e o Parlamento.

Enquanto isso, o Pentágono informou que a coalizão liderada pelos EUA recomeçou os ataques aéreos contra posições do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) a partir da base turca.

A história continua sendo atualizada…

Fonte: Sputnik News

Pentágono: Turquia reabre base aérea para operações dos EUA contra Estado Islâmico

A Turquia vai reabrir sua base aérea de Incirlik para aeronaves dos Estados Unidos, utilizadas para atacar o Estado Islâmico, após uma tentativa de golpe no país, informou o Pentágono neste domingo. 

“Após estreita coordenação com nossos aliados turcos, eles reabriram seu espaço aéreo para aeronaves militares. Como resultado, as operações aéreas contra o Estado Islâmico em todas as bases aéreas na Turquia foram retomadas”, disse um comunicado do Pentágono.

A Turquia, um grande aliado norte-americano, tem permitido que os EUA utilizem a base em Incirlik para lançar ataques contra o grupo militante. Essas operações aéreas foram temporariamente suspensas após uma tentativa de golpe no país na sexta-feira.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse à rede CNN que havia falado com o ministro de Relações Exteriores da Turquia por três vezes no sábado.

“Eles me asseguraram de que não haverá interrupção de nossos esforços contra o Isis”, disse Kerry, referindo-se ao acrônimo utilizado para se referir ao Estado Islâmico.

Kerry disse que a dificuldade para que aviões dos EUA acessassem Incirlik pode ter sido resultado do uso da base aérea por aeronaves de apoio ao golpe.

À rede NBC, no domingo, Kerry foi questionado se o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, utilizaria a tentativa de golpe para tentar aumentar ainda mais seu poder.

Kerry disse que se tal medida fosse adotada por Erdogan, isso representaria um desafio para seu relacionamento com a Europa, com a Otan e com outros países.

“Pedimos a eles que não vão tão longe a ponto de criarem dúvidas sobre seu comprometimento com o processo democrático”, disse Kerry.

Erdogan tem culpado seu rival, Fethullah Gulen, de arquitetar a tentativa de golpe. Gulen, que atualmente mora nos Estados Unidos, tem negado qualquer envolvimento.

Kerry disse não ter provas neste momento de que Gulen estava por trás do golpe para tirar o poder das mãos de Erdogan, mas pediu para que autoridades turcas compilassem evidências rapidamente para que os EUA possam avaliar se ele deve ser extraditado para a Turquia.

Julia Edwards

Reportagem adicional/David Chance e Timothy Gardner

Fonte: Reuters

 

Comments are closed.

shared on wplocker.com